Flávio Bolsonaro afirma que Queiroz estaria com ele no Senado se “nada de anormal tivesse acontecido”

Foto: reprodução

Ao prestar depoimento para o Ministério Público Federal (MPF), o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) relatou que a “expectativa” era que Fabrício Queiroz, seu ex-assessor na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), fosse trabalhar com ele após a eleição para o Senado em 2018. Queiroz foi exonerado do gabinete em outubro daquele ano, depois de mais de uma década como funcionário de Flávio. O MPF apura se essa demissão foi motivada porque ocorreu um vazamento de dados da movimentação atípica de R$ 1,2 milhão de Queiroz e que constava das investigações da Operação Furna da Onça. O procedimento foi aberto porque o empresário Paulo Marinho relatou a existência do vazamento.

No vídeo do depoimento ao qual O GLOBO teve acesso, Flávio Bolsonaro foi questionado pelo procurador Eduardo Benones sobre o motivo da exoneração de Queiroz e informado de que o ex-assessor relatou, também em depoimento ao MPF, que pretendia trabalhar com ele no Senado. O filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro confirmou a intenção de Queiroz. O senador relatou que Queiroz iria trabalhar com ele em Brasília caso o escândalo sobre a movimentação atípica dele no Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) não tivesse vindo à tona em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, no dia 6 de dezembro de 2018.

– A expectativa era que ele (Queiroz) viesse comigo mesmo, sempre foi uma pessoa da minha confiança – afirmou Flávio. – Se não tivesse acontecido nada de anormal, como aconteceu, ele provavelmente estaria aqui (Senado) comigo hoje. As coisas foram acontecendo nesse cronograma e explodiu essa situação dele em dezembro, dia 6 de dezembro, obviamente que não tinha mais clima dele ir trabalhar comigo – finalizou Flávio, no depoimento prestado em seu gabinete no Senado.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carolina disse:

    QUEM NÃO DEVE NÃO TEME, diziam quando os alvos das denúncias e einvestigações eram os adversários ( E ainda dizem até mentirosamente).
    Engraçado, não vejo a indignação daqueles que dizem lutar contra a corrução nesse caso.
    Será que aquela história de "Bandido de Estimação" já perdeu a validade?
    E "BANDIDO BOM, NÃO É BANDIDO MORTO?"
    OBS: Queiroz é amigo pessoal do Pal Mito, desde os tempos em que planejava explodir bombas no quartel. E por isso, se tornou o principal gerente de todos os negócios da família, sendo responsável por cuidar dos "filhinhos do capetão" que foram botados na política e nunca souberam o que é trabalhar de verdade.
    "O PIOR CEGO É O QUE NÃO QUER VER!"

  2. Junin disse:

    O que é anormal pra esse moço?? Desviar dinheiro público, roubar, esconder, fugir, mentir……..?????? E depois disso tudo ainda estaria no senado???? Ou pocilga???devia criar era vergonha!!!!

  3. Edson Barbosa de Oliveira disse:

    Já disse tá dito.

  4. Santos disse:

    A anormalidade citada é uma investigação de superfaturameno de mão de obra, mais conhecida como rechadinha?

    • Francisco de Assis disse:

      Não. É apropriação de parte de salários de funcionários fantasmas pago com o meu, o seu, o nosso dinheirinho.

  5. QUEIROZ É O CARA disse:

    O Queiroz está na famosa "laranjada". A materialidade está no bolso do bosal 01.

  6. Carkos disse:

    Cadê o crime de Queiroz????????
    Ou melhor, cadê os crimes?????

    • Minion alienado disse:

      Queiroz, pobre Queiroz. Que culpa tem o esposo de Márcia? Ele recebeu a visita de um anjo, plantou laranjas, conheceu um certo Messias e visitou alguns médicos chiques.

    • Francisco de Assis disse:

      Carkos. Você nunca enxergará esses crimes porque você é cego de paixão pelo Bozo.

  7. Francisco de Assis disse:

    Anormal significa "investigação"?

COMENTE AQUI