Mundo

Reino Unido se une aos Estados Unidos, Canadá e Austrália em boicote diplomático às Olimpíadas de Inverno da China

Foto: Adrian Dennis/Reuters

A Inglaterra comunicou nesta quarta-feira (8) que se juntará aos Estados unidos, Canadá e Austrália em um boicote diplomático aos Jogos de Inverno da China, que acontecerão em 2022.

A Casa Branca anunciou na última segunda que oficiais americanos não vão comparecer ao evento, apesar de não proibir que atletas da delegação participem. A motivação são as inúmeras violações a tratados internacionais de direitos humanos causadas pelo governo de Pequim, as quais o governo classificou como “atrocidades”.

“Haverá efetivamente um boicote aos Jogos de Pequim. Nenhum ministro ou oficial deverá comparecer”, afirmou o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

“Não acho que boicotes esportivos sejam sensatos, e essa continua sendo a política do governo”, complementou o primeiro-ministro.

A agência de notícias Reuters informou que a China não havia emitido nenhum convite a ministros britânicos.

“As Olimpíadas de Inverno de Pequim são uma reunião de atletas olímpicos e amantes de esportes de inverno de todo o mundo, não uma ferramenta de manipulação política para qualquer país”, relatou um representante diplomático chinês.

O anúncio de que o Canadá também se juntaria ao boicote foi feito também hoje pelo primeiro-ministro Justin Trudeau.

“Muitos parceiros ao redor do mundo estão extremamente preocupados pelas violação repetidas aos direitos humanos cometidas pelo governo chinês. Por essa razão, anunciamos hoje que não enviaremos qualquer representação diplomática para as Olimpíadas de Pequim”, disse o primeiro ministro canadense em uma coletiva de imprensa.

Agência Brasil com informações da Reuters

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Especialistas estimam fim da onda de contágio da Ômicron para fevereiro

Foto: REUTERS / Lucas Landau

Especialistas ouvidos pela CNN acreditam que a variante Ômicron deve perder força a partir do mês de fevereiro. De acordo com presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Alberto Chebabo, o pico de contágio deve ocorrer em uma a duas semanas. “É uma estimativa difícil. Mas depois do pico, começa a cair. Talvez, no final de fevereiro o número de casos já será bem menor”, explicou.

A variante foi relatada pela primeira vez à Organização Mundial da Saúde (OMS) pela África do Sul, no dia 24 de novembro do ano passado, e tomou o mundo com rapidez. Um relatório divulgado há uma semana pela OMS mostrou que a cepa já é responsável por quase 60% dos casos de Covid-19 sequenciados no último mês. No exterior, as curvas de transmissão de países como Canadá e Reino Unido, que têm coberturas vacinais semelhantes às do Brasil, caíram depois de um mês da chegada da Ômicron.

“A variante se comportou muito parecida com os outros países: é um aumento muito intenso e muito rápido do número de casos, é uma onda bastante aguda. Isso sempre preocupa. A gente viu que fica próximo a 30 dias a duração dessa curva”, explicou o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, que é médico sanitarista.

“No momento a gente ainda tem o número de casos numa curva crescente. Os números continuam aumentando e aumentando quase na mesma velocidade que na África do Sul, na Europa, nos Estados Unidos e no Canadá. Então são curvas muito parecidas, com uma velocidade de aumento um pouco menor no Rio de Janeiro”, diz Soranz.

“A gente está com um índice de replicação de 4. Nesses países a gente chegou a ver um índice de replicação de 6. Então a gente está indo em uma velocidade um pouco menor mas muito intensa de casos”, avalia o secretário.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Governo Federal libera R$ 40 milhões para obra de novo acesso ao Aeroporto

Foto: Reprodução

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), liberou, nesta quarta-feira (19), verba de R$ 40 milhões para a construção da obra “Ponte dos Mártires”, novo acesso que ligará o Aeroporto Internacional Aluízio Alves à capital potiguar. O ministro Rogério Marinho esteve com o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulo Emídio, no Monumento aos Santos Mártires em Uruaçu para evento de anúncio oficial da liberação, onde informou que as obras ainda não tem previsão para início e conclusão mas o dinheiro necessário já está empenhado junto à Caixa Econômica Federal.

Segundo Rogério Marinho, o investimento federal na obra, que será executada pela Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, trará um grande benefício ao estado. “Esse é mais um recurso importante que garantimos para o Rio Grande do Norte e que vai beneficiar milhares de moradores da Região metropolitana de Natal, além dos turistas que chegam ao nosso estado pela via aérea. Essa ponte vai ser mais um acesso importante para o Aeroporto Internacional e vai auxiliar na promoção do desenvolvimento econômico e social da região”, destaca.

A Ponte dos Mártires, como vem sendo denominada, fará a ligação do Santuário dos Mártires de Uruaçu, que tem acesso para o aeroporto, com os bairros Quilômetro 6 e Quintas nas proximidades da avenida Mor Gouveia em Natal. A obra também deve impulsionar o turismo religioso no estado. Sua proposta de emenda veio do deputado federal João Maia (PL) e foi solicitada pelo Prefeito Paulo Emídio (PROS) junto ao Ministro Rogério Marinho.

Com extensão de 400 metros e 10 metros de largura, a ponte será construída no local mais estreito de travessia sobre o rio Jundiaí, efluente do rio Potengi. Os recursos encontram-se empenhados e o contrato de repasse já foi assinado com a Caixa Econômica Federal. A estrutura do acesso incluirá um passeio intertravado em ambos os lados de 2,50 metros, bem como 7 metros de pista de rolamento com duas faixas de circulação. A iluminação pública em LED também está prevista no projeto para o local.

Tribuna do Norte

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Mais de 200 procuradores e promotores do MPRN receberam vencimentos acima de R$ 140 mil em novembro

Foto: Reprodução

Procuradores e promotores do Ministério Público do RN tiveram benefícios financeiros de fazer inveja ao cidadão potiguar que ainda vive em crise por causa da pandemia e restrições impostas pelo cenário econômico. Levantamento realizado pelo Justiça Potiguar junto ao portal da Transparência do MPRN apontou que 207 promotores receberam de rendimento líquido uma média de R$ 140 mil no mês de novembro de 2021.

O valor do contracheque foi inflado pelo recebimento de nada mais nada menos do que R$ 118.650,00 a título de outras remunerações retroativas/temporárias que por serem de natureza indenizatória não entram no corte do teto de promotores e procuradores que gira em torno de R$ 33 mil a R$ 35 mil.

Somente de remunerações retroativas ou temporárias pagas em novembro aos 207 membros do MPRN o impacto foi de R$ 24,5 milhões aos cofres públicos do RN.

Ainda segundo o levantamento do Justiça Potiguar, pagamentos retroativos passaram a constar nos vencimentos dos membros do MP a partir de maio, em alguns casos valores altos foram pagos em pelo menos dois meses a procuradores e promotores que somaram exclusivamente nos dois meses a bagatela de R$ 340 mil, valor que equivale a praticamente o valor de 10 vezes do teto constitucional do cargo.

As verbas indenizatórias do MPRN incluem benefícios como licenças-prêmio e férias de 60 dias, a que os membros do MP têm direito, não gozadas que são vendidas e incorporadas na remuneração e não há nada de ilegal, que fique claro. Apesar do amparo na lei a pergunta que fica é se o momento é o mais oportuno visto o cenário econômico da maioria dos potiguares.

Justiça Potiguar

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

2021 ficou entre os anos mais quentes da história, aponta agência da ONU

Foto: Reprodução

Uma análise feita com dados consolidados de seis bases de dados internacionais sobre temperaturas globais mostrou que 2021 foi um dos anos mais quentes da história.

Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), o ano passado está entre os sete mais quentes já registrados na história.

O grupo dos sete anos mais quentes inclui todos os anos desde 2015. Entre eles, o ano de 2016 lidera o ranking de temperatura global, seguido de 2019 e 2020.

A agência da ONU (Organização das Nações Unidas) especializada em meteorologia pontua que as temperaturas médias globais foram temporariamente resfriadas, entre 2020 e 2022, pelo fenômeno La Niña.

“Eventos consecutivos de La Niña significam que o aquecimento de 2021 foi relativamente menos pronunciado em comparação com os últimos anos. Mesmo assim, 2021 ainda foi mais quente do que os outros anos influenciados pelo La Niña”, declara o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.

“O aquecimento generalizado de longo prazo como resultado do aumento dos gases de efeito estufa na atmosfera é agora muito mais relevante do que as variações anuais nas temperaturas médias globais causadas por fatores naturais do clima”, complementa.

Os dados levantados pela agência ao longo dos anos mostram que desde os anos 1980, o planeta fica mais quente a cada década, e a expectativa é que a tendência se prolongue.

“O ano de 2021 será lembrado por temperaturas que quebraram recordes de quase 50°C no Canadá, comparáveis aos valores registrados no deserto da Argélia, chuvas excepcionais e enchentes mortais na Ásia e na Europa, além da seca em partes da África e da América do Sul. Os impactos das mudanças climáticas e perigos relacionados à temperatura tiveram efeitos devastadores em comunidades de todos os continentes”, diz Petteri Taalas.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Temendo nova variante do vírus, Hong Kong abaterá 2 mil animais

Foto: REUTERS / Tyrone Siu

Hong Kong vai sacrificar cerca de 2 mil animais depois que alguns testaram positivo para coronavírus, no momento em que a cidade se empenha em manter a estratégia de “covid zero” determinada por Pequim. A decisão de sacrificar os bichos foi tomada depois que as autoridades de saúde detectaram alguns casos de covid em um pet shop.

A secretária de Saúde do território, Sophia Chan, disse que o governo local pretende preservar a saúde pública depois que um funcionário da loja e um cliente também testaram positivo para covid-19 após entrarem em contato com alguns hamsters. O funcionário foi infectado com a variante Delta, muito rara em Hong Kong.

A cidade tem seguido rigidamente a política chinesa de “covid zero”. Por isso, Hong Kong vem registrando poucos casos de coronavírus. Por outro lado, o centro financeiro foi praticamente isolado do restante do mundo nos últimos dois anos.

Estadão Conteúdo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Após agressão, âncora apresenta programa todo ensanguentado e avisa: “Só me matando”

Foto: Reprodução

O âncora Daniel Carniel foi agredido fisicamente e apresentou um programa em sua emissora, o canal por assinatura Adesso TV, do Rio Grande do Sul, todo ensanguentado para explicar o que aconteceu e denunciar o ataque. Carniel definiu a agressão como um “atentado”.

“Um rapaz estava me esperando na porta da emissora (…) perguntou se eu era Daniel Carniel, quando eu confirmei, ele começou a me agredir e a me chutar”, relatou o âncora, com ferimentos pelo rosto.

O agressor, de acordo com o jornalista, o atacou por causa das “denúncias que faz na TV” e por “falar o que quiser” no programa.

O apresentador comentou ainda que ele já havia sido alertado para tomar cuidado com sua segurança.

Daniel acrescentou que a polícia irá investigar o caso, com ajuda de câmeras de segurança para identificar o agressor. “Não vão me calar. Só me matando”, afirmou Daniel, prometendo que irá “caçar” o autor dos ataques.

Depois do programa, o jornalista procurou atendimento médico e realizou exame de corpo de delito.

Terra

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Você está gestante e tem muitas dúvidas sobre este momento?

A Maternidade Dr. Delfin Gonzalez irá realizar, no próximo dia 5, às 9h, em sua unidade, mais uma roda de conversa para gestantes e casais grávidos.

A ação contará com a participação dos coordenadores de ginecologia e obstetrícia da maternidade, Dr. Ricardo Cobucci e Dr. Adson Vale, e terá visita guiada e momento para esclarecimentos sobre a gestação e o parto.

As inscrições são gratuitas e limitadas e podem ser feitas pelo link: abre.ai/conversahrg. Participe!

Mais informações pelo: (84) 98129-3618

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo prepara a compra de pílulas da Pfizer contra Covid

Foto: Divulgação / REUTERS

Em meio ao avanço de casos positivos de Covid-19 no Brasil, motivado pela disseminação da variante Ômicron, o Ministério da Saúde avalia a possibilidade de comprar a pílula antiviral Paxlovid contra o coronavírus, fabricada pela Pfizer.

O laboratório deve solicitar autorização para uso do novo medicamento à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nas próximas semanas.

De acordo com a farmacêutica, a pílula tem 89% de eficácia na prevenção de hospitalizações e mortes de pacientes de alto risco contaminados pelo novo coronavírus.

O medicamento deve ser tomado por cinco dias, logo após os primeiros sintomas da doença. O efeito da pílula bloqueia a replicação do vírus e impede a evolução da Covid-19 para quadros graves.

Fontes ligadas ao Ministério da Saúde informaram ao Metrópoles que a pasta estuda a possível compra do imunizante da farmacêutica. No entanto, ainda não há previsão de quando o país receberia doses do remédio nem do quantitativo de pílulas que poderiam ser enviadas ao Brasil.

Em conversa com a reportagem do Metrópoles por telefone, a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde informou que, para avançar nas tratativas e na avaliação de uso do Paxlovid na rede de saúde brasileira, é preciso que o medicamento tenha sua utilização e comercialização autorizadas pela Anvisa.

Caso a agência reguladora permita o uso emergencial do remédio, o Ministério da Saúde poderá recomendar que a pílula seja utilizada no Sistema Único de Saúde (SUS) sem a necessidade de análise prévia pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias ao SUS (Conitec).

Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. Só uma pergunta: Qual é o princípio ativo desse mediamento – Paxlovid da pfizer? Qual é o princípio ativo da ivermectina? Nada mais!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

ELEIÇÕES 2022: Os Dickson vão se dividir entre o PSDB e o PP

O deputado estadual Albert Dickson confirmou que está de saída do PROS para o PSDB, partido que é presidido no Rio Grande do Norte pelo deputado Ezequiel Ferreira e ainda conta com os deputados Gustavo Carvalho, José Dias, Raimundo Fernandes e Tomba Farias, para disputar a renovação do mandato.

O parlamentar também confirmou que a mulher e deputada federal Carla Dickson está a caminho do PP, legenda presidida pelo deputado federal Beto Rosado.

O casal deve fazer dobradinha em partidos diferentes, mas manter a base eleitoral entre os evangélicos e a classe médica.

Opinião dos leitores

  1. Resumindo: pra onde o vento levar eles pulam do barco. Já viram que a canoa pode afundar. E os evangélicos ainda caem no canto da sereia…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Henrique Alves diz que MDB é a vida dele, mas atos recentes do político mostram o contrário

O ex-deputado e ex-ministro Henrique Eduardo Alves anunciou que será candidato a federal nas eleições do próximo ano com um discurso voltado para o partido, afirmando que o MDB é a sua vida e tudo mais. Contudo, as atitudes recentes dele mostram o contrário.

“O MDB é minha casa, minha história e minha vida”, disse.

Mas, a começar por 2018, eleições de destaque no RN, que tiveram palanques fortes, quando Walter Alves foi candidato a deputado federal pelo MDB, Henrique decidiu apoiar a candidatura de Benes Leocádio pelo PTC.

Na mesma eleição, o próprio Henrique também anunciou o voto em Tomba Farias, do PSDB, para deputado estadual.

 

 

Opinião dos leitores

  1. Quem conhece Henrique Alves de perto sabe bem: pense num cabra sem futuro. O sujeito quando vier a ser odiado dentro de sua própria casa e da sua família, já viu…. este sujeito é capaz de qualquer coisa para conseguir seus intentos. Sem escrúpulos.

  2. Será que ainda vai ter bobos pra votar nele??? será que já nao basta….? nao vejo os mesmos comentários direcionados a outros partidos?? pq será ? conivencia ou conveniencia??? ou estupidez mesmo?????

  3. Espero que o RN continue o que começou na eleição passada , ou seja , chega de Alves e Maias , duas famílias que sugaram no estado

  4. Bennes não ganha mais nem pra vereador em Lages, imagine pra deputado o cara não atende ninguém não faz nada por ninguém, ra de besta só a carinha dele viu, duvido ele ganhar

  5. tudo mentira, só para se beneficiarem do eleitorado que ainda fazem parte dos curais, que feio em ? besta quem ainda vai votar neles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *