Um em cada cinco brasileiros torce para o Flamengo, aponta Datafolha

Pesquisa nacional feita pelo Datafolha mostrou que o Flamengo conta com a maior torcida do Brasil. Segundo o levantamento, o clube carioca tem a preferência de 20% dos brasileiros, seguido pelo Corinthians, com 14%. No entanto, o instituto apontou que 22% não têm clube.

A diferença entre rubro-negros e alvinegros supera a margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Foram ouvidas 2.878 pessoas, todas com mais de 16 anos, em 175 municípios de todo o país, entre os dias 29 e 30 de agosto.

Em relação ao levantamento anterior realizado pelo Datafolha, em janeiro de 2018, o percentual do Flamengo foi de 18% para 20% (dentro da margem de erro). O Corinthians ficou estável nos 14%, com ampla vantagem em relação ao terceiro colocado.

São Paulo (8%), Palmeiras (6%), Vasco (4%), Cruzeiro (4%), Grêmio (4%), Internacional (3%), Santos (3%), Atlético-MG (2%), seleção brasileira (2%), Botafogo (1%), Bahia (1%), Fluminense (1%), Sport (1%), Santa Cruz (1%), Fortaleza (1%), Vitória (1%) e Ceará (1%) completam a lista dos times que atingiram ao menos 1%.

Entre os que têm, há vantagem do Flamengo em quase todas as cores. O Corinthians só aparece numericamente à frente entre os brancos (16% a 13%), mas isso significa um empate técnico, já que a margem de erro para esse item é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Entre os negros, a diferença é de 24% a 11%, com margem de erro de cinco pontos percentuais para mais ou para menos. Os flamenguistas também são maioria entre pessoas que se declaram pardas (23% a 14%, com margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos).

No recorte por renda familiar, a maior vantagem rubro-negra aparece na faixa dos mais pobres. Entre aqueles com até dois salários mínimos, o time do Rio aparece com 22%, contra 13% do Corinthians, com margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Há predomínio de torcedores do clube carioca em três das cinco regiões brasileiras. Ele tem a preferência de 39% no Norte (margem de erro de seis pontos percentuais para mais ou para menos), a de 28% no Centro-Oeste (margem de erro de seis pontos percentuais para mais ou para menos) e a de 27% no Nordeste (margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para menos).

No Sudeste, é registrado um empate técnico com o Corinthians, que aparece numericamente à frente, mas a diferença está dentro da margem de erro (três pontos percentuais para mais ou para menos): 18% a 17%. Já no Sul, com margem de erro de cinco pontos percentuais para mais ou para menos, as equipes com mais torcedores são Grêmio (23%) e Internacional (17%), seguidos por Corinthians (11%), Flamengo (4%), São Paulo (4%) e Santos (4%).

A vantagem do Flamengo na liderança é maior do que a margem de erro pela primeira vez desde 2012. Na pesquisa daquele ano, realizada três dias antes de o Corinthians conquistar o Mundial, foi registrado um empate numérico entre as duas maiores torcidas, com 16% para cada uma.

Nos levantamentos subsequentes, os flamenguistas voltaram a aparecer numericamente à frente dos corintianos, mas com a vantagem no limite da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos, o que representava um empate técnico. Foi assim em 2014 e em 2018, com o mesmo resultado apresentado: 18% a 14%. Com os 20% a 14% de agora, a primeira posição está consolidada.

Neste momento, o Flamengo ocupa também a liderança do Campeonato Brasileiro e exibe a maior média de público da competição. No último sábado (14), 62.510 pagantes acompanharam a vitória por 1 a 0 do time sobre o Santos, no Maracanã, resultado que lhe assegurou o topo da tabela ao fim do primeiro turno.

A equipe da Gávea levou 50.693 pagantes, em média, aos jogos que realizou como mandante até aqui na competição, um reflexo da força da torcida e também da boa campanha. No Nacional do ano passado, o time foi vice-campeão e teve média de 47.139 pagantes. Na edição de 2017, longe da briga, atraiu 14.484 por jogo.

FOLHAPRESS

Natália Bonavides defende as ruínas do Reis Magos e a restauração e tombamento com dinheiro público para uso social

A deputada federal Natália Bonavides (PT) que andava meia sumida da capital decidiu aparecer nesta segunda-feira no seu instagram para defender a manutenção do hotel dos Reis Magos.

A deputada defendeu a preservação das ruínas do Hotel Reis Magos.

No seu perfil a deputada disse que o Hotel  “é um simbolo do turismo potiguar” e continuou discorrendo “Não podemos deixar que esse símbolo seja demolido e desapareça das páginas de nossa história” e que a construção “é um exemplo de Arquitetura Moderna Brasileira”.

Natália ainda defendeu um uso social do equipamento depois de ser restaurado com o dinheiro público.

A deputada esqueceu que desde o final dos anos 80 que os Reis Magos só deprecia a nossa orla.

Agora fica uma sugestão do BG para a deputada, se ela quiser mesmo o tombamento e se a preocupação for realmente com a historia, ela poderia se mudar de imediato para o as ruínas e acampar lá, já que tem defendido as ocupações pelo Brasil afora.

Passando pelo menos uns 30 dias acampando ela vai conseguir comprovar o que toda sociedade potiguar já sabe, que DEMOROU o caso do hotel, já era para tá no chão.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    O estado não recuperou o Forte dos Reis Magos, pq não tem dinheiro, como recuperar esse hotel. Esse povo do PT gosta de ser ridículo.

Governo avalia autorizar congelamento do salário mínimo

O Ministério da Economia estuda um mecanismo para autorizar o congelamento do salário mínimo em situações de aperto fiscal. A ideia é retirar da Constituição a obrigatoriedade de que o valor seja corrigido pela variação da inflação.

A medida seria incluída na PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que altera regras fiscais e está em tramitação no Congresso.

De autoria do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), o texto está na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara e é debatido por um grupo de parlamentares, representantes do Ministério da Economia e técnicos de Orçamento no Congresso.

A proposta traz gatilhos que seriam acionados em situações de risco de descumprimento de regras fiscais. A versão original da matéria não prevê o congelamento do salário mínimo, mas o governo articula a inclusão desse novo gatilho no texto. A informação foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo e confirmada pela Folha.

A regra que viabilizava reajuste do salário mínimo acima da inflação deixou de valer neste ano. Agora, a nova mudança iria além, permitindo o congelamento do mínimo, sem reposição da inflação.

Pedro Paulo confirma que a previsão é uma proposta do Ministério da Economia. Para o deputado, entretanto, antes de qualquer iniciativa desse tipo, o governo deveria se empenhar na defesa da proposta.“Enquanto o governo não se manifestar claramente a favor da PEC, não tem que ficar discutindo colocar mais medidas”, disse.

A Constituição define que o salário mínimo deve ter reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo.

Com a medida estudada pelo governo, essa previsão deixaria de existir. O congelamento do salário mínimo seria permitido para ajudar no ajuste fiscal por um período. Uma das hipóteses é que o valor fique travado por dois anos.

Como o governo tem gastos atrelados ao salário mínimo, como as aposentadorias, a medida traria alívio ao Orçamento. Hoje, para cada real de reajuste do piso salarial do país, a União amplia suas despesas em R$ 300 milhões.

Para o ano que vem, o governo prevê que o reajuste levará o mínimo de R$ 998 para R$ 1.039. O aumento leva em conta apenas a inflação.

Caso, por exemplo, o governo congelasse o valor atual, a economia aos cofres públicos no ano que vem seria de R$ 12,3 bilhões.

A proposta vai em linha com a defesa do ministro Paulo Guedes (Economia) de retirar amarras do Orçamento. O ministro argumenta que as contas públicas têm excesso de gastos obrigatórios, vinculados e indexados.


R$ 300 milhões é o impacto nas contas públicas de cada R$ 1 de reajuste no de reajuste no salário mínimo

R$ 1.039 é a previsão de valor para o mínimo em 2020

R$ 12,3 bilhões seria a economia em 2020 caso o mínimo ficassem congelado nos valores de hoje

FOLHAPRESS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LULADRÃO disse:

    Enfim, uma ideia maravilhosa. A situação de quebradeira dos municípios, foi esse crime cometido pelos governos petistas. Aumentou o mínimo sem lastro econômico, é concedeu ao judiciário também aumentos absurdos. Resultado: Estados e municípios quebrados, e salários atrasados.

Justiça rejeita denúncia contra Lula e o irmão Frei Chico em derrota da Lava Jato de SP

A Justiça Federal rejeitou nesta segunda-feira (16) a denúncia apresentada pela força-tarefa da Lava Jato de São Paulo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o irmão dele, José Ferreira da Silva, conhecido como Frei Chico, sob a acusação de corrupção passiva.

Na decisão, o juiz Ali Mazloum, da 7ª Vara Federal Criminal em São Paulo, fez críticas à tese do Ministério Público Federal para sustentar as suspeitas levantadas.

“A denúncia é inepta. Não seria preciso ter aguçado senso de justiça, bastando de um pouco de bom senso para perceber que a acusação está lastreada em interpretações e um amontoado de suposições”, afirmou Mazloum.

Também foi rejeitada a denúncia em relação a outros três executivos da Odebrecht por suposta prática de corrupção ativa: Alexandrino Alencar, Marcelo Odebrecht, ex-presidente do grupo, e Emilio Odebrecht.

Procurada pela Folha, a Lava Jato paulista informou que ainda não foi intimada da decisão, mas que vai recorrer.

“Pelo que foi noticiado, a decisão contém erros graves, e por isso o MPF adianta, desde logo, que vai recorrer ao TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), confiando que a rejeição será revertida e o processo aberto pela justiça federal paulista”, diz a força-tarefa em nota.

A Justiça Federal rejeitou nesta segunda-feira (16) a denúncia apresentada pela força-tarefa da Lava Jato de São Paulo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o irmão dele, José Ferreira da Silva, conhecido como Frei Chico, sob a acusação de corrupção passiva.

Na decisão, o juiz Ali Mazloum, da 7ª Vara Federal Criminal em São Paulo, fez críticas à tese do Ministério Público Federal para sustentar as suspeitas levantadas.

“A denúncia é inepta. Não seria preciso ter aguçado senso de justiça, bastando de um pouco de bom senso para perceber que a acusação está lastreada em interpretações e um amontoado de suposições”, afirmou Mazloum.

Também foi rejeitada a denúncia em relação a outros três executivos da Odebrecht por suposta prática de corrupção ativa: Alexandrino Alencar, Marcelo Odebrecht, ex-presidente do grupo, e Emilio Odebrecht.

Procurada pela Folha, a Lava Jato paulista informou que ainda não foi intimada da decisão, mas que vai recorrer.

“Pelo que foi noticiado, a decisão contém erros graves, e por isso o MPF adianta, desde logo, que vai recorrer ao TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), confiando que a rejeição será revertida e o processo aberto pela justiça federal paulista”, diz a força-tarefa em nota.

De acordo com a denúncia dos procuradores, Frei Chico teria recebido mesada da Odebrecht de 2003 a 2015 dentro de um pacote de vantagens indevidas oferecidas ao petista. O valor total chegaria a R$ 1,1 milhão, divididos em repasses de R$ 3.000 a R$ 5.000 ao longo do período.

O relacionamento começou, dizem os procuradores, quando o irmão de Lula foi procurado pelo grupo, nos anos 1990, para ser interlocutor com movimentos sindicais. Frei Chico é considerado o responsável por introduzir Lula no movimento sindical no ABC paulista, nos anos 1960.

Segundo os procuradores, à época uma das empresas da Odebrecht pagava a ele por consultoria sindical, em serviço efetivamente prestado.

Em 2002, ano em que Lula foi eleito presidente, o contrato foi rescindido. Mais adiante, segundo a denúncia, com a posse, começaram os pagamentos periódicos, sem que qualquer trabalho fosse prestado.

A equipe da Lava Jato diz que os repasses só foram interrompidos com a prisão de Alexandrino Alencar, em 2015.

Para a força-tarefa, o fato de um executivo de alto escalão, como Alencar, se envolver de maneira excepcional com repasses em espécie mostra o grau de importância dessa iniciativa dentro da empresa.

A denúncia, além de depoimentos dos delatores, citava informações do sistema Drousys, usado para organizar pagamentos de propina, no qual o codinome atribuído ao acusado é “Metralha”.

Lula foi incluído na denúncia porque, segundo a acusação, a Odebrecht optou pelos repasses para obter benefícios junto ao governo federal da época. Como contrapartida, é mencionada a articulação da empresa para evitar o retorno da Petrobras ao setor petroquímico, onde a Odebrecht atua por meio da Braskem.

Também foi incluído na denúncia um email de 2010 em que Alexandrino Alencar fala em “manter o programa do irmão do chefe”. Marcelo Odebrecht, na resposta à mensagem, concorda com os repasses. O patriarca do grupo, em depoimento, diz também ter autorizado esses pagamentos.

Para o juiz federal, os fatos da denúncia não possuem todos os elementos legais exigidos para a configuração do delito, não havendo pressuposto processual nem justa causa para a abertura da ação penal.

“Não se tem elementos probatórios de que Lula sabia da continuidade dos pagamentos a Frei Chico sem a contrapartida de serviços, muito menos que tais pagamentos se davam em razão de sua novel função”, afirma o juiz.

Em outro trecho da decisão, o magistrado pontua que “absolutamente nada existe nos autos” no sentido de que Lula, a partir de outubro de 2002, “foi consultado, pediu, acenou, insinuou ou de qualquer forma anuiu ou teve ciência dos subsequentes pagamentos feitos a seu irmão em forma de ‘mesada’”.

O juiz afirma que “a denúncia não descreve nem mesmo alguma conduta humana praticada pelo agente público passível de subsunção ao tipo penal”.

Lula está preso desde abril em 2018 em Curitiba, cumprindo pena por condenação por corrupção e lavagem no caso do tríplex de Guarujá (SP), no âmbito da Lava Jato, que já foi julgado em três instâncias.

Ele também foi condenado por corrupção e lavagem em primeiro grau no processo do sítio de Atibaia (SP), que está sob recurso no Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Além dos dois casos já sentenciados, Lula é réu em outras sete ações penais no Paraná, DF e em São Paulo.

A defesa do ex-presidente tenta discutir um habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal, baseado na falta de imparcialidade do então juiz Sergio Moro —atual ministro da Justiça— na condução do processo do tríplex de Guarujá. O tema deve voltar à pauta da corte ainda neste semestre, em meio a outros casos polêmicos que devem ser julgados pelos ministros.

Se a solicitação for aceita, a sentença pode ser anulada e o caso voltaria aos estágios iniciais. Com isso, Lula poderia sair da cadeia.​

Também há expectativa por parte da defesa do ex-presidente que uma decisão do STF favorável no caso do tríplex seja estendido ao processo do sítio.

FOLHAPRESS

ABRE BRECHA PARA CAIXA 2: Sob pressão, relator admite mudar projeto eleitoral e põe regras em xeque para 2020

A pressão contra a proposta que restringe mecanismos de transparência e controle de gastos de partidos políticos fez o relator do texto no Senado, Weverton Rocha (PDT-MA), admitir alterações e colocar em risco a vigência das novas regras para as eleições de 2020.

O texto aprovado neste mês pela Câmara altera normas eleitorais e partidárias e, como a Folha revelou na semana passada, amplia brechas para caixa dois e reduz a possibilidade de punição por irregularidades, além de esvaziar os mecanismos de controle e transparência no uso de verbas públicas eleitorais.

Ele depende agora de aprovação do Senado, onde, se houver alterações, pode obrigar a Câmara a se debruçar novamente sobre o tema.

Se isso ocorrer, as novas regras correm o risco de não serem aprovadas a tempo de valer já para as próximas eleições. Pela lei, as novas normas precisam ser aprovadas até um ano antes do pleito, no início de outubro.

“Todo relatório está sujeito a alteração. A princípio vejo mais desinformação [por parte de quem critica o texto]. Muitas coisas vão ser melhor esclarecidas. Será conversado com o conjunto da Casa. Ainda vou conversar com os líderes. Sinceramente, não tenho opinião formada em relação ao texto”, disse Weverton à Folha.

O projeto aparece como o primeiro item da pauta do plenário nesta terça-feira (17). No entanto, só há sessão da CCJ prevista para quarta (18). Os próximos passos devem ser discutidos na reunião de líderes partidário.

O relator chegou a protocolar na manhã de segunda-feira (16) um parecer que acolhe integralmente o texto aprovado pela Câmara há duas semanas e rejeita todas as emendas. Ele afirmou, no entanto, que apresentou o relatório para garantir espaço na pauta de votações, mas que analisará emendas apresentadas durante a leitura do projeto.

“A contratação de advogados de político com dinheiro público é imoral, ilegal e inconstitucional. É um tapa na cara da população brasileira que não tem dinheiro público nos serviços mais básicos. É uma afronta”, protestou a presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), senadora Simone Tebet (MDB-MS), referindo-se a um dos trechos mais polêmicos do projeto.

O texto permite o uso praticamente livre das verbas públicas para pagamento de escritórios de contabilidade e advogados para filiados, incluindo aqueles que respondam acusações de corrupção. Hoje a Justiça tem barrado esse tipo de gasto.

Pelo projeto, o uso fica autorizado e seus valores não serão contabilizados para efeito dos limites de gastos pelos candidatos e de doações feitas pelas pessoas físicas. De acordo com especialistas, isso amplia a possibilidade de caixa dois por meio da declaração de serviços fictícios de advocacia ou contabilidade.

O grupo pluripartidário “Muda Senado” tem uma reunião na manhã desta terça-feira (17) para tomar uma posição –senadores da equipe dizem que a maioria deles é contra a proposta.

Na Câmara, o texto-base do projeto foi aprovado por 263 votos contra 144.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tentou votar o projeto na semana passada, sem passar por nenhuma comissão.

Houve reação de partidos do governo e da oposição. Rede, Cidadania, Podemos e PSL obstruíram a votação e Alcolumbre recuou. Foi feito um acordo de que a proposta seria apreciada nesta semana, primeiro na CCJ e, horas depois, em plenário.

Weverton disse que pretende acatar ao menos duas emendas –em tese, se houver só ajustes de redação ou de supressão não há obrigatoriedade de o Senado devolver o projeto à Câmara.

Para valer na eleição do ano que vem, o projeto precisa ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) até 4 de outubro.

A proposta sob discussão no Senado ameniza a punição às siglas que tenham a sua prestação de contas rejeitada pela Justiça.

Pelo texto aprovado, só será aplicada multa e cobrado o ressarcimento aos cofres públicos caso seja provada conduta dolosa do partido —ou seja, se a legenda agiu com pleno conhecimento de que estava cometendo uma infração.

O projeto não estabelece valor para o fundo eleitoral, que será definido na discussão do Orçamento-2020.

A expectativa de boa parte dos partidos é a de que o valor de R$ 1,7 bilhão distribuído em 2018 seja reajustado acima da inflação para o pleito do ano que vem, mas essa definição só deve ocorrer no final do ano.

Os congressistas já tentaram, por outros meios, elevar essa cifra a até R$ 3,7 bilhões, mas houve recuo após desgaste público.

Uma das emendas que devem ser acatadas pelo relator no Senado suprime trecho que abre brecha para a contratação de advogados para defesa de candidatos filiados que respondem a ações penais e de improbidade administrativa.

A autora da emenda, a senadora Juíza Selma (PSL-MT), diz que sua emenda tem o propósito de evitar que “gestores de má-fé façam uso de recursos partidários para pagar, por exemplo, honorários de advogados criminais”.

O afrouxamento da punição por desaprovação das contas beneficiará os partidos que são hoje processados por problemas antigos. O texto estende a esses casos a determinação de que precisa ser provado ato doloso —não meramente erro formal— da sigla.

A proposta ressuscita ainda a veiculação de propaganda dos partidos no rádio e na TV —obrigação que havia sido extinta pela última minirreforma eleitoral justamente em razão da criação do fundo eleitoral.

Outra das mudanças trazidas pelo projeto é a que permite que seja criado instituto com CNPJ específico para gerir a cota de 5% do fundo partidário destinado à promoção da participação feminina na política.

O discurso oficial é permitir às mulheres gerir esse instituto e, consequentemente, as verbas. Nos bastidores, a intenção é evitar que dirigentes partidários, que continuarão com poder de definir o destino do dinheiro, sejam punidos por eventuais desvios.

Como a Folha revelou no início deste ano, o PSL patrocinou em Minas e Pernambuco candidaturas de laranjas nas últimas eleições com uso de verbas da cota feminina.

MUDANÇAS PROPOSTAS

Prestação de contas
Torna facultativo o uso do sistema da Justiça Eleitoral, o que permitiria a cada partido usar um modelo diferente de prestação de contas, derrubando a padronização e dificultando em muito a fiscalização pública e por parte das autoridades

Punição
Erros, omissões e atrasos serão perdoados caso sejam corrigidos até o julgamento da prestação de contas. Além disso, só haverá punição caso seja provado que o partido agiu com dolo, ou seja, com pleno conhecimento de que estava cometendo uma infração

Contabilidade de gastos
Doações recebidas pelos candidatos para gasto com advogado e contabilidade não entrarão na conta do teto de doação e gasto eleitoral. Isso cria espaço para caixa 2 travestido de serviço advocatício ou contábil

Conteúdo na internet
Hoje, partidos não podem gastar verba do fundo partidário impulsionando conteúdos na internet. Se o projeto for aprovado, isso passa a ser permitido

Participação feminina
Partidos têm que destinar ao menos 5% do que recebem do fundo partidário para promoção de políticas de estímulo à participação feminina na política. O projeto prevê que as legendas possam criar instituto com personalidade jurídica própria para gerir essa verba, o que livra dirigentes de punição por eventual aplicação irregular

Fichas sujas 
Problemas que possam barrar a candidatura dos políticos devem ser aferidos até a data da posse, não mais no momento do pedido de registro

FOLHAPRESS

Senado faz última sessão de discussão da PEC da Previdência

Foto: Pedro França/Agência Senado
A sessão da tarde de hoje (16) no Senado foi dedicada à discussão da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 6, que trata da reforma da Previdência. Foi a última das cinco sessões previstas pelo regimento da Casa antes de o texto ser submetido à votação. Agora, os senadores aguardarão o relator da proposta, Tasso Jereissati (PSDB-CE), apresentar parecer sobre as emendas de plenário. A entrega está prevista para a próxima quinta-feira (19). O relatório deverá ser votado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de seguir para o plenário.

A votação da PEC no plenário, em primeiro turno, está prevista para ocorrer na próxima semana, no dia 24 de setembro. A votação em segundo turno está programada para 10 de outubro. Já a PEC paralela, proposta conhecida por trazer alterações ao texto original e, principalmente, a inclusão de servidores estaduais e municipais na reforma da Previdência, deverá avançar após a votação da PEC original. A última sessão de discussão da PEC paralela está marcada para quarta-feira (18).

A sessão foi marcada por poucas falas dedicadas à Previdência. O senador Paulo Paim (PT-RS) afirmou que a reforma como está atinge principalmente os que ganham até três salários mínimos. “Isso representa mais de 80% daqueles que estão no Regime Geral da Previdência”. Já Luiz Carlos Heinze (PP-RS) defendeu as mudanças. “Acho um avanço, o Brasil precisa. É importante que se façam essas reformas.”

Agência Brasil

Pacote Anticrime será debatido em evento na Arena das Dunas

Principal pauta jurídica do ministro Sérgio Moro, o Pacote Anticrime será o tema central do principal evento jurídico realizado em Natal no segundo semestre de 2019. O Fórum Regional de Discussão da Reforma Anticrime acontece no próximo dia 27 de setembro, na Arena das Dunas, em Natal. O evento vai reunir juízes, advogados, promotores, procuradores, desembargadores, estudantes de direito e juristas de uma maneira geral. Os últimos ingressos podem ser adquiridos no endereço eletrônico: www.forumanticrimenatal.com.br.

Entre os convidados do evento, o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro (BSB), o Kakay, com 17 clientes na Lava Jato, a procuradora Thaméa Danelon (SP), ex-coordenadora da Operação, o advogado José Eduardo Cardozo, ex-Ministro da Justiça e ex-advogado-geral da União do Brasil, prometem esquentar o debate para os presentes. A lista de palestrantes conta ainda com renomados nomes da área jurídica locais e nacionais. Entre os quais, o juiz federal Walter Nunes (RN), o advogado Fabrizio Feliciano (RN), o juiz Ricardo Tinôco (RN), além do procurador regional da república Marcelo Alves (PE).

Além do palco para debates, o evento contará ainda com a 1ª Exposição Jurídica Potiguar, espaço para feira de entidades públicas e privadas ligadas ao direito. O local abrigará estandes abertos para visitação do público durante todo o dia. 90% já foram comercializados.

O evento conta com o apoio institucional da Justiça Federal do RN e da Associação dos Magistrados do RN (Amarn). As inscrições estão abertas no endereço eletrônico: www.forumanticrimenatal.com.br, em três categorias “estudantes, convênios e profissionais”. As vagas são limitadas. O evento tem o patrocínio da Damásio Educacional, Harabello Turismo, UniFacex, Oral Estética, Unimed Natal e EVO MKT. A realização é da Ozzy Eventos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raimundo disse:

    Debater anticrime com o defensor dos maiores criminosos do país! Um pouco controverso

[FOTO] Capa da Playboy dedica revista a Bolsonaro: “Maior machista do Brasil”

A brasileira Mariah Fernandes, de 27 anos, posou para a capa da revista Playboy de Portugal, mas diz que nunca posaria da mesma forma no Brasil. O motivo? “É um país machista e liderado por um cara machista e homofóbico”, disse, se referindo ao presidente Jair Bolsonaro, em entrevista à publicação.

Como forma de protesto, ela autografou um exemplar da revista e enviou ao presidente, com uma dedicatória bastante crítica: “Bolsonaro, com carinho, para o maior machista do Brasil”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsonions disse:

    Gente respeita a opinião dos outros. Seus machista

  2. Zanoni disse:

    Ganha dinheiro mostrando o xibiu e ainda tira onda??

  3. VTNC disse:

    Que bom que este lixo foi pra Portugal,Pensa com os genitais !

  4. Raposa disse:

    Essa foi fazer programa longe, que fique em Portugal.

  5. Gui disse:

    Capaz dele passar uma noite acordado preocupado com isso.

  6. Andinho disse:

    Interessante ver uma mulher que posa nua chamar homem de machista, ao meu ver ela é tão ou até mais machista que ele.

  7. Luciana Morais Gama disse:

    E Lula que chamou as mulheres do PT de GRELO DURO?? Isso é o que???

  8. Chibatazil disse:

    Na real, ninguém sabe quem é essa GP, então, pra sair do ostracismo, essazinha vem com esse discuso lacrador de homofobia e machismo, pra tentar levantar sua baixissima autoestima.

Contaminação por bactéria leva Anvisa a determinar suspensão de comercialização de lenços umedecidos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a suspensão da comercialização e da distribuição de dois lotes de lenços umedecidos de duas diferentes marcas. Os produtos devem ser recolhidos voluntariamente após verificação de contaminação pela bactéria Enterobacter gergoviae. A medida atinge o lote 219/2019 da marca Huggies Max Clean e o lote 024/2019 da marca Baby Wipes.

Segundo a Anvisa, os produtos são de fabricação da Kimberly Clark Brasil Indústria e Comércio de Produtos de Higiene Ltda. Em nota, a agência disse que o problema foi identificado pelo controle de qualidade da própria empresa, que o comunicou à Anvisa. Segundo a empresa, a bactéria identificada não oferece riscos para pessoas saudáveis, mas pode causar infecções mais graves em pessoas que estejam com o sistema imunológico debilitado.

Em nota publicada em seu site, a Kimberly Clark informou que, em casos extremos em pessoas hospitalizadas, a infecção pode se tornar severa e requerer assistência médica adicional para se evitar risco de vida. A empresa ofereceu o telefone 0800 709 5599 para informações aos consumidores e o site kimberly-clark.com.br/contato. “A Kimberly-Clark afirma que este chamamento não representa qualquer custo ao consumidor e reforça seu comprometimento com a qualidade de seus produtos e responsabilidade com a satisfação de seus consumidores”.

Estadão Conteúdo

A pedido de Dodge, Fachin arquiva trechos de delação que citam Maia e irmão de Toffoli

O ministro do Supremo Tribunal Federal ( STF ) Edson Fachin acolheu os quatro pedidos de arquivamento feitos pela procuradora-geral da República ( PGR ) Raquel Dodge sobre a delação premiada do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro .

Os trechos arquivados se referem aos anexos sobre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia , (DEM-RJ), sobre um irmão do presidente do STF, Dias Toffoli , sobre o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Humberto Martins e sobre o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU) José Múcio Monteiro.

Leia a notícia completa AQUI no Justica Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Escritor disse:

    A unica parte da delacao do ex presidente da OAS q vale é a q acusa o luladrao. O resto tem q arquivar. Lula ta preso seu babaca.

Beto Rosado rebate denúncia do MPF e diz que não cometeu conduta ilícita: “mero equívoco do exercício de mandato”

Acerca da notícia veiculada pelo Ministério Público Federal informando que o deputado federal Beto Rosado (PP) estaria sendo processado por ato de improbidade administrativa, o parlamentar enviou nota com os seguintes esclarecimentos:

“Já foram apresentadas todas as defesas técnicas necessárias para comprovação da boa-fé e inexistência de culpa no que tange a conduta imputada pelo Ministério Público Federal no referido processo. O parlamentar já restituiu inteiramente os valores utilizados da cota parlamentar, de forma espontânea, bem antes da provocação do Ministério Público. Portanto, reputamos a conduta como se tratando de um mero equívoco no exercício do mandato, e não como uma conduta ilícita como pretende imputar o MPF”

Leia a notícia completa AQUI no Justica Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José disse:

    Equívoco???
    O cara gastar 58 mil reais de gasolina no posto do primo é dizer que é equívoco. Só podia ser coisa de oligarquia mesmo

[VÍDEO] Polícia prende estelionatário italiano aplicando golpe no Midway

Agentes da 5ª Delegacia de Polícia prenderam dentro do Midway Mall, na tarde desta segunda-feira (16), por falsidade ideológica, o italiano Giorgio Marchese, acusado de aplicar golpes em varias vítimas em Natal, no objetivo de vender supostos apartamentos e carros , anunciados a menor preço no site OLX.

Segundo informações levantadas pelo Blog, bem vestido e com uma boa conversa, ele ludibriava diversas pessoas e se aproveitava de diversos valores monetários das vítimas.

Apresentava-se com outros nomes e identidades falsas, com ele foi apreendido cartões de visita , em nome de pessoas diferentes, o mesmo chegou a negar tudo, mas as evidências são inúmeras.

A polícia pede que, em caso de reconhecimento, as vítimas busquem a Delegacia de Plantão.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Malíria disse:

    Realmente não era estelionato era puramente lavagem de dinheiro!

  2. Malíria disse:

    Ontem a PF prendeu um do pcc ligado aos mafiosos da itália.
    Hoje foi esse. Temos que deportar esses italianos que vem para o nordeste lavar dinheiro vendendo imóveis e hotelaria juntamente com as mulheres que eles "casam" para receberem o visto de permanência! Aqui tem uma porção dessa láia!

PF prende homem com 147 kg de produto controlado em Natal

A Polícia Federal apreendeu neste final de semana em uma residência no bairro de Nazaré, Zona Oeste de Natal, 147 kg de cafeína, que é um produto controlado. Um homem de 28 anos foi preso.

A cafeína estava camuflada em sacos de nitrato de cálcio com data de vencimento vencida. Os policiais apreenderam também dois carros e uma moto que estavam em poder do suspeito.

A produto controlado apreendido é tido como substância desviada de suas legítimas aplicações para ser usada ilicitamente, como precursor, solvente, reagente e adulterante ou diluente, na produção, fabricação e preparação de entorpecentes e substâncias psicotrópicas (Portaria nº 1274/2003/MJ).

O acusado após ser submetido a exame de corpo de delito encontra-se sob custódia da PF, à disposição da Justiça.

Prefeito Paulinho recebe presidente Mourão em São Gonçalo

Em passagem pelo Rio Grande do Norte, o presidente em exercício do Brasil, Hamilton Mourão, esteve no Monumento aos Mártires de Uruaçu e Cunhaú em São Gonçalo do Amarante.

Na visita, o chefe do Executivo Federal foi recebido pelo prefeito Paulo Emídio (Paulinho) e arcebispo metropolitano Dom Jaime Vieira Rocha.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Véio de Rui disse:

    Olha quem tá rindo ali atrás, padre Murillo petista de carteirinha

  2. Luciana Morais Gama disse:

    Paulinho faz parte da NOVA OLIGARQUIA POLÍTICA do RN.

Governadores do NE fortalecem agenda positiva com investidores alemães

Foto: Elisa Elsie
“Estamos com boas expectativas de investimentos no Brasil. Temos uma boa base de relacionamento e algumas companhias alemãs investem aqui há 160 anos. O RN é sempre sol e sempre vento”, elogiou Georg Witschel, embaixador da República Federal da Alemanha no Brasil, durante reunião ocorrida na programação do 37° Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA), que acontece em Natal até esta terça-feira, 17.

Na ocasião, a governadora Fátima Bezerra, destacou aos investidores alemães: “É preciso adotar medidas para o enfrentamento da crise fiscal e financeira e criar um ambiente favorável ao desenvolvimento dos negócios, mas sem tirar o foco de avançar no campo da igualdade de oportunidades e redução das desigualdades sociais“.

A governadora ressaltou, ainda, a importância da realização do EEBA no Rio Grande do Norte e as iniciativas realizadas com o intuito de trazer investidores para o Estado e a Região Nordeste. “Queremos avançar na parceria com a iniciativa privada, por meio do diálogo e da transparência. Ações concretas já foram iniciadas como a modernização dos marcos regulatórios e políticas de incentivos fiscais, gerando empregos dignos para o nosso povo e o crescimento da economia”, disse Fátima.

Presente na reunião, o governador Rui Costa (Bahia) presidente do Consórcio Nordeste, falou que a entidade em si é uma resposta ao enfrentamento desta crise financeira, uma ferramenta de gestão coletiva que busca fazer política de desenvolvimento regional e trazer investimentos por meio de parcerias com setor produtivo.

Um dos setores que concentra expectativa de investimento das empresas alemãs é o de energia, no qual o Nordeste lidera a produção nacional e o Rio Grande do Norte desponta como o maior produtor brasileiro, com grande potencial para ampliação e desenvolvimento deste setor. Embora tenha sido reiteradamente afirmado o interesse de investidores em diversos outros setores produtivos, como tecnologia, mineração, fruticultura e turismo.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, a reunião foi positiva para estreitar os laços com as empresas e com o governo alemão, além de afinar a agenda de compromissos prevista para novembro próximo. “Entre os dias 16 e 28 de novembro os governadores que integram o Consórcio Nordeste visitarão quatro países, entre eles a Alemanha, para dar continuidade ao processo de apresentação dos potenciais da região e para a formação de parcerias entre os países”, explicou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    Deus abençoe nosso estado