Advogados de Lula vendiam “influências e compadrios”, diz MP

Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo – 05/04/2018

Procuradores do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro concluíram um documento que será encaminhado à ONU nos próximos dias. Nele, os advogados Cristiano Zanin e Roberto Teixeira são acusados de liderarem um esquema criminoso que tinha como objetivo desviar dinheiro público. Zanin e Teixeira defendem o ex-presidente Lula nos processos que ele responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Para o MP, essa é a atividade visível dos advogados. A outra, oculta, consistia em vender influência nos tribunais.

O documento, assinado por 12 procuradores da Lava-Jato, é uma resposta à uma representação que os advogados do ex-presidente impetraram na ONU. Zanin e Teixeira, investigados na Operação E$quema S, que apura fraudes na Fecomércio, se dizem vítimas de perseguição, intimidação e assédio judicial por parte do MP. Os advogados questionaram também a independência do juiz Marcelo Bretas.

A ONU, em resposta, pediu providências ás autoridades brasileiras, avaliando que a informação recebida seria suficientemente confiável. O relator do caso, Diego García-Sayán, se disse especialmente preocupado com os relatos sobre a conexão que existiria entre a perseguição judicial denunciada e o fato de Zanin e Teixeira defenderem o ex-presidente Lula.

Em resposta, os procuradores reafirmam a licitude das investigações e detalham a Operação E$quema S, que envolve outros personagens, inclusive com ligações políticas opostas às de Zanin e Teixeira. “ Nunca houve matizes ideológicas ou partidárias na atuação desta Força-Tarefa, que investiga e processa fatos ilícitos que remontam a uma corrupção estruturada e arraigada há décadas no Estado do Rio de Janeiro, com repercussão nacional”, diz o documento. “Perceba-se, inclusive, que as organizações criminosas imputadas por esta Força-Tarefa ao Sr. Sérgio Cabral Filho e ao Sr. Michel Temer, e desdobramentos investigativos daí advindos, estão, no campo político, indiretamente relacionadas às suas atuações como mandatários de altos cargos públicos e lideranças nacionais do partido MDB, que historicamente é oponente ao PT ”.

O MPF diz que o esquema criminoso liderado por Teixeira e Zanin valia-se de falsos contratos com escritórios de advocacia, onde os serviços declarados não eram efetivamente prestados, mas remunerados a título de supostos honorários que, na verdade, retratavam “desvios e apropriação de verbas públicas”. Os procuradores chamam a narrativa de Teixeira e Zanin de “fantasiosa e irresponsável” e os acusa de apresentaram uma “construção de uma narrativa canhestra que esses réus fizeram perante a ONU com a finalidade de lançarem uma cortina de fumaça sobre crimes gravíssimos, em relação aos quais são acusados de serem coatores”.

“No caso concreto, os riscos à independência e à credibilidade do Judiciário, das prerrogativas da advocacia e dos julgamentos justos podem de fato estar presentes na operação E$quema S, mas não sob a lupa ardilosamente apontada pelo Sr. Roberto Teixeira e pelo Sr. Cristiano Zanin Martins, e sim por aquilo que ela tem revelado e que traduz, no mínimo, o exercício estrutural de uma “advocacia” que vende “proximidades”, “prestígios”, “compadrios”, “influências” e “promessas”, até mesmo de decisões judiciais favoráveis a quem dispõe de poder econômico para comprá-las”.

E concluem: “É, portanto, absolutamente esdrúxula e vazia a versão conspiratória apresentada às Nações Unidas pelo Sr. Roberto Teixeira e pelo Sr. Cristiano Zanin Martins, que, ao revés de exercerem o seu legítimo direito de defesa pelo uso de pródigos recursos disponíveis na legislação brasileira, buscam vias heterodoxas para artificializar narrativas e alcançar vitimização e blindagem contra a possível punição por atos criminosos pelos quais vêm sendo acusados pelo Ministério Público Federal”. O documento do MP do Rio foi encaminhado ao procurador-geral da República Augusto Aras.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Rapaz…. ia tudo até bem, mas qdo os procuradores tentaram justificar que que não existia "matizes ideológicas ou partidárias na atuação desta Força-Tarefa", e usaram o PMDB, que sempre é governo, como antagônico ao PT, pegou mal, muito mal.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. PEDRO VERDADEIRO. disse:

    Parabéns Pixuleco, somos todos falíveis, fui outra eleitor de Lula e defensor do PT, infelizmente as coisas saíram do que eu previa, entramos todos num engodo político contínuo, mensalão, Petrobras, imóveis, luxo excessivo, filhos riquinhos, amizades suspeitas, confissões irrefutaveis, desavenças, enfim, muita coisa provada e desanimadora. Não sou defensor intransigente de ninguém, sei dos arroubos e discursos fora do contexto do atual presidente, que inúmeras vezes não se mostra a altura do cargo, mais convenhamos, roubo dele ainda não, se ocorrer, vai levar cacete. Os desvios dos seus filhos, devem ser apurados e punidos na forma da lei, estou ou estamos cansados dessa política sebosa e destruidora, onde nos pobres mortais somos os otários.

  3. nasto disse:

    Até os advogados roubavam com ele. Eita Brasilllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll.
    Como tem LADRÃO NESSE PAISSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS.
    Ou QUADRILHA sem FIMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM.
    Todos na PAPUDA por pelo menos 20 ANOS.

  4. PEDRO VERDADEIRO. disse:

    Vixe ! Pensei que a Anta era só burra, nove dedos apenas mentiroso e rico……masss, o engomadinho e enroladinho fraco ser ladrão ?????? Isso vai ceder mais.

  5. Pixuleco disse:

    4 anos de lava-jato, ontem mais uma operação, e apareceu outra ponta do novelo. Já começo achar que não foi armação e realmente lula é realmente um chefe de quadrilha.

    • Antônio Soares disse:

      Kkkkkkkkk
      Tá descobrindo agora. Só acredita nesse ladrão quem for doido ou da quadrilha dele.

COMENTE AQUI