Agentes penitenciários do sistema prisional do RN estão sem comida

A empresa PJ Refeições Coletivas, que fornece comida ao sistema prisional do RN, suspendeu o atendimento de entrega de quentinhas para agentes penintenciários, informa a Tribuna do Norte. Para presos, a alimentação segue sendo mantida.

A comida dos agentes era dada pela empresa como ‘cortesia’.

A TN levantou dívidas no valor de R$ 9,1 milhões.

A presidente do sindicato dos agentes penitenciários, Vilma Batista, confirmou a suspensão, o que a levou a reforçar a reinvindicação do auxílio-alimentação.

Em nota, a Sejuc descarta atrasos e diz que vem pagando o fornecedor.