CASO LITORAL: “Não sei se um dia iremos perdoar. O que Ailton fez foi muito grave”, declara um dos fundadores do grupo

Foto: Reprodução/Facebook

Membros do Litoral Jeep Clube continuam bastante abalados com o trágico crime ocorrido no sábado passado, durante uma confraternização, na residência de um integrante, em Redinha Nova, no litoral Norte.

De acordo com o conselheiro e um dos fundadores da entidade, o auditor Celso Roberto Suricato, a ‘ficha ainda não caiu’ para vários integrantes, devido ao trauma.

Segundo ele, a turma está profundamente triste e espera que Ailton Berto da Silva se entregue à polícia para prestar esclarecimentos e pagar pelos crimes que cometeu. “A maioria ainda está consternada, mas alguns já demonstram raiva de Ailton pelo fato dele ter fugido e, agora, foragido da justiça. Se ele está sendo orientado por alguém, está errado. Se está agindo pela própria cabeça, está doido.Ele agindo dessa forma, está piorando as coisas, principalmente para opinião da galera e do público. Essa decisão de fugir, ser covarde está revoltando a todos nós”.

Para Suricato, a surpresa de todos está justamente devido aos bons e antigos laços de amizade e convívio entre Ailton e demais membros do Litoral Jeep Clube. “Nunca houve problemas entre a gente. Todos brincavam e participavam das atividades juntos. Ninguém consegue entender o que de fato aconteceu para ele ter tido esse momento de fúria e atacar os próprios amigos”, observou.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Serapião disse:

    Por mim, portar armas deve ser algo restrito apenas a policiais e afins

  2. Abadon disse:

    Um fato lamentável e mais ainda, muito estranha a maneira como tudo aconteceu conforme foi citado, mesmo porque esse tipo de evento jamais havia ocorrido em meio a esse grupo que sempre se reunia.
    Acontece que, o ser humano é passivo de momentos de extrema fraqueza.
    Durante um "surto", muita coisa pode acontecer e isso vale prá qualquer um !
    Trazendo esse exemplo para a realidade social na iminência de se configurar com a liberação do porte de armas de fogo, principalmente para um povo que não trás na cultura esse tipo de postura, essa medida que nada mais é do que uma maneira de mascarar a incompetência do estado em proporcionar segurança ao cidadão de bem, pode significar o cáos.
    Pode ser sinônimo de muitas outras tragédias tipo essa que infelizmente aconteceu no grupo jipeiro.
    O mais descabido, é que fanáticos, cegos e jumentos partidários, no afã de defender essa medida irresponsável única e exclusivamente visando a conotação política, querem comparar o dano causado pelo uso de uma arma "branca", com o uso de uma arma de fogo !
    Santa imbecilidade e falta de amor ao próximo.
    Cuidado, "pistoleiros"!
    As próximas vítimas podem ser vocês ou alguém próximo…

    • Sebastião disse:

      Espero que não aconteça, mas quando bandidos atacarem vc ou sua família, sabendo que entre vcs não existe uma arma de fogo, vc vai repensar essa sua opinião distante da realidade. O bandidos não precisa legalizar arma pra ter a posse, basta roubar de alguém ou comprar no câmbio negro

  3. Omar Salgado disse:

    Que sujeito louco !!! Admitir a possibilidade, ainda que remota, de perdão por uma barbárie dessas !!! Pelas caridades !!! Daqui a pouco vai ter gente querendo condenar o que deu o tapa na bunda e também o que morreu. Ô povo sem noção !!!

COMENTE AQUI