Política

Dilma diz que novo golpe pode minar a candidatura de Lula ou adiar eleições

Ueslei Marcelino/ReutersPor Josias de Souza

Dilma Rousseff encontrou nos últimos dias uma forma de preencher o vazio de sua rotina pós-impeachment. Dedica-se a espinafrar a democracia brasileira no exterior. Nesta sexta-feira (27), participou de um seminário na Universidade de Salento, em Lacce, no sul da Itália. A certa altura, denunciou um “segundo golpe” que estaria sendo tramado no Brasil, dessa vez para “retirar da eleição de 2018 Lula da Silva ou adiá-la, por algum motivo que eu ainda não consegui imaginar.”

A suposta trama golpista foi encaixada na última frase da palestra de Dilma como uma espécie de grand finale de uma locução confusa, que a tradução concomitante do dilmês para o italiano tornou enfadonha. Na antevéspera, Dilma dissera noutro seminário, na Espanha, que “há interesses escusos” na Lava Jato. Sem citar os cinco processos em que Lula figura como réu, mencionara o “grande risco de que eles tentem inviabilizar sua eleição, condenando-o.” Sobre adiamento da eleição, não havia falado ainda.

Paradoxalmente, Dilma disse crer na democracia brasileira. “Eu acredito na força do povo brasileiro para impedir esse golpe”, ela afirmou, sem esclarecer à plateia italiana que, por ora, há no Brasil mais gente na fila do seguro desemprego do que nas hipotéticas fileiras da resistência a um golpe que ninguém farejou. “O Brasil precisa de um banho de democracia”, sustentou. “Não é um acordo por cima, como é da nossa tradição política. Agora, é um acordo por baixo, que só o voto constroi.”

Dilma teve de fazer uma certa ginástica retórica para explicar aos italianos por que as praças no Brasil não estão apinhadas de manifestantes protestando contra o impeachment e clamando pelo seu retorno à Presidência. “Como se explica que a população brasileira tenha, de uma certa forma, sucumbido diante do golpe?”, ela perguntou a si mesma. Atribuiu o fenômeno sobretudo à crise. Nada a ver, naturalmente, com o seu governo. Dilma culpou o mundo.

“O mundo entrou em crise. Os países em desenvolvimento, emergentes, resistiram à crise. Mas acabaram sofrendo os efeitos dela a partir do terceiro trimestre de 2013. E a base fundamental dessa crise ocorreu em 2015.” Citando o economista Milton Friedman, que chamou de “pai do neoliberalismo”, Dilma disse que, sob crise, proliferam alternativas às políticas existentes, que ficam em evidência “até que o politicamente impossível se torne o politicamente inevitável.”

“No Chile foi o golpe [que guindou Augusto Pinochet ao poder]. Com a Margaret Thatcher [ex-primeira-ministra britânica], a guerra das Malvinas”, comparou Dilma, antes de incluir esta terra de palmeiras em sua inusitada analogia: “No Brasil, não foi [apenas] a crise econômica, foi sobretudo a crise política. A crise política teve um papel estratégico na inviabilização do governo, no enfrentamento da crise econômica.”

Sem citar nomes, Dilma sustentou que os algozes do seu governo, em conluio com a imprensa, fabricaram uma crise política, para “inviabilizar a saída da crise econômica.” As gestões petistas já tinham feito dois ajustes “para enfrentar problemas econômicos”, disse Dilma. “…Isso ocorreu em 2003, 2004 e metade de 2005. E ocorreu de 2010 para 2011. Nessas duas vezes, nós fizemos ajustes e conseguimos voltar a crescer, continuamos distribuindo renda. Nós acrerditávamos que conseguiríamos fazer o mesmo em 2015.”

Abstendo-se de mencionar que havia cerca de 11 milhões de brasileiros desempregados quando o impeachment foi consumado, Dilma atrasou o relógio: “Para vocês terem uma ideia, no final de 2014 a taxa de desemprego no Brasil era 4,6%, a mais baixa da história. Nós sabíamos que tínhamos de tomar medidas, reduzir alguns gastos, e sobretudo aumentar impostos.”

Sem perceber, Dilma acabou confessando na Itália ter praticado no ano eleitoral de 2014 um estelionato político. Sabia que o ajuste fiscal era inevitável. Tramava aumentar impostos. Mas prevaleceu sobre o tucano Aécio Neves nas urnas daquele ano vendendo a fantasia de um Brasil condenado à prosperidade, impermeável à crise.

A alturas tantas, Dilma pediu licença à plateia para “fazer uma reflexão”. Rodopiando em torno do óbvio, madame revelou: “Eu já percebi, acho que todo mundo percebe, que há um claro posicionamento de todas as sociedades contra impostos.” Espanto (!), pasmo (!!), estupefação (!!!). Madame notou que não há pessoa que goste de ser chamada de contribuinte depois que lhe arrancam tudo a força.

“Isso é jutificável até certo ponto”, pontificou Dilma. “Por quê? Porque também é inequívoco que há uma queda de tributação no mundo inteiro, sobretudo sobre as empresas. Não há a mesma queda proporcional em relação às rendas do trabalho.”

Curioso, muito curioso, curiosíssimo. Até Lula critica Dilma publicamente pela farra de desonerações tributárias que seu governo proporcionou a setores companheiros do empresariado. De resto, as observações soaram extemporânea nos lábios de Dilma, representante de um grupo político que passou 13 anos no poder e não se dignou a colocar em pé uma reforma tributária.

Opinião dos leitores

  1. A grande maioria dos brasileiros parece não ter compreendido ainda que os políticos brasileiros de carreira não olham para além do próprio umbigo e que eles mentem tanto que passam a acreditar nas próprias mentiras. Lamentável, o brasil poderia ser uma história feliz mais os filhos bastardos de duas mães, dupla cidadania, estão se lixando e quando o barco afundar, assim esperam, viverão felizes para sempre embalados nos seios de outra mãe. Canalhas …

  2. Dilma dando palestra no exterior demonstra que lá a corrupção também é rotina afinal deve estar pagando pela oportunidade. O que pessoas como ela podem acrescentar a formação positiva ao caráter de alguém …

  3. Vai fundo, Lula!

    A fórmula já é conhecida: gastos públicos para ‘impulsionar' a economia, crédito para o povão se endividar e do BNDES para a elite empresarial. Gordos contratos para empreiteiros amigos, grana para ‘jornalistas’ progressistas, Lei Rouanet para artistas, dinheiro para ditaduras 'do bem', nacos de ministérios e estatais para o PMDB e nanicos (mas se faça de pobre vítima do pragmatismo).
    Aí, quando a conta chegar, é só posar de monopolista das boas intenções e acusar os outros de estarem a serviço da elite/mídia que não quer que pobre consuma, de insensibilidade social. Sempre dá também para sair acusando potências estrangeiras. É batata! Funciona que é uma beleza.
    Tudo isso deu certo uma vez, duas, três, por que não outra? Vai com fé, Lula. Você sabe como é fácil ser eleito com o discurso que todos querem ouvir. Ninguém perde votos subestimando a inteligência da manada, né? Crescer em cima de bolhas de crédito e de gastos públicos dá no que estamos assistindo hoje. Todos já devem ter ouvido falar em sistemas que injetam nitrogênio em motores de carros de competição. Dá aquele impulso de curto prazo, mas arrasam com o motor. Dúvidas?
    Toneladas de racionalismo econômico técnico e aborrecido não têm a mais remota chance de convencer diante do mais vagabundo slogan populista. Vender soluções liberais para uma população viciada em estatismo varguista vai ser como pregar no deserto. Aos jovens, aconselho que apreendam uma língua estrangeira, façam um curso que dê emprego em qualquer lugar e vazem daqui enquanto é tempo. Vai ser moleza, Lula! Aposto que você tem uma carta na manga.

    1. Netto, eu NÃO junto minha voz à daqueles que, falando em paz e prosperidade, pedem aos oprimidos, aos necessitados e esfarrapados do mundo, a sua resignação em submissão aos poderosos interesses econômicos dos Donos do Poder Terreno. Minha voz tem outra semântica, outro tom, outra música.
      Falo da luta pela sobrevivência, da Resistência, da Indignação dos injustiçados, vítimas do preconceito e das discriminações de todos os tipos surgidos do egoísmo humano sem solidariedade a amor no coração.
      Falo do direito deles se rebelarem, mesmo que de forma ataboalhada ou mesmo errada. Mas sempre se levantando após cada derrota. Construindo a força necessária tirada da esperança de dias melhores onde possamos todos fazem parte de uma mesma família, a Família Humana na Terra.
      Falo contra o egoísmo e a Falsa Moral que se diz Cristã e tem ódio aos que mais precisam do seu amor e da sua ajuda.

  4. 13 anos o Brasil sendo roubado por essa quadrilha deu no que deu, Sergio Cabral era parceiro dessa coja, eles esquartejaram o Brasil é deram um pedaço pra cada ladrao, o promotor de justiça disse que o patrimônio de Cabral era um oceano, imagine o do chefe da quadrilha, Luis 9 dedos.

  5. O governo Golpista recheado de corruptos e os hipócritas aqui falando mal de uma mulher honesta.

    1. Ela podia nunca nem sequer ter pisado na grama. O que a afastou foi a devastação que ajudou a consolidar na economia. Temer pode de jogado pedra na Cruz. Mas tá tentando tomar medidas racionais que surtirão efeito a longo prazo. Vai ser igual a Lula que combateu ferrenhamente o fator-previdenciário, mas, inobstante a folgada maioria parlamentar, nada fez para desmanchá-la durante a sua gestão. Como ele disse, quando a gente está na oposição faz muita bravata.

  6. BG
    Essa ex-gerentona devia no minimo ficar caladinha, agora defender meliantes para voltar ao poder tem até graça, ele vai mesmo é para a cadeia.

    1. A mesma imprensinha vendida que ajudou a forçar mitos como o da "nova classe média", o mito da "gerentona competentA que demitia quem fazia malfeito" ou o mito do Brasil-Potência que iria unir os pobres do mundo contra os gringos dos olhos azuis, erradicar a fome no Planeta e sair colonizando as galáxias. Era o país do trem-bala, dos 800 aeroportos, da potência do pressal-etanol-biodeisel (lembram disso?) e que topo sediar os JJ.OO e Copa (serviram para que mesmo?). A impresinha que foi ajudada pelos seus coleguinhas estrangeiros, como na capa do semanário que estampou um Redentor alçando o Espaço feito um foguete.

    1. Poxa, China na lista de 'exploradores' é coisa nova. O Brasil é lascado por culpa interna. Riqueza hoje em dia não é mineral, ainda mais num país com duzentas milhões de pessoas para dar de comer. Riqueza hoje é inovação, eficiência, produtividade, são trocas comercias intensas. O Brasil é um dos piores lugares do Mundo para se empreender; levar um contâiner de Natal para Fortaleza custa mais do que de Xangai para Roterdam. Alvarás e licenças duram séculos para serem expedidos; a legislação trabalhista remonta o tempo dessa mesma mentalidade de sermos pobres por causa do contrabando de minerais. Quanto aos crimes, tem de penca, com repetidos relatos de pedidos de 'doação' para campanha por gente muito próxima ou como no episódio da clara obstrução de Justiça, o Bessias. Pode nem ser caso de mandar pra cadeia, mas que alguma pena deve existir, isso deve.

  7. Se o Brasil tivesse uma Justiça de vergonha, calava a boca dessa senhora metia numa cadeia pública e obrigava ela devolver o que subtraiu do povo brasileiro…Pilantra

    1. Defecar pelos dedos em redes sociais e na imprensa marrom é fácil, difícil é provar, né amiguinho. Você gostaria de ser jogado numa jaulinha por crimes que não provaram que o você cometeu? isso se chama empatia, é bom se colocar no lugar do outro para enxergar com mais clareza a situação. Pelo visto, parabéns, você foi manipulado… Enquanto isso, nossas riquezas naturais estão sendo saqueadas, por quê não vejo o senhor destilar ódio contra os EUA, UE e China, nossos verdadeiros 'inimigos'?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

São Gonçalo reduz intervalo para 3ª dose; confira grupos

A prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN reduz, a partir desta segunda-feira (18), o intervalo para aplicação da dose de reforço (D3). A vacinação contra covid-19 desta semana seguirá em todas as unidades de saúde, das 8h às 12h; e, a partir de terça-feira (19), também no campus do IFRN, das 15h às 19h.

Confira:

Dose de reforço (D3):
• Idosos acima de 60 anos que completaram o esquema vacinal há cinco meses (para quem tomou a D2 até 20 de maio). É necessário cartão de vacina e documento oficial com foto;
• Pessoas com alto grau de imunossupressão acima de 18 anos, com a segunda dose (D2) feita há 28 dias. É necessário a comprovação de alto grau de imunossupressão, comprovante da D2 e documento oficial com foto;
• Profissionais da saúde, atuando no município, que completaram o esquema vacinal há cinco meses (para quem tomou a D2 até 20 de maio);
• Idosos acima de 90 anos que completaram o esquema vacinal há cinco meses. A imunização está sendo em domicílio.

Segunda dose (D2)
• Pfizer para quem tomou a D1 até 25 de agosto;
• Oxford/AstraZeneca para quem tomou a D1 até dia 25 de julho;
• Coronavac para quem tomou a D1 há 28 dias.
É necessário o cartão de vacina e documento oficial com foto.

Primeira dose (D1):
• Adolescentes com ou sem comorbidades acima de 12 anos. É necessário que o responsável faça o cadastro do adolescente na plataforma do RN Mais Vacina, e o acompanhe durante a vacinação. Também é preciso levar cópia do documento oficial com foto do responsável e do adolescente, e comprovante de residência.

• População em geral acima de 18 anos com ou sem comorbidades.Para a D1 é necessário estar cadastrado no RN Mais Vacina, ter o comprovante de residência no nome, e documento oficial com foto. Se estiver no nome de algum familiar, comprovar grau de parentesco.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Natal amplia vacinação da D3 nesta segunda-feira (18); confira detalhes

Nesta segunda-feira (18) a Prefeitura do Natal ampliará o público da terceira dose contra a Covid-19. Os profissionais e trabalhadores da saúde, com 18 anos e mais, poderão receber a D3 em qualquer ponto da cidade desde que tenham completado o esquema vacinal, com duas doses, há pelo menos seis meses. Ainda é necessário apresentar um documento funcional para receber o imunizante: crachá, contracheque ou carteira do Conselho da profissão.

Outra novidade é que após ter aplicado mais de 1.300 vacinas contra a Covid-19 no Alecrim, o trailer de vacinação de Natal vai estacionar na próxima segunda-feira (18) no bairro de Tirol, em frente à sede central do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS/Natal) escolheu o novo ponto com base na grande circulação de pessoas na região, já que o ponto é situado no cruzamento da Av. Nevaldo Rocha com Av. Hermes da Fonseca, ao lado do Midway Mall.

O trailer tem previsão inicial de permanecer em frente ao IFRN Central entre os dias 18 e 22 de outubro, mantendo o funcionamento das 08h às 15h, sempre de segunda a sexta-feira. Na unidade de vacinação volante é possível receber a primeira, a segunda ou a terceira dose dos imunobiológicos contra a Covid-19. Qualquer munícipe de Natal pode receber a vacina desde que esteja portando a documentação necessária e dentro dos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Mais informações podem ser conferidas no vacina.natal.rn.gov.br .

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Mineiro ignora Garibaldi e faz postagem em apoio a reeleição de Jean Paul para o Senado

O secretário de gestão de projetos do governo Fátima Bezerra, Fernando Mineiro, fez uma postagem de apoio à reeleição de Jean Paul Prates ao Senado. O post compartilhado por ele refere-se a uma notícia, baseada em uma pesquisa, dando conta que Jean, caso seja apoiado por Lula, venceria eleição para o Senado no RN.

O apoio de Mineiro ao colega partidário ignora as tentativas de aproximação entre o PT e o MDB no RN, inclusive iniciadas pelo próprio Lula, que quando esteve em terras potiguares conseguiu reunir o PT local com Garibaldi e o deputado federal Walter Alves, com a ideia de unir os dois partidos para 2022.

“Muita água ainda vai rolar até outubro de 2022 mas é perceptível o quanto a população quer a volta do Lula e a eleição de congressistas identificados com um projeto para o Brasil oposto ao bolsonarismo.

Eu não tenho dúvida nenhuma que no ano que vem a disputa será entre quem defende a civilização e a democracia e quem defende a barbárie e o autoritarismo”, escreveu Mineiro no post.

Grande Ponto

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

STJ manda soltar dois suspeitos de praticarem 13 homicídios em Fortaleza

Foto: Natinho Rodrigues

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) mandou soltar dois homens suspeitos de cometerem um total de 13 homicídios em Fortaleza. A decisão também anulou a pronúncia da Justiça Estadual em um processo de um homicídio em que são acusados de praticarem juntos, o que havia resultado na condenação da dupla.

A Quinta Turma do STJ concedeu o habeas corpus a Airton de Mesquita e a Hunderlan Rodrigues de Jesus Silva, no último dia 28 de setembro. De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária do Ceará (SAP), Airton foi solto na última sexta-feira (8), enquanto Hunderlan segue preso porque o alvará de soltura ainda não foi expedido.

Os ministros da Quinta Turma foram de acordo com o parecer do relator do processo, o ministro Reynaldo Soares da Fonseca.

Não há como se admitir uma condenação pelo Conselho de Sentença, ainda que ratificada em grau de apelação, baseada, apenas, em depoimentos de testemunhas auriculares – ou seja, pessoas que não presenciaram o delito e ouviram dizer por terceiros que os autores do crime de homicídio em apuração seriam os pacientes -, sem a produção de nenhum outro elemento de prova durante o julgamento pelo Tribunal do Júri”, disse Reynaldo Soares da Fonseca, do STJ.

Diário do Nordeste

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

ELEIÇÕES 2022: Brasil 35, antigo PMB, lança pré-candidata para o Governo do RN

O partido Brasil 35, antigo Partido da Mulher Brasileira (PMB), lançou a ex-vereadora de Grossos Clorisa Linhares como pré-candidata a governadora do RN para as eleições do próximo ano.

“A tomada dessa decisão, vem no sentido de oferecer aos cidadãos potiguares um nome que está acima de qualquer polarização política que assola as políticas públicas levando a um debate improfícuo e consequentemente a negação de direitos básicos a sociedade. O nome de Clorisa Linhares chega como um bálsamo de caráter, ética, trabalho e coragem para fazer na política potiguar. Assim o partido está possibilitando democraticamente aos norte riograndenses um nome que traz a possibilidade de mudança e de transformação social que nosso Estado precisa”, afirmou o partido por meio de comunicado oficial.

Clorisa é ex-vereadora de Grossos, onde, em 2020, tentou disputar a Prefeitura pelo PP, mas acabou perdendo as eleições. Em 2018 foi pré-candidata ao Governo pelo PSDC, mas não conseguiu viabilizar a candidatura. Ela é contadora pós-graduada em Gestão Pública, professora e servidora pública concursada da Justiça do RN.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“Metade do dinheiro dos respiradores iria para propina”, relata Kelps Lima

O presidente da CPI da Covid do RN, deputado Kelps Lima, revelou detalhes do que o Consórcio Nordeste disse que parte do dinheiro do contribuinte já estava destinado ao pagamento de propina.

“Metade do dinheiro dos respiradores iria para propina”, disse ao afirmar que a CPI possui elementos comprobatórios e que o dinheiro do contribuinte só não foi totalmente desviado “por conta da forma desastrosa como aconteceram as negociações” de propina.

O deputado ainda disse causar estranheza a manutenção dos governadores no grupo, mesmo após a descoberta do esquema de corrupção.

O escândalo dos respiradores deu prejuízo de R$ 48 milhões para os Estados do Nordeste, sendo R$ 5 milhões do RN, em plena pandemia e está sendo investigado da CPI da COVID no RN.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI: Renan Calheiros diz que é certo que houve prevaricação de Bolsonaro

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que as acusações da CPI contra crimes praticados pelo presidente Jair Bolsonaro na condução da pandemia podem mudar até a apresentação final do relatório, mas que a prevaricação do presidente está comprovada.

“A lista de crimes pode ser modificada daqui para frente. Podemos acrescentar e retirar se for o entendimento da maioria da comissão. É certo que ele prevaricou à medida que ele confessou a existência da conversa com os irmãos Miranda, e que teria pedido a pessoas encaminhamento de providências. Se essas pessoas não encaminharam providências, é óbvio que ele prevaricou”, afirmou Calheiros, em entrevista à GloboNews na tarde deste domingo, citando o episódio dos Irmãos Miranda, que disseram à CPI que avisaram Bolsonaro sobre pressões para importação da vacina Covaxin.

Segundo o senador, haverá uma conversa prévia da cúpula da comissão para discutir s tipificações criminais e tipos penais com base no entendimento de juristas consultados pela comissão. “Continuamos discutindo. É necessário que haja uma conversa prévia coletiva, que estava marcada para segunda-feira 18”, afirmou. Ele disse que entende que a investigação parlamentar é coletiva e que a maioria tem de deliberar sobre os pontos. “Não pode haver individualidade de ninguém em decisão”, afirmou.

Calheiros disse que os possíveis indiciamentos serão encaminhados para julgamento pelos órgãos competentes. “Não estamos julgando ninguém. Não estamos condenando ninguém. Estamos pedindo continuidade da investigação. Este é o papel do inquérito e é isso apenas que estamos pedindo”, apontou.

Estadão Conteúdo

Opinião dos leitores

  1. Renan Calheiros indiciando alguém? Kkkkkkkkkkkkkkk só no Brasil mesmo. Em outro país sério e com justiça já estaria preso há muito tempo..

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Sob desconfiança por lava-jatismo, Mendonça tem vida acadêmica voltada a estudar corrupção

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Sob pressão no Congresso por ser visto como um lava-jatista, André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro a uma vaga no STF (Supremo Tribunal Federal), dedicou sua vida acadêmica ao estudo da corrupção.

Ex-chefe da AGU (Advocacia-Geral da União) e ex-ministro da Justiça, o nome sugerido por Bolsonaro para a corte está com a sabatina obrigatória travada no Senado há mais de três meses, sem perspectiva de resolução para o imbróglio.

Mendonça, 48, é doutor em direito pela Universidade de Salamanca, na Espanha. Pastor da Igreja Presbiteriana Esperança, ele foi escolhido pelo presidente em cumprimento à promessa de nomear um ministro “terrivelmente evangélico” para o Supremo.

Folhapress

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Auxílio Brasil deve pagar benefício médio de R$ 300 e beneficiar 17 milhões de brasileiros, diz ministro

O novo programa de transferência de renda do governo federal, o Auxílio Brasil, deve beneficiar perto de 17 milhões de pessoas e pagar em média R$ 300 ao mês, disse o ministro da Cidadania, João Roma. Ele participou, no domingo (17.out.2021), do programa Brasil em Pauta da TV Brasil.

Os números citados por Roma são maiores que os do programa atual. O ministro informou que o Bolsa Família contempla cerca de 14,6 milhões de famílias com pagamento mensal médio de R$ 190.

Segundo Roma, o governo não vai perder o controle dos gastos, mesmo ampliando o valor despendido com o benefício social. O principal diferencial do Auxílio Brasil, afirmou Roma, é oferecer não apenas proteção social, mas também a possibilidade de transformação social através da capacitação para acesso ao mercado de trabalho. Para isso, contará com o apoio do Sistema S.

Poder 360

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Cúpula da CPI dá argumento jurídico para adiamento, mas admite “mal-estar”

Foto: Sérgio Lima/Poder360
O presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, Omar Aziz (PSD-AM), afirmou ao Poder360 neste domingo (17) que decidiu adiar a leitura e a votação do relatório final do colegiado para garantir o direito de defesa dos investigados e dar tempo para todos os integrantes do órgão lerem o documento.

O argumento jurídico recebeu endosso do vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP). “[Algum advogado] poderia arguir posteriormente a nulidade de provas por não ter tido tempo hábil para a leitura do relatório. Foi mais do ponto de vista técnico-processual. Do que por alguma circunstância política”, disse.

Ele admitiu, contudo, que houve um “mal-estarzinho” no grupo majoritário da comissão, conhecido como G7, com o vazamento do relatório à mídia antes de os próprios senadores terem acesso ao parecer. “Mas está resolvido“, afirmou.

Poder 360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *