Polícia

Polícia Militar prende casal suspeito pela tentativa de assalto que deixou policial penal baleado em Pipa

Fotos: divulgação/PM

Uma barreira de monitoramento realizada pelo Pelotão Turístico de Pipa do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM), com apoio da Companhia Independente de Operações e Patrulhamento Rural (CIOPAR), no início da noite desta terça-feira (14), em Goianinha, prendeu o casal suspeito pela ocorrência de tentativa de assalto que deixou um policial penal baleado na praia da Pipa, nesta tarde. A ação contou ainda com apoio da Polícia Civil e 3°CPM de Goianinha.

VEJA MAIS: VÍDEO: Policial penal é baleado durante tentativa de assalto em pousada na praia de Pipa

Com base em imagens obtidas por meio das câmeras de segurança da região onde fica a pousada em que houve a ocorrência, a Polícia Militar identificou os suspeitos e realizou diversas diligências durante a tarde, até o momento da prisão, na cidade de Goianinha. Os policiais apreenderam com o casal a arma utilizada para disparar contra o policial penal horas antes.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Homens que cometeram triplo homicídio em bar na Zona Norte são condenados à 68 anos de prisão

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) obteve a condenação de uma dupla por um triplo assassinato ocorrido em um bar na zona Norte de Natal em 2019.

Os réus Higor Gabriel da Silva Coelho e Kerginaldo Galdino Aguiar Júnior foram sentenciados a 68 anos de reclusão cada e ao pagamento de 80 dias-multa pelos crimes de homicídio, de tentativa de homicídio e de roubo, todos previstos no Código Penal.

A pena deverá ser cumprida pelos acusados em estabelecimento penal adequado, inicialmente em regime fechado. Os crimes aconteceram na madrugada do dia 18 de março daquele ano no Delícia’s Bar, localizado no bairro Igapó. Três homens foram mortos a tiros: Leandro Tomaz Duarte, Jonas Kleiton Barros de Souza e Deyvid Mateus Tinoco Costa e outros três ficaram feridos: Marcos Rafael Santos da Silva, Emerson Gomes Rodrigues e Robert Iran Bezerra da Silva.

Veja como os criminosos planejaram o crime em matéria completa AQUI no Justiça Potiguar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

Morre mulher que estava em carro atingido por trem na Avenida João Medeiros Filho, na Zona Norte de Natal

A mulher envolvida em um acidente entre um carro de passeio e um trem na tarde desta terça-feira (14) na Zona Norte de Natal não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel na manhã desta quinta (15). A notícia foi confirmada pelo portal G1-RN.

Luzivânia de Oliveira Ramos, de 44 anos, estava no banco do passageiro quando o carro foi arrastado pelo trem na linha férrea da Avenida Doutor João Medeiros Filho, no bairro Potengi. A passageira ficou presa às ferragens e foi retirada após a chegada do Corpo de Bombeiros Militar.

A vítima era professora e morava no município de Barra de Maxaranguape, na Grande Natal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Religião

“Queria ver ele me prender. Tenho medo dessa cara não. Repito em alto bom som: ditador da toga”, diz Silas Malafaia, sobre Alexandre de Moraes

Foto: Isac Nóbrega/PR

O pastor Silas Malafaia foi gravado realizando uma série de ataques ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Em tom de ameaça, o líder religioso diz que “não tem medo” do “ditador de toga” e que “mexer com liderança religiosa é uma casa de marimbondo com ferrão grande”.

“Sabe qual a possibilidade dele tocar em um líder religioso? De zero a cem? É de um. Dele tocar em mim? De zero a cem é de uma distância. Ele sabe que mexer com liderança religiosa é uma casa de marimbondo com ferrão grande. Não que evangélico vá quebrar nada, não tem nada a ver com isso, mas a pressão sobre isso é gigante. Deputados e senadores, que são votos majoritários, levam a eleição com voto dos evangélicos. Não vai aguentar a pressão”, opina Silas.

“Queria ver ele me prender. Tenho medo dessa cara não. Mas não tenho medo mesmo. Repito em alto bom som: ditador da toga. Tem que ter impeachment, não é digno de está vestido de toga no Supremo Tribunal. Pode vir do jeito que ele quiser que eu não tenho medo”, finalizou o pastor.

Malafaia é uma das lideranças religiosas mais próximas do presidente. Durante os atos antidemocráticos de 7 de setembro na Avenida Paulista, em São Paulo, o pastor permaneceu do lado de Jair Bolsonaro. O senador e filh do presidente, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), também ressaltou, durante sessão da CPI da Covid no dia 20 de maio, que Silas “fala quase diariamente e influencia o presidente”.

Último Segundo – IG

Opinião dos leitores

  1. KKKKKKKK. Esse “líder religioso” estava também ao lado de Lulaladrão e DilmAnta da mesma forma que está ao lado do MINTOmaníaco das rachadinhas… Qual seria o interesse dele em estar ao lado do poder?

  2. Cadeia neste galado, falso profeta. E ainda tem doido que acha que ouvindo as baboseiras deste doido estão ouvindo um mediador de Deus kkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

SINE-RN oferece nesta quarta-feira 36 vagas de emprego em Natal e interior em diversas especialidades

A Subsecretaria do Trabalho da Sethas-RN, através do SINE-RN, oferece nesta quarta-feira, dia 15 de setembro, 36 vagas de emprego para Natal, Região Metropolitana, Santa Cruz, Mossoró, Pau dos Ferros e regiões.

Para concorrer às vagas, o(a) candidato(a) deve se cadastrar via Internet no Portal Emprega Brasil do Ministério do Trabalho e Emprego, através do endereço empregabrasil.mte.gov.br ou nos aplicativos Sine Fácil e Carteira de Trabalho Digital, disponíveis para Android e IOS.

As vagas para pessoas com deficiência são uma parceria da Subsecretaria do Trabalho da SETHAS com a Coordenadoria de Promoção e Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Semjidh.

Todas as oportunidades estão sujeitas a alteração. Para saber em tempo real qual ocupação está de acordo com seu perfil profissional é necessário acessar o empregabrasil.mte.gov.br com o seu login (PIS) e senha ou através do celular no aplicativo SINE Fácil.

Quer tirar alguma dúvida ou agendar um atendimento? Ligue: (84) 3190-0783, 3190-0788.

O atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 12h.

QUANTIDADE DE VAGAS

Natal e Região Metropolitana ( 21 Vagas Permanentes)

ASSISTENTE DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTE 01

ASSISTENTE DE VENDAS 01

AUXILIAR DE ARMAZENAMENTO 02

AUXILIAR TÉCNICO DE MECÂNICA 01

CONTROLADOR DE PRAGAS 01

CORTADOR, A MÃO 01

DESENHISTA INDUSTRIAL GRÁFICO (DESIGNER GRÁFICO) 02

INSTALADOR DE SOM E ACESSÓRIOS DE VEÍCULOS 01

MECÂNICO DE AUTO EM GERAL 01

MECÂNICO DE AUTOMÓVEL 03

MECÂNICO DE GERADOR 01

MONTADOR DE MÁQUINAS 01

MOTORISTA OPERACIONAL DE GUINCHO 02

PINTOR DE ALVENARIA 02

PINTOR DE LETREIROS 01

PCD – Pessoas com Deficiências (09 vagas)

AUXILIAR DE LIMPEZA 02

AUXILIAR DE LIMPEZA 04

SERVENTE DE OBRAS 03

Vagas temporárias (01 vaga)

FLORISTA (COMÉRCIO VAREJISTA) 01

Santa Cruz e Região (02 vagas)

TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO 01

VENDEDOR PRACISTA 01

Mossoró e Região (01 vaga)

PADEIRO 01

Pau dos Ferros e Região (02 vagas)

PROMOTOR DE VENDAS 02

Total geral = 36 vagas

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Após decisão do STF, entenda os caminhos para que Eduardo Cunha deixe de ser inelegível e se candidate à Câmara

Foto: FABIANO ROCHA / Agência O Globo

Com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de mandar para a Justiça Eleitoral a acusação da Operação Lava-Jato contra o ex-deputado federal Eduardo Cunha, o ex-presidente da Câmara teve sua condenação em segunda instância anulada. O veredito da Corte abriu caminho para que o ex-parlamentar se aproxime de seu objetivo de se candidatar à Casa nas eleições do ano que vem. Com a anulação, Cunha agora tem duas condenações em primeira instância; isto é, ele não está mais enquadrado na Lei da Ficha Limpa. No entanto, continua inelegível por ter perdido seus direitos políticos ao ter seu mandado cassado em 2016.

Nos últimos meses, desde que teve sua prisão domiciliar revogada, o ex-deputado tem trabalhado para conseguir voltar à cena política. Os esforços incluem encontros frequentes com advogados afim de recuperar seus direitos políticos e poder se candidatar a uma vaga na Câmara por São Paulo. A decisão do Supremo na terça-feira é um resultado positivo desses esforços.

O julgamento do STF de ontem era referente à condenação no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que penalizou Cunha a 14 anos e 6 meses de prisão. Ao ordenar que o caso vá para Justiça Eleitoral, a Corte acolheu a tese da defesa de que o ex-juiz Sergio Moro não tinha competência para julgar o ex-deputado. Isso porque entre as denúncias de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, havia também a acusação de crime eleitoral — o que obrigava o caso a ser transferido para a justiça especial.

Na época, Moro alegou que o crime de falsidade ideológica eleitoral era absorvido dentro da denúncia de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o que manteve o processo com ele. Agora, com a decisão do STF, o caso vai para a primeira instância da Justiça Eleitoral do Rio, que vai avaliar se mantém os atos praticados pelo ex-juiz.

A estratégia da defesa do ex-presidente da Câmara é alegar que Moro foi suspeito ao julgar Cunha e manipulou o processo. A tática se assemelha a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que recuperou seus direitos políticos este ano após o STF anular suas condenações e, depois, julgar a suspeição do ex-juiz nos casos envolvendo o petista.

Porém, há uma grande diferença entre o caso do ex-mandatário e do presidente da Câmara que deu seguimento ao impeachment de Dilma Roussef: Lula era inelegível apenas por ter condenação em segunda instância, enquanto Cunha também perdeu seus direitos políticos ao ser cassado.

A cassação do ex-deputado ocorreu em setembro de 2016, pouco depois da ex-presidente petista ter sido retirada do cargo. A anulação do mandato de Cunha se deu por quebra de decoro parlamentar, após a Câmara julgar que ele mentiu à CPI da Petrobras ao negar em depoimento que era titular de contas no exterior. Com isso, perdeu seus direitos políticos por oito anos contados a partir do fim daquela legislatura (até 2026).

Para reverter o cenário a seu favor, Cunha se baseia nos casos dos ex-senadores Demóstenes Torres e Delcídio do Amaral, que também foram cassados, mas conseguiram anular suas condenações na Justiça.

— Estamos questionando em várias ações ainda sem decisão. Mas existem precedentes como a situação de Demóstenes e Delcidio. Haverá tempo ainda para decidir isso. As teses estão sendo colocadas em ações próprias e não tenho mais detalhes no momento para passar — disse Cunha ao GLOBO.

No caso de Demóstenes, ele conseguiu recuperar seus direitos políticos após ter sido cassado em 2012 ao ser acusado de envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Em 2018, no entanto, o STF permitiu que ele disputasse a eleição ao considerar que as provas que embasavam sua cassação foram anuladas na Justiça. O ex-senador, no entanto, não conseguiu se eleger deputado federal naquele ano e acabou se aposentando da vida política.

Delcídio também conseguiu autorização para se candidatar em 2018. No entanto, não conseguiu se eleger ao Senado por Mato Grosso do Sul.

Outro empecilho para a candidatura de Cunha em 2022 é condenações que tem primeira instância e as dezenas de processos no qual ele é investigado. Até a decisão do STF de ontem, o ex-deputada acumulava uma pena de 55 anos e três meses de prisão. Ele foi condenado, em 2018, pela 10ª Vara Federal de Brasília a 24 anos e dez meses pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e violação de sigilo funcional no processo que apurou desvios de dinheiro do Fundo de Investimento (FI) do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

No ano passado, Cunha teve sua segunda condenação no âmbito da operação Lava-Jato, pela 13ª Vara Federal do Paraná. Ele foi condenado a 15 a 11 meses de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ambos os casos aguardam recursos e serão julgados em segunda instância.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Nesse Brasil enorme, lindo, cheio de riquezas, temos que conviver com essas coisas, meu pai dizia “Porteira que passa um boi, passa uma boiada”, interessante é a celeridade com que essas coisas ocorrem, sabemos que nos CDPs da vida, onde um ministro jamais irá, existem pessoas que estão presas por embriaguez, outros nem sabe a razão, outros por desespero, erros banais, para esses desafortunados, a justiça não chega nunca. Senhor Téo, vc está com mais completa razão, triste verificar que cadeia só serve para pobre.

  2. Justiça Eleitoral tem que acabar. Esta jabuticaba só existe no Brasil. Muito dinheiro jogado fora para inocentar corruptos.

    1. 4 bi por ano.
      Que tenha eleições ou não.
      Esse é o tamanho da farra as nossas custas.
      Vergonha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

TSE decide investigar se atos do 7 de setembro foram financiados

O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Luís Felipe Salomão, decidiu investigar se houve financiamento dos atos “antidemocráticos” – de 7 de setembro(assim noticia a Globo) e, em caso de ter havido, quem financiou. Salomão quer investigar também se os atos configuraram propaganda eleitoral antecipada.

Participaram dos atos o presidente Jair Bolsonaro e apoiadores. Salomão incluiu essa apuração em um inquérito que corre no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O corregedor quer saber se houve pagamento de transporte e diárias para manifestantes, e quem esteve por trás da organização do evento.

Fontes da Justiça informaram à GloboNews que essas novas apurações são consideradas um desdobramento relevante da investigação sobre os atos. Também é a primeira consequência judicial dos atos, principalmente porque vai focar em esclarecer se foi uma manifestação espontânea e se teve conteúdo eleitoral.

O corregedor ampliou o objeto de apuração para saber se houve:

abuso de poder econômico e político

uso indevido dos meios de comunicação social

corrupção

fraude

condutas vedadas a agentes públicos

propaganda extemporânea (antecipada), em relação aos ataques contra o sistema eletrônico de votação e à legitimidade das eleições de 2022.

G1

Opinião dos leitores

  1. Os da esquerda sempre foram financiados e nunca ninguém investigou, era lanche, era ônibus, era blusa, bandeira a pqp e de onde vem esse dinheiro ? Dos pobres coitados q iam ?? Eu fui de graça com minha família no dia 7 ! Isso dai é palhaçada

  2. Caramba, agora tudo nesse País se investiga! Conheço várias pessoas que foram de livre e espontânea vontade. Muitos! Isso não existe! Parece até que estão tentando criar alguma coisa pra fazer, por pura falta de capacidade laboral e de profissionalismo. Sem querer fazer proselitismo, mas já foi provado várias vezes que existe distribuição de comida e de dinheiro, nas manifestações da esquerda. Isso já foi filmado e gravado tantas vezes! Se uns fazem, os outros não podem fazer? Isso parece mais uma conspiração barata. Valha!

  3. Queria ver tamanha empolgação para investigar atos da esquerda, o povo foi as ruas lutar por LIBERDADE fui de graça se precisar vou de novo

  4. Ei digam aí a corja da esquerda que quem banca somos nós mesmo,será que agora já irão começar a dizer em que devemos gastar nosso dinheiro,a CORJA DE CANALHAS ESSA ESQUERDA IMUNDA.

  5. Enquanto DEUS não descer na terra e dizer a esses caras do STE, STF, que DEUS só existe um, eles não vão parar de tumultuar o país.

  6. Por que o mesmo procedimento não foi aberto na “grande” manifestação do dia 12? Quem financiou aquela presepada ridícula? Será que não houve campanha antecipada? Ministro, desse jeito está muito feio.

  7. O TSE não tem o que fazer? Participação voluntária do povo brasileiro.
    Onde estava o TSE quando a esquerda financiava seus comícios, manifestações e criava um falso populismo de 2003 a 2016?
    O TSE virou puxadinho partidário? O TSE tem lado político?

  8. Eu fui de graça, se chamar vou de novo. Se precisar fazer um racha para o carro de som, também ajudo.

    1. Brasil véi, você foi como gado fiel ao cabresto. Outros usaram do nosso dinheiro, desviado em rachadinhas, para te fazer besta patriótica.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 29,5%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 29,5%, registrada no fim da manhã desta quarta-feira (15). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 117.

Até o momento desta publicação são 158 leitos críticos (UTI) disponíveis e 66 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 179 disponíveis e 51 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 32% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 20,4% e a Região Seridó tem 35,3%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: RN possui 158 leitos críticos e 179 leitos clínicos disponíveis

Foto: Regulação/Sesap

O RN permanece com fila zerada de pacientes para UTI Covid conforme levantamento feito por volta de 12h05 desta quarta-feira(15).

Neste período, não havia paciente com perfil para leitos críticos na lista de regulação. Apenas 01 aguardava avaliação. Foram registrados disponíveis 158 leitos críticos e outros 179, sendo clínicos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

À CPI da Covid, Marconny Faria nega usar suas relações pessoais para ganhos econômicos e diz que seria ‘um péssimo lobista

Foto: Pedro França/Agência Senado

O lobista(assim noticia O Globo) Marconny Faria presta depoimento nesta quarta-feira à CPI da Covid, no Senado. Suspeito de atuar no Ministério da Saúde em prol dos interesses da Precisa Medicamentos, empresa investigada no colegiado pela venda da vacina indiana Covaxin ao governo brasileiro, Faria negou ser lobista e ainda afirmou que, caso fosse, seria “um péssimo lobista”. Na comissão, Marconny ganhou o apelido de “senhor de todos os lobbies”, cunhado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Em sua fala inicial, Faria disse que as mensagens de seu celular não têm relação com a pandemia. Negou ser lobista e disse que foi ele quem denunciou um esquema de corrupção no Instituto Evandro Chagas, um órgão federal ligado ao Ministério da Saúde e sediado no Pará. Disse ainda não ter envolvimento na compra de vacinas, tendo atuado para a Precisa em outra processo de compra pública, para aquisição de testes.

— Tive uma aparelho celular apreendido após ter sido responsável por denunciar corrupção do Instituto Evandro Chagas. Não era alvo de corrupção. Nunca fui alvo de corrupção. E me tornei investigado — afirmou Faria, recusando-se depois a dar mais detalhes porque o processo corre em segredo de justiça.

Ele também disse que nunca transformou suas relações sociais em ganhos econômicos.

— Os contatos que criei ao longo da minha carreira vieram em decorrência de minha formação, além de ter crescido nesta maravilhosa capital federal. Ao longo da minha carreira, conheci pessoas do mundo social de Brasília, de várias tendências políticas. O extrato das minhas conversas demonstram é que tenho ótimos amigos. Ao contrário do que dizem por aí, se eu um fosse um lobista, eu seria um péssimo lobista, porque jamais fui capaz de transformar minhas relações sociais em contratos e resultados econômicos milionários, conforme falsamente divulgado pela imprensa.

O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), questionou por que ele buscou um atestado médico, mesmo sendo um profissional liberal que não precisa justificar falta no trabalho. Marconny disse que, em razão da situação que o colocou no centro das atenções da CPI, passou mal e foi a um médico que, observando o seu estado, deu um atestado.

Marconny também anunciou que usaria o direito garantido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de não responder perguntas que possam incriminá-lo.

Senador envolvido

Em uma mensagem de seu celular, Faria disse que um senador poderia “desatar o nó” do processo da compra de testes da Precisa. Integrantes da CPI perguntaram quem é esse senador, mas ele disse não saber. Questionado quantos senadores conhece, disse que nenhum. Em seguida, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) o criticou duramente, lembrando que no passado Marconny já subiu em carro de som para gritar contra a corrupção e concluindo ser um oportunista. A senadora Leila Barros (Cidadania-SE) sugeriu levantar os registros de Marconny no Senado para saber que gabinetes já visitou. Depois disso, Marconny afirmou já ter ido ao Senado antes, mas não foi ver nenhum senador.

Ele também disse que a assessoria à Precisa era técnica e política. O senador Otto Alencar perguntou então que político ele procurou no Ministério da Saúde, e Faria respondeu que nenhum. Ele não quis responder quantas vezes já foi ao escritório da Precisa em Brasília.

O suposto lobista afirmou ainda que presta assessoria apenas para o setor privado, o que inclui também parlamentares, mas não quis dizer os nomes dos clientes em razão de cláusula de sigilo. Alguns senadores acharam estranho ele considerar parlamentares como setor privado.

Em entrevista antes da sessão, o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), disse que a CPI conseguiu comprovar várias linhas de investigação, exceto a relacionada aos hospitais federais no Rio de Janeiro, o que preciso ser melhor apurado ainda.

— São muitas informações, muitos personagens, o que na verdade dificulta uma conclusão quanto a esse fato. Mas em relação aos demais não. Estão todos muito bem encaminhados do ponto de vista da prova. O relatório conterá a indicação de crimes comuns. São vários os tipos de crimes comuns. Crimes de responsabilidade, e crimes contra a humanidade. E estou avaliando criteriosamente a possibilidade da utilização do genocídio em relação à questão indígena no Brasil — disse Renan.

Faltas e atestados

Inicialmente, a oitiva de Marconny estava marcada para 2 de setembro, mas ele faltou a sessão e apresentou um atestado médico, que foi contestado pela cúpula da comissão. No início da semana, a Justiça Federal de Brasília autorizou, se necessário, a condução coercitiva de Marconny. Isso significa ele poderia ser levado à força caso se não tivesse comparecido espontaneamente.

Conforme revelou o GLOBO, mensagens compartilhadas pelo Ministério Público Federal (MPF) no Pará mostram que o lobista tinha uma vasta teia de contatos em Brasília, incluindo a ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle, e um de seus filhos, Jair Renan Bolsonaro, conhecido como “04”. A empresa de Jair Renan, a Bolsonaro Jr Eventos e Mídia, foi aberta com a ajuda de Marconny.

Os diálogos também revelaram que, a pedido do lobista, Ana Cristina acionou o Palácio do Planalto para influenciar na escolha do defensor público da União, em 2020, junto ao então ministro da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, atual membro do Tribunal de Contas da União (TCU). As mensagens também indicam que, em outra ocasião, Ana Cristina atuou para emplacar uma indicação do advogado em um instituto ligado ao Ministério da Saúde.

Além de familiares do presidente da República, o lobista também mantinha contato com Karina Kufa, advogada do presidente Jair Bolsonaro, e também recorreu a ela para o processo de escolha da Defensoria Pública. Conversas no celular de Marconny mostram que Karina Kufa acionou o Gabinete de Segurança de Institucional (GSI) para influenciar no processo e evitar que um dos candidatos fosse nomeado pelo presidente.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Terceirizados da Sesap iniciam greve

O SIPERN, sindicato que representa grande parte dos trabalhadores das empresas JMT, SAFE e Petrogas contratados pela SESAP/RN para terceirização de serviços de apoio nos hospitais do Estado do RN, em apoio aos Profissionais de Enfermagem, técnicos, duchistas, massagistas e empregados em hospitais, Casas de Saúde , informa à sociedade Potiguar, que em razão do atraso no pagamento dos salários do mês de agosto, vale transporte e vale alimentação, os trabalhadores das empresas prestadoras de serviços de mão de obra, deflagraram GREVE por tempo indeterminado.

“Neste momento estão paralisados os serviços terceirizados nas unidades de saúde Estado do RN, na área metropolitana da Grande Natal (Parnamirim, Macaíba, Natal – Complexo Hospitalar Monsenhor Walfredo Gurgel, Hospital Giselda Trigueiro etc)”, diz a nota.

Segundo o Sipern,  os trabalhadores da categoria são vitimas de constantes atrasos de salários. Diante dessa situação, e dos atrasos reiterados, a classe dos trabalhadores, junto com o sindicato, se viu obrigada novamente a convocar e deflagrar GREVE até a regularização e pagamento das verbas em atraso.

“Informamos ainda que os envolvidos (empresas, SESAP/RN e SEPLAN/RN) estavam tentando negociação na Superintendência regional do Trabalho e Emprego do SRTE/RN, com a mediação do Dr. Cláudio Gabriel. Contudo, O governo do Estado do RN, através da SEPLAN/RN, TEM IGNORADO AS CHAMADAS PARA A MESA DE NEGOCIAÇÃO, demostrando DESPREZO”, diz trecho da nota.

Para os trabalhadores terceirizados, e a sociedade Potiguar, o sindicato informa que serão mantidas escalas mínimas de trabalhadores para que sejam mantidos os serviços essenciais, minimizando o máximo possível os impactos à população Potiguar. Ainda que tão logo sejam pagas as verbas salariais em atraso, a greve será encerrada.

“Os trabalhadores estão em greve pelo mais básico dos seus direitos, o pagamento pelo trabalho prestado. Sendo este sua única fonte de renda para o sustento de sua família”, encerra a nota, assinada por Domingos da Silva Ferreira, Diretor Presidente do SIPERN.

Opinião dos leitores

  1. É para fechar mesmo, só quem precisa por estar doente e quem trabalha na saúde do estado, sabe o que é viver nesses hospitais do estado, todos, literalmente todos, saem doentes.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *