Política

Deputada Natália Bonavides distorce projetos e mente ao dizer que Bolsonaro vai acabar com Bolsa Família

Foto: Gustavo Bezerra / Assessoria

A deputada federal Natália Bonavides (PT-RN) mentiu nas redes sociais nesta quinta-feira (12) ao afirmar que o presidente Jair Bolsonaro vai “acabar” com o programa Bolsa Família. Nesta semana, o governo entregou ao Congresso Nacional projetos que mudam o programa, e não o extinguem.

Segundo Bolsonaro, depois das alterações, a ideia do governo é ampliar os valores pagos em cerca de 50%. Também haverá uma mudança de nome, e o programa passará a ser chamado de “Auxílio Brasil”.

Em publicação no Twitter, Natália Bonavides classificou a proposta como “retrocesso” e desinformou ao dizer que o programa social será extinto. “RETROCESSO! A medida provisória que acaba com o bolsa família vai ampliar, ainda mais, as desigualdades. A MP é um ataque contra a população mais vulnerável, trazendo mudanças que atentam contra aqueles que mais precisam”, escreveu a deputada, sem especificar o que entende como “ataques”.

Entenda os projetos

Os projetos do “novo Bolsa Família” foram entregues por Bolsonaro ao Congresso na última segunda-feira (9). Trata-se de uma medida provisória que cria o Auxílio Brasil e de uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que abre brecha no orçamento para garantir recursos para pagamento.

A medida provisória integra políticas públicas e traz estratégias para a emancipação das famílias em situação de vulnerabilidade social. O Auxílio Brasil reúne em um só programa políticas de assistência social, saúde, educação, emprego e renda e deve entrar em vigor em novembro, de acordo com o Ministério da Cidadania.

A iniciativa busca atenuar as perdas dos mais vulneráveis em função do fim do Auxílio Emergencial 2021, previsto para outubro, e dar apoio aos que mais precisam.

“Sabemos que a pandemia trouxe uma inflação dos alimentos para o mundo todo e não podemos deixar desassistidos justamente os mais vulneráveis”, disse o presidente Jair Bolsonaro ao entregar a proposta ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Já a PEC dos Precatórios, relacionada ao tema, prevê a possibilidade de parcelar dívidas do governo que tramitaram na Justiça. Os dois textos estão ligados porque a PEC dos Precatórios, se aprovada, deve abrir espaço para um reajuste no valor do programa social.

 98 FM Natal

Opinião dos leitores

  1. Essa energumena representa o que de pior existe no RN, representa analfabetos, corruptos e queimadores de fumo. Natália não fala sobre os roubos do PT e sobre ps cinco milhões desviados para compra de respiradores, que essa insignificante mentirosa não tenha o mandado renovado para deixamos de passar vergonha.

  2. Deputada de um mandato, tá tão desesperada que atira pra todo lado. 3 deputados não se reelege e ela é um desses deputados. Anota aí!!!

  3. Pergunta depois de implantado se o pessoal quer os 180 do Bolsa família ou os 400 do Auxílio Brasil. Tão com medo do presidente tomar aquele eleitorado do Bolsa Família.
    E é pra ficar mesmo, o nordeste já reconhece o que Bolsonaro fez.

  4. O que não dizem é quantos milhões de pessoas estão ou foram cortados do programa. Por isso, a declaração da deputada. Vou desenhar para os bichos de chifres: paga-se 1.000 reais por pessoa a 100 pessoas. Corta-se 70 delas, há uma redução de gastos de 70 mil. Então dá um aumento de 50%para os 30 restantes que vai totalizar os gastos de 45 mil. Se gastava 100 mil, mesmo com o aumento de 50% ainda vai ter economizado 55 mil. De quebra ainda vai meter a mão nos credores dos precatórios. Mesmo quando é para se promover, este governo miliciano não perde a oportunidade de sacanear o povo mais pobre. A mídia não faz um levantamento de quantos milhões de pobres foram cortados durante o governo miliciano.

  5. Ommi, essa mulher é doida de jogar pedra na lua, como é que alguns idiotas eleitores do RN conseguem eleger uma anta dessa, a mulher não produz nada de positivo para o estado do RN e seus habitantes, vive de falar merda e atacar o governo federa, pior agora, mente a todo momento para se promover, uma verdadeira crapula da política partidária do RN.

    1. Esse omi é doido, é? Que expediente? Uma demente dessa tem o próprio expediente.

  6. Essa deputada é uma vergonha para nossa política, ela não faz outra coisa a não ser mentir destorcer fatos e esculhambar com o presidente, a vida dela é enaltecer um criminoso chefe de quadrilha o maior líder da corrupção no Brasil seu aliado petista lula ladrão . A pior parlamentar do país.

    1. Não acabou nada. Ainda está morrendo mais de 1.000 pessoas por dia de covid.

  7. Essa dep. vive jogando tudo que é assunto politico pra justiça resolver; vive enxendo o saco e entulhando a justiça com açoes sem sentido que são proprias de se resolver no parlamento. A mulher parece até que transformou o gabinete em escritorio de advocacia… portanto ideal seria uma ação contra ela por fake news…. Jogar ali naquele balaio de gatos do Alexandre de Morais..

  8. Essa deputada sem futuro fica fazendo terrorismo! Deixe de enganar a população. Se não quer ajudar, não faça o mal. A maioria dos potiguares sentem vergonha da atuação parlamentar dessa mulher. Vergonha do RN é do Brasil.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Quase 10% da população potiguar já tomou a 3ª dose da vacina contra a covid

O Rio Grande do Norte já aplicou 310 mil vacinas da 3ª dose para idosos e trabalhadores da saúde, além de pessoas imunossuprimidas. os números foram divulgados pelo rn mais vacina na tarde de hoje. O número representa 9,7% do público alvo geral, que é de 3,1 milhões de pessoas no Rio Grande do Norte.

No Brasil, ao menos 17 milhões de pessoas, o equivalente a 8% da população, já receberam a dose de reforço da vacina contra Covid-19, segundo dados da Agência CNN.

Portal 96 FM

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

TJRN determina pagamento de R$ 42 milhões em repasses atrasados do Estado à saúde pública de Natal

Os repasses em atraso de responsabilidade do Governo do Estado à Prefeitura de Natal, referentes aos Programas de Assistência Farmácia Básica (medicamentos e insumos), Fortalecimento da Atenção Básica, Atenção às Urgências (SAMU e UPA) e Reajuste de Média e Alta Complexidade que até junho de 2018 alcançaram um montante superior a R$ 42 milhões, deverão ser regularizados. A decisão foi do colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado que, por unanimidade, acatou o pleito da Procuradoria Geral do Município (PGM) e do Ministério Público.

O valor devido, no entanto, pode chegar a R$ 70 milhões, caso sejam aplicados juros e correções monetárias pelo período de defasagem nos pagamentos, como requer o Município. Esse valor, no entanto, não está contemplado na sentença do TJRN. A decisão do Tribunal se refere a recurso, no qual o Pleno apreciou, especificamente, os dois últimos programas, já que, quanto aos primeiros, houve o julgamento antecipado do mérito, por meio da homologação de Acordo Interinstitucional entre o MP e os entes públicos, que atualmente se encontra em fase de execução. O julgamento destacou que o pleito apreciado se relaciona a uma despesa obrigatória de caráter continuado, fixada em ato administrativo normativo que cria a obrigação legal para o ente (Estado), nos termos do artigo 17 da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Nesse contexto, segundo a decisão, é possível observar a veracidade das alegações do Ministério Público e do Município de Natal, uma vez que informam a defasagem e não o repasse pelo Estado do Rio Grande do Norte de recursos destinados à saúde do Município de Natal, o que gera a necessidade de determinar o cumprimento da obrigação ao Estado do Rio Grande do Norte.

O relator da matéria, o desembargador Cláudio Santos, acatou as argumentações da Procuradoria do Município e julgou procedente o pedido para determinar que o Estado do Rio Grande do Norte repasse ao Município de Natal todos os valores em atraso.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Com bom desempenho como ministro, Fábio Faria é citado até entre os cotados para vice-presidente de Bolsonaro

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Pré-candidato a senador com apoio do presidente Jair Bolsonaro, o ministro das Comunicações Fábio Faria segue mostrando que é um dos nomes fortes da base governista.

Com um bom desempenho a frente da pasta das comunicações e um dos grandes responsáveis pelo Lailson da tecnologia 5G no Brasil, Fábio chegou a ser citado pelo deputado federal Sóatenes Cavalcante como um dos nomes cotados para a candidatura de vice-presidente.

Fábio Faria, tem as credenciais citadas por Sóstenes. “Está prestes a migrar para o Progressistas, é evangélico e também do Nordeste, região onde o presidente enfrenta dificuldades”. Bolsonaro, porém, disse que a escolha do vice “ainda vai demorar”.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Álvaro Dias reforça cancelamento do réveillon em Natal: “Eu nem aventei a possibilidade de voltar atrás”

O prefeito de Natal, Álvaro Dias reforçou que o cancelamento dos shows e da queima de fogos realizado pela Prefeitura está mantido.

“Eu nem aventei essa possibilidade de voltar atrás com a decisão. Houve algum equívoco nessa informação”, declarou ao Portal 98 FM. No Twitter, ele completou: “ “Decidimos cancelar a festa do Réveillon em Natal. Mesmo com a campanha de vacinação avançando, precisamos resguardar a população, tendo em vista que os efeitos da nova variante do coronavírus ainda não estão completamente avaliados. A vida vem sempre em primeiro lugar”.

O Blog noticiou ontem a informação vinda da Assessoria de Comunicação da Prefeitura na postagem Prefeitura afirma que não suspendeu cancelamento. Réveillon segue cancelado

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Líder do governo diz que reformas só após as eleições e critica partidos: “O interesse eleitoral supera”

O deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara dos Deputados, diz que as discussões e avanços das reformas propostas desde o início do governo do presidente Jair Bolsonaro, como a tributária e a administrativa, vão ficar para depois do processo eleitoral de 2022.

Em entrevista ao Poder360, Barros disse que a reforma administrativa é “muito boa” e que “provavelmente” ficará para depois do ano eleitoral. Sobre a tributária, o congressista disse que a proposta mexe com a arrecadação dos Estados e municípios e isso dificulta qualquer debate no período das eleições.

“O interesse eleitoral supera o interesse pelo Brasil, e, aí alguns partidos deixam de fazer o que é o certo para fazer o que é conveniente eleitoralmente“, afirmou o líder do governo na Câmara.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Lula e Bolsonaro destruíram a democracia e seriam retrocesso, diz Santos Cruz

Apesar de críticas que ele próprio faz à tentativa de Jair Bolsonaro (PL) de politizar as Forças Armadas, o general da reserva Carlos Alberto Santos Cruz seguiu o caminho do ex-juiz Sergio Moro, filiou-se ao Podemos e entrou de vez para a política.

Em entrevista à Folha, ele explica por que decidiu se aliar ao ex-companheiro de governo e dispara: “O retorno do ex-presidente Lula ou a reeleição de Bolsonaro seria um grande retrocesso para o Brasil.”

“Os dois destruíram a democracia, um destruiu a esquerda, o outro destruiu a direita”, afirma.

Ex-ministro da Secretaria de Governo de Bolsonaro, por quem foi demitido em junho de 2019, o general afirma que o mandatário descumpriu uma série de promessas de campanha, a começar por buscar a reeleição, passando por se juntar ao centrão.

“O grande traidor deste país se chama Jair Messias Bolsonaro”, afirma. “Essa tentativa de transferência de traição não cola”, diz, sobre mandatário se referir desta forma a Moro.

Folhapress

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Moraes manda investigar Bolsonaro por associar vacina à Aids em live

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou hoje a abertura de um inquérito contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por ter feito, em live no Facebookuma falsa associação entre a vacinação contra a covid-19 e um aumento de chance de contrair o vírus HIV.

No despacho, Moraes criticou a atuação do PGR (Procurador-geral da República), Augusto Aras. Segundo o ministro, Aras não poderia ter aberto apenas uma apuração interna sobre o caso, como foi feito até agora, porque a investigação nasceu de uma notícia-crime enviada ao STF. Por isso, segundo Moraes, é preciso um inquérito formal na PGR, com acompanhamento do Supremo.

UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

RS confirma primeiro caso da variante Ômicron; Brasil tem seis casos de nova cepa

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) do Rio Grande do Sul confirmou, na tarde desta sexta-feira (3), o primeiro caso da variante Ômicron do coronavírus no estado.

O caso confirmado se trata de uma mulher residente em Santa Cruz do Sul, que voltou de viagem da África do Sul na última semana.

Com isso, o Brasil tem seis da nova cepa do coronavírus: três em São Paulo, dois no Distrito Federal e, agora, a confirmação do caso no Rio Grande do Sul.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O carnaval vai espalhar essa nova variante por aqui… Onde está a governadora pra seguir a ciência?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

COM 209 MIL VAGAS: Governo autoriza processo seletivo para o Censo

Foto: Agência IBGE

IBGE realizará um novo processo seletivo simplificado para o Censo de 2022. Serão abertas mais de 209 mil vagas temporárias de recenseadores, agentes, coordenadores e supervisores censitários.

O IBGE abriu um processo seletivo no início deste ano, mas cancelou o edital em outubro por causa do adiamento do Censo. Nesta 6ª feira (3.dez.2021), recebeu autorização do Ministério da Economia para realizar uma nova seleção.

A autorização foi publicada no Diário Oficial da União pela secretária especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia em 2 portarias. Eis a íntegra (115 KB).

Uma portaria prevê a abertura de 207.020 vagas de recenseadores e agentes censitários. A outra permite a contratação de 2.004 agentes, supervisores e coordenadores censitários. Eis a distribuição das vagas:

  • recenseador: 183.100;
  • agente censitário municipal: 5.500;
  • agente censitário supervisor: 18.420;
  • agente censitário de administração e informática: 1.781;
  • agente censitário de pesquisa por telefone: 180;
  • coordenador censitário de área: 31;
  • supervisor censitário de pesquisas e codificação: 12.

Segundo o Ministério da Economia, os selecionados terão um contrato de 1 ano, prorrogável. O edital do processo seletivo simplificado será publicado em até 6 meses.

Em nota, o IBGE afirmou que haverá vagas em todos os municípios do país e que o processo seletivo será organizado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

O processo seletivo que foi cancelado pelo IBGE era organizado pelo Cebraspe. Quem se inscreveu no concurso pode ter a devolução das taxas de inscrição a partir desta 6ª feira (3.dez). Os candidatos devem pedir o reembolso no site do IBGE e terão o valor restituído em até 40 dias após a solicitação. O recurso será depositado na conta corrente do candidato.

Poder 360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Comitê do Consórcio Nordeste recomenda proibir festas de Réveillon e Carnaval nos estados da região

 

O Comitê Científico do Consórcio Nordeste, que reúne os nove estados da região, divulgou um boletim, nesta sexta-feira (3), recomendando a proibição de festas de réveillon e do Carnaval nos estados da região por conta da nova variante da Covid, a ômicron. O Brasil já tem pelo menos três casos identificados dessa nova mutação do coronavírus.

Reprodução

O documento ainda demonstra preocupação com surgimento de outras novas variantes. A partir dos índices de vacinação completa da população do Brasil, o boletim aponta recomendações aos governadores e gestores municipais da região diante dos cenário nacional e global. De acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa divulgados na quinta-feira (2), o país tem mais de 63% da população totalmente imunizada.

Entre as indicações, estão o cancelamento das festividades de final do ano e do Carnaval, que possam gerar aglomerações. Para a entidade, essas festas intensificariam a transmissão do coronavírus e resultariam em nova onda da pandemia.

Além disso, o Comitê Científico do Consórcio Nordeste pede que os governantes da região intensifiquem a vacinação para alcançar, o mais rápido possível, uma maior parcela da população com vacinação completa.

O comitê ainda recomenda uma busca ativa das pessoas que ainda não receberam a segunda dose. Para isso, o comitê faz sugestões como o uso dos agentes comunitários e ampliação dos locais de vacinação nas cidades em locais de grande circulação de pessoas.

O comitê ainda recomenda a aplicação da vacina nas escolas, para atingir a maior cobertura de vacinação com a primeira e a segunda dose nos adolescentes. E sugere ainda o uso de viaturas como o carro da vacina, em analogia com o “carro do ovo” nas cidades, em que se utiliza serviço de som, como já é feito em alguns locais do país.

Outras recomendação são a manutenção do uso obrigatório de máscaras faciais e outras medidas de proteção individual e coletiva, como a exigência do passaporte de vacina para entrada em cinemas, teatros, estádios de futebol, e estabelecimentos do gênero, além do capital político de governadores e outros atores políticos para estimular a solidariedade internacional a desenvolver mecanismos que ampliem a vacinação globalmente, em especial nos países africanos.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *