Em evento, ministro promete informatizar UBSs até o fim de 2018

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou nesta segunda-feira, 14, que todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão informatizadas até o final do próximo ano.

A declaração foi dada durante a abertura do Summit Saúde Brasil 2017, evento promovido pelo Estado que reúne alguns dos maiores especialistas no tema.

Segundo Barros, todas as UBSs devem passar pelo processo, que inclui a implantação do prontuário eletrônico dos pacientes.

As medidas para modernização do SUS incluem ainda mais interatividade com os pacientes que, por meio do aplicativo E-Saúde, vão poder inclusive avisar quando não for possível comparecer a uma consulta.

“Hoje, financiamos doença e temos passar a financiar saúde. Investir em prevenção e promoção será a palavra de ordem. Sabemos que, em 30% das consultas, as pessoas não comparecem. Elas poderão confirmar com o smartphone”, explica Barros.

Para informatizar as UBSs, o ministério deve fazer um contrato com duração de 60 meses, que será pago mensalmente.

Em sua apresentação, o ministro apresentou ainda o projeto de criação de uma fila única para procedimentos cirúrgicos, cuja posição também poderá ser consultada por smartphones.

COMENTE AQUI

carla  14/08/2017

Esse ministro é mais um demente desse governo de trogloditas senis do século passado. Como pode um governo implantar medidas tão polemicas sem passar por um plebiscito ou um referendo ? ah, me lembrei, é um governo golpista. - Responder

Ministros do Trabalho e do Planejamento chegam a Natal para reuniões

Ministros Dyogo Oliveira e Ronaldo Nogueira em Natal - Foto Divulgação PTB
Foto: Divulgação
Os ministros Dyogo Oliveira (Planejamento) e Ronaldo Nogueira (Trabalho) chegaram em Natal nesta sexta-feira (5) para a reuniões com o diretório estadual do PTB e com o Conselho Fiscal do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).
O objetivo dos dois é levar os pleitos do Rio Grande do Norte e auxiliar na reunião do Conselho Fiscal atendendo a um convite do diretor regional do Senac, Fernando Virgílio, e do presidente estadual do PTB, Getúlio Batista. De acordo com Getúlio, a recepção dos dois ministros serviu adicionar os pleitos que ajudem os trabalhadores e o setor comercial no Rio Grande do Norte.
“O ministro Ronaldo Nogueira foi uma indicação do PTB. Então aproveitamos a oportunidade com os dois ministros, um deles colega de partido, para alinharmos os pleitos do Rio Grande do Norte na pauta de discussões do Ministério e para conversar sobre o partido. É sempre importante cobrarmos melhorias para o nosso Estado”, disse.

COMENTE AQUI

Edvaldo  05/08/2016

Só trabalhadores de verdade. Gastando o dinheiro público e passeando. - Responder

[FOTOS] Com decote ousado, mulher de ministro causa polêmica ao publicar fotos em gabinete

Milena Santos publicou fotos no Ministério do Turismo nas redes sociais  (Foto: Reprodução)

O Globo

“Ao lado de um grande homem, existe sempre uma linda e poderosa mulher”. A frase é da modelo Milena Santos, vencedora do Concurso Miss Bumbum Miami 2013, que comemorou, nesta segunda-feira, em sua página no Facebook, mais uma conquista: tornar-se primeira-dama do Ministério do Turismo. A alegria foi exibida em cinco fotos tiradas no gabinete de seu marido, o economista Alessandro Golombiewski Teixeira, de 44 anos, empossado no cargo na última sexta-feira. Com um decote ousado, Milena troca olhares apaixonados, sorri e beija Alessandro. À noite a mulher do ministro tirou as fotos do Facebook do ar.

O Ministério do Turismo confirmou a veracidade das imagens, que foram tiradas nesta segunda-feira, mas esclareceu que “Milena Santos publicou fotos ao lado do marido na sua rede social sem imaginar que iria despertar o interesse da mídia”. Com a repercussão da publicação, houve muitos compartilhamentos de fotos nuas de Milena, em frente ao Congresso Nacional, tiradas em 2013, o que causou indignação por parte do ministro. Ele informou, também através de nota, que “repudia a exposição pública da intimidade do casal e o resgate de fotos antigas para denegrir a imagem dos envolvidos”. Uma das fotos, porém, estava disponível na própria página de Milena.

Além da carreira de modelo, tendo inclusive posado nua para uma revista masculina, Milena Santos já se arriscou na política. Em 2012, ela foi candidata a vereadora em Salvador pelo PSL, com o nome “Milena Tudo pelo Esporte”, e conseguiu apenas uma vaga de suplente. Suas principais plataformas eram a construção de quadras de esporte e academias gratuitas para a população. Na sua página no Facebook, ela disse, no dia 13 de abril, que não voltará a concorrer nas próximas eleições: “Essa Política de fato não é para gente como eu e nem para pessoas que têm compromisso com o social e com a melhora da vida das pessoas”.

Fotos da 1º dama do Turismo tiradas em 2013 em frente ao congresso.

Foto: MF Models Assessoria

20130614174512_capa

 

COMENTE AQUI

antonio  26/04/2016

Verdadeiro monumento turístico. - Responder

Paulo  26/04/2016

"Transforma o País inteiro num puteiro para se ganhar mais dinheiro" - Responder

Rodrigo  26/04/2016

Até que em fim apareceu uma coisa boa no PT. - Responder


+ Ver todos os comentários

Gilmar Mendes: STF não pode emitir juízo sobre mérito do processo de impeachment

gilmar-mendes-e1369668149193O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse hoje (18) que a Corte não poderá emitir juízo de valor sobre o mérito do processo do impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Segundo o ministro, apesar de a jurisprudência do STF assegurar o direito ao devido processo legal, ao contraditório e à ampla defesa, o tribunal poderá apenas impugnar eventuais decisões de procedimento, mas não decidir sobre o mérito.

“O tribunal não pode emitir juízo sobre o mérito do processo. Essa é a jurisprudência que vem de lições clássicas do nosso constitucionalismo. Então, me parece que poderemos ter, sim, eventual impugnação quanto a decisões de procedimento”, disse Gilmar, em palestra em um hotel em São Paulo.

“Também me parece que, diante da possibilidade de impugnação [nos procedimentos], os responsáveis pela condução dos processos na Câmara [dos Deputados] e no Senado têm tomado cuidado para que não haja uma intervenção, pelo menos em casos de violação clara do devido processo legal”, acrescentou o ministro.

Gilmar Mendes ressaltou que o STF não deve “salvar” governos que não têm condições políticas. E que liminares são inócuas nesses casos. “Não são liminares que salvam governos que não podem ser salvos, que não tem condições políticas de ser salvos”, afirmou. “Falta de votos não se resolve no tribunal, a não ser que o tribunal dissesse: cada voto dado a um lado tem o peso 2.”

Novas eleições

O ministro antevê problemas legais na proposta de antecipação das eleições presidenciais, a partir de uma emenda à Constituição. Segundo Gilmar, um novo escrutínio poderia gerar “grande instabilidade”. “Eu vejo com alguma dificuldade o desenvolvimento dessa ideia de antecipar eleições com base em emenda constitucional, em face do Artigo 60, Parágrafo 4º do texto constitucional, que valoriza o voto, e tudo mais”, disse ele.

E questionou: “o que envolve a ideia das eleições antecipadas? A interrupção do mandato. Mandatos que foram conferidos. E, se for eleição geral, mais grave ainda. Isso vai incluir parlamentares que não estão envolvidos nessa confusão”. Isso, de acordo com o ministro, poderia gerar um quadro de grande instabilidade.

Fonte: Agência Brasil

COMENTE AQUI

Ex-ministro da Fazenda afirma que crise é “made in Brazil” e alerta para a necessidade de reorganização política

Gustavo Krause_Brasil em Foco_Fecomércio RN (1)“Eu diria que estamos aqui para tentar apontar um túnel no fim da luz”. Com esta frase e traçando um panorama das ações políticas e seus efeitos na economia brasileira o ex-ministro da Fazenda, Gustavo Krause, deu início à primeira edição do Brasil em Foco de 2016. O projeto da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN aconteceu nesta quarta-feira (13), no Holliday Inn Arena. Essa edição teve a parceria do grupo Icatu Seguros e da Tirol Corretora de Seguros.

Krause, que também já ocupou o Ministério do Desenvolvimento Urbano e do Meio Ambiente e foi governador de Pernambuco, apresentou o cenário de crise que o país enfrenta, os diagnósticos e as perspectivas ao empresariado potiguar que esteve presente. O palestrante comentou que a crise é “made in Brazil”, mas que o país já superou outras crises no passado.

“Há uma estreita relação entre as decisões políticas e econômicas. Política e Economia são elementos constitutivos de grande sistema social, no qual o cálculo econômico depende muito de como a política se comporta e qual a direção que se dá as políticas públicas. Atualmente estamos vivendo momentos decisivos para o Brasil”, analisou Gustavo Krause.

O palestrante acrescentou que “o empresário hoje está paralisado, por causa da incerteza política. A relação entre os setores é necessária, com as ações políticas direcionadas, os agentes econômicos podem tomar uma direção e fazer investimentos”.

O presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, arrematou que a alta carga tributária brasileira atrapalha a competitividade das empresas, comprometendo o seu crescimento e os empregos e a renda gerada. Para embasar, Queiroz apresentou que quase 50% do PIB brasileiro é comprometido em impostos ou taxas.

“Trata-se de uma realidade cruel e grave. Como contribuinte somos obrigados a alimentar uma estrutura perdulária que consome com avidez impressionante e revoltante. O clima inóspito aos negócios agravado por este arcabouço tributário tem impactado fortemente no setor de comércio”, disparou Queiroz.

O ex-ministro comentou sobre o “calo” dos empresários: a tributação. Ele afirmou que uma reforma tributária é difícil de ser executada e ressaltou que o assunto é debatido há 30 anos, e os impostos só aumentam. Para o advogado tributarista, é necessário definir o tamanho do Estado que se quer alcançar para que as mudanças tributárias aconteçam.

“O Estado não cabe no bolso do contribuinte. Nos últimos tempos, a carga tributária só fez crescer, não sendo progressiva e não dando retorno ao contribuinte. Nós temos uma tributação de país de primeiro mundo que oferece serviços de terceiro mundo”, disse.

O diretor territorial da Icatu Seguros, Henrique Jenkins, ressaltou a importância de trazer Gustavo Krause à Natal para falar com o empresariado potiguar. Segundo ele, a experiência dele em gestão pode ajudar os potiguares a sobreviverem a crise.

“Gustavo Krause é nosso consultor em assuntos de economia há mais de 10 anos e nossa empresa, com abrangência nacional, teve receita de R$ 3 bilhões em 2015, mesmo diante do caos. Um evento como esse é muito importante e estamos felizes em fazê-lo junto com a Fecomércio, pela representatividade da instituição na região”, disse.

O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), Amaro Sales, acredita que a presença de Krause traz um alento aos empresários, diante do momento que o Brasil enfrenta. “Há a esperança de novos modelos, novas ações para o futuro, que são apresentados pelo ex-ministro, mas temos uma questão econômica e política que precisam ser sanadas”, encerrou.

COMENTE AQUI

Gervasio Mila  13/04/2016

Gustavo Krause , quando estudante de Direito ,foi meu professor no Colégio Salesiano em Recife, é uma pessoa extremamente inteligente e um político que faz falta ao nosso meio neste momento de incertezas que vive o nosso país. - Responder

Presidência abre procedimento por desvio ético contra Mercadante

mercadante-777x437A Comissão de Ética Pública da Presidência da República determinou nesta segunda-feira (28) abertura de procedimento de investigação por desvio ético contra o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

A iniciativa foi tomada diante de denúncia apresentada pela bancada do PSDB no Senado Federal ao órgão federal. O partido de oposição acusa o ministro de ter incorrido em conduta incompatível com o cargo em diálogo com o assessor do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), Eduardo Marzagão.

Em gravação entregue à Procuradoria-Geral da República, para tentar evitar uma delação premiada, o ministro sinaliza ao assessor que poderia ajudar Delcídio financeiramente e lobby junto aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) para a sua saída da prisão.

Em entrevista a jornalistas logo após a revelação da conversa, Mercadante explicou que estava prestando “solidariedade” ao senador preso e que não tinha intenção de impedir sua delação, influenciando na Operação Lava Jato.

No pedido, o líder do PSDB no Senado Federal, Cássio Cunha Lima (PB), pede que se apliquem sanções contra o ministro, que podem variar desde uma advertência escrita até uma sugestão para que ele deixe o cargo.

A pedido da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) do Distrito Federal, o órgão federal também abriu procedimento de investigação por desvio ético contra o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo.

No pedido, a OAB-DF acusa o ministro de confundir suas atribuições no cargo com a de fazer uma “defesa partidária” do governo federal.

COMENTE AQUI

Na bandeira do meu país não existe a cor vermelha  29/03/2016

Essas são as "estrelas" do PT. - Responder

paulo  29/03/2016

BG Esses ptRALHAS são CÍNICOS e sem-vergonhas. - Responder

[FOTOS] Projeções em prédios de Natal destacam o “Fora-Dilma” e “Xô Lula”

IMG_3910

O Blog acaba de receber as imagens dos protestos por Natal. Mais especificamente nos prédios de Natal. A empresa Megalume está projetando imagens com as declarações “Xô Lula” e “Fora Dilma” no Quartier Lagoa Nova.

As imagens são protestos contra a nomeação de Lula como ministro-chefe da Casa Civil. O que para alguns é tratado como tentativa de resgatar o país da crise político-econômica, mas que para muitos é tratada como uma artimanha do PT para livrar Lula das investigações da operação Lava Jato sob o comando do juiz federal Sérgio Moro. Como ministro, Lula ganha direito ao foro privilegiado e passa a ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A imagem feitas para o blog foi registrada agora há pouco na fachada do condomínio Quartier Lagoa Nova, nas proximidades da Arena das Dunas. Vale lembrar que no Midway também houve registros de protestos.

COMENTE AQUI

Na bandeira do meu país não existe a cor vermelha  17/03/2016

Bela e exemplar manifestação de repúdio a esse governo ridículo, desastrado, incompetente, corrupto, desqualificado, desacreditado, incapaz, desequilibrado e irresponsável. - Responder

Júnior  17/03/2016

Essas imagens tem que rodar o Brasil amanhã. Muito bonito e inovador. - Responder

AÚDIO: LULA diz que vai colocar Fátima Bezerra em cima do procurador que “batia na mulher” e insulta senadora e deputada

Conversa entre o ex-presidente Lula e o ex-ministro de Direitos Humanos Paulo Vannuchi sobre Eugênio Aragão, o novo ministro da Justiça, foi interceptada pela Polícia Federal no âmbito da Lava Jato. Em um dos trechos, Lula diz vai colocar as senadoras Fátima Bezerra e Maria do Rosário em cima de “Rondônia”, que, segundo as investigações, é o procurador Douglas Kirschner, que “batia na mulher”.

Fátima e Maria do Rosário teriam um papel importante em cima do homem que deixava a mulher sem comer e que dava chibatadas.

Num dos trechos, Lula diz para Vannuchi que Aragão deve cumprir “papel de homem” como ministro da Justiça e chama-o de filho da p… por inúmeras vezes. “Eu às vezes fico pensando até que o Aragão deveria cumprir um papel de homem naquela p…, porque o Aragão parece nosso amigo, parece, parece, mas tá sempre dizendo ‘olha’, sabe? P…”, afirmou.

Escutem o áudio e tirem suas próprias conclusões.

Doc1 Fátima Doc2 Fátima Doc3 Fátima Doc4 Fátima

 

COMENTE AQUI

Paulo  17/03/2016

Esse cara é uma besta quadrada de linguagem chula e que se acha a tampa da chaleira. - Responder

Fmacedo  17/03/2016

SÓRDIDO. PAPUDA JÁ. - Responder

Carlos José  16/03/2016

Fatima deve explicações aos norteriograndenses!! - Responder


+ Ver todos os comentários

Ministro: se realizada ‘a tempo’, reforma não ‘cortará direitos’

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira – Agência O Globo / Antonio Scorza

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, diz que há “tentativa de distorcer a realidade e criar uma cortina de fumaça a respeito da reforma da Previdência”. Segundo ele, a reforma não é exagerada e preserva direitos adquiridos. Sem as mudanças, alerta Oliveira, governo vai ficar inviabilizado em dez anos.

Segundo o ministro, 55% da despesa do governo são com pagamento de aposentadoria, benefícios e outras coberturas da previdência

— São mais de R$ 700 bilhões. A saúde gasta R$ 110 bilhões e o investimento federal foi de R$ 40 bilhões no ano passado. De 2016 para 2017, houve aumento de R$ 50 bilhões nesse gasto, mas que todo o investimento do governo. Estamos tentando estabilizar essa variável. Em dez anos, essa despesa corresponderá a 80%, mais gasto de pessoal que deve chegar a 15%, teremos 95% do gasto com pessoal e Previdência, em dez anos. O governo vai ficar inviabilizado em dez anos, Para aqueles que dizem que temos aumentar a despesa, temos que traduzir: estão dizendo que temos que aumentar a carga tributária para pagar a previdência. Quem se opõe está simplesmente a favor que haja um aumento da carga tributária — disse ele, ao participar nesta segunda-feira do seminário “Previdência Social no Brasil: aonde queremos chegar”, realizado no Centro do Rio pelo jornal O GLOBO.

— A reforma evita que se entre no ciclo de aperto de carga tributária. Quem ganha salário mínimo não terá a regra de cálculo do beneficio, 64% terão o mesmo beneficio. quem ganha mais, empregados de grandes empresas, das estatais, um tipo de atividade com menor rotatividade e salário maior vão que trabalhar mais tempo e uma nova regra de cálculo de beneficio.

MINISTRO CITA GRÉCIA

O ministro do Planejamento, Dyogo de Oliveira, disse, também durante o seminário, que, se não for feita a reforma da Previdência agora, com mais tempo, terá que ser feito um ajuste mais duro, criticando grupos que estão contra a reforma. Ele citou os casos da Grécia e de Portugal, que tiveram que tomar medidas mais duras, com corte de benefícios.

Ele confirmou que estão sendo negociadas no Congresso regras de transição mais facilitadas, alguma alteração na previdência rural e “outras pequenas adaptações que contribuem para que a proposta seja mais aceita”.

— Nós estamos tendo oportunidade de fazer a reforma a tempo, temos uma janela temporal para fazer. Significa a oportunidade de fazer uma reforma sem cortar direitos, sem cortar benefícios, sem aumento da carga tributária. Se postergarmos a reforma mais três, mais dois anos, essa janela se fecha. Assim, teremos que fazer reforma de outra natureza, nas condições que outros países fizeram e como alguns estados terão que fazer. A situação muda totalmente de figura. A Grécia cortou benefício de 5% a 15%, aumentou a taxação de 5% a 10%. Portugal extinguiu décimo terceiro salário e colocou contribuição adicional e suspendeu aposentadoria precoces. Nos estados, estão parcelando pagamento. Aqueles que estão hoje supostamente defendendo os direitos os beneficiários vão ter responsabilidade sobre as consequências de não ter feito. Quem acha que não fazer a reforma é uma decisão sem custo, não é verdade. O país vai pagar um custo elevadíssimo. E o custo virá pelo aumento das taxas juros do país. Alguns interesses de alguns grupos estão se opondo ao conjunto da nação.

Segundo o ministro, as mudanças que estão sendo negociadas no Congresso vão custar 15% a 20% a mais que o planejado ao longo de 30 anos, “perfeitamente dentro daquilo que estávamos imaginando com a tramitação da proposta”.

— Aprovar a proposta é fundamental para o país, não adianta simplesmente ficar inflexível com o texto original e não ser viável tendo em vista a aprovação no Congresso e que gere os impactos que o país precisa para tornar a previdência sustentável. O objetivo é que todos tenham as mesmas regras.

Perguntado sobre os militares que estão fora da proposta do governo, o ministro afirmou que as regras estão sendo discutidas.

— A regra para os militares está sendo discutida, para ser a mais próxima possível, guardando a estrutura de ser militar.

Sobre o projeto de recuperação fiscal dos estados, Oliveira afirmou que é importante que os estados utilizassem esse prazo para as mudanças nos seus regimes de previdência, um dos principais fatores para os rombos nas contas estaduais. O ministro afirmou que espera que o relatório final da proposta seja apresentado nos próximos dias:

— O relatório final será apresentado quando estiver pronto, não há dentro do regimento interno a previsão de uma data específica. Temos expectativa que apresente muito em breve, nos próximos dias, na próxima semana, mas não há uma data definida.

O Globo

 

COMENTE AQUI

Ministro do Turismo empregou tia da mulher com salário de R$ 19,4 mil

Foto: MF Models Assessoria
Foto: MF Models Assessoria

O atual ministro do Turismo, Alessandro Teixeira, empregou uma tia da mulher, a ex-miss bumbum Milena Santos, como secretária na Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). O órgão está vinculado ao governo federal e foi presidido por Teixeira até o fim da semana passada, quando foi empossado ministro pela presidente Dilma Rousseff. Após ser questionada pelo GLOBO, a ABDI informou que demitiu hoje a servidora.

A tia de Milena é Delfina Alzira da Silva Gutierrez, que ocupou uma função de confiança na ABDI com um salário de R$ 19.488,60. Trata-se de um cargo de assessoramento especial da diretoria de nível 3 (CAE-3). A ABDI é uma caixa-preta no governo e esconde contratações; cargos e funções desempenhadas; salários e diárias pagas a funcionários e diretores.

Teixeira é um nome de confiança de Dilma e coordenou o programa de governo da petista na campanha à reeleição. Um dos próceres do PT gaúcho e aliado de primeira ordem da presidente, chegou a atuar como assessor especial do gabinete presidencial. O economista foi escolhido para ser ministro do Turismo diante da debandada do PMDB, que incluiu ex-titular da pasta Henrique Eduardo Alves.

Apesar da relevância dentro do governo e de ter virado ministro, Teixeira era um servidor dos bastidores. Milena fez o marido sair do quase anonimato ao publicar em sua página no Facebook, na última segunda-feira, um ensaio de cinco fotos dentro do novo gabinete do marido. O ministro aparecia em três das cinco fotos. A ex-miss bumbum usava um decote ousado e escreveu na página social que acabara de se tornar “primeira-dama do Ministério do Turismo”. “Ao lado de um grande homem, existe sempre uma linda e poderosa mulher”, escreveu a modelo, que apagou a página na rede social depois da forte repercussão negativa do caso.

Fonte: O Globo

COMENTE AQUI

[email protected]  27/04/2016

Quem nunca comeu mel, quando come se lambuza! kkkkkkkk - Responder

Mortadela no Pão  27/04/2016

Hooooo Cagadorzão - Responder

Alfredo  27/04/2016

Quando iremos virar um país? - Responder


+ Ver todos os comentários

Planalto confirma saída de mais três ministros do PMDB

O Palácio do Planalto confirmou hoje (20) que os ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera; da Secretaria de Portos, Helder Barbalho; e de Minas e Energia, Eduardo Braga, todos do PMDB, não fazem mais parte do governo Dilma Rousseff.

Dos sete ministérios que o PMDB tinha no governo Dilma, apenas dois continuam sob o comando de integrantes do partido: os ministérios da Saúde, com Marcelo Castro; e o da Agricultura, com a ministra Kátia Abreu. Os peemedebistas Henrique Eduardo Alves e Mauro Lopes já haviam deixado o Ministério do Turismo e a Secretaria de Aviação Civil, respectivamente.

Pansera, que é deputado federal, havia deixado o cargo na última semana para votar contra a abertura do processo de impeachment de Dilma na Câmara, e não retornou ao ministério.

Braga e Barbalho deixaram o cargo por se sentirem desconfortáveis com a situação do PMDB após a abertura do impeachment de Dilma, com amplo apoio do partido na Câmara. Os dois, no entanto, haviam sinalizado que apoiariam a presidenta na tarefa de tentar barrar o processo no Senado. Braga e o pai de Helder, Jader Barbalho, possuem mandato de senadores.

Barbalho mencionou em sua carta de demissão o “momento em que a Câmara dos Deputados delibera pela autorização da abertura do processo de impedimento” de Dilma, e disse que assumirá posição política de respeito à “democracia”, por acreditar na “absoluta ausência de crimes de responsabilidade” que justifiquem o afastamento da presidenta.

Ao entregar o cargo, Braga disse que não vai participar da sessão que vai analisar a admissibilidade do impeachment no Senado, mas que sua esposa, que é suplente, vai representar “com coerência” a posição dele na votação. Por meio de nota à imprensa, Dilma agradeceu a dedicação dos ministros que deixam o governo.

Fonte: Agência Brasil

COMENTE AQUI

Oito dos 32 ministérios de Dilma estão sem titulares permanentes

esplanada dos ministérios
Em meio ao andamento do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Congresso e diante de uma crise de governabilidade, 8 dos 32 ministérios do governo estão atualmente sem seus titulares.

Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário), Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), Marcelo Castro (Saúde) e Mauro Lopes (Aviação Civil) deixaram seus cargos na semana passada e retomaram os mandatos de deputado para votar na sessão do impeachment. Com exceção de Mauro Lopes, todos votaram contra o afastamento de Dilma.

Por enquanto, a única expectativa de volta é do ministro Patrus Ananias, o que, entretanto, depende da vontade da presidente.

Enquanto isso, nos corredores da Câmara, Pansera e Castro têm dito que não houve um acordo com a presidente de que eles retomariam os cargos na Esplanada após a votação na Câmara. Mauro Lopes, por sua vez, já entregou sua carta de demissão e não voltará.

Já nos casos de Gilberto Occhi (Integração Nacional), Gilberto Kassab (Cidades) e Henrique Alves (Turismo), os ministros de PP, PSD e PMDB, respectivamente, decidiram entregar seus cargos após as bancadas dessas legendas na Câmara se posicionarem favoráveis ao impeachment de Dilma. Nesses três casos, as pastas têm sido administradas de forma interina.

Lula

Outro ministério sem titular permanente é a Casa Civil. Nomeado para o posto no mês passado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve sua posse suspensa pelo ministro do Supremo Tribunal FederalGilmar Mendes, que atendeu a um pedido do PSDB – o partido alega que Lula, investigado na Lava Jato na primeira instância, tentou obstruir a Justiça ao ser nomeado, a fim de obter o foro privilegiado e ser investigado pelo STF.

Até que o plenário do Supremo decida se Lula pode ou não assumir o ministério, está à frente da pasta a ministra-substituta Eva Maria Chiavon, que exercia o cargo de secretária-executiva da pasta na gestão de Jaques Wagner, atual chefe de gabinete da presidente Dilma.

Fonte: G1

COMENTE AQUI

Renan arquiva pedido de afastamento de ministro Marco Aurélio Mello

MarcoAuréliodeMelloO presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou em plenário nesta quarta-feira (6) que arquivou o pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello. O pedido foi elaborado pelo grupo Movimento Brasil Livre (MBL).

Nesta quarta-feira, o coordenador nacional do MBL, Rubens Nunes, foi até o Senado para protocolar o pedido de impedimento do magistrado por crime de responsabilidade.

Para Nunes, Marco Aurélio “feriu o princípio da independência dos Poderes” ao determinar que a Câmara dos Deputados desse andamento ao pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer. Para Renan Calheiros, o ministro não incorreu em crime de responsabilidade no ato.

De acordo com a Constituição Federal, cabe ao Senado “processar e julgar os ministros do Supremo Tribunal Federal, os membros do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, o procurador-geral da República e o advogado-geral da União nos crimes de responsabilidade”. Nunes já havia adiantado que, caso o Senado arquivasse o pedido, iria recorrer.

Mais cedo, antes da decisão de Renan de arquivar o pedido, o ministro foi questionado sobre o pedido e afirmou que busca, com a atividade jurídica, “servir” o país. “Que as instituições funcionem com muita tranquilidade. Sou juiz há 37 anos e eu apenas busco servir e servir com pureza da alma, e a partir da minha ciência e consciência e nada mais. Processo, para mim, não tem capa, tem conteúdo”, declarou Marco Aurélio.

COMENTE AQUI

Jeronimo  06/04/2016

GILMAR MENDES SEMPRE NOS ENSINANDO,,, Segundo o jornal Valor, o ministro Gilmar Mendes, em palestra no 7º Congresso de Pesquisa de Mercado e Opinião Pública, realizado em São Paulo, disse que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, estaria habilitado a comandar provisoriamente o Brasil caso Dilma Rousseff e Michel Temer viessem a ser depostos. O deputado federal é réu no Supremo Tribunal Federal por corrupção e lavagem de dinheiro. Mendes afirmou a respeito: “Enquanto denunciado, não há esse impedimento. Se condenado, claro. Inclusive porque há perda de funções”. Interessante: o réu Cunha pode virar presidente do Brasil, o investigado Lula, que nem denunciado foi, não pode assumir um ministério no governo de Dilma Rousseff. “Estamos sempre aprendendo com Gilmar Mendes”, poderia afirmar o ministro Marco Aurélio Mello, recentemente alvo de ironias do colega de Corte. - Responder

Val Lima  06/04/2016

Renan com nove..nove ...nove..nove...no STF era doido de aceitar!!!.. Esse menino de Alagoasvai esperar reciprocidade não tenha dúvida!!! Quem viver verá!!!.... - Responder

Sandro Alves  07/04/2016

Esse Marcos Aurélio não deveria sofrer impecheamet, ele deveria ser PRESO por defender os PTRALHAS! - Responder


+ Ver todos os comentários

Novo protesto em frente ao Planalto pede renúncia de Dilma

protesto planaltoCom bandeiras do Brasil e vestindo camisetas da seleção brasileira de futebol, centenas de pessoas fazem hoje (21) novo protesto em frente ao Palácio do Planalto pedindo a renúncia da presidenta Dilma Rousseff. Na semana passada, o local também foi palco de manifestações contrárias ao governo.

O grupo de hoje reúne manifestantes que estavam desde o fim da tarde na Praça dos Três Poderes, mais próximos ao Supremo Tribunal Federal, e outros que vieram de protesto no Congresso Nacional. O trânsito foi interrompido por volta de 19h e as seis faixas da pista foram fechadas nos dois sentidos.

Os manifestantes exibem uma imensa faixa preta com os dizeres: “Dilma mentirosa. A paciência acabou. Fora Dilma. Lula chefe da quadrilha. Cadeia nele”.

Entre as palavras de ordem, gritos de “Renuncia” e de apoio ao juiz federal Sérgio Moro. Pouco antes das 19h, a estimativa da Polícia Militar era que 600 pessoas participavam do protesto.

Fonte: Agência Brasil

COMENTE AQUI

EDER  21/03/2016

QUEM SE HABILITA A SER O CADÁVER PELA NAÇÃO ????????? - Responder

Antônio Silva  21/03/2016

600 pessoas? O golpe subiu no telhado. A direita se dispersou. Enquanto isso dia 31 certamente vai ser maior que sexta passada. O mundo denúncia o golpe, Moro já jogou a toalha. A resistência foi maior que o esperado, o Brasil está em assembléia permanente, em vigília cívica. Bye bye golpistas, 2018 Lula vem aí. - Responder

paulo  22/03/2016

Sonha ontonio que seu "guru" estará em breve junto com toda sua curiola no ap. da Federal em Curitiba e depois na PAPUDA que é o melhor lugar para elle governar. - Responder


+ Ver todos os comentários

Para Agripino, divulgação de grampo comprova tentativa do governo blindar Lula

_DSC3354Em discurso no plenário do Senado na noite desta quarta-feira (16), o líder da oposição, José Agripino (RN), convocou o Congresso Nacional a votar o processo de impeachment da presidente e falou sobre a quebra de sigilo de uma ligação entre Lula e Dilma divulgada pelo juiz Sérgio Moro hoje no final da tarde.

De acordo com o Agripino, a escuta telefônica feita pela justiça comprova claramente que o governo tentou blindar o ex-presidente Lula.

“As evidências são graves, gravíssimas. Pela crueza dos fatos divulgadoa agora à noite, o Congresso Nacional precisa se definir e apoiar de forma aberta o impeachmetn da presidente Dilma”, sentenciou Agripino sob o olhar atento dos senadores petistas Gleisi Hoffman (PR) e José Pimentel (CE).

O diálogo divulgado pela justiça de Curitiba mostra uma conversa telefônica entre o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff onde a chefe do Executivo federal diz que encaminhará ao líder petista o “termo de posse” de ministro. Na ligação Dilma comunica a Lula que o termo de posse só deveria ser usado “em caso de necessidade”.

“Esgarçou-se o tecido brasileiro. Não alternativa ao Congresso se não votar o processo de impeachment rapidamente”, concluiu o presidente nacional do Democratas.

COMENTE AQUI

Ôlôco, Óxente  16/03/2016

Pense num cara com moral pra falar do outro. - Responder

Japa da pf  16/03/2016

Do jeito que esta merda está, vão já nomear o larápio para o stf. - Responder

octavio lamartine  16/03/2016

Isso é uma vergonha nacional. A onde essa CAMBADA chegou . Agora NÃO TEM MAIS LIMITE - Responder


+ Ver todos os comentários

Para Fátima, Lula vai ajudar governo a retomar desenvolvimento do país

1935225_902152883215408_3090902825327479594_nA senadora Fátima Bezerra comemorou a indicação do ex-presidente Lula para ocupar o cargo de ministro chefe da Casa Civil. Para senadora, a decisão da presidenta Dilma Rousseff de convidar Lula para compor o governo é mais uma prova do esforço que ela está fazendo, no sentido de colocar o país de volta no caminho do desenvolvimento econômico, da estabilidade fiscal e da inclusão social, buscando o diálogo político. “Ela sabe da experiência desse homem, da capacidade extraordinária que ele tem de buscar a coesão, de buscar a unidade, de buscar a união. E é por isso que nós estamos muito confiantes e esperançosos”, ressaltou Fátima.

Da mesma forma, Fátima considera que Lula também teve uma atitude grandiosa ao aceitar o convite. A senadora lembrou que o ex-presidente é um dos melhores presidentes que o país já teve: deixou o governo, ao final de dois mandatos, com 80% de aprovação e foi o primeiro presidente a receber o prêmio Estadista Global, do Fórum Econômico Mundial. Para ela, por ser um grande estadista, Lula, não poderia se omitir em um momento difícil da vida do país.

“E é provavelmente por isso que a oposição está com os nervos à flor da pele, porque a oposição teme que a presença de Lula no Governo ajude a fortalecer o governo e a retomar o desenvolvimento”, destacou a parlamentar.

Aos que dizem que o ex-presidente assumiu um cargo no governo para ganhar foro privilegiado, a senadora fez questão de esclarecer que Lula não terá benefício jurídico algum por se tornar ministro. Ela lembrou que a prerrogativa de foro não é um privilégio, pois só significa que as investigações continuam, mas no âmbito da Suprema Corte do país e, inclusive, se for aberto um processo, enquanto os cidadãos comuns têm direito a, no mínimo, duplo grau de jurisdição, os que têm o chamado foro privilegiado só passam pelo julgamento do Supremo, sem uma instância superior para recorrer. “Aliás, com essas críticas, a oposição está na verdade colocando em suspeição a mais alta Corte deste país. Isso é uma total falta de desrespeito!”, destacou.

A senadora fez questão de ressaltar ainda que, quando os adversários criticam a ida do presidente para o ministério dizendo que a presidenta Dilma iria virar uma rainha da Inglaterra estão movimentos pelo preconceito: “Se fosse um homem que estivesse à frente da Presidência da República, eu duvido que eles fariam essa afirmação com tanta ênfase”, destacou.

Fonte: Agência Senado

COMENTE AQUI

Japa da pf  16/03/2016

CADEIA NELE. - Responder

Fernando Antonio R. Bastos  16/03/2016

A RAINHA DE BAGDÁ QUE FALTAVA NA CORTE DE ALILULA LADRÃO E QUE COVARDEMENTE ENTREGOU O PINICO. - Responder

Val Lima  16/03/2016

Kkkkkkkkkkkkk...... Kkkkkkkkkkkkk.... Kkkkkkkkkkkkk!!!!!! - Responder


+ Ver todos os comentários