Auxílio emergencial extra cancelado pode ser contestado a partir deste sábado

Foto: Aloisio Maurício/FotoArena/Estadão Conteúdo

As pessoas que deixaram de receber o auxílio emergencial extra de R$ 300, mas que ainda preenchem os requisitos para ter direito ao benefício, podem entrar com o pedido de contestação a partir deste sábado (24). A solicitação deve ser feita por meio do site da Dataprev. O prazo para as contestações será encerrado no dia 2 de novembro.

O Ministério da Cidadania explica que todo mês são reavaliados os critérios de emprego formal, recebimento de benefícios assistenciais ou previdenciários, e falecimento do beneficiário. Quando alguma dessas situações é identificada, o auxílio é cancelado. A determinação está prevista na medida provisória que criou a extensão do auxílio emergencial para aqueles que já recebiam o benefício.

“Estamos trabalhando para ter o máximo de efetividade no pagamento do auxílio e da extensão do auxílio e estamos sendo reconhecidos mundialmente por isso. Todo mês são feitas revisões com o cruzamento de dados do governo federal, para que o dinheiro chegue àqueles que realmente precisam”, destaca o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

Criado para diminuir os impactos da crise provocada pela pandemia de coronavírus aos trabalhadores informais e população de baixa renda, o auxílio passou de três parcelas para cinco de R$ 600 cada, no caso de mãe chefe de família, R$ 1.200, e o extra prevê parcelas de R$ 300 até dezembro.

Mas só vão receber a extensão do auxílio aqueles que se enquadram nos novos requisitos estabelecidos. Pelas novas regras, a declaração do Imposto de Renda 2020 será critério de exclusão para quem teve rendimentos superiores a R$ 28.559,70 em 2019 ou bens e direitos de valor superior a R$ 300 mil reais em 31 de dezembro de 2019. Quem mora no exterior ou presos em regime fechado também foram excluídos do pagamento.

Com isso, deixaram de ganhar o benefício extra 21 milhões de pessoas, ou seja, 56% do total de 48 milhões elegíveis para as cinco parcelas de R$ 600. O auxílio já foi pago a 67,7 milhões de pessoas, num total de mais de R$ 231,2 bilhões.

Como contestar

As solicitações devem ser feitas exclusivamente pelo site da Dataprev. Elas serão acatadas desde que o motivo do cancelamento permita sua contestação e que os trabalhadores cumpram todos os requisitos para recebimento do auxílio.

Após a reanálise dos dados, caso a contestação seja aprovada, a extensão do auxílio emergencial será concedida no mês subsequente ao pedido de contestação, sendo também paga de forma retroativa a parcela que foi cancelada.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Boi 🐂 Tungão disse:

    Pela vontade do miliciano, nem existia o auxílio, estava todo mundo passando fome.
    O dinheiro é do povo, tem que ser usado para o sustento dos mais frágeis.

    • Aprígio disse:

      Também acho!!
      Diga a Lula da silva e sua corja de ladrões.

    • Rick disse:

      Porque dilmanta e luladrão não pagaram 600 e o genocida pagou? Deve ser por ser genocida, e na época dos petralhas o dinheiro não era do povo

    • Santos disse:

      Rapaz… vendo o comentário dos bozonaristas dá pra ver que algumas pessoas só tem kbça, pq prego tem.
      🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

    • Patriota disse:

      Ô Rick, se liga! O auxílio se chama emergencial por causa da pandemia! Lembra da pandemia? Ah, é! Lembrei! Pro gado é só uma gripezinha! Toma tendência!

COMENTE AQUI