Brasil gasta com folha de pagamento de servidores 3,5 vezes mais do que com saúde

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O Brasil gastou com a folha de pagamentos dos servidores públicos 3,5 vezes mais do que com a saúde e o dobro com educação, aponta diagnóstico do Instituto Millenium que lança nesta segunda-feira a campanha “Destrava” para pressionar pela aprovação da reforma administrativa, que prevê uma reestruturação do RH do Estado, pelo Congresso até o fim do ano.

Em 2019, foram desembolsados R$ 928 bilhões para pagar servidores públicos federais, estaduais e municipais das três esferas do Poder, o equivalente a 13,7% do Produto Interno Bruto (PIB). Enquanto os gastos com saúde somaram 3,9% do PIB, a educação recebeu 6% do PIB, de acordo com os cálculos do instituto.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou a anunciar, no início do ano, que a proposta estava pronta, mas o presidente Jair Bolsonaro engavetou o texto e desistiu de encaminhá-lo ao Congresso, após pressão do funcionalismo público e parlamentares com vínculo com servidores.

Entre as mudanças que a equipe econômica propôs a Bolsonaro estavam a redução no número de carreiras, que ultrapassa 300, e a restrição da estabilidade apenas para algumas carreiras de Estado, depois de dez anos de estágio probatório.

O Millenium, um think tank (centro de pensamento) brasileiro de inspiração liberal, traçou uma radiografia do desempenho e eficiência dos servidores públicos no País, em parceria com a consultoria de Data Science ODX. O estudo, ao qual o Estadão teve acesso, foi feito com uso de tecnologias de inteligência artificial e técnicas de análise de big data (capacidade de retirar valor de uma grande quantidade de dados em velocidade rápida). Analisa os encargos da máquina pública com pessoal nos últimos 30 anos, os impactos do engessamento orçamentário com pessoal e o grau de urgência reforma administrativa.

Depois do envio da primeira parte da reforma tributária pelo governo, a pressão pela aprovação da reforma administrativa se intensificou junto com a pressão por aumento de gastos, queda dos investimentos, crescimento da dívida pública e risco de flexibilização do teto de gastos – a regra que trava o crescimento das despesas à variação da inflação.

Reforma Administrativa

A apresentação da proposta de reforma administrativa é considerada uma prerrogativa exclusiva do Executivo. Ao Estadão, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou do governo a proposta para que a Casa possa começar a discutir o texto para se evitar uma “gambiarra fiscal” nesse momento de crise.

“O gasto com pessoal drena recursos, que iriam para os investimentos, públicos e pressiona a dívida pública, que permanece com viés de alta, mesmo com a inflação e a taxa básica de juros controladas”, diz Priscila Pereira Pinto, CEO do Instituto Millenium.

Segundo Priscila, o instituto decidiu encabeçar a campanha porque, com a crise econômica provocada pela covid-19, o Estado brasileiro “está quebrando” e recolhendo cada vez menos impostos. Na sua avaliação, não adianta pensar somente em reforma tributária e privatizações.

“O Millenium acha importante voltarmos a pressionar o governo tanto o Executivo como o Legislativo a retomar a conversa da reforma administrativa”, diz. Ela alerta que o gasto com o funcionalismo vem aumentando e não houve corte no meio da pandemia, enquanto os trabalhadores do setor privado sofreram muito. Segundo dados oficiais do governo, 9,5 milhões de trabalhadores tiveram o contrato suspenso ou o salário reduzido por causa dos efeitos da covid-19 na economia. A taxa oficial de desemprego no País subiu para 13,3% no trimestre encerrado em junho, atingindo 12,8 milhões de pessoas, com um fechamento de 8,9 milhões de postos de trabalho em apenas três meses em meio aos impactos da pandemia.

Pelo diagnóstico do instituto, dos 63,7 milhões de brasileiros que compõem a população ocupada, estima-se que 11,4 milhões tenham algum tipo de vínculo empregatício direto com o setor público (entre os celetistas mais estatutários). Hoje, os servidores públicos estatutários têm direito à estabilidade após três anos de efetivo exercício, desde que aprovados em avaliação de desempenho. Quem faz concurso para empresas e sociedades de economia mista é chamado de empregado público e está submetido ao regime jurídico estabelecido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O funcionalismo público é composto 9,77 milhões de funcionários, o que representa 21% dos 46 milhões de postos formais existentes atualmente no Brasil.

O levantamento mostra que o patamar médio de salários do funcionalismo público federal coloca seus servidores no grupo dos 6% mais ricos, portanto, menos expostos à chamada regressividade do sistema tributário brasileiro(quadro que evidencia que quem ganha paga proporcionalmente menos impostos). A crítica é que essa situação faz com que as atuais regras do serviço público atuem como um distribuidor de renda às avessas, ou seja, um formato que acentua desigualdades sociais.

Só em 2019, os mais de 605 mil funcionários federais civis, por exemplo, custaram R$ 319 bilhões de reais, 21 vezes mais do que os recursos investidos em saneamento (abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto).

O estudo também escancara a disparidade em relação à iniciativa privada. Se as 30 ocupações estatutárias mais numerosas do serviço público recebessem a remuneração do seu equivalente no setor privado, haveria uma economia de aproximadamente R$ 15 bilhões por mês aos cofres públicos, segundo os cálculos do estudo.

Para Priscila, fica claro também a ineficiência do sistema de avaliação: 95% dos funcionários recebem bonificação máxima por seu desempenho. Das 440 rubricas salariais, 369 não têm equivalência no setor privado.

Estadão Conteúdo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zanoni disse:

    E os desvios milionários realizados por políticos, quanto consomem dos cofres públicos? E as rachadinhas?

STJD defere pedido do Goiás e suspende jogo contra o São Paulo após 10 atletas do clube goiano testarem positivo para o coronavírus


Foto: GE

O jogo entre Goiás e São Paulo, que deveria acontecer neste domingo (9), às 16h, em Goiânia, está suspenso. A decisão foi comunicada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

O presidente do órgão, Otávio Noronha deferiu o pedido do clube goiano para não entrar em campo após os casos de Covid-19 detectados no elenco esmeraldino., foram 10 no total. O atletas que testaram negativo chegaram a entrar no gramado para se aquecer.

Bolsonaro diz que “não faltaram recursos” no combate à covid e que “grande rede de TV só espalhou o pânico”

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Em publicações nas redes sociais neste domingo (9), o presidente Jair Bolsonaro disse que “não faltaram recursos, equipamentos e medicamentos para estados e municípios” no combate à Covid-19 no Brasil.

Ele afirmou também que “não se tem notícias, ou seriam raras, de filas em hospitais por falta de leitos UTIs ou respiradores” durante a pandemia no país.

O presidente citou dados do Reino Unido para analisar as mortes pelo novo coronavírus no país. “O Lockdown matou 2 pessoas para cada 3 de Covid no Reino Unido. No Brasil, mesmo ainda sem dados oficiais, os números não seriam muito diferentes”.

Também não faltaram críticas ao editorial do Jornal Nacional e à Rede Globo. Bolsonaro se referiu à emissora como aquela  “grande rede de TV que só espalhou o pânico na população e a discórdia entre os Poderes”.

Na sequência, o presidente afirmou que “de forma covarde e desrespeitosa aos 100 mil brasileiros mortos, essa TV festejou essa data no dia de ontem, como uma verdadeira final da Copa do Mundo, culpando o Presidente da República por todos os óbitos”, escreveu em referência ao editorial do Jornal Nacional no sábado (8).

Veja o texto do presidente Jair Bolsonaro na íntegra:

– No Reino Unido, o Departamento de Saúde estima que 16 mil pessoas morreram das mais diversas formas, por não terem acesso ao Sistema de Saúde, devido à pandemia, enquanto 25 mil morreram de Covid-19.

– Conclui-se que o Lockdown matou 2 pessoas para cada 3 de Covid no Reino Unido. No Brasil, mesmo ainda sem dados oficiais, os números não seriam muito diferentes.

– Lamentamos cada morte, seja qual for a sua causa, como a dos 3 bravos policiais militares executados em São Paulo.

– Quanto à pandemia, não faltaram recursos, equipamentos e medicamentos para estados e municípios. Não se tem notícias, ou seriam raras, de filas em hospitais por falta de leitos UTIs ou respiradores.

– Muitos gestores e profissionais de saúde fizeram de tudo pelas vidas do próximo, diferentemente daquela grande rede de TV que só espalhou o pânico na população e a discórdia entre os Poderes.

– No mais, essa mesma rede de TV desdenhou, debochou e desestimulou o uso da Hidroxicloroquina que, mesmo não tendo ainda comprovação científica, salvou a minha vida e, como relatos, a de milhares de brasileiros.

– A desinformação mata mais até que o próprio vírus. O tempo e a ciência nos mostrarão que o uso político da Covid por essa TV trouxe-nos mortes que poderiam ter sido evitadas.

– De forma covarde e desrespeitosa aos 100 mil brasileiros mortos, essa TV festejou essa data no dia de ontem, como uma verdadeira final da Copa do Mundo, culpando o Presidente da República por todos os óbitos.

– Estão com saudades daqueles governantes que sempre os colocavam como prioridade ao fazer o Orçamento da União, mesmo sugando recursos da saúde e educação.

– DEUS, PÁTRIA e FAMÍLIA.

Com informações da CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joao disse:

    Engraçado todo mundo falando da globo. E todo mundo assistindo papinha que só passa violência o problema são as pessoas que não querem enxergar a gravidade do covid por defender seu politico de estimação. Só um exemplo é quando acontecem um crime ou acidente é um exame de gente olhando. É simples muda de canal afinal para que serve um controle remoto.

  2. Zanoni disse:

    Tranquilo, Bozonaro! Agora, o Governo Federal terá Temer como representante no Líbano.

  3. Observador RN disse:

    Concordo em gênero, número e grau #globolixo. Tenho prova dessa disseminação do pânico na minha família. Como disse o nosso Ministro das Comunicações, comemoraram como se fosse o milésimo gol do Pelé.

  4. Soraya disse:

    100 mil mortos Mito parabéns.

  5. Silva disse:

    A globo lixo vai acabar feichando.
    Já não é mais a mesma.
    A essas alturas, já tem muita gente como adversário, coisa que não existia antes do governo Bolsonaro.
    É os novos tempos.
    Vamos acompanhar.

  6. Santos disse:

    Falta um cérebro humano no gerenciamento da crise, e um lider ba administração do recurso.

  7. Mito RN 2022 disse:

    E não faltou mesmo. O Véio Bolsonaro é duro.
    Não se faz copa sem estádios.

Ministro das Comunicações, Fábio Faria, faz críticas a “quem tem festejado o vírus” e cita ações do governo no combate à pandemia

O Ministro das Comunicações, Fábio Faria, usou seu perfil no Twitter na tarde deste domingo (9) para fazer críticas aos que “comemoraram” a morte de 100 mil brasileiros provocadas pela pandemia. “O que vimos ontem mais parecia a comemoração do milésimo gol do Pelé”, escreveu. E conclamou questionando, “quando vamos nos unir como brasileiros?”.

Na sequência de tweets, o ministro disse que “estamos todos sofrendo com as mortes” e exaltou o fato de que mais de 2 milhões de brasileiros foram curados.

Fábio citou ainda diversas ações do governo federal visando combater a pandemia, como o envio de recursos financeiros e equipamentos aos estados e municípios e falou também sobre o auxílio emergencial e a manutenção de empregos.

Sem citá-lo diretamente, fez críticas ao ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta que falou que “teríamos tanques do Exército nas ruas para carregar corpos”, o que não se concretizou.

Ao final, novamente pediu união, “especialmente a quem tem festejado o vírus”, e desejou “que possamos sair dessa mais fortes como nação e como seres humanos”, disse o ministro.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vanubia disse:

    Vdd Ministro, sábias palavras

  2. Juliano bugueiro disse:

    Quando chega a nova revista Jequiti?

  3. Jose de Arimatea Lopes Fernandesdes disse:

    Se continuaremos politizando esse vírus, corremos o risco de antes do fim do ano chegarmos aos 200.000 mortos.
    É melhor aprendermos com essa história, corrigir os erros apontado e comemorar um fim do ano , com Vitória da vida sobre a covid.

  4. Santos disse:

    Nunca essa expressão coube tão bem como agora:
    Conversa pra boi dormir.

  5. Eu disse:

    Resistência armada as medidas, invasão de hospitais, negação da gravidade, falta de exemplo no uso de mascara, promoção de aglomeração, falta de diálogo com os outros entes.

    • Observador RN disse:

      Esqueceu da liminar do STF que dava autonomia a governadora para conduzir a situação, a compra de respiradores pelo consórcio Nordeste (esperando até agora), e da recomendação de só procurar ajuda só quando faltar o fôlego. #hipocrisiapura

  6. Mito RN 2022 disse:

    A grande mídia lixo ou Globolixo tá propagando aquilo que ela é desgraça.

  7. Observador RN disse:

    Sábias palavras meu conterrâneo Ministro, também tive a mesma impressão de V. Sa.

Papa Francisco envia doação inicial de 250 mil euros para ajuda ao Líbano

Foto: EFE/EPA/VATICAN MEDIA

O papa Francisco enviou, através do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, uma doação inicial de 250 mil euros para ajudar o Líbano após a grave explosão ocorrida em Beirute, capital do país, na última terça-feira, 04.

“Estamos enviando esta ajuda para atender às necessidades da Igreja libanesa nestes momentos de dificuldade e sofrimento. Esta doação quer ser um sinal da atenção e proximidade de Sua Santidade à população afetada e de sua proximidade paterna às pessoas que estão em sérias dificuldades”, afirmou o dicastério, criado pelo papa em 2016, em comunicado.

A ajuda foi processada através da Nunciatura Apostólica de Beirute e será utilizada para ajudar os atingidos pela terrível explosão no porto da cidade, que causou várias mortes e deixou centenas de milhares de feridos e desalojados. A nota explica que a Caritas Líbano, a Caritas Internationalis e várias organizações parceiras já deram uma resposta inicial de ajuda de emergência.

“Oremos para que, com o compromisso de todos os seus componentes sociais, políticos e religiosos, (o Líbano) possa enfrentar este momento trágico e doloroso e, com a ajuda da comunidade internacional, superar a grave crise que está atravessando”, afirmou o pontífice durante a audiência geral.

Jovem Pam com informações da EFE 

Exportações do RN têm queda de 37,6% no primeiro semestre deste ano

Foto: Aldair Dantas

As exportações do RN recuaram 37,6% nos seis primeiros meses de 2020 em comparação com o mesmo período de 2019.

Os dados são do Centro Internacional de Negócios (CIN-Fiern). Os produtos que tiveram maior queda nas exportações foram:

Castanha de caju: -65,6%

Querosene de aviação: -65,5%

Melancia: -43,4%

Tecidos de Algodão: – 40,3%

Melão: 39,4%

Vale salientar que este percentual considera a inclusão de itens extraordinários enviados aos EUA no 1º semestre de 2019 o que provocou um aumento das exportações do RN no período. Sem estas exportações, o percentual de redução seria de 19%. O principal fator para esta queda nas exportações potiguares é a pandemia do novo coronavírus que causou uma redução no consumo de itens como frutas e peixes.

Balança comercial do RN

Exportações de Janeiro a Junho de 2019: US$ 205,2 milhões
Exportações de Janeiro a Junho de 2020: US$ 127,9 milhões

Com informações da Tribuna do Norte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. CIDADAO55 disse:

    Lamentável ver o RN ruir e o governo, os deputados e senadores ficarem TODOS APÁTICOS.
    Nosso povo não merece isso!

Igreja Bom Jesus informa reabertura dia 24 de agosto

Imagem: reprodução/Instagram

A Paróquia do Bom Jesus das Dores, na Ribeira, confirma reabertura da Igreja Bom Jesus no próximo dia 24 de agosto. Em comunicado feito através das redes sociais a paróquia informou que publicará  nos próximos dias as orientações sobre o funcionamento e a retomada das Missas e outras celebrações, com seus respectivos horários.

Até a reabertura, a missas continuarão sendo celebradas e transmitidas diariamente, às 18h.

Os fiéis que desejarem mais informações, podem dirigir-se à Secretaria Paroquial (pessoalmente ou por telefone), de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h.

Operação Lei Seca autua 29 motoristas em blitz na Av. Ayrton Senna

Foto: reprodução

Vinte e nove motoristas foram autuados em uma barreira itinerante montada pela Operação Lei Seca na madrugada deste domingo (9). A blitz foi realizada na Av. Ayrton Senna, perto do Colégio Salesiano Dom Bosco, em Parnamirim.

Ao todo, foram abordados 119 veículos. Destes, 103 passaram por testes de bafômetro, com 16 motoristas autuados por se recusarem a soprar o equipamento e mais cinco crime de embriaguez. Outros oito motoristas também foram autuados por outras infrações.

Agora RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zanoni disse:

    29 X R$ 3.000,00= R$ 87.000,00. Quem estiver errado, tem que ser punido mesmo.

  2. Manoel C. disse:

    Isso sem o Senador a frente.

  3. Santos disse:

    Arroche!

Brasil dividido: 48% querem tirar Bolsonaro e 47% o preferem no cargo


Foto: Sergio Lima/Poder 360

Pesquisa PoderData mostra que 48% dos brasileiros acham que o presidente Jair Bolsonaro deve deixar o comando do país. O percentual se manteve estável em relação ao último levantamento, feito de 20 a 22 de julho. Passou de 48% para 47% em duas semanas.

O apoio para que Bolsonaro fique no cargo, no entanto, cresceu no período. Foi de 43% para 47%. De acordo com o PoderData, 32% aprovam o presidente e 41% o rejeitam.

Entre os que acham o presidente deve continuar no Planalto, 97% o avaliam seu trabalho como “ótimo” ou “bom”. Os que avaliam como seu desempenho como “ruim ou péssimo” são só 6%.

Já entre os que acham que Bolsonaro deve deixar o governo, 92% rejeitam sua gestão. Só 2% aprovam o trabalho do presidente.

A alta de 4 pontos percentuais da taxa de percepção de que Bolsonaro deve permanecer no governo vem no mesmo momento em que o presidente passou a evitar atritos com a mídia, adversários e integrantes dos outros Poderes da República.

A pesquisa foi realizada de 20 a 22 de julho de 2020 pelo DataPoder360, divisão de estudos estatísticos do Poder360, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 560 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Conheça mais sobre a metodologia lendo este texto.

Estratificação

O PoderData também mostra a percepção dos entrevistados por sexo, idade, escolaridade, região e renda.

Os que mais defendem que Bolsonaro deixe o governo são:

Mulheres: 57%;

Pessoas 60 anos ou mais: 55%;

Pessoas com ensino superior: 56%;

Moradores do Norte: 56%;

Quem recebe mais de 10 salários mínimos: 65%.

A permanência de Bolsonaro no Planalto é mais defendida por:

Homens: 59%;

Pessoas de 16 a 24 anos e de 25 a 44 anos: 50% cada;

Pessoas com ensino médio: 54%;

Moradores do Sul: 57%;

Desempregados e sem renda fixa: 54%.

Poder 360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PT Nunca Mais. disse:

    Se sair passa para os militares e pronto.
    O Mito fica.

  2. Dantas disse:

    Que porra de tantas pesquisas idiotas é essas??
    Data folha, agora é esse data poder??
    Homi o véi Bolsonaro é duro, o véi é duro e está estourado.
    Aceita que doí menos.
    Kkkkkkkkkk Bozo 2022 em primeiro turno.

  3. Deco disse:

    Tirar Bsonaro, como?
    Essa turma tá pensando que é casa de mãe Joana?
    Vão pras urnas e digam isso….
    Isso é conversa mole, papo pra boi dormir, conversa fiada, dessa impressa nanica… maus brasileiros, profetas do caos..

  4. SHOW DO MILHÃO disse:

    Quando tirar o auxílio emergencial vai sobrar só os fanáticos doentes inconsequentes.

  5. Roberto disse:

    O presidente é Bolsonaro.
    Não existe divisão.
    Existe perseguição por parte dos derrotados.

    • Frater Muar disse:

      Eu te benzo e te curo com bosta de burro!
      Parabéns, Roberto. Agora você faz parte da gloriosa FGHM.
      Seja bem vindo irmão.

  6. Aluísio Valença disse:

    A eleição desse ano é pra presidente? Cadê os candidatos a prefeito? Pesquisa de opinião pra presidente se faz em eleição pra presidente, ou no hospício Nacional agora nada faz sentido?

  7. Hits disse:

    Dividido nada. Essa narrativa não cola. É igual aos 70% kkkk

  8. riva disse:

    O presidente Bolsonaro tem sido o chicote na língua e no "espinhaço" da elite biriteira esquerdista que arrota socialismo comendo nas mesas fartas da corrupção capitalista. O povão cansou dos pavões confeccionados pela mídia venal. Ou muda o discurso, o que é difícil, já que encontrar um esquerdista humilde é como procurar agulha num palheiro, ou pegue mais quatro anos de chicote. Os tempos em que vivemos exigem menos birita e mais chá de humildade.

  9. Alex disse:

    Tirar? Como assim? , Um golpe? É muito fácil, 2022 nas urnas, fora disso é golpe da ESQUERDA.

  10. Santos disse:

    Por isso que o distanciamento social foi meia boca; por isso as críticas aos posicionamentos do presidente sobre a doença e a cloroquina.
    Olha aí…
    Está cristalino o tamanho da irresponsabilidade de suas declarações.
    Senhor, tende piedade de nós.

  11. Mito RN 2022 disse:

    O Véio Bolsonaro é duro.

    • Frater Muar disse:

      Eu te benzo e te curo com bosta de burro.
      Parabéns Mito RN
      Agora você faz parte da FGHM
      Seja bem vindo, irmão

  12. Mito RN 2022 disse:

    Já estava esquecendo , Feliz dia dos pais, papai Bolsonaro que Deus te cubra de bênçãos e te dê muitos anos de vida, força, coragem e determinação para governar esse país.

Governo Federal gastou até início de agosto 54% da verba destinada a ações contra a pandemia; maior fatia é do auxílio emergencial

Foto: reprodução

O governo federal desembolsou até o início de agosto R$ 275,14 bilhões para financiar as ações de combate ao novo coronavírus e de alívio dos reflexos da pandemia no país.

Esse valor corresponde a 53,95% do total do orçamento de R$ 509,97 bilhões já autorizados para gastos relacionados à pandemia.

Até o dia 5 de agosto, haviam sido pagos R$ 167,6 bilhões direcionados ao auxílio emergencial, o que equivale a 60,93% do total dos gastos.

Em segundo lugar está o auxílio financeiro do governo federal aos estados e municípios, cujo desembolso atinge R$ 30 bilhões, o equivalente a 10,93% do total desembolsado.

Os números foram obtidos em consulta ao Siga Brasil, ferramenta mantida pelo Senado em que é possível acompanhar a execução orçamentária e que dispõe de um espaço com informações específicas sobre os gastos relacionados ao enfrentamento do coronavírus. A última atualização dos números foi em 5 de agosto.

De acordo com o Siga Brasil, a ação do governo com maior desembolso até o momento é o pagamento do auxílio emergencial, destinado a garantir renda a trabalhadores informais afetados pelas medidas de restrição adotadas visando desacelerar o contágio pela Covid-19.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tonho da Lua disse:

    Viva Bolsonaro!
    Viva o auxílio emergencial!
    Dãããããããã

LIVES ELEITORAIS: Partidos querem liberação de “livemícios” em campanha eleitoral na pandemia

Mais de uma década depois da minirreforma eleitoral que vetou a realização de showmícios, a possibilidade de artistas se apresentarem em prol de candidatos voltou à pauta dos partidos.

No entanto, como a campanha deste ano acontecerá em meio à pandemia do novo coronavírus, a discussão agora se concentra na viabilidade legal da transmissão online, sem público, de shows em prol das campanhas.

O formato tem sido chamado de live eleitoral ou “livemício”.

Defensores da ideia têm afirmado que “livemícios” não remunerados não podem ser enquadrados na lei de 2006, sancionada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que proibiu os showmícios.

Outros advogados eleitorais, porém, discordam e entendem que a lei atual não permite a prática.

Segundo a legislação, é proibida “a realização de showmício e de evento assemelhado para promoção de candidatos, bem como a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral”.

Na última semana, a produtora Paula Lavigne disparou na sua lista de transmissão no WhatsApp uma mensagem em que questionava “se é legal ou não fazer livemício”. “A lei não fala nada do digital”, acrescentou.

Lavigne, esposa de Caetano Veloso, pretende fazer eventos em apoio à chapa que deve disputar as eleições em São Paulo pelo PSOL, com Guilherme Boulos à frente e a deputada Luiza Erundina como vice.

Artistas como Caetano e Chico Buarque assinaram recentemente um manifesto em defesa da candidatura de Boulos. “A ideia era fazer um livemício para Boulos e Erundina no dia 25 de setembro, mas estamos esperando, porque nenhum advogado, de partido nenhum, sabe responder [se é possível]”, disse a produtora à Folha.

Para sanar a dúvida, o PSOL protocolou uma consulta no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) na última quarta-feira (5) questionando se é possível fazer apresentações não remuneradas durante a campanha. Ela foi distribuída ao ministro Luis Felipe Salomão, que ainda não se manifestou.

“Nos períodos ‘normais’ se poderia concluir, não sem alguma controvérsia constitucional, estar vigendo a proibição de showmícios e eventos assemelhados não remunerados”, diz o pedido do partido.

A legenda diz que, apesar disso, as características das eleições de 2020 gerariam dúvidas sobre as restrições “da proibição da participação não remunerada e espontânea dos artistas no pleito”.

“Uma live ou webinar dos candidatos com a participação de artistas não se caracteriza como showmícios ou, sequer, como um evento assemelhado: ambiente é virtual e é mais restrito ou menos ampla a participação, somente participando quem de modo espontâneo acessa o site ou plataforma digital”, diz.

No fim, o PSOL questiona ao ministro se a lei eleitoral “permite realização de apresentação dos candidatos aos eleitores juntamente com atores, cantores e outros artistas através de shows (lives eleitorais) não remunerados e realizados em plataforma digital”.

Apesar de o questionamento da legenda ser específico sobre “livemícios” não remunerados, a possibilidade de shows virtuais pagos também tem sido apresentada por políticos.

No início de julho, o deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) tentou por meio legislativo a liberação dos “livemícios”, mas o projeto ainda não andou na Câmara.

Frota pede que seja autorizada, apenas neste ano, a contratação de artistas para apresentações em plataformas virtuais em apoio aos candidatos. O valor máximo que uma campanha poderia gastar com as lives, segundo o projeto, seria R$ 20 mil.

O deputado justifica que a medida ajudaria na “recuperação financeira de artistas que estão sem trabalho desde o início da pandemia no país”.

Consultados pela reportagem, três advogados eleitorais avaliam que a lei atual não permite livemícios específicos em apoio a campanhas.

Marilda Silveira, integrante do Ibrade (Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral), diz que apesar de não haver decisão do TSE a respeito do tema, o texto da lei parece “bastante claro”. “Os livemícios, portanto, até aqui, não são permitidos.”

A constitucionalista Vera Chemim afirma que na fase de campanha “artistas não poderão fazer qualquer tipo de showmício”.

No período pré-eleitoral, porém, entende que é possível a realização de eventos virtuais que mencionem pré-candidatos ou exaltem suas qualidades desde que “atendam à proibição de pedir ou comprar votos e não desrespeitem outros pretensos pré-candidatos”.

Para o advogado Delmiro Campos, que foi juiz do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Pernambuco e integra a Abradep (Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político), existe “uma linha muito tênue” sobre o assunto.

“Eu entendo que é possível equiparar lives de pré-candidatos com apresentação de artistas a um showmício virtual”, diz.

No entanto, Campos aponta que se um artista mencionar de forma espontânea um pré-candidato em uma live, não vê irregularidade, assim como entende que é possível um pré-candidato músico se apresentar ao público.

Fora os “livemícios”, há proposta no Congresso e questionamento no STF (Supremo Tribunal Federal) com o objetivo de liberar a possibilidade de showmícios —ao vivo, com público— em eleições.

No começo de julho, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO) apresentou um projeto de lei que libere apresentações de artistas em eventos eleitorais. Ele defende, no entanto, um limite de 20% dos gastos da campanha de cada candidato com showmícios.

Assim como Frota, também afirma que o gasto máximo com os artistas deve ser de R$ 20 mil por candidato.

Em 2018, PSB, PSOL e PT ajuizaram no Supremo uma ação contra a regra eleitoral que proíbe showmícios, sob o argumento de que ela é inconstitucional.

A proposta vai na mesma linha do que o PSOL propôs neste ano com os “livemícios”: defende que shows em apoio aos candidatos possam acontecer se forem não remunerados. A ação está sob a relatoria do ministro Luiz Fux, mas ainda não há decisão sobre o assunto.

FolhaPress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aluísio Valença disse:

    Se live já é chato, imagina com políticos demagogos?

  2. Santos disse:

    Ridículo!

  3. Mito 2022 disse:

    Já não basta essas lives, PqP live de políticos é o fim do poço.

  4. Irany Gomes disse:

    Vou banir definitivamente tv da minha casa, não suporto mais invasão de privacidade desses vermes políticos!

Bolsonaro convida e Temer aceita comandar missão brasileira de ajuda ao Líbano

Foto: reprodução/CNN Brasil

Em participação da reunião virtual convocada na manhã deste domingo (8) com líderes globais para angariar recursos para a reconstrução de Beirute, Jair Bolsonaro afirmou que “o Brasil não foge a sua responsabilidade” e que mandará insumos e remédios ao Líbano, por meio do avião das Forças Armadas.

“Em um momento que requer a união de esforços internacionais, apresento minhas condolências e solidariedade em nome do povo brasileiro”, disse Bolsonaro. “O Brasil é um dos países que mais recebeu libaneses no mundo e, por essa razão, tudo o que afeta ao Líbano, nos afeta como se fosse o nosso próprio lar e pátria.”

O discurso de Bolsonaro foi proferido ao longo da reunião virtual convocada pelo presidente francês Emmanual Macron. Para mostrar sua participação, Bolsonaro entrou ao vivo no Facebook para mostrar a sua participação na reunião. Na quarta-feira (5), ele havia declarado que o país ajudaria o Líbano com “algo concreto”.

Bolsonaro disse ainda que convidou o ex-presidente do Brasil, Michel Temer (MDB), para integrar e chefiar a comitiva brasileira que enviará ajuda ao Líbano. Temer é filho de libaneses.

Em nota, o ex-presidente Michel Temer se disse “honrado” com o convite e disse que, “quando o ato for publicado no Diário Oficial, serão tomadas as medidas necessárias para viabilizar a tarefa”.

Além do envio de insumos por avião, Bolsonaro revelou que o Brasil mandará ajuda marítima com 4 mil toneladas de arroz para, de acordo com o presidente, “atenuar a perda no país”, bem como uma equipe técnica para auxiliar na apuração e entender o que de fato provocou a explosão.

“Estamos e sempre estaremos ao lado dos nossos irmãos e amigos libaneses. Saibam que podem contar permanentemente com o Brasil”, afirmou Bolsonaro.

Também participam da conferência o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e líderes de países da Europa e do Oriente Médio. Há também representante da Organização das Nações Unidas (ONU). O presidente do Líbano, Michel Aoun, também participa do encontro.

Com informações de CNN Brasil e O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Soraya disse:

    Chama o Aécio também.

  2. Manoel disse:

    Quem nao sabia que Temer e tdos os golpistas votaram no genocida?

  3. NOVÍSSIMA POLÍTICA disse:

    Kkkkk. Nesses dias ele contrata Paulo Maluf. Kkkkkkk.

  4. Batista disse:

    Só falta agora chamar LULADRAO e Dilmanta. Eita governo fuleira. Tinha tudo pra dá certo, mas só faz merda.

  5. Tiba disse:

    Bolsonaro não me decepcione, convidar mais um ladrão para representar o governo não, segundo a justiça Temer rouba há pelo menos 40 anos. Que decepção.

  6. Melo disse:

    Rapaz e isto é nova política ? E pior fui enganado! Mais 2022, temos outras opções Moro 22.

  7. Webrevenger disse:

    O Itamaraty, com sua tradição diplomática secular não tem ninguém capaz de gerenciar essa crise. Vamos mandar um vagabundo, ladrão conhecido, amigão de Henrique Alves e Eduardo Cunha. Ele nos representa.

  8. Bozo 2022. disse:

    É isso aí presidente!!
    Vamos governar o país.
    Juntos, sem separação.
    O problema maior, é o cachaceiro que sempre pregou o nós e eles.
    FDP…
    Dividindo o país pra ele se dá bem junto com a corja.
    Mas a verdade, o certo vai sempre prevalecer, e que nem filme de desenhos animados.
    O bem, sempre vence o mal.

    • Sergio disse:

      Resumindo: Temer agora é o bem. Roubou mentiu mas deve ser perdoado.
      Por gente como vc que o Brasil não avança…

    • Tonho da Lua disse:

      Bolsonaro é bom
      Lula é mau
      Dããããããããããã…

Bispo Edir Macedo é investigado pelo MPF por declaração sobre a pandemia: “Não se preocupe com o coronavírus. É uma tática de Satanás”

Bispo Edir Macedo, que atribuiu o medo da Covid-19 a um plano diabólico, é suspeito de ter infringido medida sanitária | Foto: reprodução/instagram

O bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, está sendo investigado pelo Ministério Público Federal por suspeita de infração de medida sanitária preventiva. No dia 15 de março, ele divulgou um vídeo nas redes sociais que minorava os riscos da pandemia do novo coronavírus. “Meu amigo e minha amiga, não se preocupe com o coronavírus. Porque essa é a tática, ou mais uma tática, de Satanás. Satanás trabalha com o medo, o pavor”, afirmou ele. “E quando as pessoas ficam apavoradas, com medo, em dúvida, as pessoas ficam fracas, débeis e suscetíveis”, disse, exibindo um depoimento de um médico que alega que o vírus “não faz mal a ninguém”.

Desde a divulgação dessas declarações até então, muita coisa mudou: a Covid-19, que parecia inofensiva aos olhos do religioso, ceifou a vida de quase 100 000 pessoas no Brasil. O próprio bispo de 75 anos de idade, que deletou o vídeo após ser criticado, foi infectado pela doença e chegou a ser internado em São Paulo.

Para apurar se houve crime nas declarações de Edir Macedo, o MPF de São Paulo pediu a quebra de sigilo do perfil do bispo no Facebook e do seu canal no Youtube. O objetivo dessa medida é identificar as circunstâncias em que o vídeo foi publicado.

A infração de medida sanitária preventiva, estipulada no artigo 268 do Código Penal, prevê detenção de um mês a um ano, além de multa, para quem “infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa”.

Procurada, a assessoria de imprensa da Igreja Universal do Reino de Deus diz que Edir Macedo não tem conhecimento da investigação e que entende que “não houve nenhum crime” na fala do bispo. “A declaração do líder espiritual da Universal, dada em ambiente religioso, foi tirada do contexto e deturpada pela imprensa”, afirma a nota. “A Universal reafirma que tem respeitado, com rigor, todas as determinações do Ministério da Saúde e das autoridades locais, no combate à propagação da Covid-19. Todos os esclarecimentos serão prestados à Justiça”, conclui.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lagoa seca. disse:

    Edir Macedo, siflas malafaia, e tds canalhas que se dizem pastores e rede Globo elegeram a pior porcaria que o país poderia ter, como qualquer ser humano que tenha sensatez e se diz cristão e apoiar este CANALHA Bolsonaro filhote de satanás.

  2. Silvia disse:

    😂😂😂😂😂😂😂😂

  3. Queiroz disse:

    A hora dos Vendilhões do Templo chegará!
    Os homens o livrará, mas da Justiça Divina não escapará.

  4. Joao disse:

    Edir antes odiado agora adorado pela boiada Bolsonarista.

    • Raimundo disse:

      Os zumbis do comunismo vão à loucura.
      Edir Macedo antes chegou a apoiar o PT…
      Como agora pulou fora, pois a esquerda é contra o cristianismo, os zumbis soltam seu veneno, espumando pela boca, iguais cães raivosos.
      Décadas de lavagem cerebral nas escolas e universidades produzem zumbis militontos…

  5. Sacerdote disse:

    Esse cidadão não acredita em DEUS,o deus desse falso pastor é o dinheiro-moeda ou papel-moeda emitidos pelo banco central do Brasil,que os pobres adeptos e seguidores desta falsa igreja que prometem a esses pobres enganados riquezas impossíveis para esses pobres brasileiros e brasileiras de que eles e elas vão prosperar e enriquecer materialmente e patrimonialmente, prometem que vão transformar esse e essa pobre iludida de que eles e elas irão do dia para noite ou num estalar de dedo vão se tornar ricos e prósperos sem nenhum tipo de profissão,trabalho,emprego ou negocio particular ou indo a tais reuniões religiosas elas e eles encontraram ótimos empregos com altos salários e cargos sem nenhum esforço pessoal, mesmo muitas pessoas sem ou com pouca escolaridade,sem qualificação ou sem nenhuma profissão específica e também que vai curar todas as doenças e enfermidades sem irem aos estabelecimentos médicos- hospitalares e agora de forma absurda e enganosa em plena pandemia da doença mundial do coronavirus ou covid 19,esse falso e hipócrita pastor que aparece na imagem fotográfica de que as pessoas não ficariam ou não ficarão doentes pelo coronavirus ou covid 19,não acreditem no que esse homem maldito diz ele é um mentiroso contumaz ele não é cristão,ele usa essas pobres pessoas para ganhar e acumular dinheiro,grandeza,poder,luxo e riqueza material e patrimonial.
    Diz-se numa passagem bíblica "você não pode servir a mim e ao dinheiro ao mesmo tempo,ou serve a mim ou serve ao dinheiro.
    Noutra passagem bíblica diz:o Deus desse mundo é o dinheiro.
    A luz é melhor do que às trevas,a sabedoria é melhor do que a falta dela.
    Sempre iluminados para o bem natural.

    • Beemote disse:

      Corrigindo a partir da"quarta linha" eu quis dizer:"Dinheiro que ganha dos seus pobres adeptos e seguidores desta falsa igreja que prometem a esses pobres enganados riquezas impossíveis para as parcelas de brasileiros e brasileiras mais empobrecidas e humildes de que elas e elas vão prosperar e enriquecer materialmente e patrimonialmente,prometem que vão transformar esses e essas pobres iludidos de que elas e eles e enriqueceram do dia para noite,………………………

  6. Giles disse:

    Eu fui na onda desse negócio de encosto e fundo do poço e me torei. Quando dei fé já tinha passado um cheque de 10 mil, corri na agência para cancelar, mas já tinham sacado. Fui na igreja e disseram que a grana tinha entrado na obra e que eu aguardasse, pois o dinheiro voltaria em dobro. Agora o jeito é ficar no aguardo.

Senzala Casa Show é autuado pelo Corpo de Bombeiros

Fotos: reprodução

A presença de veículos da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros na frente do Senzala Casa Show na noite de sábado (8) chamou a atenção e fotos têm circulado pela internet.

O fato é que o Senzala foi autuado pelo Corpo de Bombeiros por irregularidades em relação às normas para funcionamento. A ação contou com o apoio da Polícia Civil.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Macho todo disse:

    Danado é… qualquer assunto que se refira a sexo os bolsonaristas ficam roxos de raiva, brabos todos.
    Algum complexo?
    Vou perguntar a meu amigo terapeuta para saber.
    Mas há algo estranho. Foi assunto de sexo, os bolsonaristas piram…para pior. Eles não tem a cabeça resolvida para isso. Por que será? E é algo coletivo…

  2. Francisco disse:

    Isso não é só uma casa de prazer extremo, isso é TB um pedacinho do céu no plano terrenos!

  3. Flávio A disse:

    Nem em paz as meninas podem ficar nesse Governo .. Coitadas só fazem o bem com carinho e atenção,e quem não gosta a tratam como uma perdição.

  4. Beemote disse:

    Casa de prostituição,musicas pornográficas,bebidas alcoólicas e etc…e sexo liberal e casual todas essas coisas reunidas num só lugar está consumada a base da loucura humana tanto dos tristes e deprimidos e infelizes homens que as frequentam e quanto das deprimidas,tristes e infelizes mulheres que lá habitam.

  5. Toca do pavão disse:

    Tantos bares superlotados e ultrapassando o horário. Aí vão prejudicar o senzala, pois o mesmo não tem nada de mais, a não ser
    Tirar o stress e lazer. #forcasenzala não desista. Deus é maior.

  6. Roberto disse:

    Rapaz… vão procurar o que fazer. Deixe as meninas em PAZ.

  7. Zaqueu disse:

    Tem que fechar esse prostíbulo ou fazer com que se mudem para uma área rural remota. Lá, poderiam viver plenamente, inclusive o rufião.

Corrupção na pandemia: contratos sob suspeita somam R$ 1,4 bilhão

Foto: reprodução/FGV

O decreto de calamidade pública do governo federal, que agilizou para os administradores do Executivo a compra de equipamentos e insumos para o combate à covid-19, permitiu também mais facilidades aos grupos mal intencionados espalhados pelo país.

Segundo levantamento do R7, governos estaduais e municipais de 26 das 27 unidades da federação foram responsáveis por fazer os órgãos de investigação trabalhar pesado nessa pandemia.

Só se salvou o Estado do Espírito Santo, que mesmo assim viu carros de polícia em suas cidades para cumprir mandados contra empresas e pessoas denunciadas por supostos crimes ocorridos longe dali: a compra de testes superfaturados no Distrito Federal e a aquisição de medicamentos em Cabo Frio (RJ).

Pelo menos 39 negociações, que somam R$ 1.429.214.047,65, foram consideradas suspeitas e levaram à abertura de processos na Justiça ou operações policiais com mandados de prisão, busca e apreensão.

Oito Estados tiveram problema ao adquirir respiradores, quase sempre a preços bem mais altos do que os praticados antes da crise sanitária.

É o caso de São Paulo, no qual o governador João Doria (PSDB) procurou no mercado os respiradores essenciais aos doentes graves de covid-19 e só foi encontrá-los na China. Encomendou 3 mil por R$ 550 milhões, sem licitação, aproveitando, como fizeram todos os administradores públicos no Brasil, a vantagem da MP aprovada pelo Congresso Nacional durante a pandemia.

Os cerca de R$ 180 mil por aparelho chinês se explicariam pela lei da oferta e da procura, essa foi a resposta do governo estadual, mas sabendo que o preço médio praticado nos últimos meses tem ficado entre R$ 40 mil e R$ 90 mil, o Ministério Público de São Paulo e o Tribunal de Contas local decidiram averiguar o negócio.

E aqui cabe uma explicação sobre a forma como a reportagem juntou todas as informações.

Também há em São Paulo, de acordo com denúncia do deputado estadual Carlos Gianazzi (Psol), o superfaturamento em 2020 nas compras de insumos médicos e aventais. Na comparação com 2019, a Secretaria Estadual de Saúde teria gastado R$ 63,64 milhões a mais nessas duas negociações.

É muito, mesmo considerando o efeito inflacionário do novo coronavírus. Como o Ministério Público de Contas abriu investigação para apurar apenas a venda de aventais, e não se tem notícia de que há um inquérito em relação aos insumos, só os primeiros entram na lista do R7: de acordo com o órgão, houve sobrepreço de aproximadamente R$ 4,6 milhões, em um contrato de R$ 14,1 milhões.

Essa denúncia sobre os aventais não é a mesma que deu origem à operação Nudus de quinta-feira (6), da Polícia Federal, na capital paulista. Nesta, a acusação é contra a Prefeitura de São Paulo, que teria fechado com empresas sem experiência ou capacidade técnica para confecção das roupas hospitalares. As duas contratações, realizadas sem licitação, passaram dos R$ 11 milhões.

Dados descentralizados

Como os processos correm em segredo de Justiça, a busca por dados sobre as operações se deu nas páginas oficiais da Controladoria Geral da União, Ministérios Públicos federal e estaduais, Polícia Federal, polícias civis e tribunais de contas dos Estados.

Notícias de sites, jornais e tvs, principalmente das mídias regionais, serviram para localizar processos e ações policiais.

Ou também para buscar explicações dos investigadores que não foram divulgadas nos portais oficiais. Nessa busca foi possível saber, por exemplo, que, do valor de 1,4 bilhão de todos os contratos com indícios de fraude, cerca de R$ 80 milhões (R$ 79.051.100) são considerados dinheiro público jogado fora por culpa da corrupção ou da má gestão.

Dados do Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia da Covid-19 (Giac), da Procuradoria-Geral da República, mostram que desde março foram registrados no Ministério Público Federal 5.655 processos judiciais que têm alguma relação com a doença. Destes, 1778 são de natureza criminal.

Com 2.125 processos entre os 5.655, São Paulo é a unidade que lidera essa estatística negativa.

Loja de vinho, livros e lava jato

Há muitos pontos em comum nas histórias. Sobrepreços, produtos de má qualidade e empresas laranjas contratadas de última hora em um aparente oportunismo de sanguessugas do dinheiro público.

No Amazonas, por exemplo, uma loja de vinhos foi eleita a melhor opção para fornecer 28 ventiladores pulmonares à população.

A Prefeitura de Aroeiras (PB) é investigada porque teria gastado R$ 50 mil na compra de livros didáticos para orientar a população sobre os riscos de infecção do coronavírus. Mas todo o material estava disponível gratuitamente no site do Ministério da Saúde e as escolas públicas, um dos destinos do material, estavam, como todas do Brasil, fechadas.

A administração municipal de Aroeiras falou que esse projeto já foi cancelado e o dinheiro não saiu dos cofres, mas como a denúncia foi feita, entrou na nossa conta.

Nem sempre são transações milionárias ou fraudes claras. Muitas investigações são abertas para os gestores esclarecerem detalhes que, numa visão otimista, esqueceram-se de apontar nos documentos oficiais, como pesquisa de preços, capacidade e qualidade dos fornecedores e necessidade dos produtos.

Por dificuldades assim o Ministério Público de Contas de Alagoas pediu mais informações a nove cidades do Estado, incluindo a capital, Maceió. Vinte licitações, com valor total de R$ 1 milhão, estão na mira do órgão.

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná decidiu checar atos de 56 municípios, com ações que iam desde compra dispendiosas demais de produtos de saúde a contratações que não tinham relação com o combate ao coronavírus, mas foram feitas usando as facilidades da MP, o que é contra a lei.

Em seu site, o TCE-PR cita um contrato estranho firmado por um município paranaense de 30 mil habitantes aproximadamente — não diz o nome. A Prefeitura gastou R$ 800 mil na lavagem da frota de veículos oficial, gastando R$ 90 por automóvel, bem mais que o dobro do preço médio praticado em grandes cidades.

Em Minas Gerais, o município de Mendes Pimentel pagou R$ 15.170 por uma impressora. Qual o crime? O produto poderia ser adquirido por valor inferior em concorrentes da empresa escolhida, que, segundo a Polícia Civil local, tinha contatos próximos com a prefeitura.

Teve saco de lixo vendido a peso de ouro em Rondonópolis, Mato Grosso, e máscara 814% mais cara no Amapá.

Governadores na Mira

Três governadores são citados diretamente nas supostas fraudes: no Pará, Helder Barbalho (MDB), No Rio, Wilson Witzel (PSC), e, em Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL).

Barbalho autorizou a chegada ao Pará de 400 respiradores pelo valor de R$ 50,4 milhões. Desse total, metade do pagamento foi feito de forma antecipada à empresa SKN do Brasil.

O primeiro lote de aparelhos demorou a chegar, mas nem precisava ter se dado a esse trabalho. Os respiradores eram de um modelo diferente do contratado e não serviam para o tratamento da covid-19.

Todos foram devolvidos e o governo afirmou, em nota, que os cofres foram ressarcidos e a empresa, processada.

No Rio, a suspeita levantada pela Polícia Civil, com ajuda dos MPs estadual e federal, era de um esquema montado entre integrantes do governo e a organização social Iabas (Instituto de Atenção Básica e Atenção à Saúde) para desviar recursos públicos destinados à instalação de sete hospitais de campanha.

O Iabas deveria receber de forma antecipada pouco mais de R$ 8 milhões, mas antes do início das obras, já haviam sido depositados pelo governo quase R$ 70 milhões ao instituto. No total, recebeu R$ 256 milhões antes do cancelamento do contrato de R$ 836 milhões, interrompido após as operações.

Em Santa Catarina, uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) investiga a compra emergencial de 200 respiradores, com o pagamento antecipado de R$ 33 milhões (R$ 165 mil a unidade).

O governador Carlos Moisés passou a ser investigado com a divulgação de que no final de março pagou R$ 70 pelos mesmos produtos, mas de outra empresa.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Micheque tá nesse meio tb?

  2. Chicó disse:

    Cadê os 5 milhões, governadora ???

  3. Batista disse:

    Colocar um punhado de raposas( LADRÕES) pra cuidar do galinheiro( dinheiro público), só daria isso mesmo.

  4. #Bolsonaro tem razão disse:

    É só a ponta do iceberg, muitas sujeiras virão à tona.

  5. Bolsonaro RN disse:

    Pra que investigar se o STF da vergonha passa a mão na cabeça, dar os parabéns e manda soltar.

  6. Mario Junior disse:

    Não esqueça os quase 90 MILHÕES do consórcio nordeste que foi parar nas mãos de uma empresa Fantasma.

    A Governadora Fátima do PT perdeu 5 MILHÕES para essa empresa fantasma.

    Governador cadê o dinheiro?

    O presidente Bolsonaro enviou quase 900 milhões para o Estado e 170 Respiradores.

    Vergonha para essa governadora

  7. Joia disse:

    Não, a culpa é do Bolsonaro! A Globo não disse!?

    • Francisco de Assis disse:

      Que bom que você concorda com isso Jóia, porque é isso mesmo.