Sete partidos dão apoio integral à Previdência no primeiro turno; PSL de Bolsonaro não está entre eles

A vitória folgada de 71 votos a mais do que o necessário para aprovar o texto-base da reforma da Previdência na noite de quarta-feira contou com a fidelidade de partidos que deram 100% de votos.

O MDB (34); o DEM, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (30); PTB (12); Cidadania (8); Novo (8); Patriota (5); e PHS (1 voto) votaram fechados a favor do texto.

O PSL, do presidente Jair Bolsonaro, só não gabaritou os 53 votos porque um dos deputado General Girão (PSL-RN) estava licenciado com problemas cardíacos. O parlamentar passou por uma cirurgia recente no coração e ainda está se recuperando.

O Podemos entregou 10 votos da bancada de 11 porque um dos deputados também estava ausente.

O PSDB (28 votos), que fechou questão a favor da reforma, acabou tendo uma dissidência. Partidos do “Centrão” como PL (37 votos), PP (36 votos), PSD (34 votos) e PRB (29 votos) foram decisivos para a vitória, mais de 90% dos votos a favor da reforma. O PL só não gabaritou a favor da reforma por conta da defecção do deputado Tiririca, que votou contra.

Na oposição, PT (54 votos), PSOL (10 votos), PCdoB (8 votos) e Rede (1 voto) votaram contra a reforma. Já o PSB e o PDT racharam. No PSB, 11 deputados votaram a favor da reforma (21 contra). No PDT, oito votos a favor (19 contra).

O texto-base foi aprovado na noite de quarta-feira (10), por 379 votos a favor e 131 contra. Após a aprovação do texto-base, os deputados votaram o primeiro destaque (que mudava regra de aposentadoria de professores; leia mais abaixo), rejeitado pelos parlamentares. Em seguida a sessão foi encerrada. Na noite desta quinta-feira, eles analisam os outros destaques.

Estadão Conteúdo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wanessa disse:

    Tentando entender essa matéria ridícula! Não houve unanimidade no psl? Ah claro. Tem um parasita do bolsonaro operado! Esses jornalistas acham que produzindo esse tipo de matéria gera aceitação desse governo desastroso. Vergonha!

  2. Rivanaldo disse:

    .. Bolsonaro dá embaixada em Whashington para seu filho Eduardo.. Filho de Mourão é promovido no Banco do Brasil pela segunda vez no ano.. o Gov q defende a família.. Essa é a nova política.

    • Anti-Político de estimação disse:

      Políticos profissionais de esquerda, de direita e de centro, agirem assim não me assusta. O que me deixa realmente estarrecido é a quantidade de idiotas que aplaudem, apoiam e sustentam esses parasitas profissionais.

  3. Vitor Silva disse:

    Estranho é um povo que não quer se aposentar, porque é coisa de comunista.
    Não quer universidade pública, porque é coisa de comunista.
    Não quer direitos trabalhistas, porque é coisa de comunista.
    Mas quer criança trabalhando, porque é coisa de gente “do bem”…E Lula? E o PT? Rsrsrsrs

COMENTE AQUI