Estudante que chamou deputado de fascista quer processá-lo por ter sido xingada de ‘dragão de komodo’

Foto: Divulgação

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), que ficou conhecido após quebrar a placa da vereadora Marielle Franco, será processado por conta da última briga em que se envolveu. Ele publicou um vídeo nas redes sociais trocando acusações e “cuspidas” com uma militante do Psol nesta semana. A mulher não se opôs à gravação, mas diz que sofreu um “linchamento virtual” depois que foi marcada no post. Por isso, promete apresentar uma queixa por danos morais contra o deputado nesta segunda-feira (16).

“Vou entrar com um processo por danos morais na esfera cível para fazer ele retirar os vídeos da internet. A ação já está pronta, estou só anexando os prints das redes sociais para apresentá-la”, contou Nayara Berdnasky, que no vídeo publicado por Daniel Silveira chama o deputado de fascista e recebe de volta xingamentos como “gorda”, “dragão de komodo”, “lhama cuspideira” e “aprendiz de Jean Wyllys”.

 

Nayara tem 32 anos e estuda na mesma faculdade de direito que Daniel Silveira frequenta em Petrópolis, no Rio de Janeiro. Ela conta que a briga, ocorrida na última segunda-feira (9), começou depois que ela chegou à lanchonete da faculdade, viu o deputado tomando café e comentou que o local estava mal frequentado. “Eu comentei discretamente com o caixa, com quem sempre converso. Aí ele disse ‘está falando comigo, sua petista?'”, admitiu Nayara, contando que a partir daí os dois começaram a trocar acusações. Ele a chamou de gorda e ela rebateu com um “fascista”. “Aí ele disse que, como era uma pessoa pública, ia filmar”, contou a militante do Psol, que continuou chamando Daniel Silveira de fascista na gravação.

Como mostra o vídeo publicado pelo deputado do PSL nas redes sociais, Silveira responde Nayara dizendo que o Psol é um “partido de maconheiros, vagabundo, narcoterrorista”. Ela rebate chamando o deputado de ridículo e dizendo que fascistas não passarão. Ele provoca e a moça cospe em Daniel Silveira, que depois também devolve a cuspida. Ao publicar o vídeo, o deputado ainda diz que, se fosse um homem, Nayara teria levado um soco por conta dessa discussão.

Congresso em Foco