Política

Cuba elege 1º presidente após 60 anos de governo dos irmãos Castro

A Assembleia Nacional de Cuba se reúne nesta quarta-feira (18) para escolher o próximo presidente da pequena ilha caribenha que, nas últimas seis décadas, foi governada pelos irmãos Castro: Fidel, que morreu aos 90 anos, e Raúl, que prometeu se aposentar aos 86. O novo líder será o primeiro, desde a Revolução Cubana, com outro sobrenome e representando uma geração mais jovem do que aquela que pegou em armas para derrubar a ditadura de Fulgencio Batista (1952-1959) e desafiar os Estados Unidos (EUA), estabelecendo um regime socialista a 150 quilômetros de sua costa.

O novo presidente de Cuba assume em um momento delicado. A Venezuela, que fornece petróleo e sustentava o regime cubano, hoje enfrenta grave crise econômica, marcada pela hiperinflação, o desabastecimento e o isolamento internacional. Com a mudança de governo em 2017, os Estados Unidos voltaram atrás no processo de reaproximação – primeiro passo para o fim do bloqueio econômico, comercial e financeiro que continua impondo à ilha. O presidente Donald Trump, (eleito também com o voto dos cubanos que imigraram para os EUA e que exigem a derrubada do comunismo na ilha) voltou a limitar as viagens e os investimentos dos norte-americanos no país caribenho.

Raúl Castro diz que foi eleito presidente para “defender, manter e continuar aperfeiçoando o socialismo cubano – e não para destruí-lo”.

A eleição representa o fim de uma era, mas muitos observadores acham que, na prática, pouca coisa mudará na vida dos 11,5 milhões de cubanos: o Partido Comunista de Cuba (PCC) continua sendo o único e Raúl Castro seu chefe.

“O Partido Comunista é o órgão máximo de decisão política, de acordo com a Constituição cubana. Raúl Castro deixa a presidência do país, mas não o cenário politico”, disse Erika Guevara-Rosas, diretora para as Américas da Anistia Internacional, uma organização de defesa dos direitos humanos. “Lamentavelmente, Cuba continua sendo um país que violenta, de forma massiva, as liberdades civis, políticas e de expressão”, acrescentou, em entrevista à Agência Brasil, ao lembrar que é o único país do continente que não permite acesso oficial à Anistia Internacional.

A expectativa é de que o cargo seja ocupado pelo atual vice-presidente, Miguel Díaz-Canel, de 57 anos, que nasceu depois da revolução, não usa farda, mas defende os ideais do Partido Comunista Cubano (PCC), onde atua desde jovem. “Sou como muitos neste país”, disse Díaz-Canel. “Formamos parte de uma geração que nasceu nos anos 60 e agradecemos muito toda a formação e as possibilidades brindadas pela revolução. Tivemos a oportunidade de participar dos processos de decisão nas organizações de base estudantis e da juventude”.

Reformas

Até agora, só houve uma sucessão presidencial na Cuba revolucionária e ela foi programada. Em 2006, Fidel Castro entregou o comando do país ao irmão caçula – primeiro interinamente, depois oficialmente. Fidel estava doente e morreu dez anos depois. Nos últimos 12 anos, Raúl Castro adotou algumas medidas de abertura. Meio milhão de cubanos hoje trabalham no setor privado. Desde 2013, quem quiser pode deixar o país, sem precisar de autorização para viajar ou ter que fugir de barco, numa perigosa travessia para a costa da Flórida. A compra e venda de imóveis e carros, mesmo limitada, foi permitida. E a internet chegou à ilha, onde existem mais de 600 áreas publicas com conexão wifi.

No cenário internacional, Cuba participou da 7ª Cúpula das Américas em 2015. Foi a primeira reunião de líderes dos 35 países do Continente Americano com a participação do governo cubano, que até então tinha sido vetada pelos Estados Unidos. A notícia foi o histórico aperto de mão entre Raúl Castro e o então presidente norte-americano, Barak Obama, marcando a reaproximação dos dois países, depois de mais de meio século de guerra fria.

Apontada como responsável por disseminar revoluções comunistas na região, Cuba patrocinou o acordo de paz entre o governo colombiano de centro-direita, do presidente Juan Manuel Santos, e os rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Sete mil rebeldes entregaram as armas, depois de 50 anos de conflito, para formar um partido político, que este ano disputou as primeiras eleições legislativas.

Com a morte de Fidel em 2016, a pergunta era sobre o futuro do país. Raúl Castro propôs ao partido limitar a idade (70 anos) e o mandato (dois períodos de cinco anos) dos dirigentes do PCC, além de uma reforma constitucional. E anunciou que deixaria a presidência, por decisão própria, em abril deste ano.

Renovação

Para ex-combatentes da revolução, o sucessor de Raúl Castro representa a renovação da cúpula do regime comunista cubano, mas a continuidade de seus ideais. Alejandro Ferras Pellicer, de 94 anos, aposta nesta nova geração que, ao contrário da anterior, nasceu com direito à educação e que, segundo ele, estará mais preparada – intelectualmente e tecnologicamente – para lutar por uma sociedade mais igualitária.

O próprio Raúl já sinalizou, em mais de uma ocasião, que a ideologia não está em jogo – não importa quem seja o novo presidente de Cuba ou que pressões ele terá de enfrentar. “O substituto de Fidel só pode ser o Partido Comunista”, disse, quando os cubanos tentavam imaginar o futuro sem o pai da revolução.

O analista politico cubano Rafael Hernández acredita que o novo governo enfrentará pressões internas por mudanças, porque as expectativas de melhores condições de vida vêm de longa data e cresceram com o tempo. Segundo ele, apesar de Cuba enfrentar hoje uma conjuntura internacional menos favorável, a ilha não está na mesma encruzilhada dos anos 90, quando a União Soviética (principal fornecedora de petróleo a Cuba e financiadora de partidos comunistas no hemisfério internacional) se dissolveu em 15 repúblicas separadas – entre elas, a Rússia.

“Nesses 60 anos, Cuba demonstrou ser capaz de sobreviver a várias crises – até à pior delas, nos anos 90, quando muitos pensavam que ficaria isolada e seria obrigada a mudar”, disse, em entrevista à Agência Brasil, o analista político argentino Rosendo Fraga. “Com a saída de Castro, uma nova geração subirá ao poder. Mas a renovação será feita para manter o mesmo sistema em vigor”.

Agência Brasil

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Juiz determina que Idema conceda licença de instalação para Engorda de Ponta Negra imediatamente e diz que situação é humilhante

Foto: Joana Lima – secom

 

Decisão (3)_240719_211433 (1)

 

Nesta sexta-feira, 19, o juíz GERALDO ANTONIO DA MOTA determinou que o IDEMA conceda imediatamente a licença para a instalação e operação da obra da engorda de Ponta Negra.

Na decisão, o juíz destacou que o IDEMA emitiu uma licença prévia para a obra ser realizada e que, assim, o órgão reconheceu a viabilidade ambiental do projeto.

O juíz ainda diz que não é razoável da parte do IDEMA “inovar nos critérios” para criar novas exigências, e classificou como “humilhante” a espera de mais de um ano para a liberação da obra por parte do órgão.

“Dentre tais condicionantes elencadas na referida licença prévia, não observo, entretanto, qualquer tipo de menção à necessidade de realização de consulta livre, prévia e informada as comunidades presentes na área do empreendimento, na forma exigida pelo IDEMA”, disse ainda o magistrado.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gastronomia

PAPO DE FOGÃO: Bora aprender a fazer um risoto de Suã e um Romeu e Julieta que é uma “sacanagem”? não vale perder

Bora aprender a fazer um risoto de Suã e um Romeu e Julieta que é uma “sacanagem”? Não vale perder.
O Papo de Fogão nesse fim de semana vai ser incrível, recheado de receitas maravilhosas! O prato da vez será um delicioso Risoto de Suã, preparado pelo talentoso Chef Executivo Junior Quaresma, de João Pessoa/PB. E a dica especial será o Romeu e Julieta “Sacanagem”, feito com muito carinho pela Designer de Interiores Luciana Brasileiro, de Fortaleza/CE. Não perca!

SÁBADO
BAND
MARANHÃO, 7h
CEARÁ, 8h
PIAUÍ, 8h
PARAÍBA
TV CORREIO/RECORD, 13h30

DOMINGO
RECORD
PERNAMBUCO – TV GUARARAPES, 8h30
RIO GRANDE DO NORTE – TV TROPICAL, 10h

Ou no nosso canal do YouTube
http://youtube.com/c/PapodeFogao

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

[VÍDEO] Lula ataca privatização e propõe Festa a Santos Dumont na Torre Eiffel

Durante agenda na Empresa Brasileira de Aviação (Embraer), nesta sexta-feira (19/7), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou a privatização de estatais e sugeriu uma celebração a Alberto Santos Dumont, que construiu o primeiro avião da história, em defesa dos valores nacionais.

“Esse país já perdeu a história de quem inventou o avião. Todo mundo sabe, aqui e em Paris, que foi o nosso Santos Dumont o primeiro cara a fazer com que algo mais pesado que o ar pudesse voar. Mas os americanos têm a indústria cinematográfica e conseguiram vender dois irmãos, que eu não sei nem pronunciar o nome”, disse Lula, ao celebrar contrato do BNDES com a Embraer, em São José dos Campos, no interior paulista.

A menção aos irmãos americanos Wilbur e Orville Wright, que levaram a fama de terem voado com a primeira aeronave funcional, serviu para que Lula alfinetasse a quase transferência de atividades da Embraer para os Estados Unidos, como pretendia a Boeing.

“A gente deveria fazer uma festa na Torre Eiffel, levar um zepelim e fazer ele voar lá outra vez para a gente mostrar que quem inventou um avião foi um mineiro chamado Santos Dumont”, disse Lula.

Em 1901, Santos Dumont fez o primeiro voo público do mundo ao sobrevoar a Torre Eiffel, em Paris, com o dirigível que havia construído para vencer um prêmio. O voo dos irmãos Wright ocorreu quatro anos depois.

“Uma nação tem que ter valores. Moeda é um valor, bandeira é um valor, a nossa cultura é um valor. Mas as empresas também são valores”, afirmou Lula.

Embora a Embraer tenha sido privatizada em 1994, o governo federal ainda mantém o poder de decisão sobre parcerias e há propostas de reestatização da empresa tramitando no Congresso Nacional.

Fonte: Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Campanha de Biden diz que “não há plano para um candidato alternativo”

Foto: Reprodução

A campanha do presidente Joe Biden divulgou um novo memorando na sexta-feira (19) dizendo que “não há plano para um candidato alternativo”.

A declaração vem em meio a pressão de aliados para que o presidente dos Estados Unidos desista da corrida eleitoral.

“Joe Biden deixou mais do que claro: Ele está nesta corrida e ele está nela para ganhar. Além disso, não há nenhum plano para um candidato alternativo. Em poucas semanas, Joe Biden será o candidato oficial. Já passou da hora de pararmos de brigar. A única pessoa que ganha quando lutamos é Donald Trump”, escreveu Dan Kanninen, diretor da campanha.

“Eu não vou suavizar o estado da corrida: temos nosso trabalho destinado para vencermos em novembro”, acrescentou.

“Também temos imensas oportunidades e um caminho claro para a vitória se ouvirmos o que os eleitores pensando, se nos concentrarmos nas questões que mais importam para o eleitorado nos estados e oferecermos uma escolha clara entre a visão positiva de Joe Biden e a agenda extrema do Projeto 2025 de Donald Trump”, conclui Kanninen.

Fonte: CNN

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Quadro de saúde de Silvio Santos é estável, diz SBT

A assessoria de imprensa do SBT informou, nesta sexta-feira (19), que o quadro de saúde do apresentador Silvio Santos, de 93 anos, é “estável”.

Silvio Santos está internado após ser diagnosticado com Influenza A.

Na quinta-feira (18), o SBT informou que, apesar da internação, o apresentador foi medicado e está bem.

A influenza A é um tipo do vírus da gripe encontrado em várias espécies de animais, além dos seres humanos. Ele pode ser classificado em dois subtipos — H1N1 e H3N2 — e costumam circular de maneira sazonal, sendo mais comum nas estações mais frias do ano, como outono e inverno.

Fonte: CNN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Pacheco usa o apagão cibernético para defender regulamentação da inteligência artificial

Foto: Reprodução

O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), se manifestou a respeito do apagão cibernético global desta sexta-feira, 19. O parlamentar usou o momento para reafirmar a importância da regulamentação da inteligência artificial (IA) no Brasil, assunto que tramita no Senado a partir de uma proposta elaborada por ele e com a relatoria do senador Eduardo Gomes (PL-TO).

“Esse ambiente nos alerta para os riscos da segurança cibernética, e nos lembra ser essencial a regulamentação da inteligência artificial, projeto de minha autoria, para que tenhamos um cenário mais claro, seguro e adequado em relação ao uso de ferramentas virtuais e seus efeitos práticos sobre a sociedade”, afirmou Pacheco em nota pública.

O projeto de regulamentação da IA passa por análise na Comissão Temporária sobre Inteligência Artificial (CTIA) do Senado, a qual foi criada em agosto de 2023 a fim de debater o tema. Na quarta-feira, 17, o presidente do Congresso prorrogou por mais 60 dias o tempo de funcionamento da CTIA.

O texto define os limites em que a IA pode ser usada com uma classificação de acordo com o grau de potencial perigo à sociedade, além da criação de um sistema de regulação para supervisionar e fiscalizar o uso da tecnologia. Os congressistas ainda não chegaram a um consenso e a votação já foi adiada três vezes, sendo que na última vez o presidente da CTIA, Carlos Viana (Podemos-MG), disse não haver pressa em votar o parecer do relator.

“Não vamos votar até que a gente tenha esclarecido ponto por ponto tudo isso. A maioria já foi contemplada em debate. Se nós deixarmos, os vários setores vão querer controlar esse projeto e nós temos de votar pela soberania do País”, afirmou Viana no dia 9 de julho.

Fonte: Estadão

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Kim cobra R$ 80 mil de danos morais da União por espionagem da ‘Abin paralela’

Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

O deputado federal Kim Kataguiri (União-SP) entrou com ação contra a União na qual cobra R$ 80 mil por danos morais por ter sido alvo de espionagem da chamada “Abin paralela”, no governo Jair Bolsonaro, segundo investigação da Polícia Federal (PF). Seus advogados argumentam que a União tem responsabilidade pelos atos porque as pessoas que cometeram tais atos são agentes do Estado brasileiro. O congressista também pede acesso a todos os dados que tenham sido coletados sobre ele e solicita urgência na análise.

“Trata-se de um esquema ilícito de captação e manipulação de dados, com o fim de prejudicar opositores do então presidente Bolsonaro. Não está claro, ainda, qual é o tamanho da violação de dados e da privacidade das pessoas prejudicadas. Os fatos estão sendo investigados no âmbito do STF”, diz trecho da petição.

No documento protocolado na Justiça Federal em São Paulo, os advogados Luiz Felipe da Rocha Azevedo Panelli e Catalina Soife reproduzem um diálogo entre dois servidores mandando “catar tudo que for merda que o cara (Kim) fez”. Em outro trecho da conversa encontrada nas investigações, eles chamam o congressista de “vagabundo” e avaliam que não será difícil “caçar podres”. “Creio que não vai ser difícil. (É um vagabundo) de marca maior. – Queria vasculhar a prestação de contas de campanha. Tem como ver isto? Temos até o final de semana.”

Os advogados ressaltam que espionar um deputado federal – seja simplesmente acessando dados que estão publicamente disponíveis ou por meios mais invasivos e ilegais, como aparentemente foi feito – “com o dolo de criar um suposto escândalo para manchar sua reputação” – é um fato gravíssimo em uma democracia. “Quem usa tais expedientes são ditaduras ou regimes autocráticos, em que a oposição ao governo é vista como ilícita e hostilizada”, concluem.

No dia 11 de julho, a PF cumpriu cinco mandados de prisão preventiva na Operação Última Milha – investigação sobre monitoramento ilegal de autoridades públicas e produção de notícias falsas pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) no governo passado. A ofensiva mirou auxiliares diretos do ex-chefe do órgão, Alexandre Ramagem (hoje deputado federal), além de influenciadores do “gabinete do ódio”, grupo revelado pelo Estadão em 2019.

De acordo com investigadores da Polícia Federal, no governo passado, foi instalada uma “Abin paralela” para monitorar pessoas consideradas adversárias de Bolsonaro e atuar por interesses políticos e pessoais do ex-presidente e de seus filhos.

Segundo a PF foram monitorados:

  • Poder Judiciário: ministros Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso e Luiz Fux, todos do Supremo Tribunal Federal.
  • Poder Legislativo: deputados Arthur Lira, presidente da Câmara, Rodrigo Maia (então presidente da Câmara), Kim Kataguiri e Joice Hasselmann; senadores Alessandro Vieira, Omar Aziz, Renan Calheiros e Randolfe Rodrigues.
  • Poder Executivo: ex-governador de São Paulo, João Dória, servidores do Ibama Hugo Ferreira Netto Loss e Roberto Cabral Borges, auditores da Receita Christiano José Paes Leme Botelho, Cleber Homen da Silva e José Pereira de Barros Neto.

Jair Bolsonaro e Alexandre Ramagem negam a existência do esquema criminoso de espionagem.

Fonte: Portal 98Fm

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Bolsonaro diz que pode voltar a ser alvo da PF com avanço de inquéritos: ‘Vão tentar me esculachar’

Foto: Pedro Kirilos/Estadão

Alvo de investigações por fraudes no cartão de vacinação e pela venda das joias sauditas, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta sexta-feira, 19, que a Polícia Federal (PF) pode voltar a cumprir mandados em suas residências. Segundo o ex-presidente, querem taxá-lo de “corrupto”: “Vão tentar me esculachar”.

Amanhã pode vir na porta da minha casa a Polícia Federal pela quarta vez, buscar cartão de vacina. Eu não me vacinei. Vai lá buscar meu passaporte. Vai tentar, cada vez mais, me achincalhar, me esculachar, mas não vão encontrar nada porque não tem”, afirmou Bolsonaro em um trio elétrico ao lado do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e do pré-candidato à prefeitura do Rio, deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ). O ato de pré-campanha em Campo Grande, na zona oeste da cidade, foi o segundo nesta semana.

Diante dos avanços da investigação sobre o monitoramento de opositores pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) durante a gestão bolsonarista, o ex-chefe do Executivo voltou a investir na narrativa de perseguição. Segundo Bolsonaro, “apesar das perseguições e das acusações, vale a pena não desistir do Brasil”. ”Eu poderia estar no EUA. Tinha proposta para ganhar 30 mil dólares”, afirmou.

Estadão Conteúdo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Solidariedade e Kelps Lima descartam ser vice de Carlos Eduardo

 

Foto: João Gilberto / ALRN

O partido Solidariedade acaba de soltar uma nota descartando composição com Carlos Eduardo.

A nota do partido afirma que aconteceram tratativas, mas elas não prosperaram.

SEGUE A NOTA:

NOTA DO PARTIDO SOLIDARIEDADE SOBRE AS ELEIÇÕES 2024 DE NATAL (RN)

O Solidariedade/RN, após reunião da sua executiva estadual, em conjunto com os deputados e ex-deputados do partido, decidiu encerrar suas tratativas com o PSD acerca das eleições municipais 2024.

Após algumas conversas e uma longa espera pela definição do PSD sobre a composição da chapa majoritária da capital, o Solidariedade optou não mais esperar nos prazos estipulados pelo PSD.

O Partido Solidariedade montou uma nominata que pretende eleger de 3 a 4 vereadores em Natal, tem o primeiro lugar nas pesquisas para a prefeitura de Parnamirim (terceiro maior colégio eleitoral do Estado), também mantém diversos candidatos a vereador a prefeito e vice-prefeito em outras cidades do interior; e muitas decisões nos municípios são influenciadas pela posição do partido na eleição da escolha do futuro prefeito da capital.

Sendo assim, o Solidariedade reinicia a montagem de suas estratégias para as eleições majoritárias na capital e até o próximo dia 24 de julho, data de sua convenção, anunciará sua posição sobre a eleição para prefeito de Natal.

Executiva Estadual do Partido Solidariedade/RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Candidatos à Prefeitura do Natal poderão gastar até R$ 8,1 milhões

LIMITE-DE-GASTOS

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta quinta-feira (18) os limites de gastos das campanhas para prefeito e vereador nos municípios brasileiros referentes às eleições municipais de outubro deste ano. As convenções para escolha dos candidatos acontecem a partir deste sábado (20).

Os valores equivalem aos adotados nas eleições de 2016, atualizados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) — conforme fixado por lei.

Os candidatos que desrespeitaram os limites de gastos fixados para cada campanha terão de pagar multa equivalente a 100% da quantia que ultrapassar o teto definido, e podem ser enquadrados no crime de abuso de poder econômico.

Confira os limites nas três principais cidades:

Natal

  • Prefeito 1º turno: R$ 8.123.243,98
  • Prefeito 2º turno: R$ 3.249.297,59
  • Vereador: R$ 502.093,29

Mossoró

  • Prefeito: R$ 4.370.064,47
  • Vereador: R$ 288.720,09

Parnamirim

  • Prefeito: R$ 1.766.226,23
  • Vereador: R$ 272.762,29

Nos municípios que tiverem segundo turno (no RN, só Natal), o limite fixado para as campanhas para esta fase do pleito será de 40% do previsto no primeiro turno.

Segundo a Lei das Eleições, serão contabilizadas nos limites de gastos as despesas efetuadas pelos candidatos e pelos partidos que puderem ser individualizadas.

Além disso, o partido político e os candidatos são obrigados a abrir conta bancária específica para registrar toda a movimentação financeira de campanha.

Fonte: Portal 98Fm

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *