Política

ENTREVISTA AO ESTADÃO: “É direito de Lula ficar preso lá; quer ficar, fica” e “Eu quero é harmonia, paz e governar o Brasil” diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro disse ao Estado nesta segunda-feira,  30, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem o “direito” de não querer sair da prisão, em Curitiba. “Quer ficar, fica”, afirmou ele, ao ser questionado sobre o fato de Lula ter escrito uma carta na qual diz não aceitar barganhar seus direitos e sua liberdade. “Não vou tripudiar em cima dele”, declarou. Logo em seguida, porém, o presidente afirmou que, “graças a Deus”, o projeto de poder do PT não deu certo. “O cara meteu a mão.”

Bolsonaro conversou com o Estado entre uma selfie e outra com turistas, ao chegar ao Palácio da Alvorada, sua residência oficial, por volta das 19h. Indagado se manteria o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse que conversará com ele. No dia 19, o gabinete do senador foi alvo de busca e apreensão da Polícia Federal. “Eu vou conversar com ele ainda. Está fazendo um excelente trabalho para mim lá. E eu preciso de voto no Senado”, disse o presidente. A seguir os principais trechos da entrevista:

O ex-presidente Lula divulgou uma carta dizendo que não aceita barganha pelo direito à liberdade.

É direito dele ficar preso lá. Quer ficar, fica. Não vou interferir. Não vou tripudiar em cima dele. Foi julgado em segunda instância, terceira… O que o governo dele fez está patente. Esta noite assisti a uma entrevista de um dos delatores. Esqueci o nome dele, cabeça branca… Senhor Barusco? (Pedro Barusco, ex-gerente da Petrobrás). Ele fala em detalhes o que aconteceu no governo dele (do ex-presidente Lula). Não tem como várias pessoas inventarem a mesma história. O cara meteu a mão e entregou a amigos dele. Para quê? Projeto de poder. Não deu certo. Graças a Deus, não deu certo. A gente está tentando fazer aqui o melhor para o Brasil.

O senhor teme que o julgamento desta semana do Supremo Tribunal Federal afete sentenças da Lava Jato?

Não, não me meto em poder nenhum. Quando você já viu um presidente vetar algo sobre lei eleitoral? Eu vetei. Assim como se o Congresso derrubar veto, não tem problema nenhum. Cada um faz sua parte. Eu quero é harmonia, paz e governar o Brasil. Não quero confusão, não. Eu sou Executivo, não sou Legislativo. A última palavra é deles, do veto. A regra do jogo é essa, não vai mudar a regra. A Bachelet (Michele, presidente do Conselho de Direitos Humanos da ONU) disse que eu estou diminuindo o espaço democrático. Não há nenhum partido que eu fechei na mão grande, nenhuma manifestação que nós não aceitamos, muito pelo contrário. Tem espaço democrático. Eu tenho total respeito às instituições por si só, à liberdade de imprensa, que o Lula e o PT eram contra. Queriam implantar o socialismo.

O senhor fará uma reforma ministerial?

Zero. Fake news total. Cada vez a mídia mira no Paulo Guedes (ministro da Economia), mira no Moro (Sérgio Moro, ministro da Justiça), mira no Salles (Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente). Quem é a vítima da vez? Canuto (Gustavo Canuto, ministro do Desenvolvimento Regional), Mandeta (Luiz Henrique Mandeta, ministro da Saúde)? Ninguém quer o ministério da Damares (Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos).

O presidente do Incra será demitido?

O atual presidente do Incra (general João Carlos Jesus Corrêa) é uma boa pessoa, mas, por exemplo, é igual se você tem um excelente jogador de basquete que está jogando vôlei. Não existe. Quem decide é a Tereza Cristina (ministra da Agricultura). Isso foi conversado com ela. Não é pedido meu, porque eu não tenho nada contra ele, muito pelo contrário. Excelente pessoa. Mas existe a possibilidade de ser trocado o presidente do Incra, sim.

E já existe outro nome?

Não sei. Eu não conheço ninguém dessa área. Então eu não apito. Talvez o problema dele, eu conversei com ele uma vez só, é a história do pato e da galinha: ele faz, mas não comparece. E, no campo político, é desgaste, pressão, tiroteio. Então, a Tereza Cristina está decidindo. E ele vai ter de ser avisado, se for sair. Todos os ministros têm carta-branca para demitir e para vetar nomes. É menos problema para mim. Eu não quero dor de cabeça.

E o senhor já decidiu o que fazer com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra?

Eu vou conversar com ele ainda. Está fazendo um excelente trabalho para mim lá. E eu preciso de voto no Senado.

Esse atraso na votação da reforma da Previdência preocupa?

Eu gostaria que fosse aprovado logo, não é? Mas eu não posso apressar quem quer que seja. Está (marcado) para esta semana…

Mas há a possibilidade de o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, deixar para a próxima semana…

Se atrasar é () mais uma semana. O que acontece, pela primeira vez na história do Brasil, é que os Poderes estão independentes.

ESTADÃO

Opinião dos leitores

  1. Preso pode recusar sim o semiaberto, pq é regime q exige a coparticipação dele, há regras q dependem da autodisciplina do preso e é ele q diz se é capaz de cumprir, a não ser q se diga q o preso não precisa cumprir regras pq não é um preso comum e se assuma q é um preso político!

  2. Deixa esse vagabundo ladrao condenado apodrecer na cadeia , só esse país das bananas para dar VOZ E MÍDIA PARA UM VAGABUNDO, olhe os milhões de reias recuperados da operação lava jato , e ainda tem IDIOTA , IMBECIL QUE ACRETIDA NESSE RATO VERME LADRAO

    1. Kkkkkk escutei muito esse mimimi esquerdista dizendo que Bolsonaro iria desidratar quando fosse pra bancada do jornal Nacional…

      Kkkkkkkk

      Precisa contar o resultado final da eleição de um presidente q se elegeu com 7s de televisão e sendo atacado diuturnamente pela imprensa e pelo marginal petista….

      Kkkkkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro ironiza possível indiciamento pela CPI e chama Renan Calheiros de ‘bandido’

Foto: Alan Santos/PR

Após o relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmar que deve pedir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por 11 crimes, Bolsonaro ironizou a intenção de Renan e chamou o relator de “bandido”. O relatório de Renan deve ser apresenta na próxima semana à CPI e precisa ser aprovado pela maioria dos senadores.

“Sabia que eu fui indiciado hoje por homicídio? Alguém está sabendo aí? A CPI me indiciou por homicídio. O Renan Calheiros me indiciou por homicídio. 11 crimes” — disse Bolsonaro, rindo, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

VEJA MAIS: CPI vai pedir indiciamento de Bolsonaro por 11 crimes, diz Renan Calheiros

Depois, enquanto falava de medidas tomadas pelo governo durante a pandemia, o presidente falou sobre Renan Calheiros:

“O que nós gastamos com auxílio-emergencial foi o equivalente a 13 anos de Bolsa Família. Tem cara que critica ainda. O Renan me chama de homicida. Um bandido daquele. Bandido é elogio para ele” — disse, acrescentando depois: “O Renan está achando que eu não vou dormir porque está me chamando de homicida, está de sacanagem.”

O presidente afirmou que “para o mundo tudo” será retratado como um “homicida”, e reclamou de governadores não receberem a mesma acusação:

“O que passa na cabeça do Renan Calheiros naquela CPI? Eu vi que…O que passa na cabeça dele com esse indiciamento? Esse indiciamento, para o mundo todo, vai que eu sou homicida. Eu não vi nenhum chefe de estado (governador) ser acusado de homicida no Brasil por causa da pandemia. E olha que eu dei dinheiro para todos eles”.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

MISSÃO LUCY: Foguete da Nasa decola para viagem de 12 anos até asteroides de Júpiter

Imagem: reprodução/Nasa

Lucy, a primeira missão da Agência Espacial americana, a NASA, aos asteroides troianos de Júpiter, começou neste sábado (16) da Flórida, para uma viagem de 12 anos que buscará entender melhor a formação de nosso sistema solar. O foguete Atlas V decolou às 09:34 GMT (6h34 no Brasil) do Cabo Canaveral.

É a primeira espaçonave movida a energia solar a se aventurar muito longe do Sol. Ela observará mais asteroides do que qualquer outra nave anterior – oito ao todo.

Foto: Southwest Research Institute/Nasa

Cada um desses asteroides deve “oferecer uma parte da história de nosso sistema solar, de nossa história”, disse Thomas Zurbuchen, diretor da divisão científica da agência espacial dos Estados Unidos.

Lucy sobrevoará pela primeira vez um asteroide entre Marte e Júpiter por volta de 2025.

O custo da missão é de cerca de US$ 981 milhões.

g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

RN é o estado com a menor remuneração para professores do Brasil

O Rio Grande do Norte oferece a menor remuneração para os educadores entre os estados brasileiros, com uma média de R$ 1.798,51, aponta levantamento realizado pela plataforma Catho e divulgado nesta sexta-feira (15), Dia do Professor.

As médias salariais oferecidas a professores do ensino privado no Brasil variam de R$ 1.700 a R$ 5 mil. As informações são do g1/economia.

Segundo o estudo, os estados que oferecem a maior média de remuneração atualmente são o Distrito Federal (R$ 5.167,64), Pará (R$ 4.341,34) e Maranhão (R$ 4.223,44). Em 13º lugar, São Paulo oferece uma média salarial de R$ 3.464,68.

Na divisão por especialidade, os professores de ensino superior são os que recebem salário acima da média: até R$ 8.761,33. Os educadores do ensino médio vêm logo depois, com ofertas de salários de R$ 3.861,64 para práticas pedagógicas e de R$ 3.749,40 para o ensino de línguas estrangeiras.

Já os que atuam no ensino fundamental recebem entre R$ 2.941,30 e R$ 3.035,21 para ensinar educação física e matérias regulares, respectivamente.

Agora RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Presidente da Comissão garante votação do Plano Diretor de Natal até dezembro

Foto: Verônica Macedo/CMN

O presidente da Comissão Especial de Estudos do Plano Diretor, vereador Aldo Clemente (PDT), garantiu que até dezembro o plano será aprovado e entregue para a votação.

“Serão onze audiências e no final teremos um relatório para embasar a votação na Câmara e conseguirmos entregar esse Plano aprovado no final de dezembro. O que temos aqui é a bancada mais qualificada para se debruçar sobre o Plano Diretor que terá impacto na vida do natalense nos próximos dez anos”, explicou o vereador.

Aldo Clemente ressaltou a importância da participação das entidades e da população na discussão do plano. “Nós iremos abrir para que o Ministério Público, OAB, Universidades, comunidades em geral participem das audiências, tirem suas dúvidas e apresentem propostas, queremos um debate democrático e equilibrado para o bem de nossa cidade”, disse Aldo Clemente.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Xampu, miojo e frango: pequenos furtos levam pobres à prisão e mobilizam até o STF

Enquanto mais de 20 milhões de brasileiros passam fome, uma mãe de cinco filhos foi presa por furtar R$ 21 em alimentos em um supermercado de São Paulo. O episódio causou comoção nas redes sociais, e posteriormente Rosângela de Almeida foi solta por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Mas sua história está longe de ser exceção.

Furtos por fome ou de pequenos valores movimentam o Judiciário todos os dias, chegam até suas mais altas instâncias, e muitas vezes o custo processual é maior do que o prejuízo dos itens roubados. Rosângela foi parar na cadeia por furtar dois miojos, uma garrafa de refrigerante e suco em pó no valor de R$ 21.

Em fevereiro de 2020, R. foi preso por roubar dois xampus, que custavam R$ 10 cada, em Barra Bonita, interior de São Paulo. Por subtrair dois steaks de frango, de R$ 2 cada, C.F.H. foi preso em Araxá, Minas Gerais.

Por tentar pegar sem pagar duas peças de lombo suíno, de R$ 65, R.L. foi preso em um supermercado da capital paulista, em 2018. Por furtar um creme de pentear de R$ 7 na zona leste da capital, A.F. foi preso em 2019. Em 2014, W.O. foi preso por tentar roubar um pacote de fraldas de R$ 17.

Há uma lista infindável de processos semelhantes em todos os tribunais do país. Uma busca rápida nas cortes estaduais, que são responsáveis por julgar esses crimes, mostra pessoas acusadas, denunciadas e condenadas por furtos de baixo valor, geralmente em supermercados e farmácias, de itens de alimentação ou higiene pessoal.

O perfil comum é de pessoas de baixa renda que alegam que estavam com fome, em situação de rua, desempregadas, em situação de dependência química, que precisam alimentar a si mesmo ou a família, que necessitam de itens de higiene ou que compram itens de fácil revenda – seja para trocar por alimentos, drogas ou outros produtos.

Num cenário de superlotação de presídios e de aumento de processos judiciais ano a ano, o princípio da insignificância (quando o item roubado é de um valor muito baixo) e o furto famélico (quando o furto tem objetivo de saciar a fome de que rouba ou de pessoas próximas), teses de advogados e defensores que buscam absolver seus representados por estes pequenos delitos, têm prosperado nos tribunais superiores.

Entretanto, juízes e desembargadores ainda são resistentes em dar decisões mais benéficas aos réus nas instâncias inferiores. A razão principal dos magistrados é a reincidência.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Falaremos com a Anvisa “muito em breve”, diz diretora sobre pílula anticovid

A diretora médica da MSD Brasil, Márcia Datz Abadi, afirmou que a farmacêutica norte-americana pretende “falar com a Anvisa muito em breve” sobre o pedido de autorização para o uso emergencial do medicamento molnupiravir no tratamento de covid-19.

Na última 2ª feira (11.out.2021), a empresa, também conhecida como Merk, anunciou que solicitou à FDA (Food and Drug Administration, agência regulatória dos EUA) a autorização do uso emergencial do comprimido depois que resultados preliminares mostraram uma redução de 50% nos riscos de hospitalização e morte em pessoas com casos leves e moderados da doença.

“O objetivo é que a gente tenha, a partir de agora, outras conversas [com as agências regulatórias], inclusive com a Anvisa, num tempo regular e muito em breve”, disse Márcia Abadi em entrevista ao Poder360.

A diretora médica avalia que no momento não é possível especificar uma data devido à necessidade de atender os requerimentos da FDA, mas afirma que já houve conversas preliminares sobre o medicamento com a agência regulatória do Brasil

Produzido pela farmacêutica norte-americana, o molnupiravir é um antiviral oral que impede a replicação do vírus. Ele foi descoberto a partir de um estudo inicial da biotech RidgeBack Biotherapeutics que analisava o remédio contra o Sars-CoV-1 e o MERS – vírus causador da Síndrome Respiratória do Oriente Médio.

Poder 360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Lira diz ao STF que impeachment de presidente é “solução extrema”

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse ao STF que o impeachment de um presidente da República é uma “solução extrema” e que o “primeiro juiz de autoridades eleitas numa democracia deve ser sempre o voto popular”.

Na manifestação recebida pelo STF nesta sexta (15), Lira disse que “não há que se falar em prazo determinado em sede constitucional para que denúncia por crime de responsabilidade imputada ao Presidente da República seja examinada pela Presidência da Câmara dos Deputados”.

“É fato que o princípio republicano pressupõe a responsabilidade efetiva de todos e o presidente da República não é exceção. Entretanto, o impeachment é uma solução extrema: o primeiro juiz das autoridades eleitas em uma democracia deve ser sempre o voto popular”, justificou.

Lira argumentou que a decisão por parte do presidente da Câmara em relação a um pedido de impeachment contra um presidente da República é uma “função política, não administrativa”.

“A Presidência da Câmara dos Deputados, ao despachar as denúncias contra o Chefe do Poder Executivo, deve sopesar cuidadosamente os aspectos jurídicos e político-institucionais envolvidos. O tempo dessa decisão não é objeto de norma legal ou regimental pela própria natureza dele”, afirmou.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Estudo aponta subnotificação em 24,6% das mortes por Covid-19 no Brasil

Levantamento da organização global de saúde Vital Strategies aponta que há subnotificação em 24,6% das mortes no Brasil por Covid-19, entre 19 de abril de 2020 e 27 de setembro de 2021. De acordo com os pesquisadores, contabilizando esses óbitos, o país estaria na marca de 712.858 vítimas pela doença.

O estudo mostra ainda que embora a subnotificação aconteça em todas as idades, ela é proporcionalmente maior na faixa de 0 a 9 anos, chegando a uma correção de 152,8%. A pesquisa utilizou dados do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe), do Ministério da Saúde, que é o principal banco de dados nacional para registro de internações e óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

A CNN entrou em contato com o Ministério da Saúde, apresentou os dados levantados pela pesquisa e questionou à pasta se pode haver erro nos dados do Governo Federal.

Em nota, o ministério informou que, por ser preliminar, a base de dados da pasta “ainda está em processo de qualificação dos dados por estados e municípios”, que “60% das causas mal definidas ocorreram fora dos estabelecimentos de saúde, condição limitante para o registro das causas que levaram à morte na Declaração de Óbito”, e que “os dados referentes aos anos de 2020 e 2021 são preliminares e estão sujeitos a alterações”.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Apesar das críticas, Tite pode garantir Brasil na Copa pela segunda vez

Tite planejou virar o ano com a vaga para a Copa do Mundo do Catar garantida e está a um passo de concretizar sua missão. Basta ganhar o próximo jogo, diante da Colômbia, na Neo Química Arena, casa onde ele se destacou no comando do Corinthians e na qual já havia levado a seleção ao Mundial da Rússia, após 3 a 0 no Paraguai.

Foi na Neo Química Arena que Tite recebeu a última taça no comando de um clube antes de ser convidado para dirigir a equipe nacional. O treinador ganhou o Brasileirão de 2015. No ano seguinte, foi confirmado como comandante da equipe nacional. Lá, em março de 2017, levou a seleção aos 33 pontos nas Eliminatórias e, pouco tempo depois de vencer os paraguaios com gols de Philippe Coutinho, Neymar e Marcelo, festejou a classificação com derrota do Uruguai para o Peru.

Líder com tranquilidade, a seleção brasileira necessita de apenas mais uma vitória na atual edição das Eliminatórias para confirmar ao menos o quarto lugar, suficiente para a vaga. O jogo é um confronto direto e serviria para o Brasil não ser mais alcançado pelos colombianos, o que garantiria ao menos a quarta colocação.

Ganhar significa abrir 18 pontos sobre a Colômbia restando somente cinco rodadas, ou 15 pontos em disputa. O Chile, hoje em sexto, só chega no máximo aos 31. Cravar a vaga no Catar significa ao técnico Tite a possibilidade de fazer mais testes na equipe.

A confiança na classificação para a próxima janela é tão grande que já há agendada uma viagem de comitiva da seleção brasileira ao Catar, no fim do ano, para avaliar hotéis para a concentração no país da Copa e possíveis locais de treinamentos.

Estadão Conteúdo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

CASO MENDONÇA: Rosa Weber pede parecer a PGR sobre crimes atribuídos a Alcolumbre

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou à Procuradoria-Geral da República (PGR) notícia-crime contra o senador Davi Alcolumbre, presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.

A ação diz respeito à demora na realização da sabatina do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro à vaga de ministro do STF.

A peça, apresentada no Supremo por um advogado, aponta cometimento dos crimes de discriminação religiosa, de responsabilidade e concussão; este último caracterizado quando um agente público usa seu cargo para exigir algum tipo de vantagem indevida.

O encaminhamento da notícia-crime para a PGR é um procedimento de praxe, pois cabe a essa instituição conduzir eventual investigação ou tomar outras providências que entender cabíveis.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *