PREVIDÊNCIA: Gasto por militar na reserva é 17 vezes maior do que com aposentado pelo INSS

Apesar do rombo nas contas do INSS ser muito maior, o governo federal gastou quase 18 vezes com cada militar aposentado do que com os trabalhadores da iniciativa privada em 2019. O dado foi divulgado pelo Tesouro Nacional nesta segunda-feira.

A tendência também é seguida na aposentadoria dos servidores civis. O governo gasta dez vezes com cada servidor civil aposentado, na comparação com os gastos por beneficiário do INSS.

Enquanto o déficit por beneficiário do sistema de proteção dos militares ficou em R$ 121,2 mil em 2018, o do regime dos servidores foi de R$ 71,6 mil. Já o déficit por pessoa aposentada pelo INSS foi de R$ 6,9 mil.

No ano passado, o rombo do Regime Geral da Previdência Social atingiu R$ 213,3 bilhões, dos servidores civis, R$ 53,1 bilhões, e dos militares, R$ 47 bilhões. Os números fazem parte do Relatório Contábil do Tesouro Nacional de 2019.

O relatório diz que o déficit por beneficiário do INSS se manteve estável até 2013, quando cada segurado necessitava de um aporte de aproximadamente R$ 1,9 mil, ao ano, para cobrir o resultado negativo. De 2014 a 2019, o desequilíbrio se acentuou, chegando a ser necessário um aporte de R$ 6,9 mil por beneficiário, ao ano, em 2019.

Já em relação aos servidores civis, o déficit por beneficiário desse regime passou de R$ 27,6 mil em 2010 para R$ 71,6 mil, ao ano, em 2019, o maior valor ao longo dos últimos dez anos.

“Houve crescimento do déficit por beneficiário ao longo de toda a série. No último ano, apenas 38,5% das despesas com benefícios foram custeadas com as receitas das contribuições dos segurados”, diz o texto.

Trajetória de alta

No caso dos militares, o déficit por beneficiário subiu de R$ 81,6 mil para R$ 121,2 mil, ao ano, nos últimos dez anos, assumindo o seu maior valor em 2019. “Vale destacar que não há receita de contribuição previdenciária nem do militar, tampouco patronal, para o custeio desse sistema de proteção social, o que aumenta o seu déficit”, ressalta relatório.

Os dados do Tesouro demonstram o peso crescente da Previdência Social nas contas do governo. Só no caso do INSS, entre 2010 e 2019, o déficit previdenciário passou de de R$ 42,4 bilhões para R$ 213,3 bilhões (um crescimento nominal de 402,9%). Nesse período, as despesas cresceram 246,6%, enquanto as receitas subiram 195,5%.

Mas a reforma da Previdência, aprovada no ano passado, melhorou as projeções de longo prazo do governo. A previsão para o chamado passivo atuarial (valor necessário para pagar todos os benefícios) para 2060 é de 7,65% do PIB. No relatório do ano passado, antes da reforma, a estimativa era de 11,64%.

“Ou seja, a reforma da previdência amenizou, mas não conteve o crescimento do déficit previdenciário projetado para os próximos anos”, diz o texto.

Salto de 24% no passivo

O documento do Tesouro também registram a difícil situação financeira da União. Os passivos do governo — como suas obrigações, empréstimos, provisões — superaram os ativos — grupo em que entram o caixa, os créditos a receber e investimentos – em R$ 3 trilhões em 2019 (alta de 23,4% em relação a 2018).

O relatório mostra também como é difícil arrecadar grande parte da dívida. O estoque administrado de créditos tributários e de dívida ativa é R$ 4,253 trilhões. No entanto, a expectativa média de recuperação é baixa, em torno de 15%, ou seja, R$ 640 bilhões.

ESTADÃO CONTEÚDO

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justus disse:

    Continuo sem entender vocês. Se é emprego tão bom, que não faz nada, por que atrai pouca gente? Por que vocês não quiseram?Se é moleza, entrem e sejam PQD. Parem de reclamar e vão produzir alguma coisa lá dentro. Mudem. Está ruim? Façam algo, mas não reclamar em fila de banco.

  2. Barba disse:

    Vou me arriscar em dizer que militar, já sua grande maioria não fazem nada! Tirando aquela pequena porcentagem que vivem mas fronteiras. Mas de resto, so gastos!

  3. Ângela Morticia disse:

    Militar nunca ganhou bem, por direito. E sem muitas opções e qualificações, muitos engajaram. Hoje, com justiça, eles estão ganhando quase o merecido. E por que os civis contribuintes do INSS reclamam tanto? Por que não entraram numa força militar? Competência? Inteligência? Preguiça? Medo de pegar numa arma ou levar um tiro defendendo a União? Chorar por um leite derramado é coisa de covardes… O tempo passa e a derrota se mostra grande….

  4. Sérgio disse:

    Se fosse só os policiais/bombeiros, que estão na linha de frente e ganham pouco, dava pra entender.
    Mas é justamente a turma da boa vida, Forças Armadas, que tem mais privilégios e ainda passam pra herdeiras…

  5. Walter disse:

    Essa reportagem do Tesouro Nacional se refere até ano de 2019. Com a nova previdência dos militares aprovada pelo Congresso Nacional no final de 2019, os gastos com a previdência dos militares haverá um supervit de 10 milhões em 10 anos, a partir de 2020. Além disso os militares não tem os mesmos direitos trabalhistas dos civis.

  6. Tarcísio Eimar disse:

    Tem q igualar todos no mesmo teto INSS. Quem tem o privilégio de ganhar mais q faça por fora seu planejamento previdenciário privado.

    • Zezim disse:

      Colocar os peitos na frente de bala, trabalhar sem carga horária definida vc não quer né?!
      Pimenta no dos outros é refresco.

  7. Justus disse:

    Bolsoloide, se não fazem nada e têm privilégios, porque você não entrou para as Forças Armadas? O acesso é livre para qualquer brasileiro, sabia? Basta fazer um concurso. Quando alguém entra ele é otário, Zé mané, gosta de passar humilhação.

  8. Bolsolóide indignado disse:

    O que a gente fica sem entender e porque um funcionário aposentado pelo INSS, que passa a vida se lascando recebe aposentadoria proporcional e um militar, que passa a maior parte do tempo sem fazer m…nenhuma, só engraxando coturno, tem aposentadoria integral!

  9. Marcelo disse:

    Para equiparar aposentadoria do INSS, com Militar, é justo que sejam revistos alguns direitos que militares não tem, tais como, hora extra, periculosidade, insalubridade, adicional noturno, hora referente a almoço, FGTS…, quando pertinentes.

  10. LULADRÃO disse:

    E os funcionários públicos federais e do judiciário brasileiro? É absurdamente maiores ainda.

    • Jr disse:

      O texto já traz os dados dos servidores federais pq quem paga a aposentadoria nos Estados são os Estados (vide o RN quebrado), nos municípios salvo o engano sao pelo rgps se não houver regime próprio. Outra coisa os dados dos servidores civis ficam inchados porque entram aí as aposentadorias do judiciário e do legislativo. Então o certo seria divulgar o deficit per capita por poder (executivo, legislativo e judiciário), mas nunca vejo fazerem essa distinção.

    • Cap. Presença disse:

      SÃO absurdamente MAIORES. ASNO!

  11. Gil disse:

    Tem que acabar aposentadoria integral para militar. O teto do INSS tem que valer para todos. Está querendo ganhar mais de 5 mil ao se aposentar? poupe e construa o excedente enquanto estiver na ativa.

COMENTE AQUI