O segredo do amortecimento ao correr não está nos tênis

POR BRENO PERRUCI / @EaiBoraCorrer

Foto: Alessandro Imperial

A posição recomendada é o corpo levemente inclinado pra frente, pé caindo no solo abaixo do corpo e passada ampliando pra trás (FOTO ACIMA).

 

Frequentemente me perguntam sobre qual o tênis que melhor amortece o impacto com o solo quando estamos correndo. De antemão já adianto que no quesito amortecimento a maior preocupação não deve ser com eles. Os calçados apropriados ajudam sim, é claro, mas eles não passam de excelentes auxiliares.

Tomando por base as pesquisas mais recentes na área e as conversas com especialistas, se pode afirmar claramente que a sua mecânica de corrida é bem mais importante que os tênis, bem mais. Para ser claro, é a forma como você pisa ao correr que vai absorver o impacto de forma mais eficiente. E a explicação para isso é simples, é pura física.

“Tênis não salva a vida de ninguém. O que vai salvar sua vida é o seu movimento. É você adaptar o seu corpo, é você ensinar o ser corpo como absorver esse impacto. Não tem como você diminuir o impacto, porque quanto mais rápido for o seu corpo, maior impacto vai gerar, porque é a aceleração de dois corpos se encontrando. Mas é aí que vai depender de qual a resposta do seu corpo para esse impacto. Você pode usá-lo para te dar impulso ou te deslocar pra frente, ou você pode pisar errado e fazer esse impacto te levar pra trás, podendo até a provocar deformações no seu corpo”, ressalta Andrei Achcar, atleta amador de corrida e triathlon, treinador de corrida especializado em biomecânica e profissional de educação física formado pela Universidade de Brasília – UnB.

O segredo do sucesso e a chave para essa eficiência tão almejada por 10 entre 10 corredores começa na maneira de correta de tocar o solo na pisada de corrida. Um outro ponto polêmico é a entrada do pé no chão. Uma corrente de profissionais defende que seria melhor tocar o chão primeiro com a ponta ou o meio do pé, mas nunca tocar primeiro o calcanhar. E essa tese nos leva onde exatamente quero chegar e aí lá vem a física de novo.

“Mais importante que a área do pé que primeiro toca o solo, é como isso acontece. O fundamental é que ele não toque o chão à frente do seu corpo. Se isso acontecer, vai gerar uma força contrária ao sentido do movimento desejado. Em outras palavras, quanto mais à frente do corpo o pé entrar, maior será a frenagem e menor será impulso do corpo. Como isso gasta mais energia para se deslocar, compromete a performance e ainda estressa o seu corpo como um todo”, reforça Andrei.

O ideal é buscar a mecânica em que o pé inicie o contato com o solo bem abaixo do seu corpo, abaixo do eixo gravitacional. Isso vai facilitar a entrada com a região de médio-pé de forma mais natural. Quando o pé inicia a pisada abaixo do corpo, o impacto é melhor absorvido por músculos e tendões que estão aptos não só a suportar o peso, como também a responder em forma de impulso levando o atleta sempre pra frente.

Esse movimento, de forma até natural, vai te fazer correr com uma leve inclinação do corpo à frente, o que com a gravidade propicia a posição a favor do movimento. Por consequência também a passada vai crescer para trás e não para frente do corpo. Assim, a força exercida contra o solo é 100% dedicada ao impulso.

Pois é, isso põe por terra aquela antiga teoria que aprendemos nas nossas aulas de educação física quando crianças, que o conceito da pisada perfeita era aquela completa. Onde você começa pelo calcanhar, vai passando por todo a área do meio e sai do chão com a ponta do pé. Esqueça tudo isso. Os tempos mudaram e a ciência está no esporte para nos ajudar mesmo.

Para finalizar, vale lembrar que apesar de todos os novos conceitos e estudos, obviamente que alguns corredores e alguns corpos poderão se adaptar melhor a outras formas de pisada e passada. Afinal, cada pessoa tem sua particularidade e o que serve para o geral, pode não servir para casos específicos. Então é sempre bom lembrar, procure o acompanhamento de um profissional de educação física.

Como não se deve correr

Exemplo de como não se deve correr: joelho totalmente esticado, pé tocando o solo à frente do corpo que acaba inclinado pra trás.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fábio disse:

    Show de bola está seção! Parabéns pela matéria.

  2. Fernanda disse:

    Ótima explicação!

  3. paulo martins disse:

    O segredo para quem quer correr está em manter o pitbull bem alimentado.

  4. carlos cunha disse:

    Depois dos quarenta anos de idade, correndo a carga que essa turma está, não tem amortecedor que resista. Todos estarão com os joelhos acabados. Os ortopedistas agradecem. Podem escrever. Palavra de quem correu mais de 30 anos.

  5. Marcelo Melo disse:

    Excelente post! Dicas valiosas pra quem corre ou pretende correr. E aí bora correr?!

Contagem regressiva para a Etapa Natal da Santander Track&Field Run Series

POR BRENO PERRUCI (E aí, bora correr?)

Alô corredores, chegamos aos últimos dias de inscrições para a Santander Track&Field Run Series em natal. Restam poucos kits e a expectativa da organização é que o número máximo de participantes da prova na capital potiguar, 1.600, seja alcançado já neste final de semana. A corridas serão nos dias 29 e 30 de setembro, no Natal Shopping, com percursos para os públicos infantil e adulto respectivamente.

Até este domingo (23), prazo para o fim do primeiro lote, as inscrições custam R$ 89 e podem ser feitas na loja Track&Field do Natal Shopping ou pelo site do evento – https://www.tfsports.com.br/eventos/tfrs-natal-shopping-2018. Para os clientes do banco Santander, a inscrição terá 25% de desconto, mediante compra feita pelo site do evento e pagamento com cartão de crédito do banco.

A retirada dos kits, composto por uma bolsa do evento e uma exclusiva camiseta Thermodry AmniBiotech®, será realizada de 27 e 29 de setembro, das 10 às 22h, também na loja Track&Field, no Natal Shopping. Para pegar os kits, os participantes precisam apresentar o voucher da corrida.

Programação

No sábado (29), o evento começa às 16h para o público infantil, com idades entre 4 e 11 anos, em um circuito montando no estacionamento do Natal Shopping. Serão quatro percursos, divididos conforme a faixa etária das crianças. Todos os participantes receberão premiação.

No domingo (30), a prova é voltada para os adultos, com percursos de 5 Km e 10 Km. A programação inicia às 5h, com a retirada do chip. Na sequência, às 6h, haverá um alongamento. O trajeto da prova terá largada e chegada do Natal Shopping, às 6h30, com passagens pela Avenida Brancas Dunas e Prolongamento da Prudente de Morais, trecho em que exigirá um bom preparo dos atletas, devido os trechos com ladeiras.

Em maio de 2018, a TF Sports, empresa do grupo Track&Field, e o Banco Santander, firmaram parceria de três anos para dar sequência ao circuito Track&Field Run Series que passa ser chamado de Santander Track&Field Run Series. A Etapa Natal Shopping faz parte das aproximadamente 240 provas que acontecerão em diversas cidades do Brasil ao longo desses anos.

Serviço

Retirada de kits – Santander Track&Field Run Series

Data: de 27 a 29 de setembro

Horário: 10h às 22h

Local: Loja Track&Field, do Natal Shopping

 

 

‘E aí, bora correr?’: Etapa Natal do Circuito Nordeste de Corridas tem inscrições prorrogadas

O último lote de inscrições para o Circuito Nordeste de Corridas está aberto até este domingo (29). O evento, que chega movimentando o calendário esportivo de seis capitais da região, fará em Natal sua primeira etapa já neste próximo sábado, dia 4 de agosto. No momento da inscrição, efetuada por meio do site oficial www.circuitonordestedecorridas.com.br, os interessados podem garantir um desconto de 10% ao inserir o código promocional “#BandNatal”.

O circuito conta com distâncias de 5 e 10 quilômetros e espera aproximadamente 2,5 mil participantes. Segundo a organização, a expectativa é de que o Circuito complete o primeiro ciclo de corridas ainda em 2019. O percurso de 10 quilômetros tem um detalhe interessante como novidade nos eventos de corrida que já ocorrem em Natal. No trajeto escolhido, que é inédito, o corredor terá um percurso único, o que torna a corrida mais confortável para o atleta. Ou seja, o corredor que fará os 10 não passará pelo mesmo local duas vezes e isso diminui sim o desgaste psicológico.

“É um evento inédito e esperamos que seja mais um sucesso, principalmente por começar aqui em solo potiguar e seguir para outras cinco capitais. É o ponta pé inicial de um projeto que tem tudo para render bons frutos para o esporte no Nordeste”, explica Nivaldo Pereira, um dos organizadores.

De acordo com Gabriel Negreiros, também organizador da corrida, a proporção que eventos como o Circuito Nordeste de Corridas vêm tomando nos últimos anos é positiva para o mercado esportivo. As empresas que investem nestes eventos têm tido importante retorno publicitário. Além disso, os empresários aproveitam o momento para venda de produtos e relacionamento com o cliente.

“O Nordeste tem grande potencial para ser um gigante das corridas de rua do país. Além de apresentar excelente infraestrutura hoteleira, a região conta com avenidas atraentes para compor os percursos, belas paisagens e cartões postais de tirar o fôlego. São diferenciais a mais para quem é apaixonado por esse tipo de prova”, afirma Gabriel Negreiros.

O Circuito Nordeste de Corridas é organizado pela HC Sports, empresa que organiza os principais eventos esportivos do Rio Grande do Norte, com assinatura da Band Nordeste.