Alta de homicídios em PE enterra plano de segurança que inspirou RN

Dez anos após lançar um programa premiado com a meta de reduzir assassinatos, Pernambuco fechou 2017 com sensação espalhada de insegurança, do litoral ao sertão, e uma disparada recorde desde então de mortes violentas.

No ano passado, houve 5.427 homicídios em território pernambucano, alta de 21% em relação ao ano anterior.

A quantidade ultrapassou, pela primeira vez em uma década, a marca registrada em 2007, quando a gestão do governador Eduardo Campos (PSB), morto em acidente aéreo em 2014, implantou a ação batizada de Pacto pela Vida, para diminuir a violência.

O programa foi um dos que inspirou o governador Robinson Faria em seu plano de segurança para o Rio Grande do Norte.

O projeto apostava na integração das polícias para melhorar a investigação, bônus aos agentes que resolvessem mais crimes e participação popular na criação de políticas públicas de prevenção e de combate à criminalidade. A meta era reduzir os homicídios em 12% ao ano.

Em seis anos, as mortes violentas caíram 32%. Desde 2013, no entanto, houve uma escalada de criminalidade —e os homicídios saltaram 75% desde então, deixando Pernambuco mais violento do que antes do programa.

O governo Paulo Câmara (PSB) culpa a crise econômica e repete para 2018, quando tentará a reeleição, as promessas de mais investimentos na segurança —como os concursos para policiais.

Conteúdo Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LEITOR disse:

    Sem mudar condições SÓCIO-ECONOMICAS E EDUCACIONAIS não teremos jamais segurança e paz publica.
    Comece combatendo o crime organizado
    Fechando todas as torneiras pecuniarias
    Sequestrando bens e capital maldito destes grupos, controle rigorosos das fronteiras aereas, terrestres,maritimas e punindo draconiadamente seus responsaveis e agentes publicos corruptos!!! O resto é para inglês ver !!!

COMENTE AQUI