Emprego

Edital do concurso da ALRN é publicado e salários podem chegar até R$ 8,3 mil

Foto: Reprodução

O edital do concurso da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN) foi publicado nesta quarta-feira (22), através do Diário Oficial da Assembleia. Ao todo, serão ofertadas 47 vagas para nível médio e superior.

As inscrições estarão abertas a partir da quinta-feira (23) às 9h e vão até o dia 25 de julho. Os salários variam dependendo dos cargos e do nível do participante, podendo chegar até R$ 8,3 mil. A aplicação da prova acontecerá no dia 25 de setembro, nas cidades de Caicó, Mossoró, Natal e Pau dos Ferros.

Leia mais: Comissão define banca para concurso da Assembleia Legislativa

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

PT vai destinar R$ 130 milhões à campanha de Lula

Foto: Ricardo Stuckert

O diretório nacional do PT reservou 26,03% do fundo eleitoral do partido para a campanha presidencial de Lula (foto), o que garante ao petista R$ 130 milhões de reais para os dois turnos, informou o Estadão nesta quinta-feira (30).

A decisão, assinala o jornal paulistano, faz com que a sigla destine a Lula praticamente o teto do permitido pela Justiça Eleitoral aos candidatos a presidente.

Mais cedo nesta quinta, o TSE definiu que candidatos à Presidência poderão gastar até R$ 88 milhões no primeiro turno e R$ 44 milhões no segundo turno, somando R$ 132 milhões.

Logo depois, o diretório nacional petista bateu o martelo sobre a verba para a campanha do ex-presidente. No total, a legenda tem direito a R$ 499,6 milhões do fundão —que saem, nunca é demais relembrar, do seu bolso.

O Antagonista

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Policial Civil é executado em São José de Mipibu após ter casa invadida por indivíduos armados; Criminosos deixaram esposa e filho do agente amarrados

Foto: reprodução

O agente da Polícia Civil Cláudio Ferreira da Silva, irmão do ex-vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de São José de Mipibu, Clidenor Ferreira da Silva, foi executado no início da noite desta quinta-feira (30), na comunidade Arenã, em São José de Mipibu.

O policial teve sua casa invadida por cinco indivíduos que entraram pela porta dos fundos da residência. Dentro do imóvel, antes de sequestrarem o policial, os homens amarraram a esposa e filho do agente e roubaram os celulares.

Os meliantes levaram uma pistola automática e um colete a prova de balas ao agente. Cláudio Ferreira foi executado num coqueiral distante aproximadamente 500 metros da residência dele. O corpo foi localizado por policiais militares.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Advogada presa com bilhete em Alcaçuz é autuada por atuação com organização criminosa

Imagem: Ilustrativa

A advogada presa na tarde de hoje suspeita de levar bilhetes com instruções de facções criminosas para um detento no presídio de Alcaçuz teve flagrante lavrado na Delegacia de Combate ao Crime Organizado.

Segundo informações repassadas ao Justiça Potiguar, a advogada foi autuada em flagrante pelo crime do Art. 2º da Lei de Organizações Criminosa com pena de 3 a 8 anos.

Justiça Potiguar

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senado aprova PEC que cria voucher para caminhoneiros, aumenta Auxílio Brasil para R$ 600 e amplia outros benefícios sociais; texto vai à Câmara

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O Senado aprovou nesta quinta-feira (30) em primeiro turno por 72 votos a 1 e em segundo turno por 67 votos a 1 a Proposta de Emenda à Constituição que estabelece um estado de emergência no país para viabilizar a criação de um voucher temporário de R$ 1 mil para caminhoneiros autônomos e um benefício para taxistas. O texto também amplia até o final do ano o Auxílio Brasil e o Vale-gás. O impacto da proposta nos cofres públicos pode chegar a R$ 41,2 bilhões.

Nos dois turnos, o único voto contrário foi o do senador José Serra (PSDB-SP). “Às vésperas das eleições, o Senado tenta aprovar uma emenda à Constituição instituindo uma situação de emergência para liberar gastos da ordem de R$ 38 bilhões, passando por cima de todas as regras fiscais”, argumentou nesta quarta-feira (29) o senador, ao antecipar o teor do voto em uma rede social.

Embora critique o que chama de “caráter eleitoreiro” da medida, uma vez que o texto é analisado a três meses da eleição, a oposição ao governo votou favoravelmente à PEC.

Conforme o que está previsto no texto aprovado, relatado pelo senador Fernando Bezerra (MDB-PE), a PEC prevê até o fim deste ano:

  • Auxílio Brasil: ampliação de R$ 400 para R$ 600 mensais e previsão, segundo Bezerra, de cadastro de 1,6 milhão de novas famílias no programa (custo estimado: R$ 26 bilhões);
  • Caminhoneiros autônomos: criação de um “voucher” de R$ 1 mil (custo estimado: R$ 5,4 bilhões);
  • Auxílio-Gás: Ampliação de R$ 53 para o valor de um botijão a cada dois meses (o preço médio atual do botijão de 13kg, segundo a ANP, é de R$ 112,60; custo estimado: R$ 1,05 bilhão);
  • Transporte gratuito de idosos: compensação aos estados para atender a gratuidade, já prevista em lei, do transporte público de idosos (custo estimado: R$ 2,5 bilhões);
  • Auxílio para taxistas: benefícios para taxistas devidamente registrados até 31 de maio de 2022. O valor total dessa medida será de até R$ 2 bilhões.
  • Alimenta Brasil: repasse de R$ 500 milhões ao programa Alimenta Brasil, que prevê a compra de alimentos produzidos por agricultores familiares e distribuição a famílias em insegurança alimentar, entre outras destinações
  • Etanol: Repasse de até R$ 3,8 bilhões, por meio de créditos tributários, para a manutenção da competitividade do etanol sobre a gasolina.

Estado de emergência

Para possibilitar a criação de novos benefícios, o texto prevê a decretação de estado de emergência no país.

Esse estado de emergência, segundo o texto, decorre “da elevação extraordinária e imprevisível dos preços do petróleo, combustíveis e seus derivados e dos impactos sociais deles decorrentes”.

Lei das Eleições proíbe a criação de novos benefícios sociais em ano eleitoral. A legislação autoriza somente o pagamento de auxílios cujo orçamento já esteja autorizado no ano anterior ao das eleições — caso do vale-gás, mas que não se aplica ao voucher dos caminhoneiros e o dos taxistas.

Então, a estratégia do governo para viabilizar os novos benefícios foi a de decretar estado de emergência.

Senadores da oposição tentaram retirar esse trecho, mas não conseguiram as 27 assinaturas necessárias para que a emenda (sugestão de alteração) fosse analisada.

Texto substitui ‘PEC dos Combustíveis’

A proposta analisada nesta quinta pelos senadores é uma substituição da chamada “PEC dos Combustíveis”.

Inicialmente, o texto previa uma compensação a estados que zerassem o ICMS, imposto estadual, sobre combustíveis.

Mas, diante de dúvidas sobre a efetividade da medida, o relator Fernando Bezerra (MDB-PE) apresentou o substitutivo (a nova versão do texto) que prevê o conjunto de benefícios sociais.

g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Classificados do concurso da Polícia Civil cobram providências do Governo do Estado: “Há necessidade de efetivo maior, previsão no orçamento e dinheiro em caixa”

Foto: Divulgação/Polícia Civil RN

O último concurso da Polícia Civil do RN foi autorizado em 2019, com edital publicado em 2020 e provas realizadas em 2021. Esse concurso público possui cerca de 2 mil candidatos classificados. Em 2022 somente 400 deles foram convocados para a etapa final: Curso de Formação Policial (CFP), sendo 300 agentes, 50 delegados e 50 escrivães.

Mas esse quantitativo já se encontra desfalcado em razão de desistências ocorridas ao longo do curso. Além disso, o número já é defasado. Nos últimos anos, cerca de 470 policiais civis deixaram seus cargos, por motivo de aposentadorias, exonerações e falecimentos. Outros 145 encontram-se aptos à aposentadoria voluntária, estes recebem uma retribuição adicional de abono de permanência. Além dos aproximadamente 470 policiais existem ainda mais de 155 com expectativa de completar os requisitos para aposentadoria até 2025.

Mesmo Havendo a contratação imediata de 600 novos policiais civis, o governo ainda respeitará a Lei de Responsabilidade Fiscal, tendo em vista que esse incremento será apenas para reposição dos cargos vagos recentemente, o que não implicará em aumento de despesa com o quadro funcional“, explica Adson Felipe, representante da Comissão dos Classificados no Concurso da Polícia Civil do RN.

Essa primeira turma com 400 alunos sequer irá repor as vacâncias geradas em anos recentes. E mais, vários alunos do curso de formação, que está acontecendo, já pediram desligamento, e essas vagas não podem ser repostas. Isso significa que o teremos bem menos policiais contratados. Existe o risco da PCRN ter menos efetivo, após o concurso, do que havia antes da autorização do concurso“, completa Adson.

Ainda segundo a Comissão, a Lei Orçamentária Anual (LOA 2022) prevê 942 nomeações para a Polícia Civil ainda neste ano de 2022. Os membros da comissão cobram do Governo o atendimento dos termos desse ordenamento legal, para que seja executada a ação estratégica prevista na Meta de Segurança Pública da recente atualização do Plano Plurianual 2020-2023 que tem entre seus objetivo, até o final de 2023, adequar o efetivo da Polícia Civil em até 3.768 servidores, a partir da realização de concurso público voltado para os quadros de carreira.

Mais do que possibilidades legais e orçamentárias para compor o efetivo legal da PCRN, há necessidade urgente e imperativa de mais policiais civis, por tratar-se do direito fundamental à segurança pública, assegurado pela Constituição Federal de 1988”, explica Adson.

Os membros da Comissão alertam ainda para o fato de que a falta desses policiais compromete a investigação criminal e prejudica o atendimento à população.

Existem mais de 11.800 inquéritos parados, sem solução, em 34 das 131 unidades operacionais da polícia civil, contribuindo com o aumento da sensação de impunidade, o que pode fomentar a criminalidade.

Somado a isso, salta aos olhos o fato de haver mais de 100 municípios que não dispõe de delegacia distrital, o que revela uma ausência do poder estatal na proteção de seus cidadãos e na preservação da paz e harmonia social.

Vale lembrar ainda que o Estado vem alcançando recordes na arrecadação fiscal, além de verbas oriundas de emendas parlamentares, bem como o aporte de recursos do governo federal, por meio de convênios com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP), além de ganhos orçamentários em 2022.

O governo tem condições financeiras para mudar essa trágica realidade vivida pela polícia civil e pelo povo potiguar. É urgente a realização de um segundo curso de formação policial, com mais vagas, ainda esse ano.“, conta Adson.

Menor efetivo do Nordeste e 4º menor do Brasil

A Polícia Civil do RN possui o menor efetivo do Nordeste e o 4º menor do Brasil, segundo levantamento feito pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Atualmente com um efetivo de aproximadamente 1.280 policiais, amarga um déficit superior a 75% em seu quadro funcional, conforme dados divulgados pelo Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança do Rio Grande do Norte (Sinpol).

Além do efetivo ínfimo, a escassez se agrava quando considerados os afastamentos por motivo de férias e licenças e os servidores cedidos para outros órgãos. Assim, estima-se haver cerca de 900 policiais em serviço, para atender todas as demandas criminais de um Estado, cuja população está estimada em 3,5 milhões de habitantes, conforme última projeção feita pelo IBGE em 2021.

Somado a isto, ainda existem policiais destinados ao serviço administrativo, uma vez que não há concurso para essas atividades há mais de 30 anos, o que prejudica muito a atuação na atividade fim da PCRN. Na prática, muitas delegacias funcionam com apenas uma equipe simples (1 escrivão, 1 agente e 1 delegado), e necessitam do serviço extra de policiais na folga para incrementar o efetivo do dia a dia.

Novas Delegacias precisam de policiais

A necessidade de realização de mais cursos de formação e nomeação de Agentes, Delegados e Escrivães, torna-se ainda mais urgente, em razão da vigência de decreto estadual recente que cria, no papel, 29 novas delegacias no Estado.

Detalhe, a instalação de 20 delas está condicionada necessariamente à nomeação de mais policiais civis, além dos que já estão no curso de formação em andamento.

Opinião dos leitores

  1. É sempre assim. Pede pelo amor de Deus, fazem até associação de concursados, quando entram começa o mimimi, reclamam de tudo é greve todo anos, mesmo com salários muito mais altos q a média da população.

  2. Já chamaram todos os classificados DENTRO DAS VAGAS previstas no edital ? Então nenhuma candidato tem direito a ser convocado a mais…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CORREÇÃO: Freitas Júnior, pré-candidato ao senado pelo PSOL no RN, nega acusações de não pagamento de dívidas de campanha

Foto: Reprodução 

*CORREÇÃO: incluída a nota emitida pelo pré-candidato ao Senador pelo PSOL – Freitas Júnior

Ex-presidente do partido Rede Sustentabilidade no Rio Grande do Norte, o servidor público, Freitas Júnior, não honrou dívidas de campanha eleitoral com jornalistas, diagramador, fótógrafo, editor de vídeo nas eleições de 2018.

Freitas foi escolhido pela Rede para disputar o governo do estado naquele ano com o vice, Flávio Rebouças. O vice teve problemas jurídicos por conta de irregularidades de Freitas na prestação de contas na justiça eleitoral.

João Maria Napoleão de Medeiros, conhecido como Napoleão, foi candidato ao senado também pela Rede. Napoleão declarou para justiça eleitoral ter gasto R$ 7,794 mil na campanha daquele ano.

Freitas alegou despesas de R$ 3.004 mil. Tanto Freitas como Napoleão pagaram apenas o valor de R$ 1.5 mil, em um contrato que era previsto pagamento de R$ 12 mil.

A inadimplência ficou em R$ 10.5 mil, sem correções e atualizações dos valores. A executiva nacional da Rede tomou conhecimento do calote e disse que a quitação era de responsabilidade dos candidatos.

Os dois jornalistas foram responsável por toda estratégia de comunicação de Freitas e Napoleão, contato com a imprensa, produção do horário eleitoral no rádio e na TV. A equipe gerenciava a comunicação dos dois candidatos.

Quatro anos depois, Freitas é pré-candidato ao senado pelo PSOL do Rio Grande do Norte e até hoje não honrou as dívidas com sua ex-equipe de comunicação, nem procurou os trabalhadores para a apresentar proposta de pagamentos.

Freitas foi acusado por ex-filiados da Rede de inúmeras irregularidades. Ele entregou a Rede, de esquerda, para os tucanos.

Francisco Costa

Nota do pré-candidato ao Senador pelo PSOL – Freitas Júnior

ACUSAÇÕES LEVIANAS À FREITAS JÚNIOR NÃO PASSARÃO E TERÃO O TRATAMENTO LEGAL CABÍVEL

Estranho seria se nossa candidatura ao senado federal pelo PSOL, com a qualidade e o preparo que temos demonstrado nas raras oportunidades públicas na imprensa, não despertasse o interesse de grupos ou personagens de direita, movidos por fake news, em nos atacar de forma sórdida e rasteira.

Desse modo, vimos repudiar com veemência a acusação a mim imputada sobre qualquer tipo de dívida pretérita remetida ao período que estive no partido Rede. Afirmo e ratifico que nas minhas campanhas passadas não deixei qualquer tipo de dívida, mesmo porque esse nunca foi e nem será o meu perfil, inclusive quem me conhece e sabe minhas origens pode comprovar o que falo.

Mas sinceramente, o que mais me deixa indignado é ver, por parte da imprensa, quatro anos depois das últimas eleições gerais, numa pré-campanha, esse assunto ser pautado, isso é no mínimo estranho. Tenho orgulho e a honra de haver sido escolhido pelo PSOL para concorrer ao cargo de senador e faço minha pré-campanha com muita responsabilidade e tentando, além de evidenciar propostas para o povo potiguar, mostrar as maldades do governo Bolsonaro e de sua política perversa representada por parte dos nossos concorrentes aqui no RN.

Se a tentativa é de calar minha voz e silenciar o meu partido, o PSOL, enganam-se, pois seguiremos firmes contra todo o tipo de mentiras e acusações levianas, inclusive, se necessário, tomaremos todas as medidas legais cabíveis.

Nossa pré-campanha, que segue crescendo comprometida com a luta dos excluídos, do meio ambiente e contra Bolsonaro, não será abalada e nem recuará um milímetro do nosso propósito.

Freitas Júnior – Pré-candidato ao Senado Federal pelo PSOL

Opinião dos leitores

  1. É sol, é chuva
    Em bolsonaro vota até a viúva
    A esquerda vai chorar
    E eu vou cantar chupa-cabra que é de uva

    Bolsonaro é nosso presidente
    É um homem de ação
    Além de ser muito prudente
    Acabou com a corrupção

    Vai ser reeleito de novo
    A esquerda vai se acabar
    De luladrão eles é babá ovo
    Boksonaro vai ganhar
    Transformar o Brasil em ouro

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Dono de padaria suspeito de matar funcionário a facadas é preso em João Câmara

Francisco Rogério Dantas, de 45 anos foi morto na última segunda-feira (27) | Imagem: Reprodução/ Inter TV Cabugi

Policiais civis da 85ª Delegacia de Polícia (DP de João Câmara) deram cumprimento, nesta quinta-feira (30), a um mandado de prisão preventiva em desfavor de José Pereira Sobrinho, mais conhecido como “Dedé da Padaria”, 64 anos.

Ele, detido em João Câmara, é investigado pela suspeita do homicídio de Francisco Rogério Dantas, 45 anos. O crime foi cometido com emprego de arma branca e ocorreu na manhã da última segunda-feira (27), por volta das 6h, em estabelecimento comercial denominado Padaria Frei Damião, no Centro de João Câmara.

VEJA MAIS: EM JOÃO CÂMARA: Padeiro é morto a facadas por dono de padaria após chegar atrasado no trabalho

Ainda de acordo com as investigações, o empregador não cumpria os direitos trabalhistas: não pagava horas extras, 13°, férias e domingos ou feriados trabalhados. Quando a vítima chegou na segunda-feira para trabalhar, o empregador reclamou da falta no domingo e a vítima respondeu que não havia trabalhado porque não recebia; iniciou-se, assim, uma discussão; o empregador saiu do ambiente em que estavam e, segundos depois retornou, armado com uma faca e, sem dizer nada, desferiu um golpe no coração de Francisco Rogério, provocando o homicídio.

O mandado de prisão foi expedido pela 2ª Vara da Comarca de João Câmara, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. José Pereira foi conduzido até a delegacia e encaminhado ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

ATENÇÃO: Confira os pontos onde serão instalados os novos radares de trânsito em Natal

Foto: reprodução/Agora RN

O Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte (Detran-RN) iniciou a implementação de novos radares em cinco vias de Natal que devem começar a funcionar na segunda quinzena de julho.

Ao todo, a fiscalização eletrônica vai monitorar 76 faixas de rolamento nessas avenidas. Segundo o Detran, os locais já estão sendo sinalizados com placas que determinarão a velocidade máxima permitida em cada trecho.

Confira abaixo as vias que vão receber os equipamentos: 

Via Costeira (RN-301)
>> Hotel Ocean Palace (4 faixas monitoradas);
>> Torre telefônica (4 faixas);
>> Posto da Polícia Militar (2faixas);
>> Hotel embargado (4 faixas).

Av. João Medeiros Filho (RN-302)
>> UERN (2 faixas);
>> Comjol (4 faixas);
>> Entre Motel Eros e Iskisita (4 faixas);
>> Cruzamento com Av.Itapetinga (2 faixas).

Pontos de instalação dos radares
(até final de setembro)

Av. Eng. Roberto Freire (RN-063)
>> Banco do Brasil (6 faixas);
>> Cruzamento com Av. Praia de Tibau/Feira de Artesanato (4 faixas);
>> Cruzamento com Via Costeira (6 faixas);
>> Praia Shopping (6 faixas);
>> Nordestão/Cidade Jardim (8 faixas).

Prolongamento da Prudente
>> Parque da Cidade (4 faixas);
>> Ponte do Rio Pitimbu (4 faixas);

Rota do Sol
>> Barreira do Inferno (4 faixas);
>> Cruzamento com a Mucio V. Ribeiro Dantas/Edifício Portamaris (4 faixas).

Com informações de Agora RN e Tribuna do Norte

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senado aprova 1º turno de PEC que cria voucher a caminhoneiros e aumenta Auxílio Brasil

Foto: JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO – 30.6.2022

O plenário do Senado aprovou nesta quinta-feira (30) o primeiro turno da proposta de emenda à Constituição (PEC) que cria um auxílio financeiro a caminhoneiros e taxistas e reajusta os valores do Auxílio Brasil e do Auxílio Gás. O valor a ser gasto pelo governo federal em prol dos benefícios é estimado em R$ 41,2 bilhões. Ainda falta a análise em segundo turno. Na sequência, a matéria segue para a análise da Câmara dos Deputados.

De acordo com a proposta, será instituído um auxílio mensal aos caminhoneiros no valor de R$ 1.000 mensais, entre julho e dezembro deste ano. O benefício deve custar R$ 5,4 bilhões e pode beneficiar quase 900 mil profissionais.

Para evitar o recebimento indevido do voucher, somente transportadores registrados como autônomos no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC) até 31 de maio de 2022 farão jus ao benefício.

O auxílio aos taxistas instituído pela PEC deve custar R$ 2 bilhões e também será pago de julho a dezembro. A proposta, contudo, não definiu qual será o valor individual do subsídio a cada motorista de táxi.

Para ter direito à ajuda, os taxistas terão de apresentar um documento de permissão para prestação do serviço, feito pelo poder público municipal ou distrital, que tenha sido emitido até 31 de maio deste ano.

Auxílio Brasil e Auxílio Gás

Segundo a PEC, o Auxílio Brasil passará dos atuais R$ 400 para R$ 600, o que deve representar um custo de R$ 26 bilhões. O novo valor vai ser pago entre agosto e dezembro.

De acordo com a matéria, o governo terá de zerar a fila para recebimento do benefício. Assim, a previsão é que o programa passe a atender 19,8 milhões de famílias.

A PEC ainda determina que o valor do Auxílio Gás seja dobrado. Atualmente, as famílias beneficiadas têm direito a um valor equivalente ao preço de meio botijão de gás de 13 kg por bimestre. Com a proposta, o auxílio será elevado para o equivalente a um botijão de gás a cada dois meses. O novo valor valerá de julho até o fim de 2022.

Outras propostas

A PEC ainda determina a compensação a estados e municípios que dispõem de serviços de transporte público urbano e metropolitano. O objetivo é minimizar as perdas das companhias em razão da gratuidade da tarifa oferecida a passageiros com 60 anos ou mais, conforme previsto no Estatuto do Idoso. O custo estimado é de R$ 2,5 bilhões.

Além disso, a proposta prevê uma compensação financeira à cadeia produtiva do etanol, na tentativa de possibilitar a competitividade desse produto frente ao diesel. O incentivo é da ordem de R$ 3,8 bilhões.

Ainda há a previsão de uma suplementação de R$ 500 milhões ao programa Alimenta Brasil, que tem como finalidades promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar. Para o alcance desses dois objetivos, o programa compra comida produzida pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina a pessoas em situação de insegurança alimentar.

Polêmicas

O texto final da PEC aprovado pelo Senado não inclui um trecho que foi bastante criticado por parlamentares devido à possibilidade de permitir ao governo federal criar novas despesas e descumprir o teto de gastos públicos.

Na proposta, há a previsão de que seja reconhecido estado de emergência no país durante o ano de 2022. Essa ferramenta é necessária para que o auxílio aos caminhoneiros e aos taxistas possa ser pago, tendo em vista que a legislação eleitoral proíbe a criação de benefícios em ano eleitoral, a não ser que o país esteja sob estado de emergência.

Na primeira versão do seu relatório, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) dizia que, para enfrentamento ou mitigação dos impactos decorrentes do estado de emergência reconhecido, as medidas implementadas não poderiam ter vedações ou restrições previstas em norma de qualquer natureza.

Esse trecho foi bastante criticado por outros senadores. A avaliação era de que a norma daria um “cheque em branco” para que o governo federal gastasse mais dinheiro público em outros projetos. Bezerra retirou o trecho e incluiu um novo dispositivo para que estabelecer os gastos permitidos pelo estado de emergência sejam apenas com os benefícios delimitados pela PEC.

Além disso, o senador adicionou à redação uma norma para impedir que os valores reservados ao Auxílio Gás e Auxílio Brasil sejam usados para qualquer tipo de publicidade institucional.

R7

Opinião dos leitores

  1. Bolsolão solto. 41 bilhões nas vésperas das eleições para o centrão fazer o maior número de deputados, senadores e governadores. Tudo válido até após as eleições. Mesmo assim, o bolsonaro vai perder no primeiro turno. O centrão é que vai se dar bem nos seus currais.

  2. É o Governo do Presidente Bolsonaro trabalhando para ajudar os que mais necessitam.
    Parabéns Bodosonaro.

    1. Kkkk muitos auxílios pra elevar os gastos públicos, dívida pública para maquiar o crescimento do pibinho rsrs nada mudou so muita hipocrisia

    2. Na época de Lula chamavam de esmola eleitoreira… quem diria!!!

    3. Último suspiro pra tentar não passar vergonha nas eleições kkkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Caso Milton Ribeiro: STF impõe sigilo à investigação sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) pôs em sigilo nesta quinta-feira (30) a investigação que apura se o presidente Jair Bolsonaro interferiu na Operação Acesso Pago, da Polícia Federal, que mirou o ex-ministro Milton Ribeiro. Com a decisão da Corte, as diligências e os atos processuais passam a tramitar com restrição de acesso.

Assim que os autos do processo chegaram ao Tribunal, encaminhados pelo Ministério Público Federal (MPF), após decisão do juiz Renato Borelli, da 15ª Vara Federal de Brasília, o sigilo foi aplicado. A operação foi deflagrada após denúncias da existência de um esquema de tráfico de influência no Ministério da Educação.

Milton Ribeiro é acusado de ser o líder do esquema de tráfico de influência. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), ele recebeu pastores em seu gabinete para negociar o envio de verbas para prefeituras indicadas pelos religiosos. Em troca da articulação, segundo as investigações, os religiosos Arilton Moura e Gilmar Santos receberiam propina.

O juiz de primeira instância enviou o processo ao Supremo a pedido do MPF, após Milton citar o presidente Jair Bolsonaro em uma conversa telefônica com a filha. Milton disse ter sido informado pelo presidente de que poderia ser alvo de “busca e apreensão”. A PF apura se o chefe do Executivo teria vazado ao ex-ministro informações de que ele poderia ser alvo das diligências.

Milton chegou a ser preso, junto aos pastores, na Operação Acesso Pago. No entanto, foi solto por decisão do ministro Ney Bello, do TRF-1.

R7

Opinião dos leitores

  1. O lula confessou que fez o mesmo, quando o irmão recebeu a visita da PF . Nem precisa investigar, só enquadramento do criminoso na sentença da lei.

  2. Os partidos de oposição estão fazendo campanha suja, com uma suposta interferência do Presidente Bolsonaro na PF, coisa que jamais passou na cabeça do MITO. É muito desespero dessa corja que perderá no primeiro turno.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *