Com registro na JUCERN, sócio teria levado calote do cantor Thullio Milionário, diz site

Foto: Reprodução/redes sociais

O cantor Thullio Milionário, famoso por beijar fãs no palco, está em disputa com seu ex-empresário e sócio Cirilo Pereira Luz. O empresário mantinha um contrato de representação com cláusula de exclusividade com o cantor e foi afastado sem prévio aviso das tarefas contratadas. As informações são do site Paraíba Polêmica.

Cirilo foi admitido como sócio da empresa Milionários Administradora de Shows e Produtora de Eventos Ltda. ME, sucessora da empresa Milionários Produções e Eventos Ltda. – ME, através do Aditivo Consolidado nº 01, datado de 05 de março de 2018, com registro na JUCERN – Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Norte sob nº 20180187392, de 14/05/2018.

Segundo o aditivo, o empresário passou a integrar os quadros societários da empresa juntamente com o cantor, ocasião em que se retirou da sociedade a empresária Deize Rosiane Paulino. Pelo novo pacto, Cirilo ficou com 153 mil cotas e a administração da empresa, e o Thullio com 147.000 mil cotas.

Cabia a Cirilo a produção musical, atividade de gravação de som, diversas ações para a montagem de palco, consultoria em publicidade e atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em geral. Além das apresentações/shows, o empresário tinha direito também a 50% do cachê recebido de todos os patrocínios e campanhas publicitárias onde a marca “THULLIO MILIONÁRIO” ou imagem dos artistas da Banda fosse veiculada.

Para surpresa do empresário, o cantor rompeu a relação contratual sem qualquer motivo e transferiu para a empresa individual ULTRA PROMOÇÕES E EVENTOS EIRELI, CNPJ nº 23.626.845/0001-92, que tem o senhor Rogério Medeiros Cabral Júnior como titular, todas as operações, contratações e movimentações financeiras oriundas dos shows e patrocínios previstos nos contratos acima referenciados.

O faturamento de 1,5 milhão foi destinado a investimentos em Ônibus, equipamento de som, produção de CDs e deslocamentos, entre outros gastos. Com Cirilo fora do contrato foram realizados 45 (quarenta e cinco) shows nos meses de março, abril e maio de 2019, bem como 140 (cento e quarenta) shows nos meses de junho, julho, agosto, setembro, outubro e novembro, através da empresa ULTRA.

Paraíba Polêmica