Corinthians ameaça não jogar se volta do público aos estádios ocorrer apenas no Rio; CBF ainda não se posicionou

Foto: LUIS MOURA/WPP/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, disse através das suas redes sociais que seu time não estará em campo pelo Brasileirão caso a volta do público nos estádios aconteça apenas no Rio de Janeiro. A Prefeitura da cidade, em parceria com a Ferj, trabalha pela liberação de torcedores a partir de 4 de outubro, no jogo entre Flamengo e Athletico, embora o governador em exercício do Rio, Cláudio Castro, tenha estendido a proibição de eventos com presença de público até 6 de outubro.

Sanchez alega que haverá um favorecimento àqueles clubes que puderem jogar diante de seus apoiadores. Enquanto isso, a CBF, que não compareceu à reunião realizada na última sexta-feira para debater o assunto, ainda não se posicionou. Apesar de ter sido aprovada pelas autoridades, a volta dos torcedores para as arquibancadas ainda precisa passar pelo aval da confederação.

No encontro que aconteceu no Riocentro, Zona Oeste do Rio, autoridades municipais, estaduais e até federais se posicionaram a favor da volta de um terço do público aos estádios cariocas. Após o anúncio do prefeito Marcelo Crivella sobre a decisão, Sanchez se pronunciou em sua conta oficial do Twitter:

“O Corinthians só aceita a volta do público aos estádios se todos os times da Série A tiverem a mesma oportunidade, independente do estado ou cidade. Se não forem as mesmas condições pra todos não entraremos em campo” escreveu o presidente do clube paulista.

O Globo