Consumo de vinhos sobe 72% no 2º trimestre e atinge máxima histórica na quarentena

De janeiro a junho, a consumo per capita de vinhos e espumantes no Brasil passou de 2,13 litros para habitantes, em 2019, para 2,37 litros, em 2020 (uma alta de 11%, considerando os dados de janeiro a julho para este ano). É mais um dado que comprova a expansão do setor durante a pandemia de coronavírus.

Quando se olham os dados do segundo trimestre de 2020, período em que o País já estava em quarentena, o salto é mais impressionante: a média por pessoa chegou a 2,81 litros, pico da série histórica e crescimento de 72% em relação a janeiro a março, de acordo com dados da Ideal Consulting, que acompanha esse mercado. O consumo por habitante costuma crescer no inverno, mas não nessa proporção.

ilustrativa

A maior parte do crescimento, em tempos de dólar cotado acima de R$ 5, está nos vinhos brasileiros, que têm crescido acima da média do mercado. De janeiro a junho, segundo a Ideal, o volume comercializado no País subiu 27,8%, na comparação com igual período do ano passado, passando da marca de 200 milhões de litros.

Procura por receitas faz plataforma da Nestlé ganhar espaço

gastronomia também tem sido uma válvula de escape nesses tempos de distanciamento social em que as pessoas têm encontrar diversão dentro de casa. Uma das formas é buscar variar o jantarzinho no fim de semana.

De olho nesse movimento, a plataforma Receitas Nestlé teve uma alta de 179% nos acessos entre janeiro a junho deste ano, na comparação com igual período de 2019. Em meio à pandemia de coronavírus, a marca decidiu reformular os conteúdos e também acelerar a periodicidade dos posts.

Estadão