CPMI identifica 2 milhões de anúncios do governo em sites de fake news, conteúdo pornográfico e investimentos ilegais

Relatório produzido a pedido da CPMI das Fake News identificou 2,065 milhões de anúncios pagos com verba da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) em sites, aplicativos de telefone celular e canais de YouTube que veiculam conteúdo considerado inadequado. Entre eles estão sites que divulgam notícias falsas, oferecem investimentos ilegais e até aplicativos com conteúdo pornográfico.

O relatório, elaborado por consultores legislativos,  foi divulgado nesta terça-feira pela CPMI. Seus dados foram obtidos por meio da Lei de Acesso a Informação (LAI). O relatório diz que, apesar de ter solicitado informações do período entre janeiro e novembro de 2019, a Secom só forneceu dados referentes a 38 dias, entre 6 de junho e 13 de julho do ano passado.

Mesmo assim, segundo o relatório, foi possível identificar que parte dos anúncios pagos pela Secom foi parar em canais com conteúdo inadequado. A verba utilizada neste período era para a campanha sobre a Reforma da Previdência e se refere a recursos distribuídos na internet por meio da plataforma Adwords e Adsense do Google. Essa publicidade é direcionada de forma automática aos sites pelas plataformas, mas é possível ao anunciante bloquear tanto sites específicos quanto categorias de assuntos.

No total, os consultores da CPMI idenficaram 843 canais considerados inadequados que veicularam um total de 2.065.479 anúncios. Entre esses canais estão 47 sites que divulgam notícias falsas, 741 canais do Youtube que foram removidos pela plataforma por descumprimento de regras, 12 sites com notícias sobre jogos de azar, sete que fazem ofertas de investimentos ilegais e quatro com conteúdo pornográfico.

A classificação do que é um site que divulga notícias falsas foi feita pela própria equipe que elaborou o relatório. Entre os sites colocados nesta categoria estão o “Jornal da Cidade Online”, “Jornal 21 Brasil”, “Terça Livre”, “Folha do Brasil”, “Diário do Centro do Mundo” e “Revista Fórum”. O “Jornal da Cidade Online” é o mesmo que, segundo o perfil Sleeping Giants Brasil, recebeu verba publicitária do Banco do Brasil.

Ao todo, os 47 sites que divulgam notícias falsas identificados pelo relatório receberam 653.378 anúncios. Os sites com conteúdo pornográfico receberam 27 anúncios.
O documento aponta ainda a necessidade de questionar a Secom sobre o total de anúncios veiculados ao longo de todo o ano de 2019 em relação ao site Terça Livre, do blogueiro Allan dos Santos. O relatório afirma que, durante oitiva na CPMI, o blogueiro afirmou que não recebia dinheiro público, mas os dados da Secom mostraram que seu canal no YouTube recebeu 1.447 anúncios.

“Necessário, portanto, formular questionamento àquela secretaria para quantificar exatamente o montante pago ao canal em todo o período de vigência do contrato com o Google Adsense, tendo em vista que tivemos acesso apenas aos dados parciais”, diz um trecho do relatório.

Allan dos Santos é um dos investigados no inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) e que investiga uma suposta rede de divulgação de notícias falsas e ataques contra ministros da Corte. No domingo, reportagem do GLOBO revelou que, além de receber por anúncios pagos pela Secom, o blogueiro recebeu por anúncios pago pela Petrobras e Eletrobras.
Entrevista: ‘Quadrilha altamente organizada’, diz Joice Hasselmann sobre gabinete do ódio nos estados

Foram identificados ainda cinco canais que fazem promoção pessoal de autoridades como o presidente Jair Bolsonaro e que receberam anúncios pagos pela Secom. Entre os canais identificados pelo documento estão canais no YouTube como o “Bolsonaro TV” e o canal pessoal do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), além do site do senador.

O relatório aponta que a destinação de verba pública para a promoção pessoal de autoridades pode ser interpretada como violação à Constituição Federal.
“A veiculação de anúncios, pela Secom, em canais desse tipo pode gerar questionamento com base no § 1º do art. 37 da Constituição, pois abre a possibilidade de se interpretar tal fato como utilização da publicidade oficial para promoção pessoal, conduta vedada pela Carta Magna”, diz um trecho do documento.

O documento critica a forma como a Secom utilizou suas verbas e aponta para o potencial prejuízo à imagem do governo.

“Além disso, fica claro que a utilização do programa Google Adsense pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da  República gerou várias incorreções na condução da política de publicidade oficial da Presidência da República”, diz um trecho.

“Como pudemos observar, houve descontrole do target (alvo) das ações publicitárias, o que redundou em desperdício de recursos públicos. Adicionalmente, o dinheiro da publicidade oficial terminou por ser empregado em diversos canais com conteúdo inadequado, fazendo com que a imagem do Governo Federal fosse veiculada em canais de baixa qualidade e associada a conteúdos falsos, criminosos, de cunho sexual ou referentes a promoção pessoal do Presidente da República”, diz outro trecho do relatório.

O GLOBO

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Severino disse:

    Esses anúncios são distribuídos pelo Google Adsense. O site não escolhe o anúncio.

  2. Anti-Político de Estimação disse:

    O que me dá mais raiva é saber que pagamos por toda essa farra, com o dinheiro dos nossos impostos. Antes os petralhas e agora esse milicianos hipócritas.

    • Acorda Brasil disse:

      Sou analista de sistemas e estou vendo a malícia por trás dessa manchete… o destino de anúncios na internet não é escolhido pelo contratante, é distribuído pelo algoritmo do Google com base em palavras-chave.
      Coitado do brasileiro, todos os setores gostam de fazê-lo de idiota… tristeza.

    • Minion de Peixeira disse:

      Pois é. Esse algoritmo.faz remunerar até os sites oposicionistas com anúncio do governo.

  3. José Macedo disse:

    Matéria publicada pela globolixo é muito confiável. seria bom saber quanto foi gasto, que tipo de propaganda foi veiculada, quem pagou, que tipo de fake foi produzida,
    Se for o caso, qual governo que nunca fez qualquer propaganda das suas ações?
    Vamos parar de hipocrisia.

  4. Luiz Antônio disse:

    Alô centrão, a mamata acabou.

  5. Francisco disse:

    Olha aí os bolsonimios mostrando as garras, tiveram que se adaptar ligeirinho com bandido de estimação!

  6. SÓ TEM PELÉ disse:

    CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ…

  7. José disse:

    Na gestão petralhas podia, investiram milhões nos sites pró Corrupção, em ongs currais eleitorais, inclusive uma, o mst destruiu patrimônios particulares e público, incluindo aí laboratórios de tecnologias da embrapa, mostrando total desprezo a produção de alimentos.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      Um erro não justifica o outro. São duas quadrilhas e ambas devem pagar pelos seus erros, sem mão na cabeça de ninguém !!

    • Marcelo Silva disse:

      José, nunca pôde investir em sites ou blog para que ações criminosas, com objetivo de desvio de dinheiro público, ou busque o erro. Não pode na gestão petista, nem na gestão bolsonarista. Não em nenhuma. O erro lá nos governos anteriores, não justifica o erro neste governo. É preciso avançar sempre, sem nenhum bandido de estimação.

    • O rei do gado disse:

      Ah, então sua justificativa é: "mas o PT podia!" Caramba, então vc acabou de confirmar que vcs querem, no fundo no fundo, mas bem lá no fundinho fazer igual ao PT né? Dai meu total desprezo pelos extremistas: sejam eles petistas ou bolsomitas! Ambas possou no coração, politico de estimação e de adoração!

  8. Sergio disse:

    Corrupção, contravenção, mau uso do dinheiro público.
    Tem diferença do PT, cristão do bem?

    • O rei do gado disse:

      Pois é, a igreja evangélica ja tão desgastada pois historicos de roubo e charlatanismo, junta atualmente sua imagem a politica em nome da familia tradicional, cristã, foto e video com bíblia na mão, valores conservadores mas a grande controversia é: que igreja é essa que prega todo mundo fazendo foto com arminha na mão, povo armado pra atirar em oposiçao, discurso EXPLICITO de ódio e violecia com recheio duplo de palavrões pesados.
      É parece que a igreja tem que parar de so segurar biblia e começar a ler! O odio no Brasil ta espalhado, nos coraçoes e principalmente nos grupos de WhastsApp… eh triste mesmo, muito gente se odiando por essa politica que so é mais do mesmo!

COMENTE AQUI