Bolsonaro defende abertura do mercado para atenuar alta dos combustíveis

Foto: Divulgação/Sindipostos TO

A solução defendida pelo presidente Jair Bolsonaro para equacionar a alta do preço dos combustíveis é a abertura do mercado. “Temos que quebrar monopólios”, declarou, nesta sexta-feira (3/1), na saída do Palácio da Alvorada. O presidente da estatal, Roberto Castello Branco, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, entendem que a quebra do monopólio que a estatal exerce, na prática, sobre o refino, é o caminho para aliviar o bolso dos consumidores. O governo sabe, contudo, que essa não é uma medida a curto prazo.

Atualmente, estão em funcionamento no Brasil 17 refinarias com capacidade instalada de refino diário de cerca de 2,3 milhões de barris. Do total, 13 refinarias são de grande escala, e pertencem à Petrobras. As demais são de concorrentes privados: Manguinhos, instalada no Rio de Janeiro; Univen, em Itupeva (SP); Riograndense, em Uruguaiana (RS); e Dax Oil, em Camaçari (BA). Essas quatro, juntas, produzem cerca de 5% do total da gasolina no país.

Correio Braziliense

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Josivan disse:

    Mais uma lorota de Bolsonaro

  2. Observando disse:

    Nao existe monopolio no refino de petroleo, na co nstituicao federal, desde fernando henrique cardoso. Basta alguem querer criar uma refinaria. Ou esperar a privatizacao da Petrobras e comprar varias ja feitas.

  3. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    Papo furado querem vender os ativos para pegar no dinheiro.Imagine uma estourada do petróleo o brasileiro é quem vai se lascar.Sao uns canalha.

  4. Neto disse:

    Gostaria de entender este raciocínio. Como as Refinarias nas mãos de Multinacionais iriam praticar preços mais baixos do que pertencendo a União? Os caras iam é aproveitar um momento de alta do Petróleo para aumentar o lucro.
    Conversa pra enganar o povo mais uma vez.

    • Rodrigo Mafra disse:

      Concorrência!
      Mas explocar isso para quem não entende e nem quer entender é impossível…

COMENTE AQUI