Fátima recebe o MST

Nesta terça-feira (17), Dia Nacional de Lutas pela Reforma Agrária, uma comitiva de representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) se reuniu com a governadora Fátima Bezerra para apresentar uma pauta de reivindicações e o fez como um ato simbólico ao chamado “Abril Vermelho”.A data é uma referência ao Massacre de Eldorado do Carajás, quando 19 trabalhadores rurais que lutavam pela desapropriação de terras no sul do Pará foram mortos por uma ação da polícia militar daquele estado, no ano de 1996.

Participaram da reunião os secretários Getúlio Marques (Educação-SEEC), Íris Oliveira (Trabalho e Ação Social-SETHAS), Alexandre Lima (Assuntos Fundiários e Apoio à Reforma Agrária-SEARA) e Arméli Brennand (futura Secretaria das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos-SEMJIDH), cujas pastas são relacionadas aos assuntos apresentados pelos dirigentes representados pela coordenadora nacional Vanusa Macedo e pelo coordenador estadual Hidelbrando Andrade. Atualmente, há no RN 200 assentamentos e cerca de três mil famílias acampadas. A chefe do Executivo Estadual reforçou que a Segurança do Estado está comprometida para garantir a integridade física dos acampantes.

A principal reivindicação é com relação à desapropriação da fazenda Baixa Verde e a solução para as 48 famílias que estão ocupando o prédio onde funcionou a creche Santo Antônio, ambos em Mossoró. Os dirigentes do MST afirmaram que foram à sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e tiveram a informação que não há nenhuma perspectiva de recursos para desapropriação. “Ontem o ocupamos o INCRA e não nos deram nenhuma esperança. Hoje tem acontecido diversos atos no Brasil e queremos agradecer à governadora que tirou esse tempo para nos receber”, declarou Hidelbrando.

A governadora destacou as dificuldades financeiras do Estado e orientou que os dirigentes do MST fiquem em contato com os secretários para encaminharem as questões apresentadas. “Considero essenciais todos os pontos apresentados e deixo nossa equipe à disposição para que as reivindicações sejam encaminhadas da melhor forma possível”, disse. Alexandre Lima afirmou que por enquanto não há programação de renovação do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) e Getúlio Marques falou que alguns pontos estão contemplados, como a Educação no Campo, através do programa que vai alfabetizar 2.500 homens e mulheres, e iniciá-los em técnicas agrícolas, via programa Governo Cidadão.

Com relação à cessão do prédio da antiga creche, a secretária Íris Oliveira se comprometeu a acompanhar o processo e verificar a viabilidade jurídica. Quanto às reivindicações a respeito do fortalecimento das mulheres e juventude, Arméli afirmou que a secretaria dialoga com as pautas do movimento. “A gente pretende interiorizar as políticas de mulheres e juventude de acordocom as peculiaridades do trabalho rural”. Ficou também decidido que o Comitê de Conflitos Fundiários Rurais, criado por decreto no governo passado, será implementado e dará continuidade aos pleitos do MST no que diz respeito à terra e habitação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Romulo Pessoa Leite disse:

    Mais uma descabida ação que mostra o nível de comprometimento que essa entidade tem com o destino deste estado….e seu real compromisso com quadrilheiros! Tem que ser barrada imediatamente!! Doar prédio publico a organização aparelhada é descaradamente usar o nosso patrimônio para seguir apadrinhando e ampliando esse câncer chamado mst….essa entidade tem que ser enquadrada imediatamente !!!!

  2. Miguel disse:

    MUITA FALTA DO QUE FAZER. NUM TEM NADA PARA FAZER NÃO GOVERNADORA.

  3. Chico disse:

    Ao invés de receber os microempresários, que são os empregadores, e mantém um grande número de empregos, dá ouvidos a quem não produz nada, ainda por cima saqueiam as propriedades, até às que geram riquezas.

  4. sebastião disse:

    Manda invadir as terras da emparn. pq esses canalhas não invadem mais as terras, muito menos bloqueiam rodovias? Fdp

  5. judson silva disse:

    totalmente na contramão do resto do país… deve ser por isso que tem acampamento no caminho pra ceará-mirim, santa cruz e etc… pq sabem que essa maldita do PT vai apoiar esses vandalos

    • Beni disse:

      Nao seja tão radical. Baseado em quê faz afirmações sem provas? Baseado em ódio? Reflita.

  6. Crispim disse:

    Receber terrorista é com o pessoal do PT mesmo, agora receber os servidores pra resolver os atrasados, isso é difícil. MST é só bandido.

  7. Leonardo disse:

    Devem ter levado a solução para os problemas do estado.
    Pense num povo que sabe resolver problema e nunca se envolve em confusão.

  8. Luciana Morais Gama disse:

    O PT ficou 18 anos no poder e não resolveu o problema da reforma agrária…… É muita INCOMPETÊNCIA.

  9. Luladrão disse:

    Eles deveriam invadir o Centro Administrativo.

  10. Ems disse:

    16 anos no poder e não resolveram o problema do MST !!!

COMENTE AQUI