Adeus, Spider: Anderson Silva se despede do octógono no UFC Vegas 12

Foto: Getty Images/Handout/Handout

Anderson Silva com certeza é um nome que nunca será esquecido no mundo das lutas. O brasileiro ajudou a alavancar as Mixed Martial Arts (MMA) no Brasil, no mundo e é um dos responsáveis pela ascensão meteórica do UFC. Neste sábado (31/10), o brasileiro luta pela última vez na organização no UFC Vegas 12, enfrentando o jamaicano Uriah Hall.

Anderson Silva pode ser considerado o maior lutador da história do UFC. O brasileiro foi um dos alicerces para que a organização se tornasse o principal evento de lutas do mundo. Silva foi o detentor do cinturão na categoria dos médios no período de 2006 a 2013, sendo destronado pelo norte-americano Chris Weidman.

Em 14 anos de carreira, Spider fez 24 lutas, vencendo 17 delas, sendo 11 por nocaute. Mas ele diz que a despedida do UFC será apenas um até breve. O brasileiro se despede da organização, mas acha que ainda tem lenha para queimar e não descarta seguir lutando.

O brasileiro detém o recorde da maior sequência de triunfos na organização: foram 16 vitórias consecutivas entre 2006 e 2012. Anderson também é o segundo atleta com mais defesas de cinturão no evento, com 10 lutas principais.

Já veterano, Anderson não vem de um bom momento no UFC. O brasileiro vem de derrotas para Israel Adesanya e Jared Cannonier em 2019. E a parada deste sábado não será nada mole para o Spider.

Silva enfrenta Uriah Hall. O jamaicano recebeu o apelido de “Homem Ambulância”, pela forma como vencia suas lutas, com nocautes violentos em seus adversários. Hall foi derrotado por Paulo Borrachinha em 2018, mas venceu seus dois últimos confrontos, o último contra o brasileiro Antônio “Cara de Sapato”.

Irreverente e provocativo, suas marcas registradas, o brasileiro protagonizou um momento curioso na pesagem do evento, em Las Vegas, nesta sexta-feira (30/10). Silva deixou Hall e Dana White, presidente do UFC, esperando no palco para ir ao banheiro.

Metrópoles