CIDADÃO DESARMADO: Câmara deve derrubar decreto de armas, diz Rodrigo Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (24), que a Casa deve seguir a decisão do Senado e derrubar o decreto de Bolsonaro que flexibiliza o porte de armas.

A intenção de Maia é articular que alguns pontos do texto sejam antes aprovados por meio de projetos de lei, partido do Senado.

“Depois da decisão do Senado de derrubar o decreto de armas, na minha opinião esse pode ser o caminho da Câmara. Mas nós entendemos sob a liderança dele [o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)] que existem alguns pontos que são constitucionais e precisam ser tratados por lei”, afirmou durante podcast publicado em suas redes sociais nesta manhã.

Maia diz que articula com o Senado a aprovação de pontos como a ampliação da posse rural de armas para toda a propriedade e não apenas na sede, e flexibilização para colecionadores.

“O Senado organizando essa votação a gente organiza a questão do decreto”, afirmou. “Aprova por lei aquilo que é correto, constitucional. Tudo aquilo que não seja constitucional não é nem correto que o Congresso aceite”.

O presidente da Câmara voltou a afirmar que espera votar a reforma da Previdência ainda nesta semana na comissão especial e aprovar o texto no plenário no mês de julho.

“A gente tem uma expectativa se nada mudar que a gente possa votar até quinta-feira [27] na comissão a reforma da Previdência, deixar o projeto pronto para o plenário”, afirmou.

Outro projeto que é considerado prioritário é o marco do saneamento, que foi aprovado pelo Senado. Maia disse que quer votá-lo neste semestre ou na primeira semana de agosto.

Neste semestre o prazo é curto para votações, porque, com as festividades de São João, o plenário tende a ser esvaziado nesta semana. Além disso, há o recesso parlamentares nas duas últimas semanas de julho.

Maia diz ainda que quer instalar a comissão especial que analisará a reforma tributária nesta semana. O colegiado já foi criado, mas não está em funcionamento. A ideia é que comece a tramitar logo que a Previdência saia da fase de comissão, para não haver conflito com as duas propostas.

Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. CABECINHA CARVALHO disse:

    queria que esses safados dispensassem as escoltas armadas e andassem nas ruas, ou fossem nas favelas tentar da esse recado pessoalmente para os bandidos entregarem suas armas!!

  2. Ceiça disse:

    No que depender desses parlamentares centrão, liderado por esse Rodrigo Maia, tudo o que for de bom pro Brasil ele vai botar terra, quanto pior melhor pra eles.
    Esse cabra é enjuado, igual a farofa de socó.
    Kkkkkkkk

  3. silva disse:

    SÓ RESTA A COMEMORAÇÃO DAQUELES QUE COMETEM LATROCÍNIOS, ASSALTOS E MAIS TODOS OS TIPOS DE CRIME CONTRA AS PESSOAS DE BEM, TRABALHADORAS, HONESTAS E QUE VIVEM PARA CUIDAR DE SUA S FAMÍLIAS. CONTINUARÃO AQUELES, LIVRES E SEM RECEIO DE UMA REAÇÃO POR PARTE DE SUAS VÍTIMAS.

    ORA, SE O ESTADO NÃO NOS DÁ PROTEÇÃO, PASSE PELO MENOS. A NOS OFERECER OS MEIOS DE DEFESAS, CASO CONTRÁRIO ESTAMOS, ESTAMOS É F.. E LASCADOS
    ABRE OS OLHOS E A CONSCIÊNCIA ESTA PARTE DE POLÍTICOS INDESEJÁVEIS .

  4. Vitor Silva disse:

    Um povo que não tem educação nem para ligar a seta na curva vai andar armado?

    • oswaldo disse:

      Deve ser por isso que em uma década tivemos mais de meio milhão de homicídios!!! Ser ou não ser…

COMENTE AQUI