Ao STF, Aras sugere que Jair Bolsonaro escolha se prefere depor por escrito ou presencialmente em inquérito que apura susposta interferência na PF


Foto: reprodução/CNN Brasil

O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal no qual dá aval para que o presidente Jair Bolsonaro possa depor por escrito no inquérito que apura interferência na Polícia Federal.

No parecer, o procurador-geral também afirma que o presidente tem o direito de escolher se prefere ir pessoalmente ou mesmo ficar em silêncio. A consulta a Aras foi feita pelo relator do caso, o decano Celso de Mello, que decidirá como Bolsonaro será ouvido no processo.

Na manifestação, Aras cita um precedente no Supremo, quando o ministro Luís Roberto Barroso autorizou depoimento por escrito do então presidente Michel Temer em outro caso.

Estadão Conteúdo