Bolsonaro tem rejeição de 40% e aprovação de 31%, diz Datafolha

A rejeição ao governo de Jair Bolsonaro cresceu no último mês e atingiu 40%, mas a maioria dos brasileiros é contra a abertura de um processo de impeachment contra o presidente. É o que revela pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada ontem. O fim do auxílio emergencial, que deixou de ser pago em dezembro; a aplicação da CoronaVac, que o presidente chegou a ironizar; e o aumento da crise pela pandemia ajudam a explicar a piora no desempenho do presidente, segundo analistas.

De acordo com o levantamento, quatro em cada dez brasileiros consideram a gestão de Bolsonaro ruim ou péssima. Em dezembro, o percentual era de 32%.A avaliação positiva (ótimo ou bom), por outro lado, caiu de 37%, em dezembro, para 31%. O percentual de pessoas que consideram o governo regular oscilou de 29% para 26%. Segundo o Datafolha, foram ouvidas, por telefone, 2.030 pessoas em todo o país entre 20 e 21 deste mês. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Apesar do aumento na rejeição a Bolsonaro, 53% dos entrevistados disseram que a Câmara dos Deputados não deveria abrir um processo por crime de responsabilidade contra o presidente. Em dezembro, este número era de 50%. Os defensores do impeachment, que eram 46% em dezembro, agora são 42%. Outros 4% dos entrevistados não responderam à pergunta ou disseram que não sabem.

Entre os que se opõem ao impeachment do presidente a maioria mora no Centro-Oeste (60%) e no Sul (58%), é formada por homens (62%), com idade entre 35 e 44 anos (59%) e evangélico (64%).

Esta é a primeira pesquisa divulgada pelo Datafolha após o início da vacinação contra a Covid-19, cuja largada foi dada no último domingo pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que impôs uma derrota política a seu adversário. Nos últimos meses, Bolsonaro chegou a dizer que não compraria doses da CoronaVac, vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, do governo paulista. Assim que o uso do antígeno foi autorizado, no domingo, Doria deu início à imunização. Bolsonaro e seus aliados passaram, então, a dizer que a vacina “é do Brasil”.

Confira matéria completa no O GLOBO.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    Impeachment agora vai.

  2. José Macedo disse:

    Essas pesquisas datafolha, são umas piadas completas.
    Até 2022 irão dizer que só tem 10% de aprovação.
    As ruas dizem a realidade da popularidade do mito.

  3. realista disse:

    kkkkkkkkk, pesquisa do Datafolha ? kkkkkkkkkk, o mesmo jornal que disse que o poste de Lula ganharia as eleições ? kkkkkkk

  4. João Macena disse:

    Infelizmente, o maior opositor do seu governo, é o próprio Pte. Bolsonaro. Fala muita besteira. Será quê não tem ninguém, para aconselha-lo? João Macena.

  5. livio disse:

    FORA BOLSOTRALHAS…FORA PRESIDENTE DO CAO

  6. Direita Honesta disse:

    A propósito, quem diz ser "regular" também está aprovando. Tanto que, se somarmos os ótimos/bons com os regulares, chegamos ao percentual dos que rejeitam esse tal impedimento. Restam de fora a esquerdalha virulenta e os "fabianos", tipo PSDB (nem todo). Essa gentalha não chega a 40%. Mais uma pesquisa fajuta.

  7. Direita Honesta disse:

    Até mesmo uma pesquisa mentirosa da Folha (talvez a Globo seja parceira) atesta a aprovação do presidente, mesmo com toda a perseguição que enfrenta e até em meio a essa epidemia chinesa, que afeta negativamente o país com suas mortes e com os prejuízos à economia e à vida das pessoas. E ZERO corrupção, após metade do seu governo. O cara é mesmo um mito.

  8. Silvia disse:

    Fora bossonaro

  9. Tirinete disse:

    O homi ta reeleito!!
    Mito 2022.
    Essa cantiga do data folha e ibope eu já ouvi, em 2018.
    Vira o disco ra não enganxar.
    Kkkkk

  10. CAPITÃO ZERO disse:

    FORA BOLSONARO

  11. olimpio disse:

    Acabou o auxilio emergencial, acabou a popularidade.

  12. Birilo disse:

    Pesquisa tendenciosa. Logo a Datafolha! Inventa a pesquisa, a globo divulga e 2, 3 pessoas acreditam. Quem vai votar pra presidência da Câmara não eleitor normal, sim deputados.

  13. Pixuleco disse:

    Cousa passageira , vai melhorar muito com o fim do auxílio emergencial

COMENTE AQUI