Durante pandemia, 65 deputados federais gastam mais com gasolina que no ano anterior


Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

Apesar de a Câmara dos Deputados estabelecer sessões remotas a partir de março de 2020 por causa da pandemia de Covid-19, 65 parlamentares aumentaram seus gastos com combustíveis e lubrificantes entre o ano passado e 2019. Eles estão na contramão do consumo total de deputados com essa rubrica, que passou de R$ 16,5 milhões para R$ 10,3 milhões no mesmo período, uma queda de 37,9%.

Com o sistema de deliberação remota, os parlamentares podem acompanhar as sessões plenárias de suas respectivas residências, sem a necessidade de deslocamento. Além das medidas adotadas pela Câmara, todos os governos estaduais decretaram regras de quarentena, restringindo a circulação das pessoas, sobretudo, nos primeiros meses do ano.

O levantamento foi realizado pelo Metrópoles com base nos dados do portal de transparência da casa. Para definir quem teve a maior alta, foram excluídos parlamentares que se licenciaram do mandato por um período significativo em 2019. O valor gasto ainda pode aumentar, visto que os deputados têm até 90 dias para apresentar as notas para reembolso, de acordo com o Regimento Interno da Câmara.

Maiores Crescimentos

Apesar da diminuição do montante gasto em relação a 2019, quando não havia pandemia, alguns parlamentares aumentaram o consumo no ano passado. A maior alta foi do deputado Severino Pessoa (Republicanos-AL), que consumiu R$ 61.028,56, em 2020, e R$ 24.214,92, em 2019. Isso representa acréscimo de 152%.

Outro parlamentar dobrou os valores nesta rubrica entre 2019 e 2020. A deputada Aline Sleutjes (PSL-PR) despendeu R$ 46.873,95 com gasolina em 2020, um crescimento de 115,6% na comparação com os R$ 21.736,31 gastos em 2019.

O terceiro lugar ficou com o deputado Lucas Gonzales (Novo-MG), cujo consumo passou de R$ 10.729,82 para R$ 19.001,38, o que representa um aumento de 77%.

Considerando apenas as despesas com esse item em 2020, o deputado Claudio Cajado (PP-BA) é o campeão. O deputado do PP usou R$ 66.550,04, seguido por Roman (Patriota-PR), com R$ 66.017,90, e por Professor Alcides (PP-GO), com R$ 65.570,05.

Cajado apresentou gastos de R$ 6 mil mensais – valor limite nesse item – em 10 dos 12 meses, as exceções foram outubro, com R$ 5.930, e dezembro, com R$ 620,04, o que ainda pode mudar. Já Roman tem consumo mensal entre R$ 3.792,09 e R$ 6 mil.

Alcides, por sua vez, apresentou 11 notas com valor um pouco acima de R$ 6 mil – com variações de R$ 2 ou alguns centavos –, mas ele foi reembolsado em R$ 6 mil, ou pouco menos, por se tratar do limite. Não consta gasto dessa rubrica em dezembro.

A reportagem do Metrópoles tentou contato com os gabinetes de Severino Pessoa, Aline Sleutjes, Lucas Gonzalez, Claudio Cajado, Roman, Professor Alcides, mas apenas Gonzalez se manifestou até a publicação da matéria. A assessoria de Aline disse que não se manifestaria.

Gonzalez avalia que, em 2019, com as atividades presenciais na Câmara, “o gasto com gasolina era menos impactante”. “Em 2020, como a Câmara operou, majoritariamente, em formato remoto, a minha opção foi por oferecer, diretamente, suporte às cidades do interior [42 cidades, incluindo norte de Minas, sul de Minas, região central de Minas, sudoeste, Triângulo Mineiro, Vale do Mucuri, Vale do Aço e Vale do Rio Doce], atendendo pessoalmente as demandas dos mais necessitados, além de cumprir uma intensa agenda de reuniões empresariais, com foco em alcançar investimentos e empregabilidade para os mineiros, em um período sensivelmente desafiador para todos”, disse, em nota.

Cota parlamentar

A Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP), instituída pelo Ato da Mesa n° 43/09, pode ser usada por parlamentares para custear gastos exclusivamente vinculados ao exercício do mandato, com passagens aéreas, telefonia, manutenção de escritórios parlamentares, alimentação, hospedagem, locação de veículos, segurança, divulgação da atividade parlamentar e combustíveis.

Os valores vão de R$ 30.788,66 mensais para os deputados da bancada do Distrito Federal a R$ 44.632,46 ao mês para a do Acre.

Metrópoles

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Pode conferir, sem dúvidas a maioria, se não todos, Bolsonaristas.
    Tanto eles como o próprio, adoram apontar o dedo para os outros, xingam pra mobillizar meia dúzia de desmiolados e os sabidos tb, que são muitos, citam empreendedorismo pra dar uma de liberal e tirar a atenção deles, mas adora mamar nas tetas do Estado.

  2. Tico de Adauto disse:

    Infelizmente não vejo novidades nessa matéria. O COngresso Nacional não tem jeito.

  3. André Ataide disse:

    Que vergonha, GENERAL GIRÃO! Meu voto nunca mais!

  4. Manoel disse:

    O genocida era o campeão da gasolina quando foi deputado medíocre por 30 anos.
    Gastava em um dia o necessário para um mês.

  5. Carlos disse:

    Não entendo o porque desse desespero, isso é Brasil. Seria sim muito alarmante se eles não tivessem bastado nada. Quanto ao outro comentário que a pessoa fez aqui nessa matéria sobre o único culpado é o executivo. Lembro que são pessoas ignorantes politicamente. O câncer deste país vêm do executivo,legislativo, judiciário e parte dos militares. Esqueci, empresários gananciosos que corrompem e são corrompidos pelo nosso dinheiro. Ou seja, tá tudo normal. Enquanto a população não tomar às redéas e cobrar com força desses ratos imundos essa nação de terceiro mundo vai continuar como sempre foi, ou seja, corrupta, cheia de ladrões e o povo abestalhado. Kkkkkkk

  6. Luís disse:

    Fulano gastou 100 num ano e 150 no outro;
    Beltrano gastou 1.000 num ano e 500 no outro.
    Fulano aumentou em 50%, Beltrano reduziu em 50%.
    Fulano é que é o irresponsável.

  7. Henrique disse:

    Aprenderam com o rei da mutreta da gasolina na Câmara :Bozolina!

  8. Fran disse:

    Estou esperando aqui nos comentários os guardiões da moral, que fecham os olhos para os canalhas do legislativo e acham que a destruição do país vem do executivo. Hipócritas canalhas!

    • CAPITÃO ZERO disse:

      Eles aprenderam com Bolsonaro que era o campeão de gasto com combustível qd era deputado, é facil comprovar é só olhar no site da câmara dos deputados . Ah ladrão

    • Pai do Caca ( tá tenso) disse:

      Pior do que vocês é impossível, entrando no terceiro ano, e a culpa é de todo mundo menos do incompetente lunático! Cadê as reformas que ele precisa lançar para dar o ponta pé inicial? Canalhas é o cego que olha no espelho e não se vê!

  9. Mgil disse:

    Todo mundo sabe qual é a jogada. Mas ninguém apura, e fica por isso mesmo. País de políticos canalhas e de autoridades incompententes e covardes.

COMENTE AQUI