Airbus da Azul decola às 13h para buscar 2 milhões de doses de vacina

O governo brasileiro finaliza os últimos preparativos para buscar os dois milhões de doses da vacina contra a Covid-19 na Índia, em voo especial da empresa aérea Azul que sairá do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), às 13h desta quinta-feira (14) com destino ao Recife (PE), de onde partirá direto para Mumbai, na Índia. De acordo com nota conjunta dos ministérios da Saúde, da Defesa e das Relações Exteriores, as vacinas estão previstas para chegar ao Brasil no próximo sábado (16) no Aeroporto do Galeão (RJ).

O Airbus A330neo, a maior aeronave da frota da Azul, estará equipado com contêineres específicos para garantir o controle de temperatura das doses de acordo com as recomendações do fabricante, e voará cerca de 15.000 quilômetros até o seu destino.

As doses foram produzidas pelo laboratório indiano Serum e compradas pelo Ministério da Saúde. A vacina da AstraZeneca/Oxford será distribuída aos estados em até cinco dias após o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para dar início à imunização em todo o país, de forma simultânea e gratuita.

O Ministério da Saúde recebeu o apoio da Azul e da Associação Brasileira de Empresas Aéreas, por meio das empresas Gol, Latam e Voepass, para a logística de transporte gratuito da vacina contra Covid-19.

O Ministério das Relações Exteriores, por meio da Embaixada em Nova Delhi, realizou gestões junto às autoridades indianas e ao Instituto Serum da Índia, em seguimento à carta do presidente Jair Bolsonaro ao primeiro-ministro Narendra Modi, do dia 8 deste mês. A segurança de todo o transporte em terra até os estados terá o apoio do Ministério da Defesa.

Tanto com a Índia quanto com o Reino Unido o Brasil tem mantido frequentes contatos em alto nível, segundo a nota conjunta dos três ministérios, “pautados por espírito de solidariedade e cooperação no enfrentamento da pandemia de Covid-19.”

DIÁRIO DO PODER

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Pronto em breve teremos no Brasil o imunizante da Oxford que garante 90% de proteção é mais barata e tem em contrato transferência de tecnologia para produção, enquanto a vachina do calça apertada é o lado oposto disso . Acaba com Isso o mimimi da cobranca dos esquerdopatas e midiaslixo que agora irão falar "só 2 milhões e o restante da população irá esperar até quando?"
    E ainda terá o partido REDE dando entrada em um pedido de prazo para aquisição dos imunizantes pelo governo federal no STF.
    Fiquem vocês sabendo que o Brasil tem capacidade através da Fiocruz e Butantan de produzir vacinas em massa para toda população brasileira e ainda exportar, diferente de algumas potências que não possuem fábricas de grande porte para produção de imunizantes como EUA e Inglaterra.

    • Insti Gado disse:

      Só 2 milhões? E o restante da população irá esperar até quando? Estão iniciando um processo de vacinação com vacinas pra 1% da população, pra inglês ver, ao mesmo tempo que boicotam iniciativas de outros participantes, que não são da mesma facção do BOZO. As vacinas do Instituto Butantã irão se estragar se depender do BOZO. Políticagem barata acima de tudo, o povo que se exploda. Iniciativa muito atrasada e insuficiente para atender a população.

    • Acabou Sonaro disse:

      Em breve? Aguarde o dia D e a hora H. Se tivéssemos um presidente digno do cargo a vacinação já estaria em curso faz tempo. Mas aqui temos o C. Bozo.

    • Helio Campos disse:

      Já foram compradas as vacinas? E as agulhas? E as seringas? Para todos? Ora, não me venha com chorumelas.

  2. Nordestino disse:

    Vergonha Brasil 🇧🇷 do tamanho que é comprar 2 milhões, enquanto isso o Reino Unido para estabilizar o seu país da pandemia que é do tamanho de São Paulo, comprou para uso emergencial 100 milhões de doses para ser aplicado agora em janeiro .

  3. Japiense disse:

    Um estudo publicado e revisado na revista científica "Lancet" diz que a vacina de Oxford tem eficácia média de 70% e é segura.

    A vacina teve 90% de eficácia quando administrada em meia dose seguida de uma dose completa com intervalo de pelo menos um mês, de acordo com dados de testes no Reino Unido.

    Quando administrada em 2 doses completas, a eficácia foi de 62%. A análise que considerou os dois tipos de dosagem indicou uma eficácia média de 70,4%.

  4. Guilherme disse:

    A taxa da coronavac é 50%. Alguém sabe a taxa geral dessa da oxford?

COMENTE AQUI