Reforma administrativa está pronta, diz Bolsonaro

Foto: Valter Campanato

O presidente Jair Bolsonaro andou pela região da Praia das Astúrias, no Guarujá (SP), na manhã deste sábado (22). Ele estava acompanhado do deputado federal Hélio Lopes (RJ) e por seguranças. O passeio foi transmitido na página de Facebook do presidente, que publicou três vídeos do percurso, em que ele parou em pelo menos quatro estabelecimentos comerciais. Bolsonaro cumprimentou e tirou fotos com dezenas de apoiadores e também tomou café em uma padaria.

Em uma rápida entrevista com uma equipe de televisão, o presidente confirmou que o texto da reforma administrativa está fechado e será entregue ao Congresso Nacional após o carnaval.

“A reforma administrativa agora está pronta, depois do carnaval a gente apresenta”, afirmou. O texto deve propor o fim da estabilidade automática para futuros servidores públicos. A ideia seria definir um tempo para atingir a estabilidade, de acordo com cada carreira e com uma avaliação de desempenho.

Outro objetivo da medida, segundo o governo, seria reduzir o número de carreiras, atualmente em torno de 300, e que os salários para quem entrar na carreira pública passem a ser menores. Todas as mudanças, se forem aprovadas, só serão válidas para os futuros servidores públicos, e não para os atuais.

O presidente voltou a defender o programa de privatizações e citou os Correios, como exemplo de empresa pública que o governo pretende desestatizar.

“A ideia nossa é privatizar os Correios, a gente sabe que não é fácil fazer as privatizações, muitas passam pelo Parlamento, [com] a nova decisão do Supremo Tribunal Federal. Nós queremos é desinchar o Estado. Eu quero deixar o meu governo no futuro com o Estado mais leve”, disse.

Sobre a reforma tributária, Bolsonaro disse que o governo deve apresentar uma proposta contemplando mudanças nas regras apenas dos impostos federais.

“Tenho falado para o Paulo Guedes se preocupar com os impostos federais, se botar estados e municípios, vai acontecer o que eu vi ao longo de 28 anos dentro da Câmara, não se resolve”, disse.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria disse:

    Igrejas não são templos ou organizações, são pessoas que servem a Deus, pregam a palavra de Deus e tem a Bíblia Sagrada como regra de fé e prática. Deus em primeiro lugar e todas as outras coisas serão acrescentadas confirme a sua vontade.

  2. Mpj disse:

    Com certeza Hélio Alfredo tentou passar em algum concurso público e não conseguiu, por isso essa revolta, despeito com servidores públicos, e agora com esse governo ficará mais difícil pra ele passar em um concurso, pois concurso público será cada vez mais escasso.

  3. MAC-RN disse:

    Miseraveis! Eh o que eles são!

  4. MAC-RN disse:

    Pq ele não reduz o salário dos deputados, senadores,. E ministros?? Esses sim estão quebrando o país! Além dos políticos corruptos e ladrões!
    Chupa aí ! Servidores que o elegeu!!!
    Essa medida, vai lascar vc, quando pegar um chefe, arrogante, de cargo comissionado e que não for com a sua cara! O que você estudou e se esforçou pra passar no concurso vai esbarrar na impunidade!
    Isso eh no que dá, não saber eleger seus representantes.
    Muitos pagarão pelo seu erro!

    • Hélio Alfreds disse:

      Ô seu demente, essa sua revolta é só mais uma prova de que a coisa precisa mudar. O que torna um funcionário público uma pessoa especial? Porque estudou pra poder passar no concurso? Eu estudei e estudo muito até hoje pra poder me manter no mercado, trabalho em empresa privada e, como todo funcionário de empresa privada, corro o risco de ter um chefe que não vá com a minha cara e me demita, por que funcionário público não pode? Repito, o que o torna especial? O problema é que todo mundo diz querer um país melhor, cortar os privilégios, mais igualdade, … Só que quando mexe no seu, ninguém quer dar sua contribuição. Provavelmente você é funcionário público, mas não se preocupe, essa reforma irá poupar você, infelizmente. Concordo que o exemplo deveria começar lá de cima, mas nenhum está disposto a isso.

    • IBMENDONCA disse:

      Hélio Alfreds, aparentemente mesmo com toda a quantidade de estudo que você diz ter, ainda assim você não conseguiu aprender coisas básicas como a distinção do funcionário público para o privado e sobre a necessidade da estabilidade no funcionalismo. A nossa estabilidade garante que possamos realizar nossas atribuições sem ser atingido por pressões políticas ou de grupos econômicos mantendo assim a impessoalidade na administração pública. Resumindo: posso me negar a atender um pedido do meu chefe se entender que aquilo fere o serviço público de alguma forma. Experimente fazer isso no ramo privado, o RH entrará em contato com você!!! Portanto não pense que a estabilidade é uma regalia…pense que é sim um instrumento de proteção, não ao servidor público em si mas sim ao serviço público como um todo. Boa sorte e continue estudando sempre…

  5. Donavan disse:

    Pra lascar os servidores pequenos esse governo é ligeiro.
    Agora os Militares, servidores do judiciário e Legislativo…
    Os privilégios continuam os mesmos e os auxílios pra comer gente continuam.
    As rachadinhas e os laranjas com chocolate estão de vento em popa, em conjunto com os dízimos e ofertas as empresas e partidos políticos que chamamos de Igrejas evangélicas.
    Dr, eu não me engano. O Bozonaro é miliciano.

COMENTE AQUI