Funcionalismo tem 11,5 milhões de pessoas e custa R$ 725 bilhões

Com um total de 11,5 milhões de servidores públicos e custo de R$ 725 bilhões, no ano de 2017, o serviço público brasileiro sonsome 10,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. É o que mostra o Atlas do Estado Brasileiro, uma plataforma interativa lançada hoje (18) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e disponível para consulta pela internet.

O número absoluto de servidores com vínculo ativo, civis e militares, saltou de 7,5 milhões para 11,5 milhões nos últimos 20 anos, de 1995 para 2016. Segundo o estudo, este crescimento se concentrou nos municípios, onde 40% dos trabalhadores são de serviços essenciais como médicos, enfermeiros e professores. O mesmo perfil profissional é refletido nos estados.

O atlas reuniu dados dos ministérios do Trabalho e Emprego; do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, do Tesouro Nacional e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – pesquisas Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), de Informações Básicas Estaduais (Estadic) e de Informações Básicas Municipais (Munic).

Segundo o Ipea, o objetivo do estudo é apresentar dados e evidências para qualificar o debate sobre o setor público no Brasil.

Análises

A diretora adjunta da Diretoria de Estado, das Instituições e da Democracia (Diest) do Ipea, Flávia Schmidt, disse que o atlas foi dividido por nível federativo e por poder, para que possam ser feitas as análises e comparações entre os serviços públicos federal, de estados e municípios e também no Executivo, no Legislativo e no Judiciário, que apresentam muita disparidade.

“O que a gente fez na nota técnica e no estudo foi qualificar um pouco essa questão do serviço público, porque são diversas realidades que convivem simultaneamente. Têm diferenças muito marcadas entre poderes e entre níveis da Federação, para gente poder verificar questões como remuneração e tendência de comportamento.”

A análise traz dados de 1995 até 2016. Os dados apontam que enquanto os servidores do Executivo federal receberam, em média, R$ 8 mil, as remunerações do Judiciário federal entre 2007 e 2016 foi o dobro disso, R$ 16 mil. No Legislativo federal, os salários foram de 90% da remuneração do Judiciário, cerca de R$ 14,3 mil.

Já no nível estadual, o salário médio do Executivo ficou em R$ 5,1 mil, o que corresponde a 40% das remunerações do Judiciário (R$12 mil) e 51% do que é pago no Legislativo (R$ 8,4 mil). O nível municipal tem o maior número de servidores, com um total de 6,5 milhões de trabalhadores, mas a remuneração é a menor entre os três níveis federativos, com média de R$ 3 mil.

Para Flávia Schmidt, apesar do crescimento, não se pode afirmar que há inchaço da máquina pública. “Quando você vai ver as ocupações que cresceram marcadamente, não são aquelas de topo de carreira, em Brasília, no Executivo federal, como está no imaginário comum. Na verdade, o que cresceu muito foi justamente a prestação de serviços com vínculo público nos municípios, que é onde estão os vínculos mais predominantes no serviço público”.

Vínculos

Em números absolutos, o total de vínculos civis e militares ativos no setor público federal aumentou 25%, passando de 950 mil pessoas em 1995 para 1,2 milhão, em 2016, porém, a análise destaca que o número de civis federais em 2018 é inferior ao de 1991. No nível estadual, a evolução foi de 28%, indo de 2,9 milhões para 3,7 milhões. Já nos municípios, o salto foi de 175%, passou de 2,4 milhões para 6,5 milhões.

Segundo a pesquisadora, uma próxima etapa do estudo vai analisar as áreas onde esses servidores estão alocados, para verificar a qualidade do serviço prestado à população. Do total nos municípios, 40% estão nas áreas de saúde e educação. Nos estados, essas duas áreas mais a segurança englobam 60% dos vínculos.

“Uma das grandes tendências nessa análise é que houve sim o aumento em números absolutos de servidores públicos civis e militares em 20 anos, mas esse aumento se deu principalmente nos municípios, que é onde se encontra, de uma forma mais intensa desde a Constituição de 1988, a prestação de serviços públicos ao cidadão. Esse servidor é o professor, o médico, a assistente social, a enfermeira”.

Remuneração

O serviço público também apresenta diferença de remuneração entre homens e mulheres, apesar de ser em menor proporção do que no mercado de trabalho como um todo. Em média, as mulheres ganham 75% do salário dos homens e no Executivo civil federal os homens ganham 14% a mais do que as mulheres. Segundo Flávia, não há uma explicação única para essa diferença.

“A gente supõe que isso aconteça porque elas podem estar concentradas em ocupações de menor remuneração, talvez não estejam no topo das carreiras. Pode ser também que não ascendem dentro da carreira, não chegam a postos de chefia. Pode vir de outras condições que inibem as mulheres a conseguir fazer o concurso, como existe no mercado de trabalho como um todo, não conseguem fazer o concurso e não ingressam no serviço público”.

Flávia destaca que as mulheres são predominantes em todos os níveis do serviço público, mas em todos o salário delas é menor.

A pesquisa também mostra o aumento da qualificação dos servidores públicos. De 1995 a 2016, o número de servidores federais com nível superior completo ou pós-graduação subiu de 45% para 78%, nos estados passou de 28% para 60%, e nos municípios os graduados ou pós-graduados passaram de 19% para 38%.

Agência Brasil

Brasil gasta muito com juros, Previdência e Justiça, aponta Tesouro

O Governo Central – Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central – gasta muito em despesas que distorcem a distribuição de renda, revelou relatório divulgado hoje (18) pelo Tesouro. O estudo comparou os gastos públicos brasileiros com 54 países, agrupando as funções das despesas em dez categorias, conforme a metodologia da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e da Organização das Nações Unidas (ONU).

O Orçamento brasileiro atribui 28 funções aos gastos públicos, o que, segundo o Tesouro, exigiu a adequação aos padrões internacionais para facilitar a comparação. De acordo com a classificação da OCDE e da ONU, o Governo Central gastou 33,7% do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas) em 2016. Esse é o quarto maior volume entre os países analisados, só perdendo para os países do norte da Europa – Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia.

A diferença, destacou o relatório do Tesouro, está no fato de que os países nórdicos são ricos e com elevada carga tributária, o que lhes permite ter condições de arcar com os altos gastos públicos. Além disso, acrescentou o documento, o país gasta em funções que fornecem pouco retorno em serviços públicos.

Dívida Pública

Em 2016, o Brasil gastou 9,7% do PIB com o pagamento dos juros da dívida pública, contra 2,7% dos países emergentes e 1,95% dos países desenvolvidos. A queda dos juros básicos entre 2015 e 2017, reduziu em R$ 123,6 bilhões (18%) esse tipo de despesa, mas o relatório apontou que o Brasil continua a gastar muito com o serviço da dívida pública. O ano-base de comparação foi 2016 para permitir a comparação internacional.

Aposentadorias

Em relação ao pagamento com aposentadorias e pensões, o Brasil desembolsou 12,7% do PIB em 2016, contra 8,2% das economias avançadas e 7,6% das nações emergentes. Os países nórdicos, em média, gastaram 12,8% do PIB. No entanto, o Tesouro ressaltou que a proporção de idosos no Brasil é bastante inferior a dos países do norte da Europa. Na Finlândia, a população com mais de 65 anos equivale a 35,5% do total, contra 13,9% no Brasil.

Para impedir o descontrole do gastos públicos, à medida que a população brasileira envelhece, o relatório recomenda a aprovação da reforma da Previdência. “Para aprofundar nesse ajuste [fiscal], é imprescindível avançar na reforma da Previdência, sem a qual não haverá controle do gasto público no Brasil”, defendeu o relatório.

O Tesouro ressaltou que a aprovação da reforma da Previdência permitirá melhorar a distribuição de renda no país, ao remanejar parte das verbas para as parcelas menos favorecidas. “Com essa reforma, será possível inclusive melhorar o estado do bem-estar social no país, ao direcionar uma parcela maior do gasto público para a população mais vulnerável e não para as pessoas de maior poder aquisitivo, que se aposentam, em média, com menos de 55 anos de idade”, ressaltou o texto.

Judiciário

O relatório considerou elevada a proporção dos gastos com o Poder Judiciário. Em 2016, o Brasil gastou 1% do PIB com os tribunais de Justiça, mais que o triplo da média de 0,3% dos países analisados. As despesas não abrangem apenas os gastos com os servidores, mas com a administração, gestão ou apoio aos tribunais e a representação legal e o assessoramento jurídico em nome do governo.

Enquanto gasta mais que a média com o Poder Judiciário, o país gasta menos que os emergentes com saúde. Em 2016, as despesas com saúde do Governo Central somaram 2% do PIB, contra 2,5% nos países emergentes e 3,3% nos países desenvolvidos. Os gastos federais concentraram-se nas transferências do Sistema Único de Saúde (SUS) aos fundos estaduais e municipais de saúde, que financiam os programas de Atenção Básica à Saúde e procedimentos como tratamentos, internações e exames.

Em relação à educação, o Brasil gastou 2,4% do PIB, contra média de 3,1% dos países pesquisados. A maior parte desse total foi destinada ao ensino superior, de competência do governo federal. Isso porque a Lei de Diretrizes e Bases da Educação estabelece a administração do ensino médio aos estados e do ensino fundamental aos municípios.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tom disse:

    Porque não faz um quadro comparativo com gráficos, ficaria mais fácil o entendimento. O que fica muito evidente é a enorme diferença percentual de quanto se paga de juros no Brasil e no resto mundo, isso tem a mão dos esquerdopatas petralhas, que
    Tiraram nossas dívidas da mão dos bancos internacionais (dívida externa) e transferiram pra os bancos nacionais (dívida interna), com isso os pagamentos de juros aumentaram 500%, a vantagem disso é que os banqueiros repassam parte desses juros para os mandatários do poder, através de propinas. Enquanto isso, ficamos sem prestação de muitos serviços, pois o dinheiro é carreado pra banqueiros e políticos. E ninguém comenta nada, porque enriquece aos poderosos.

Flávio Bolsonaro diz que investigação é para atingir novo governo

O deputado estadual pelo Rio de Janeiro e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) afirmou, nesta terça-feira 18, “não ter a menor dúvida” de que as denúncias que envolvem um ex-assessor vieram à tona para atingir ele e seu pai, o presidente eleito, Jair Bolsonaro. Flávio também disse que “muitas coisas estão mal explicadas” neste caso.

“Por que só o sigilo bancário dele veio a público? Como é que pode? Quebraram o sigilo do cara e veio a público só o dele? Tem um monte de gente lá nessa situação também, similar. Será que é só para me atingir? Será que é só para atingir o presidente eleito, para causar uma desestabilização já no início do mandato dele?”, questionou o senador eleito, que participou da cerimônia de diplomação dos eleitos no Rio de Janeiro.

“Eu não tenho que dar mais explicações sobre isso, quem tem que falar é meu ex-assessor. A movimentação atípica foi na conta dele, não foi na minha. Eu não tenho a senha do cara para saber o que houve”, declarou o senador eleito.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge disse:

    Vitimização atípica do PT. Não ache que a opinião pública ficará quieta, ao contrário da esquerda, #naotemospoliticosdeestimacao

  2. Zé Maria disse:

    Cara de pau.
    Reclamavam do Lula corrupto, agora elegeram um clã de corruptos.

  3. Jorge disse:

    Será que se essa denúncia fosse antes das eleições, o resultado seria o mesmo?

Globo confirma mudança de horário dos jogos de quarta-feira

A TV Globo confirmou nesta terça-feira, através de um comunicado enviado para a imprensa, que os jogos de quarta-feira nos campeonatos estaduais e do Brasileirão mudarão de hora e passarão a ser realizados às 21h30 (horário de Brasília). A CBF já havia informado a novidade, mas a emissora que transmite os jogos não havia confirmado a informação.

A alteração era um pedido antigo da CBF e também de torcedores, que reclamavam da dificuldade para sair dos estádios e usarem transporte público, além do fato de os jogos terminarem muito tarde.

De acordo com o comunicado, a partir do dia 20 de janeiro a emissora volta a transmitir jogos e o primeiro duelo na quarta-feira à noite acontece no dia 6 de fevereiro. Assim como aconteceu neste ano, os torneios do País serão paralisados durante o período da disputa da Copa América, entre 14 de junho e 7 de julho – neste ano, a parada foi em decorrência da Copa do Mundo.

A Copa do Brasil também irá terminar mais cedo do que em 2018. Se teve a decisão disputada em outubro este ano, a luta pelo título em 2019 ocorrerá nos dias 4 e 11 de setembro. Já o Brasileirão será realizado entre os dias 28 de abril e 8 de dezembro, e a Série B acontecerá de 27 de abril a 30 de novembro.

Recurso final para a implantação do teleférico de Santa Cruz é liberado

Através de sua página no Facebook, o deputado estadual Tomba Farias (PSDB) comemorou na tarde desta terça-feira (18), a liberação do aporte final para a implantação do Teleférico de Santa Cruz, no valor de R$ 1.800.000,00, recursos estes viabilizados com o respaldo pessoal do presidente Michel Temer, “que hoje deu essa boa notícia ao nosso povo, ao Rio Grande do Norte e à cidade Santa Cruz”.

Com a verba garantida, a construção do teleférico de Santa Cruz entra na reta final e o equipamento deverá iniciar a sua operação até o final de 2019, alavancando o turismo religioso do Rio Grande do Norte e tornando Santa Cruz um dos mais importantes polos turísticos do País.

Além de fazer um agradecimento espacial ao presidente Temer, Tomba Farias fez também agradeceu ao ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves (PMDB), cujo apoio foi fundamental para “fazer o sonho do teleférico tornar-se realidade”. Tomba lembra que Henrique Alves tem participação direta na viabilização de várias obras importantes para o turismo potiguar, a exemplo da ampliação do Centro de Convenções de Natal e do Museu da Rampa.

Em sua despedida do Senado, Garibaldi diz que prosseguirá lutando pelo RN

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Em seu discurso de despedida do Congresso Nacional, o senador Garibaldi Filho garantiu que continuará trabalhando em favor dos interesses do Rio Grande do Norte. “Em qualquer luta a favor do estado, eu sempre estive no pelotão de frente. A causa do povo potiguar é – e continuará sendo – a minha causa”, afirmou. Ele acrescentou que encerra seu mandato com a certeza de ter cumprido da melhor forma possível a missão que o eleitor potiguar o conferiu.

“Tenho orgulho de dizer que a minha trajetória representou o cumprimento de todos os compromissos que assumi com os cidadãos, desde o princípio, sobretudo os do meu estado. De forma suprapartidária, sempre coloquei o Rio Grande do Norte em primeiro lugar”, registrou. Ele fez uma retrospectiva dos vários mandatos e cargos que ocupou. Lembrou, por exemplo, de programas como o do Leite e das adutoras, que implantou quando prefeito de Natal e governador do RN.

O programa do leite, lembrou Garibaldi, reduziu a mortalidade infantil, salvando a vida de centenas de crianças. Já as adutoras levaram para milhares de sertanejos água de boa qualidade para beber. “Acredito que as melhores obras e iniciativas são aquelas que beneficiam sobretudo aos que mais precisam”, observou. Assumindo a Presidência do Senado em um momento de forte tensão política, Garibaldi apaziguou os ânimos e devolveu o Congresso Nacional à sua rotina de sensatez e trabalho pelo Brasil.

Como ministro da Previdência Social, enumerou Garibaldi, ele ampliou o número de contribuintes empreendedores individuais em seis vezes, abriu a possibilidade de as donas de casa passarem a ter direito aos benefícios previdenciários e implantou os fundos de pensão para os servidores públicos. De volta ao Senado, depois da tarefa no Ministério, focou o seu trabalho na tentativa de minimizar as consequências da seca e do agravamento da violência.

Reconhecendo a gravidade do momento atual, Garibaldi externou seu desejo de que os senadores potiguares que assumirão em fevereiro do próximo ano tenham sucesso na tarefa de trabalhar pelo Rio Grande do Norte. “A Jean-Paul Prates, Zenaide Maia e Styvenson Valentim manifesto votos de êxito, e que honrem o encargo que receberam”, declarou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rico disse:

    Tá, última luta foi provocar um rombo de muitos bilhões de reais ao conceder aumento de 17% aos magistrados, que já estavam com os salários minguados. Aguarde carta fdp

  2. Teixeira disse:

    Me sinto muito bem representado pelo Sr . Garibaldi, homem de grandes gestos pelo sofrido RN,mesmo sabendo que vou ser criticado por vários internautas,pois quando se perde uma eleição todos os nossos valores vão de água a baixo.

  3. Brasil é verde e amarelo disse:

    Já vai tarde PARASITA

  4. Brasil é verde e amarelo disse:

    Esse parasita ajudou a quebrar o RN ….

  5. Carlos disse:

    Vai tarde, o cara passa a vida toda na política, só na mamata e liberando projetos a conta gota regando a idioti……do povo. Vale salientar que ele tá certo, primeiro a família e por último se sobrar, os abestalha……

DEMOROU: Equipe de Guedes quer acabar com contribuição compulsória para Sistema S

A equipe do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, estuda acabar com a obrigatoriedade de pagamento ao Sistema S pelas empresas.

A ideia é retirar a contribuição da lista de recolhimentos compulsórios que incidem sobre a folha de salários.

O futuro secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, disse que o objetivo é baixar os custos de contratação para gerar empregos.

“O custo da folha [de pagamentos] é onerado em 20% de contribuição patronal para o INSS e mais 6,5% aproximadamente do Sistema S. É esse estudo que está sendo objeto agora de uma avaliação muito precisa, porque o principal objetivo é gerar empregos, fazer a folha de salários ser menos onerada”, afirmou Cintra.

“Não existe política mais regressiva do que tributar o salário, que acaba resultando em 13 milhões de desempregados no país, fora a economia informal”.

Nesta segunda-feira (18), Guedes afirmou, na Firjan (federação das indústrias do Rio), que pretende “meter a faca” no Sistema S.

A declaração levou a interpretações de que o governo poderia estar interessado em ficar os recursos, hoje destinados a entidades como Sesc e Senai, para financiar políticas próprias de capacitação.

O Sistema S é um dos principais financiadores dos programas do Senai e também banca o funcionamento da rede Sesc. São recolhidos cerca de R$ 20 bilhões por ano, segundo o secretário.

Cintra afirmou que não se trata de tomar para o governo o recurso que vai para o Sistema S, mas desonerar as empresas.

“É simplesmente que o setor privado possa dispor desses recursos voluntariamente em um programa que lhe seja de melhor proveito, não necessariamente obrigando que esses recursos sejam depositados no governo e o governo seja o repassador para as entidades que prestam esse serviço”, afirmou Cintra.

“Se as empresas acreditam que é um sistema bom, que lhe presta bons serviços, ela vai poder fazer isso, pagando menos ao governo que faz a intermediação e diretamente financiando esses serviços através de empresas privadas, onde quiser”.

Cintra afirmou que a equipe está trabalhando nestes estudos e que até meados de janeiro pretende entregar uma proposta sobre que linha adotar.

“Estamos trabalhando muito seriamente nisso e até meados de janeiro vamos ter uma definição sobre que linha adotar, que percentual do ônus sobre a folha de salários será reduzido. Esperamos que isso gere um impacto de emprego muito positivo”, afirmou.

Ele acrescentou que não o estudo não se concentra apenas no Sistema S, mas também testa a viabilidade de retirar contribuições que incidem sobre a parcela paga ao trabalhador.

“Poderá haver uma substituição de fontes. Estamos fazendo substituição de fontes”, afirmou, referindo-se provavelmente à retirada de tributos que incidem sobre os salários e elevando outros que incidem sobre outros pagamentos.

Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    Estou doido pra falar sobre esse figurão, mas nesse país tenho receio em pagar ao falar o que entendo como verdade. É no mínino ridícu….. o que esse indivíduo prega e o povo pra variar não faz absolutamente nada.

  2. Sylvana Silva disse:

    O CORRETO SERIA ESTATIZAR O SISTEMA S, COMO FOI PROPOSTO NA DÉCADA DE 1980, JÁ QUE OS RECURSOS SÃO PÚBLICOS MESMO!
    AFINAL QUEM FAZ O QUE O SISTEMA S FAZ? TANTO NAS ESCOLAS COMO NO SOCIAL?

Lava Jato pede bloqueio de bens contra parlamentares e ex-parlamentares do PSB, MDB, PP e PSDB

A força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba pediu, em uma ação de improbidade administrativa, o bloqueio de bens dos senadores Valdir Raupp (MDB-RO) e Fernando Bezerra (MDB-PE), do deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) e dos diretórios nacionais do PSB e MDB.

Também foram alvos do pedido os espólios do ex-senador Sérgio Guerra, que foi presidente do PSDB, e do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, que concorreu à Presidência pelo PSB. Ambos morreram em 2014.

A Lava Jato pede o bloqueio provisório de pelo menos R$ 100 milhões de cada um, a fim de ressarcir a Petrobras pelos desvios. No caso do MDB, o valor é de até R$ 1,89 bilhão.

O valor total cobrado pela ação, entre ressarcimento, multas e danos morais, chega a R$ 3 bilhões.
A Justiça ainda não decidiu a respeito, mas já determinou o bloqueio de um precatório do estado de Alagoas à construtora Queiroz Galvão, acusada de participação no esquema.

O grupo é acusado de ter participado e se beneficiado de desvios na Petrobras, por meio da cobrança de propina em contratos da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, ou do pagamento de vantagens indevidas na CPI da Petrobras, em 2009.

Os fatos ainda são alvo de apuração em inquéritos e ações criminais no STF (Supremo Tribunal Federal) e na Justiça Federal. No caso de Bezerra, a acusação de corrupção e lavagem de dinheiro foi rejeitada pelo Supremo na semana passada.

Em ações de improbidade administrativa, porém, não há foro privilegiado —por isso, o processo corre na Justiça Federal do Paraná.

Segundo os procuradores, os senadores Raupp e Bezerra atuavam em nome do MDB e do PSB, respectivamente (Bezerra era pessebista até o ano passado), e tiveram “atuação destacada” no esquema ao favorecer um cartel de empreiteiras na Petrobras, em troca do pagamento de propinas aos partidos.

O MDB teria recebido pelo menos R$ 108 milhões em propina, e o PSB (incluindo o ex-governador Eduardo Campos), R$ 40 milhões.

A ação ainda detalha pagamentos feitos ao empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, dono do jatinho em que Campos estava quando morreu num acidente aeronáutico, em agosto de 2014.

Segundo o MPF, Lyra atuava como operador do pessebista, que na época disputava a Presidência.

“Trata-se de propinas canalizadas para a campanha de um presidenciável que, não tivesse falecido, poderia ter sido presidente do Brasil ou ocupado outra alta função pública na esfera federal”, afirmou o procurador Deltan Dallagnol, para quem o fato exige uma “profunda reflexão sobre a necessidade de reformas no sistema político brasileiro”.

Já Guerra, que foi presidente nacional do PSDB entre 2007 e 2013, é apontado como beneficiário de propinas no âmbito da CPI da Petrobras, em 2009, em troca de que a comissão não revelasse o esquema ilícito em andamento na Petrobras.

O atual deputado Eduardo da Fonte, que também é alvo da ação, é acusado de envolvimento nesse mesmo esquema —que é tema de inquérito no Supremo Tribunal Federal.

Outro lado

Em nota, o MDB informou que considera preocupante “a investida do Ministério Público contra um partido com mais de 50 anos de história e pilar da democracia brasileira”. O partido sustentou que todas as doações recebidas foram contabilizadas e aprovadas pela Justiça, e que a ação de improbidade “mais parece um panfleto político eleitoral”.

“Responsabilizar instituições com base em depoimentos enviesados é um risco enorme para nossa estabilidade”, afirma a nota.

O senador Fernando Bezerra (MDB-PE), em nota, lembrou que o STF, “instância máxima do judiciário brasileiro”, rejeitou a denúncia contra ele em duas ocasiões no passado. “O STF concluiu que as narrativas de supostos delatores não encontram qualquer ressonância com elementos de prova, posicionando-se contrário ao andamento dos inquéritos”, informou o senador. “Como reforça a defesa de Fernando Bezerra, representada pelo advogado André Callegari, ‘não há suporte mínimo de autoria e materialidade contra o senador e a consequência natural era a rejeição das denúncias pela Suprema Corte do país’”.

A Folha aguarda posicionamento dos demais citados.

Folhapress

Turistas poderão visitar restos do Titanic em submarino a partir de 2019

A OceanGate construiu um submarino especialmente para as missões, abertas a qualquer pessoa com ao menos 18 anos, preparo físico básico e disposição para gastar mais de R$ 400 mil pela viagem -o preço é de US$ 105.129, valor de uma passagem de primeira classe do Titanic em sua viagem inaugural, ajustado para a inflação após mais de cem anos.

O famoso navio de luxo está nas águas do Atlântico Norte, a 3.800 metros de profundidade, desde abril de 1912, quando naufragou ao atingir um iceberg, matando cerca de 1500 pessoas. Descoberto em 1985 em uma expedição da Marinha americana, o navio tem sido acessado especialmente por veículos não tripulados desde então.

A OceanGate usará um submarino tripulado construído para a missão, batizado de Titan, cujos testes foram feitos no mar das Bahamas.

Com um visor de 53 centímetros de diâmetro, o equipamento terá capacidade para cinco pessoas (um piloto, um especialista que dará informações sobre o naufrágio e três outros tripulantes).

Estão previstas seis viagens, cada uma delas com vaga para nove turistas. A primeira está agendada para o período de 26 de junho a 7 de julho e a última, de 1º a 12 de agosto.

Os passageiros sairão do Canadá e irão de helicóptero até o navio de apoio, localizado na área onde estão os destroços. A previsão é que se gaste seis horas no submarino, três delas para subida e descida.

A tripulação vai colaborar com cientistas em pesquisas, coletando imagens em vídeo e escaneando os destroços para criar um modelo virtual em 3D do navio naufragado.

Segundo a empresa, que opera submarinos comerciais desde 2010, a viagem é segura e não houve acidentes graves com equipamentos semelhantes nos últimos 35 anos. Elas afirmam que menos de 200 pessoas já viram os destroços do Titanic de perto até hoje.

Outdoor do Detran, criado pela Executiva, é destaque internacional

A mais nova campanha do Detran/RN, desenvolvida pela Executiva – Agência de Comunicação, recebeu reconhecimento internacional, no BEST ADS, portal norte americano, dos mais respeitados do mundo, voltado exclusivamente para a área da propaganda e marketing.

Classificado entre marcas como Mac Donalds (Germany) e Netflix (New Zealand), a peça de outdoor do Detran/RN (Brasil), que ficou entre as melhores do mundo no mês de dezembro, traz estampada a mensagem: *“a pressa passa… as consequências ficam”*, que adverte os condutores de moto contra os riscos de quem pilota sobre duas rodas.

As campanhas publicitárias do Detran RN, somadas às ações educativas das polícias de trânsito, têm feito com que os números de acidentes no RN venham diminuindo a cada ano e, segundo dados do Ministério da Saúde, fizeram com que Natal ficasse com a *segunda melhor posição* do ranking nacional de bons resultados no trânsito.

Governo inaugura obra de infraestrutura hídrica em Mossoró

“Com esse poço a água vai chegar com mais facilidade nas nossas casas, então encaramos com muita positividade essa ação do governo e só temos a agradecer”. A declaração é da professora Roberta Gláucia que há cinco anos mora no loteamento Nova Mossoró, em Mossoró. O local recebeu a visita do governador Robinson Faria nesta terça-feira (18) para inauguração de obra de infraestrutura hídrica.

Trata-se do poço da Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) perfurado na área. O investimento na ação foi de R$ 6,5 milhões com recursos da Companhia e busca ampliar o abastecimento da segunda maior cidade do Rio Grande do Norte.

“Essa é uma região de Mossoró que vem crescendo nos últimos anos, são mais de mil casas que precisavam de acesso à água, elemento fundamental para a sobrevivência humana”, disse o chefe do Executivo Estadual. Robinson observou ainda que “esse poço tem uma das maiores vazões da região”.

Às margens da BR que liga Mossoró a Tibau, o poço atingiu profundidade de aproximadamente 980 metros com vazão de 250 metros cúbicos/h, beneficiando uma área de expansão imobiliária e reforçando o abastecimento de localidades como Santo Antônio, Santa Helena e Abolições.

“A obra vai auxiliar no crescimento desta área que vive pleno desenvolvimento e desafogar outros pontos de abastecimento da cidade”, acrescentou o diretor da Caern, Marcelo Toscano. De acordo com ele, com a conclusão deste poço, na próxima semana será iniciada a perfuração do poço de Sumaré.

PSOL recebe notícia da suspensão da diplomação com “surpresa e perplexidade”

O PSOL emitiu uma nota externando surpresa e perplexidade com a decisão de suspender a diplomação do deputado eleito Sandro Pimentel. O partido adiantou que casos semelhantes aconteceram com outros políticos eleitos e que vai adotar todas as medidas legais cabíveis para garantir a diplomação.

Confira a nota na íntegra abaixo

A notícia sobre a suspensão da diplomação de Sandro Pimentel como deputado estadual foi recebida com surpresa e perplexidade pelo parlamentar e pelo PSOL. Sandro Pimentel já havia esclarecido que o motivo pela desaprovação das contas pelo TRE/RN se deu por um erro técnico, o que nada interfere na lisura ou na seriedade de sua escolha pelo voto popular, inclusive um recurso foi apresentado ao tribunal sobre essa desaprovação, que ainda nem julgou o pedido.

Que o mesmo erro técnico foi apontado em várias campanhas de outros candidatos, inclusive aqui no RN, e isso não causou interferência no direito constitucional de diplomação de nenhum eleito. Após ser noticiado pela imprensa, a equipe jurídica de Sandro Pimentel foi ao tribunal tomar conhecimento do teor da liminar e, obviamente, tanto o parlamentar quanto o PSOL tomarão todas as medidas legais cabíveis para garantir a diplomação.

Reafirmamos ainda nossa confiança na justiça, na soberania do voto popular e na democracia, sempre entendendo que as instituições e a República são mais fortes que qualquer interesse de ocasião.

PSOL/RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Bonifácio disse:

    Amigo BG se o senhor puder nos informar quem é o primeiro suplente da coligação que elegeu o nobre vereador/deputado Sandro Pimentel de ante mão eu lhe agradeço e vou avisa-lo para colocar o paletó em dia

  2. Reginaldo disse:

    Rapaz esse TRE deve ser muito incompetente ou está sofrendo ingerência externa perseguir os deputados eleitos da esquerda, ja foi Mineiro, Sandro Pimentel, tentaram contra Natalia e Zenaide , mais contra os outros eleitos tudo normal.

Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte inicia Operação Verão 2018/2019

Com o objetivo de intensificar as ações de fiscalização do tráfego aquaviário e de conscientização, a Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte (CPRN) e a Agência da Capitania dos Portos em Areia Branca (AgABranca) iniciaram a Operação Verão 2018/2019 no litoral potiguar e em suas águas interiores. Durante a operação, esse incremento é realizado nas áreas de maior concentração de embarcações, sobretudo de esporte e de recreio, com especial atenção às embarcações de transporte de passageiros e de turismo náutico.

Para executar a Operação Verão, a Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, e sua agência subordinada, contam com um efetivo de 120 militares, com o apoio de nove embarcações, incluindo lanchas e motos aquáticas, além de dez viaturas.

As ações são realizadas em toda área de jurisdição da CPRN, incluindo a Agência de Areia Branca, priorizando pontos com maior movimento de embarcações, como as localidades de Ponta Negra, Pirangi, Maracajaú, Pipa, Lagoa do Bonfim, Lagoa de Extremoz, Barra do Cunhaú, Tibau do Sul, Porto do Mangue, Tibau, entre outras.

Na Operação Verão 2017/2018, a CPRN inspecionou 1.914 embarcações, emitindo 137 notificações que se reverteram em 57 autos de infração. Além disso, foram realizadas sete apreensões de embarcações.

Campanha

De acordo com informações da Diretoria de Portos e Costas, a principal causa dos acidentes em embarcações de esporte e recreio é a falha humana, o que por vezes pode resultar em consequências irreversíveis. Para minimizar a possibilidade da ocorrência de desastres náuticos, a campanha deste ano terá como conceito “Segurança da Navegação: quem valoriza a vida, respeita”, tendo como mote a valorização da vida e a responsabilidade do proprietário e do condutor da embarcação, especialmente durante as atividades de lazer.

Dados da Superintendência de Segurança do Tráfego Aquaviário da DPC mostram que, nos últimos dois anos, no Brasil, o volume de acidentes envolvendo embarcações de esporte e recreio reduziu 12%, de 229 (2017) para 200 (2018). Cabe ressaltar que somente no verão 2017/2018 ocorreram mais de 38% do total dos acidentes registrados até dezembro deste ano. As lanchas e motos aquáticas são destaques nas estatísticas. No último verão elas representaram 72% dos casos registrados com embarcações de esporte e recreio no país.

Naufrágio, abalroamento, queda de pessoas na água, incêndio e colisão são os casos que mais chamam a atenção nas estatísticas. De dezembro de 2017 a março de 2018, as embarcações que mais se envolveram com esses acidentes durante o lazer foram lanchas (56%), motos aquáticas (21%) e botes (9%).

Travessia Segura

Outra ação que ocorrerá dentro da Operação Verão 2018/2019 será a “Travessia Segura”, no mês de janeiro, em todo o País, com foco especial nas embarcações de transporte de passageiros e de turismo náutico, que tem seu fluxo intensificado durante o período de férias nas regiões litorâneas e nos balneários.

Tribunal nega pedido de liberdade de João de Deus

Foto: Daniel Marenco / Agência O Globo

O Tribunal de Justiça de Goiás negou, no final da tarde desta terça-feira, um pedido de liberdade feito pela defesa do médium João de Deus. O habeas corpus foi apresentado pela defesa do líder religioso na segunda-feira e pedia que o tribunal suspendesse a prisão preventiva ou imputasse medidas cautelares, como prisão domiciliar, uso de tornozeleira eletrônica e proibição de exercer o ofício.

O pedido foi indeferido pelo desembargador Jairo Ferreira Júnior. A assessoria do TJ-GO não deu detalhes da decisão, pois o caso corre em segredo de justiça.

Médium mais conhecido do Brasil, João de Deus se entregou à polícia numa estrada de terra na zona rural de Abadiânia, na tarde do último domingo, e está preso no complexo prisional de Aparecida de Goiânia, a 30 quilômetros de Goiânia. Em interrogatório de quatro horas aos delegados da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), o médium negou todas as acusações de abuso sexual e “exigiu” aos delegados que as mulheres apresente provas sobre as acusações, “e não apenas relatos”.

João de Deus se entregou à polícia no domingo e passou sua primeira noite dividindo cela com três pessoas, todos advogados, uma cela de 16 metros quadrados no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Com a chegada de mais um advogado, João foi transferido para uma cela individual, de 2,5m x 3m, que tem apenas uma cama e um armário.

Responsável pela condução dos depoimentos de vítimas e do próprio interrogatório do médium João de Deus na delegacia de Investigação Criminal de Goiás, a delegada Karla Fernandes afirmou ao GLOBO que o conjunto de relatos das vítimas torna “evidente” que João de Deus estava abusando de mulheres em seu centro espiritual.

— Não identificamos nenhuma vítima que esteja querendo se aproveitar da situação. Em certo momento (do interrogatório), ele aumentou o tom de voz. Exigiu provas. Mas temos algo que são casos antigos, e basta o depoimento coerente — diz.

A investigadora afirma que o médium é acusado de “amaldiçoar” as mulheres que ameaçassem revelar os crimes. Ela diz que identificou padrões de comportamento do líder espiritual ao escolher suas vítimas. Segundo Karla, o médium teria preferência por atacar mulheres “frágeis”, que estivessem tentando engravidar, porque usaria a situação como pretexto para tocar partes íntimas das vítimas. Quando elas reagiam, segundo a delegada, o médium “amaldiçoava” as mulheres para que não revelassem o crime

O Globo

 

Estudo indica que uma simples mudança na atitude da mulher durante a relação sexual pode fazer com que ela sinta mais prazer

Foto: shutterstock

Algumas posições sexuais são consideradas clássicas, como a mulher ficar por cima do homem, o casal ficar “de ladinho” ou o estilo “cachorrinho” . E de acordo com estudo recente, uma simples mudança na atitude da mulher durante a relação sexual pode fazer com que ela sinta mais prazer em qualquer uma dessas opções.

A pesquisa, liderada por Annette Bischof-Campbell, da Universidade de Zurique, na Suíça, e publicada recentemente no “Journal of Sex Research”, relaciona o prazer que as mulheres sentem no sexo com o movimento que elas fazem com o corpo. Segundo o jornal “The Sun”, essa é a primeira pesquisa que liga excitação aos movimentos na hora da transa.

Mais de 1200 mulheres, entre 18 e 75 anos, foram ouvidas na pesquisa. E os estudos concluíram que aquelas que dizem mexer o quadril durante a relação sexual tem uma taxa de orgasmo 0.6 maior que as demais.

Segundo os pesquisadores, o movimento ajuda para o fluxo sanguíneo. Se a mulher fica parada, ela tende a tensionar os músculos do assoalho pélvico, cortanto o fluxo sanguíneo e dificultando qualquer sensação prazerosa.

O segredo seria ainda fazer movimentos para frente e para trás. “Ensinar as mulheres a mexer o quadril e o tronco para frente e para trás durante a relação é a maneira mais provável de ajudá-las com a excitação”, diz a lider da pesquisa.

Qual a melhor posição para ter mais prazer com essa dica?

(mais…)