Corridas de rua no RN terão novos protocolos de procedimentos em prevenção ao novo coronavírus

Por Breno Perruci / @eaiboracorrer

Duas das maiores empresas organizadoras de corridas de rua no Estado abriram as conversas para criação de um protocolo de procedimentos no intuito de evitar a propagação do novo coronavírus para quando os eventos estiverem liberados novamente. Ainda não há a previsão de quando isso ocorrerá, já que depende da flexibilização ou não dos decretos governamentais. Esta semana, os sócios da HC Sports e da Hisports se reuniram por videoconferência para iniciar a elaboração dessas normas e a ideia é seguir o que já vem sendo feito por outros Estados e Países.

“Foi uma reunião inicial pra entender a demanda e nos preparar pra o que vem por aí, até porque é tudo muito precoce ainda. Já existem diversos trabalhos pelo mundo estabelecendo alguns tipos de protocolos e nós estamos analisando tudo, principalmente o que já vem sendo feito fora do Brasil onde o processo já está mais adiantado. Em alguns países existem corridas agendadas pra junho e julho e vamos usá-las pra entender como serão os procedimentos. Estamos com total cautela porque o momento realmente delicado” destaca Gabriel Negreiros, da HC Sports.

“A gente mostrou um protocolo inicial que já estávamos montando pensando nos nossos eventos. Então acertamos que a HC também vai trazer um conjunto de propostas pra que juntos possamos unir o que tem de melhor nos dois e estabelecer um documento unificado. Como ele mãos, e claro, no momento certo, quando nossas atividades estiverem liberadas, poderemos chegar ao poder público com algo concreto e obviamente obedecendo todas as normas de saúde e segurança”, ressalta Paulo Gutemberg, da Hisports.

Além de Gabriel e Paulo, também participaram da reunião: Alex Pereira e Nivaldo Pereira da HC Sports; e Stênio Bezerra, da Hisports. Em meio à incerteza de quando as corridas de rua estarão novamente liberadas, todos já se mostram cientes de que inevitavelmente os eventos terão que se adaptar à nova realidade. Voltar como era antes está fora de cogitação.

Pelo que foi apresentado nacionalmente e em outros países, alguns pontos desses novos protocolos já podem são considerados viáveis pelos organizadores locais. Pontos como inscrição 100% online; limite do número de inscritos de acordo com o porte da área de arena e percurso; entrega de kits em delivery, drive thru ou presencial com horário agendado; largada em ondas com número limitados de atletas em cada uma delas respeitando o distanciamento social; disponibilidade de álcool em gel 70% nas áreas comuns; máscara para todos os membros da organização e staffs; e premiação área individualizada com limitação de acesso e regras de higiene.

Já outras medidas ainda carecem de um debate mais aprofundado. Eles apontam nesse quesito a aferição de temperatura de todos os atletas ao entrarem na arena de prova e o uso obrigatório de máscaras na arena antes da largada e após a chegada. Segundo os promotores de prova é preciso deixar claro como serão o custeio e o poder de fiscalização dessas operações.

“Como realizadores de provas a nossa prioridade não poder ser outra que não seja a saúde dos atletas e do staff. Mas, eu temo que uma carga grande demais e desigual de obrigações inviabilize a realização dos eventos. Não sabemos como estará o mundo daqui uma semana, um mês, então na prática os protocolos já existentes são por achismo e tudo que pensarmos agora pode ser completamente em vão daqui dois meses. Por isso, agora só nos resta dizer que estamos analisando todos os protocolos pelo mundo; esperar e torcer para que exista uma solução viável e segura para todos; e reafirmar que seguiremos todas as regras de segurança”, enfatiza Gabriel.

“Estamos com todos os cuidados e extremamente atentos ao que vamos propor porque não basta só ser validado por nós organizadores. Tem que ser validado também pelo poder público, patrocinadores e principalmente, os atletas, claro. Estamos acompanhando diariamente as notícias e dialogando com os órgãos públicos competentes, sempre atentos às recomendações e decretos. As regras podem ser mudadas, tanto no sentido de flexibilizar, quanto de serem mais rígidas”, completa Paulo.

Calendários de Provas

Para 2020 a Hisports tem cinco provas programadas no Rio Grande do Norte: 21k de Pipa, Corrida do Choqueano, edições da Corrida da Lua, Corridas dos Bancários e Corrida dos Advogados. A HC Sports também tem cinco eventos marcados para o segundo semestre desse ano aqui em Natal: Soldados do Fogo, Meia Maratona do Sol, Corrida Noturna do Sesi, 10 Milhas da PRF e Corrida do Ministério Público.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz disse:

    Sem vacina e um medicamento que trate esse vírus, dificilmente teremos corrida de rua, como era antes. Sem falar, o custo para quem vai organizar. Vislumbro para o futuro, uma legião de corredores solitários pelas ruas.

  2. Alcio disse:

    Se já cobram horrores uma inscrição, imagine com esse protocolo todo. A partir da pandemia as corridas de rua terão menos participantes e mais corredores na pipoca.

COMENTE AQUI