CDL NATAL cobra medidas preventivas para o covid-19 e defende funcionamento do comércio

Passados 15 dias da eleição, aconteceu o que todos nós já prevíamos.  Aumento no registro de novos casos de covid-19 devido as aglomerações, falta de uso de máscaras e de fiscalização para o cumprimento das regras preventivas ao Novo Coronavírus. O aumento de acordo com dados do Laboratório de Inovação e Tecnologia em Saúde (Lais) foi de 59,86% nos registros diários de novos casos.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal, entidade representativa do comércio, comércio esse que foi massivamente prejudicado com a pandemia, pois teve as atividades suspensas alegando que poderiam aglomerar e aumentar os índices de contaminação da população, lamenta a falta de fiscalização e o consequente aumento de caso da doença.  O fato causa indignação e preocupa o setor produtivo.

“Os empreendedores passaram meses parados. Para retomar foi necessário planejamento e adaptação dos negócios. Cumprimos todas as regras, e não houve registro de aumento de casos após a reabertura em julho, por tanto, não caberá ao comércio reduzir horário de atendimento ou voltar a fechar.  Os Empreendedores do Rio Grande do Norte e colaboradores não podem ter a renda e o sustento de suas famílias em risco novamente, em detrimento da irresponsabilidade de terceiros durante o período eleitoral”, afirmou o presidente da CDL Natal José Lucena.

Em nome da Diretoria da Entidade e dos empresários que representa, o presidente cobra do poder público que siga as recomendações do Lais, para que tome ações de modo a ampliar o número de leitos para tratamento de covid-19, realize ampla campanha de conscientização para o uso de máscaras, álcool em gel e cumprimento do distanciamento social.

A diretora da Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal está em comunicação direta com o poder público Estadual e Municipal e ambos afirmam não ter intenção de voltar a fechar o comércio. Estão priorizando ações como as que foram orientadas pelo Lais.

A CDL Natal reitera o compromisso com os empreendedores, associados da Entidade e com a população de continuar trabalhando para defender a classe lojista, os empregos e a renda das famílias da capital potiguar. Para isso, buscará sempre o entendimento com o poder público e com as esferas jurídicas quando necessário.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FRASQUEIRINO disse:

    O CDL não pode jogar a responsabilidade de combate ao COVID apenas para o Estado e para as Prefeituras da Capital, e do interior. Tem que fiscalizar também. Muitas lojas já não oferecem álcool em gel, nem muito menos cumprem o distanciamento social.

  2. Teresa disse:

    Sou a favor que não feche, mas que exista fiscalização e controle. As lojas do centro estão cheias. Já estão esquecendo dO álcool. Teve uma sexta feira, das promoções, a
    loja Americana estava cheia que as filas dentro dava volta para o caixa. Eu nao cheguei a entrar, vi e reclamei ao segurança. Ele estava deixando entrar sem fiscalizar. Chamei a atenção e falei que ia fazer a denúncia. Ele passou a fazer fila. Acontece tbm pq as pessoas não respeitam e têm medo de reclamar.

  3. Lucis disse:

    O comércio jamais pode ser fechado novamente. O que aumentou o número de contaminação foi eleição.

  4. Francisco Esteves disse:

    Não pode fechar o comercio, se fechar será um desastre, as medidas de controle devem acontecer sem a necessidade de fechamento, estamos em dezembro mês de grandes vendas e contratações, muitos empregos gerados e mantidos por conta das vendas de fim de ano, fora que janeiro esta ai e Natal não pode estar de portas fechadas para o turismo, se os nossos governantes optarem por fechamento será um desastre tao grande quanto a covid.

  5. Calígula Lobo disse:

    Por mim agora pode fechar comércio, indústria, mandar funcionários embora, o CDL deixar de arrecadar, durante a campanha eleitoral ficaram tudo caladinho, sabendo que depois viria a tona os casos de covid.
    O governo Estadual foi omisso, assim como os municipais, MP, TRE e demais órgãos de fiscalização. Eu aumento mas não invento.

  6. Joao disse:

    E o quarto poder do RN (empresas de ônibus) quem vai fiscalizar? Esses empresário desafiam a justiça e fazem o que querem.

COMENTE AQUI