MPRN emite nota em “resposta” às críticas do Sindicato dos Jornalistas

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) emitiu uma nota em resposta ao Sindicato dos Jornalistas (Sindjorn), que criticou a postura da instituição em privilegiar o Fantástico na divulgação de informações sobre a Operação Novos Rumos, que prendeu policiais acusados de se utilizar da função para praticar crimes.

Confira aqui a nota do Sindjorn e abaixo a resposta do MPRN.

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, em razão da nota emitida pelo SINDJORN, em que critica o tratamento da informação por parte do Ministério Público em relação aos órgãos da imprensa local, presta os seguintes esclarecimentos:

1- A política de comunicação do Ministério Público tem como premissa a publicidade de seus atos, salvo nas hipóteses de sigilo, decorrentes de lei ou de decisão judicial;

2- Na mesma linha, compreendemos que a população tem o direito de ser informada sobre os fatos de interesse público e o Ministério Público tem o dever de prestar essas informações, sendo a imprensa, ao longo dos anos, o esteio e o instrumento por excelência para alcançar essa finalidade;

3- Os profissionais da imprensa potiguar são dotados de competência e credibilidade, e não existem razões de ordem pessoal ou individual que possam inviabilizar um relacionamento institucional do mais alto nível profissional, nem abalar o firme compromisso do Ministério Público de franquear a informação de maneira universal aos mais diversos órgãos de imprensa;

4- É da natureza do jornalismo a descoberta e a investigação de fatos, que muitas vezes desencadeia a atuação do próprio Ministério Público, e não concebemos, de fato, um Estado Democrático de Direito sem uma imprensa forte, independente e livre para informar.

5- É natural que no relacionamento entre o MPRN e a Imprensa ocorram eventuais desentendimentos, decorrentes de visões diversas sobre os processos a serem adotados para comunicar fatos de interesse público, o que reforça a necessidade de diálogo que permita o aperfeiçoamento das práticas em benefício do direito à informação do cidadão.

6- Estamos dispostos a discutir a melhoria da interlocução com a imprensa, colocando-nos à disposição do SINDJORN para alcançar esse fim.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jose Mané disse:

    ZERO NA EXPLICAÇÃO. NAO JUSTIFICA

  2. Junior pinheiro disse:

    Que tal holofotes nacionais,vai trocar é? TEM MENINO NAO!!!????

  3. Manoel disse:

    Claro que entre uma reportagem na Globo e uma local eles privilegiam a Globo. Isso acontece faz 100 anos. Jornalismo daqui quase sempre tà ligado com politico. Melhor a Globo nacional mesmo.

  4. Emmanuel disse:

    Essa nota do MPRN não explica nada.

WIKIPÉDIA-DENÚNCIAS: Oposição pede para PGR investigar alteração nos perfis de jornalistas

A oposição pediu nesta sexta-feira (8) para a PGR (Procuradoria-Geral da República) investigar a alteração feita por computadores do Palácio do Planalto nos perfis dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia, espécie de enciclopédia virtual.

Reportagem do jornal “O Globo” afirma que um IP da Presidência da República foi usado na Wikipédia para fazer as alterações. O IP é uma espécie de identidade digital que permite saber de onde partiram as modificações -que, nesse caso, saíram de computadores da Presidência.

Líder do PPS, o deputado Rubens Bueno (PR) argumenta na representação encaminhada ao Ministério Público que servidores do Planalto cometeram crimes de desvio de conduta funcional e falsidade ideológica, entre outros, que precisam ser investigados. Além do PPS, o PSDB também promete ingressar com representação para apurar o fato.

“Essa alteração dos perfis dos jornalistas é mais um exemplo de como o PT usa a máquina pública para atacar o contraditório, a opinião isenta. O mais grave é que isso foi feito dentro do Palácio do Planalto. Por isso, estamos pedindo ao Ministério Público que apure com rigor mais este absurdo, apontando os responsáveis”, afirmou Bueno.

Presidente do DEM, o senador José Agripino Maia (RN) disse à reportagem que o fato traduz o “temor” do governo em relação às pessoas que traduzem a sua política econômica. “Esses jornalistas são experts em passar uma linguagem compreensível da economia. Isso traduz o temor que o governo tem de que pessoas expliquem ao povo o que está por trás da economia”, afirmou.

Agripino disse que a prática é um “bolivarianismo venezuelano” que é inadmissível em um país como o Brasil. “Isso é assemelhado ao que ocorreu com o episódio do banco Santander. É uma escalada de presunção e prepotência como nunca visto.”

Segundo o jornal “O Globo”, no perfil de Miriam Leitão foi incluída a informação de que suas análises sobre a economia brasileira são “desastrosas” e que ela teria feito a defesa de banqueiros como Daniel Dantas.

Em relação a Sardenberg, o equipamento do Planalto adicionou que ele é irmão de Rubens Sardenberg, presidente da Febraban (Federação Brasileira dos Brancos), uma instituição que teria “interesse na manutenção dos juros altos no Brasil”, além de que o jornalista teria cometido “erros notáveis” em suas análises.

De acordo com o jornal, o Planalto afirmou que “o número do protocolo de internet (IP) citado pela reportagem é o endereço-geral do servidor da rede sem fio do Palácio do Planalto. Isso significa que qualquer pessoa que utilizou essa rede via internet móvel terá como endereço de saída este número geral de IP. Por isso, não é possível apontar com segurança a identidade de quem alterou os textos citados pela reportagem a partir deste número de IP em maio de 2013”.

TEMER E IDELI

O mesmo endereço de IP registrado em nome da Presidência, que foi usado para editar a página do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha na Wikipédia, atuou para retirar informações possivelmente constrangedoras das páginas do vice-presidente Michel Temer (PMDB) e da secretária de Direitos Humanos Ideli Salvatti.

No primeiro caso, a página de Temer sofreu alterações em relação à biografia de sua mulher, Marcela Temer. Foram retiradas a idade e a informação de que, antes de se casar com o vice-presidente, ela foi candidata a miss em Paulínia (a 117 km de São Paulo).

O computador da Presidência também foi usado para retirar a informação de que Temer é membro da maçonaria. Ambas as mudanças no texto foram feitas em outubro do ano passado, mas somente a primeira não foi revertida.

No caso de Ideli, foi retirada a informação de que ela votou a favor do arquivamento de ações contra o senador José Sarney (PMDB-AL) na Comissão de Ética da Casa, em 2009. Também foi suprimida uma frase que a ministra disse à época: “Vou ser triturada politicamente”. Ambas as mudanças, feitas em janeiro deste ano, foram posteriormente revertidas por editores da Wikipédia.

Onze computadores do governo federal foram usados para fazer alterações em páginas da Wikipédia, entre elas uma de dentro da Presidência a favor do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, conforme a Folha de S.Paulo revelou no dia 28 de julho.

A conexão à web da Presidência foi usada para retirar trecho sobre suspeitas de corrupção na Funasa (Fundação Nacional da Saúde) quando Padilha era diretor do órgão, e incluir elogio ao programa Mais Médicos. “Com o sucesso do Mais Médicos, Padilha se torna um dos pré-candidatos petistas à disputa pelo governo de São Paulo em 2014”, dizia o texto.

Folha Press

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zé Ninguém disse:

    A oposição está mesmo sem pauta. Ainda não conhecemos suas propostas e suas ações não passam de futricas de quem chafurda no lixo em busca de assunto pra fazer zoada. Lamentável… kkkkkkkkkkkkkkk

Jornalistas e funcionários são liberados de prédio da CMN após negociação com manifestantes

Representantes do Sindicato dos Jornalistas negociaram a saída de cerca de oito profissionais da área e alguns funcionários da Câmara Municipal.

Eles estavam sem poder sair da área interna do prédio, impedidos por cerca de 30 manifestantes, que exigiam a divulgação de imagens durante o protesto.

A saída dos profissionais foi pacífica, sem qualquer registro de ânimos acirrados.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Diniz Sobrinho disse:

    Enquanto baderna for resolvida por intermédio de negociação o Brasil não segue em frente . Veremos

Brasil é 3º do mundo em número de jornalistas mortos

O Brasil já registrou em 2013 o assassinato de quatro jornalistas. É o terceiro país com maior número de mortes de profissionais de imprensa no exercício da função, segundo a Press Emblem Campaign, entidade com sede em Genebra e que defende a criação de regras internacionais para proteger jornalistas em zonas de guerra. A liderança é do Paquistão, com nove jornalistas assassinados.

Estadão

Governadora toma café com a imprensa para fazer balanço da gestão, mas não chama o BG

Está em todos os blogs, sites de notícia, rádios, em todos os cantos. A governadora Rosalba Ciarlini aproveitou a manhã desta terça-feira (27) para tomar um café da manhã com os amigos da imprensa com um único objetivo: fazer um balanço do primeiro ano a frente do Executivo estadual.

O interessante é que o blog não foi convidado para o evento. Será que por prevenir evitar as perguntas ácidas? Espero que não. Afinal, ela é a governadora e o blog é um humilde veículo de comunicação. É por essas e outras que o blog lamenta a falta de convite. Não por vaidade vaidade pessoal pela presença na comilança farta, mas pela falta de oportunidade de fazer algumas perguntas mais ácidas, como de costume.

Como o blog ficou de fora, não pode fazer um balanço oficial do encontro, de forma mais imparcial, mas pelo que vi os dois únicos temas mais polêmicos foram o recente decreto que proíbe piquetes e manifestações do Centro Administrativo e o emperrado projeto de mobilidade urbana da avenida Engenheiro Roberto Freire. Sobre o decreto, a Rosa já disse que não pretende revogar, no máximo rever alguns pontos. Para mobilidade, ela pediu mais tempo porque o que foi feito foi um novo projeto visando os próximos 20 anos e não apenas para a mobilidade de olho na Copa do Mundo FIFA 2014.

Desde já o blog tranquiliza os amigos do interior que se sentiram excluídos da mesma forma que o BG. A Assessoria de Comunicação Social do Governo do RN (Secom) realizará outros dois encontros da governadora Rosalba Ciarlini com jornalistas e comunicadores. Um em Caicó e outro em Mossoró, em datas a serem agendadas.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Lamentável, caro Bruno Giovanni! Continue nos informando sempre com imparcialidade!
    A sociedade agradece. Espero que meios de comunicação como o seu tenham espaço nas próximas vezes.

Jornalistas surtam e 100 vão parar no Walfredo Gurgel

O Hospital Regional Walfredo Gurgel recebeu pelo menos cem jornalistas, fotógrafos e editores ao longo do dia de hoje acometidos por sérios problemas cerebrais diante das intensas pautas registradas desde o fim de semana. 60% são estagiários.

Sem espaço para tanta gente, o secretário estadual de Saúde, Domício Arruda, inaugurou às pressas um novo corredor para abrigar os profissionais. Alguns enviaram fotos e textos das condições precárias do corredor oferecidos a ele.

“Tem um corredor do outro lado com wi-fi, e aqui não tem. E o pior é que a conexão da TIM aqui é falha”, protestou um enquanto tentava emplacar um lide.

Desde segunda-feira, uma série de eventos tem tirado a paz desses profissionais. “Primeiro foi o Ipem e agora tem esses lances aí do cartel de combustíveis, a rebelião em Alcaçuz”.

O Sindjorn programou para amanhã uma assembleia da classe. “Como é muito difícil a gente reunir os jornalistas, vamos aproveitar que estão vários estão internados aqui para realizarmos uma plenária”, comentou um membro do sindicato.

Alguns estagiários precisaram ser removidos para o João Machado.

*Todos os textos da tag Sátira são criações deste blog