“Caso único no mundo”, diz Mourão sobre manchas de óleo no Nordeste

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, disse nesta segunda-feira (21) que as medidas de contenção da macha de óleo que avança sob o Nordeste são complicadas pois, como não se consegue detectar a origem do vazamento, não há previsibilidade sobre o seu caminho. “É um caso único no mundo. As próprias medidas de contenção são complicadas, o máximo que a gente pode fazer hoje é ter gente capacitada para recolher esse óleo que chega às praias e é isso que estamos fazendo”, disse, ao deixar o gabinete da Vice-Presidência, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Mourão destacou que todas as medidas do Plano Nacional de Contingência foram tomadas e que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está à frente da operação com apoio de outros órgãos, como Marinha e Petrobras. O governo também continua a busca para saber a causa do desastre ambiental. Nesta tarde, o presidente em exercício se reúne com autoridades para avaliar a situação.

De acordo com o Ibama, o petróleo cru que chegou ao litoral do Nordeste está em uma camada superficial, que não pode ser visualizado em imagens de satélites, sobrevoos e monitoramento por sensores. Mais de 525 toneladas de resíduos já foram recolhidas das praias.

Viagem ao Peru

Na quarta-feira (23), Mourão viaja ao Peru para a assinatura de um acordo entre a Marinha brasileira e a peruana para troca de embarcações. Em Lima, ele se reúne com o Conselho de Ministros e com o presidente do Peru, Martín Vizcarra. A previsão é que o vice-presidente retorne na sexta-feira (25).

Mourão assumiu a Presidência com a viagem do presidente Jair Bolsonaro ao Japão. Bolsonaro fará um giro de dez dias por cinco países da Ásia e do Oriente Médio. Como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também deve sair do país enquanto Mourão estiver no Peru, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre deve assumir o Executivo.

Antes disso, amanhã (22), Alcolumbre comanda a sessão de votação em segundo turno do texto principal da reforma da Previdência, pelo plenário do Senado. Para Mourão, a expectativa é que o texto seja aprovado com tranquilidade. “Pela conversa que tive com o Davi Alcolumbre desde a semana passada, ele não vê problemas na votação de amanhã”, disse.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. idalmo disse:

    E o que você faria no lugar dele?

  2. Lúcifer disse:

    Minha nossa…
    E pensar que um … desse é o nosso vice presidente da república.
    Sem comentários.

    • Mortadela disse:

      Olha sua memória anda fraca ou com problema de processamento de menos, já esqueceu sua contente líder Dilma? Aquele que faliu uma loja de R$ 1,99 que não falava nada com coisa nenhuma, sequer consegue ter linha lógica, falar coisa com coisa e usar um português básico.
      Outro detalhe, Mourão não foi corrompido, nem corrompeu ninguém.

    • Cidadão impaciente disse:

      Excelente questionamento do Idalmo. Fala aí "gênio" o que você faria? Com esse nome fica mais fácil acreditar que o responsável por esse vazamento é você.

COMENTE AQUI