Aras pede ao STF abertura de inquérito sobre conduta de Pazuello no AM


ANTONIO AUGUSTO/SECOM/PGR – 15.12.2020

O procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou neste sábado (23) ao STF (Supremo Tribunal Federal, a abertura de inquérito para apurar a conduta do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em relação ao colapso da saúde pública em Manaus, que registrou falta de oxigênio em hospitais na semana passada.

O pedido é referente a representações feitas por partidos políticos, que relataram conduta omissiva do ministro e de seus auxiliares. Aras instaurou no último domingo (17) uma Notícia de Fato na qual requisitou esclarecimentos a Pazuello.

Após analisar as informações, apresentadas em ofício de quase 200 páginas, o procurador-geral considerou necessária a abertura de inquérito para investigar os fatos.

A solicitação ao STF cita o documento “Relatório parcial de ações – 6 a 16 de janeiro de 2021”, datado do dia 17 deste mês, no qual o ministro informa que sua pasta teve conhecimento da iminente falta de oxigênio no dia 8, por meio da empresa White Martins, fornecedora do produto. O Ministério da Saúde iniciou a entrega de oxigênio apenas em 12 de janeiro, segundo as informações prestadas.

Em relação às prioridades do ministério em meio à crise, o PGR menciona que a pasta informou ter distribuído 120 mil unidades de Hidroxicloroquina como medicamento para tratamento da covid-19 no dia 14 de janeiro, às vésperas do colapso por falta de oxigênio.

“Considerando que a possível intempestividade nas ações do representado, o qual tinha dever legal e possibilidade de agir para mitigar os resultados, pode caracterizar omissão passível de responsabilização cível, administrativa e/ou criminal, impõe-se o aprofundamento das investigações a fim de se obter elementos informativos robustos para a deflagração de eventual ação judicial”, afirma o procurador-geral.

Como diligências iniciais, Aras solicita ao Supremo a oitiva do ministro e o envio dos autos para a Polícia Federal, para a adoção das medidas investigativas cabíveis.

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ubiratan Martins disse:

    Ele manda e eu obedeço, simples assim, Aras…

  2. Tarcísio Eimar disse:

    Começando a aparecer pra mostrar serviço

  3. Pixuleco disse:

    O lerdice procurador ,só agiu depois de pressionado pelos próprios integrantes do MPF . A Cabo PAZZUELLO ( com todo respeito aos cabos ) , envergonha ao exército Brasileiro pela sua incompetência , misturada com submissão . Será possível que uma criatura dessa passou pela academia militar da nossa força terrestre ? O pior é que agora o cabo véio deu para mentir e dizer que não disse o que disse de forma desenvergonhada . A Gadolândia já percebeu a incompetência do ministro e a todo custo tenda minimizar ou fazer que não vê o ocorrido . Tonho o abestalhado , insiste em manter empurrando o exército oara o maior mico da sua história . Vamos imaginar um confronto bélico , em que a logística de compra , armazenamento e distribuição fosse coordenada pelo CABO ( com respeito aos cabos ) PAZZUELLO . Se fosse pelo menos parecida com a das vacinas levaríamos uma péia grande .o ministro boca de chaleira ( o homem oara falar chiando ) , nos levaria a derrocada .

  4. Lucas disse:

    Não aguentou a pressão, Aras? O caldeirão deve estar mesmo esquentando!

  5. Pepe disse:

    A corda vai ser colocada no fim,não na origem do problema.Quem era para dar o exemplo,evitar aglomeracoes,usar mascaras,prestigiar e fazer coro para a vacina e não cloroquina.O frances Didier ja recuou,temendo ser processado na França.Tudk está gravado e dicumentado.

  6. Brasil livre!! disse:

    O procurador da República, poderia pedir abertura de inquérito para apurar a conduta do governador do Amazonas, e não do ministro da saúde, pois a situação chegou a este ponto no amazonas devido a inresponsabilidade do senhor governador!!

  7. Lurdes disse:

    Ótimo!!!
    A verdade vai aparecer.
    Com certeza.

COMENTE AQUI