Álcool prejudica o cérebro mais do que a maconha, sugere estudo

Ao contrário das bebidas alcoólicas, a maconha não afeta o tamanho ou integridade da matéria branca ou cinzenta do cérebro, mesmo depois de anos de exposição, segundo um novo estudo.

Enquanto a matéria cinzenta permite que o cérebro funcione, a branca faz a comunicação entre os neurônios. Logo, os cientistas concluíram que o álcool é mais prejudicial para o cérebro do que a maconha, embora os estudos sobre os efeitos mentais da maconha ainda sejam muito limitados. As informações são do Daily Mail.

“Embora a maconha também possa ter algumas consequências negativas, elas definitivamente não chegam nem perto das do álcool”, disse o autor do estudo, Professor Kent Hutchison, da Universidade do Colorado Boulder.

Segundo a principal autora do estudo, Rachel Thayer, ainda há muito sobre o uso da maconha que a ciência não sabe. “Não há consistência nos estudos“, disse ela.

“Quando você olha as pesquisas muito mais de perto, você vê que muitas delas provavelmente não são precisas”, acrescentou o professor Hutchison. “Quando você olha esses estudos de anos, vê que alguns informam que o uso de maconha está relacionado a uma redução no volume do hipocampo [uma região do cérebro associada à memória e emoções]. No entanto, outro estudo sugere que o uso de maconha está relacionado a mudanças no cerebelo”.

“O ponto é que não há consistência em todos esses estudos em termos das estruturas cerebrais reais“, acrescentou. “Ainda temos muito trabalho a fazer“.

Embora as descobertas pareçam positivas, os pesquisadores também acrescentam que há um longo caminho a percorrer antes que a maconha seja legalizada no mundo. Eles afirmam estar mais preocupados com a forma como a droga afeta pessoas de diferentes idades, gerencia a dor e causa dependência.

“Considerando tudo o que está acontecendo no mundo real, em relação ao movimento de legalização, ainda temos muito trabalho a fazer“, disse Hutchison.

Para o estudo, os pesquisadores analisaram 853 adultos com idades entre 18 e 55 anos, além de 439 jovens entre 14 e 18 anos. Eles verificaram o consumo de álcool e maconha dos participantes por um período de 30 dias. Então, foram realizadas varreduras de ressonância magnética dos cérebros dos participantes.

Verificou-se que a maconha reduziu o risco de epilepsia em quase 50% dos participantes, o que está em acordo com pesquisas publicados no começo do ano, que descobriram que uma droga derivada da Cannabis sativa reduziu o risco de epilepsia em pacientes com a síndrome de Lennox-Gastaut, uma condição que causa lapsos no tônus muscular em crises que duram cerca de 15 segundos.

“São necessárias desesperadamente opções de tratamento para os pacientes que continuam a lutar contra crises incontroladas e esses resultados oferecem esperança muito necessária aos que vivem com essa condição debilitante“, disse Christina SanInocencio, diretora executiva da Fundação da Síndrome de Lennox-Gastaut, na ocasião.

A droga em questão, conhecida como Epidiolex, é feita à base de canabidiol, uma substância química que é pensada possuir uma gama de benefícios medicinais, incluindo no tratamento de enxaquecas, psoríase, acne e depressão.

Jornal Ciência, via Daily Mail

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior 100 disse:

    Pensava que ia passar o mês em branco, já estava sentido falta de alguma reportagem a favor da maconha, "Ufa!"

    • Junior 100 disse:

      Mas falando sério, uma pesquisa com lapso de tempo de 30 dias é no minimo perigoso afirma alguma coisa. Pela ótica da estatistifica, o universo trabalhado e período de tempo verificado, os resultados das analises são muito pouco contundentes…
      No mais, antes de falar sobre liberar a maconhar temos de repensar o uso do álcool, o mal de um não justificar o risco do outro.

  2. Heineken disse:

    Ja familias destruidas por alcool, crack, e cocaina e psicotropicos, agora por causa de maconha o maximo é adolescente q mata aula para fumar maconha e rir da grama, claro que nao deixa de ser porta de entrada para outras drogas, assim como o alcool tambem é, sendo que tem mais potencial por se um tipo de desenibidor, no maisq quem fuma so maconha, consegue produzir muito quando tem horarios definidos para tudo.. ou seja tudo tem sua hora, todo o tempo qlqr coisa eh prejudicial

    • Junior_100 disse:

      Meu primo ainda deu uns tapas na irmã e ameaçou de expulsar a mãe de casa, de resto "tudo normal", né?
      Maconha não mata, só maltrata a família e o dependente.

  3. Jk disse:

    Pois eu só lembro das coisas quando bebo?

COMENTE AQUI