Ministério vai iniciar obras em barragem e abrir licitação do Projeto Seridó


Foto: reprodução

O Ministério do Desenvolvimento Regional assinará no próximo dia 3 de dezembro a ordem de serviço para o início da recuperação da Barragem Passagem das Traíras, entre os municípios de São José do Seridó, Jardim do Seridó e Caicó. Na mesma data, deve ser anunciada também a licitação da primeira etapa do Projeto Seridó, que visa integrar todas as bacias e garantir água a todas as cidades da região. A informação foi revelada pelo deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, durante a sessão desta quinta-feira (19).

“Vamos recuperar essa obra, que é a Passagem das Traíras, uma solicitação realmente antiga e que tem tempo que já foi prometida pelo governo federal. Será assinada a ordem de serviço desta importante obra, ainda mais diante da expectativa de um inverno regular”, disse Ezequiel. “Depois vamos a Oiticica onde o ministro Rogério Marinho quer anunciar a primeira parte da licitação de outro projeto importante, talvez o mais importante para segurança hídrica da região, que é o Projeto Seridó, a interligação das bacias do Seridó”, completou.

Ainda de acordo com Ezequiel, a primeira parte do dinheiro para o Projeto Seridó, cerca de R$ 280 milhões, já estaria garantido. “Esse projeto vai acabar com carro pipa nos municípios seridoenses. É a garantia de recursos hídricos. Oiticica vai servir como pulmão de água para o Seridó, resolvendo problema de todas as cidades”, disse.

O pronunciamento de Ezequiel foi motivado após o deputado Francisco do PT criticar a demora do governo federal em cumprir a promessa da reforma da barragem Passagem das Traíras. O petista leu trechos de um artigo escrito pelo engenheiro Procópio Lucena onde é rememorada a situação da obra.

Segundo o texto, desde junho que foi feita a promessa pelo Ministério do Desenvolvimento Regional para a recuperação da Passagem das Traíras. “Está se aproximando a quadra chuvosa e a barragem continua com parede rompida e zero de obras para sua recuperação conforme anunciado pelo ministro. Pela morosidade para as obras, 470 pessoas assinaram abaixo assinado e encaminharam para MPF. Não é possível nem aceitável que barragem não esteja pronta para segurar as águas e promover bem estar”, disse Francisco.

Portal Grande Ponto