Quanto mais treinado você está, menos treinável estará

Por Breno Perruci/@eaiboracorrer

Com certeza você que fez dieta e perdeu muito peso rápido já percebeu que vai ficando cada vez mais difícil perder mais peso né! Pois é, isso é explicado biologicamente e serve pra todas as alterações impostas ao corpo humano, incluindo o treinamento dos atletas, sejam profissionais ou amadores. E é bem simples entender. Quem me acompanha no instagram @eaiboracorrer sempre me vê falando sobre evoluções e/ou frustrações do dia a dia de treinamentos.

A questão toda é que quanto mais treinado você é, menos adaptações você vai ter, por isso se fala que quanto mais treinado, menos treinável. Pra ser mais específico, você até pode treinar mais, mas as alterações em você é que serão muito menores porque é como se o corpo atingisse um nível de adaptação máxima. Sendo bem didático, basta usar a lógica do peso corporal. Se você pegar alguém sedentário e de repente submeter a alguma dieta ou método de treinamento, isso vai gerar resultados positivos porque quaisquer estímulos serão suficientes para gerar desconforto. E aí quanto mais perto do peso ideal, mais difícil será a continuidade da perda.

“O “x” da questão é que é difícil quantificar essa evolução quando se é muito treinado porque nós somos condicionados a associar a melhora da performance a números quando na verdade o certo é buscar a manutenção em alto nível por muitos ciclos competitivos. Ou seja, quanto mais preparado estiver o atleta, menos ele vai variar em números e de fato não devemos muitos nos atrelar a quanto de gordura perdeu, quanto de músculo ganhou, quanto de VO2 ganhou, etc. O mais importante é fazer que se mantenha treinando forte por muito tempo sem adoecer, sem gerar desequilíbrios metabólicos, nem no sistema imunológico”, destaca a nutricionista e fisiologista do esporte, Amanda Nascimento.

Um dos melhores parâmetros de capacidade aeróbica de um indivíduo é o chamado VO2 max, que é o volume de oxigênio máximo. Ele que mede a capacidade de transportar ou metabolizar oxigênio durante uma atividade física. Então quando se tem algum atleta muito treinado, o VO2 fica mais difícil de aumentar porque ele chega num limite e aí é preciso saber encontrar outros meios de buscar evoluir ou se manter bem é trabalhar outros aspectos, como por exemplo, melhorar a biomecânica do movimento.

“O corpo humano tem um limite, então quando estamos muito próximos do nosso ápice da melhor forma física precisamos saber a hora certa de variar os estímulos e quais estímulos usar, bem mudar até o método se for o caso. A melhora do funcionamento do corpo vai acontecendo mediante adaptações e quanto melhor o atleta estiver, mas difícil se torna encontrar essas novas adaptações. Por isso, tem profissionais capacitados ao lado é indispensável”, reforça Paulo Rafael, professor de educação física, triatleta e treinador da CB Sports.

Pra fechar a questão, realmente a frase tem sentido e é um fato, mas não quer dizer que ao chegar o ao ápice não há nada mais o que ser feito. Muito pelo contrário, é aí que o desafio aumenta e nós corredores somos movidos à desafio. Então galera, e aí, bora correr?