Professor gay critica ativismo ‘LGBTQ’ e defende Bolsonaro na Câmara de João Pessoa

Foto: Reprodução/Facebook

“Ideologia de gênero não existe. Homem nasce homem e mulher nasce mulher”. Foi assim que o professor e historiador Gabriel Pieron, homossexual, do movimento ‘endireita Bayeux’, discursou, em audiência pública para discutir doutrinação ideológica nas escolas, nesta sexta-feira (29), na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP). Ele também fez críticas ao movimento LGBTQ+ e defendeu o presidente Jair Bolsonaro (PSL). O evento contou com a participação da deputada estadual de Santa Catarina, Ana Caroline Campagnolo, que se posiciona contra o movimento feminista atual.

Pieron fez críticas ao que chamou de ‘militância’ de professores em sala de aula. Segundo ele, alguns profissionais aproveitam o expediente para divulgar ideias partidárias em vez de ensinar o conteúdo da disciplina. Ele destacou que, apesar de ter uma cosmovisão conservadora, não faz militância ao lecionar e é perseguido por isso. “Eu tenho minhas posições de direita, tenho todo direito de ter essa posição, mas minha atribuição de professor não é atribuição de militante. Eu não fui contratado para ser militante, eu fui contratado para ser professor”, disse.

O historiador também fez críticas à influência que estudantes estariam sofrendo no campo da sexualidade e se posicionou contra o ensino do que ele chamou de ‘ideologia de gênero’ nas escolas. “A gente tem que entender que a formação do cidadão, ela vem com o tempo, com a maturidade, e aí vamos formando nossa opinião crítica, desde que não seja por influência de um professor da escola pública, que precisa ensinar um conteúdo legal para o aluno passar no Enem, e não ficar perdendo tempo fazendo militância na sala de aula”, exemplificou.

Foto: Reprodução

O professor citou a biologia e a embriologia para argumentar porque as teorias de gênero não devem ser ensinadas em escolas. “Eu sou um adepto de Enéas Carneiro [ex-deputado] e eu lembro como ele dizia, enfaticamente, ‘Não existe outros cromossos que não seja XX e XY’. É biologia. É muito bonito você estudar embriologia e chegar para falar de ideologia de gênero, porque você quebra qualquer argumento que exista. Você quebra”, argumentou.

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou uma audiência pública, nesta sexta-feira (29), em parceria com a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), com o objetivo de discutir doutrinação ideológica e de gênero nas escolas. A audiência foi proposta pela vereadora Eliza Virgínia (Progressistas) e pelo deputado estadual Wallber Virgolino (Patriota). A solenidade contou com a participação especial da deputada estadual de Santa Catarina Ana Caroline Campagnolo (PSL), autora do livro ‘Feminismo: perversão e subversão’.

Paraíba Polêmica

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alisson disse:

    Parabéns ao Professor Pieron e a Dep Ana Caroline Campagnolo. Somos todos contra essa esquerda suja que não sabe, sequer, ser oposição.

  2. max willamy disse:

    – gabriel pieron merece todo nosso respeito,se você é homossexual não é obrigado a sair gritando no meio da rua e forçar as crianças e adolescentes a ser o que vários grupos pensam!
    -a direita e o conservadorismo não é contra a hommosexuais.é contra a qualquer tipo de influênc ia,tipo você tem que ser isso,você em que ser aquilo! isso é influência!
    -gabriel pieron merece aplausos,A DIREITA NÃO TEM PRECONCEITO,PRECONCEITO TEM A ESQUERDA,DURANTE O GOVERNO DE STALIN DE 1922-1953 foram mortos muitos homoss exuais , até hoje na rússia tem uma grande influência socialista mesmo sendo de direita!
    -NA CORÉIA DO NORTE E ESQUERDA E É PROIBIDO O HOMOSSEXUALISMO,mais isso o pt e o psol e pstu não fala,tem varias entrevistas antigas de lula que ele fala mal de homossexuais,A DIREITA É ATACADA COM MENTIRAS FALSAS,O GRUPO ENDIREITA NATAL SOMOS CONTRA O PRECONCEITO DIGA SIM A PAZ A EDUCAÇÃO E A FAMÍLIA INDEPENDENTE SER CASAL HOMOAFETIVO OU NÃO!

COMENTE AQUI