Estudo classifica 108 das 167 cidades do RN como ‘insustentáveis’ e ‘sem lastro’

Um estudo da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) publicado recentemente, constatou 1.856 cidades sem receita própria para cobrir despesas administrativas das prefeituras e das câmaras de vereadores. No RN, o resultado foi preocupante: Dos 167 municípios potiguares, 108 são apontados como ‘sem lastro’.

O Rio Grande do Norte aparece em quinto lugar no ranking, representando um percentual de 65% das cidades insustentáveis em sua totalidade, prejudicando pelos menos 930 mil habitantes. Ou seja,  27% da população potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz Antônio disse:

    Por favor. Em qual área do site da Firjan – está publicado este estudo.
    Não localizei.
    Obrigado.

  2. Marcus Ferreira disse:

    Qual a fonte dessa pesquisa e quais o critérios utilizados?

  3. Az disse:

    A grande maioria dos Estados do nordeste está entre as piores, décadas de descaso

  4. Antonio Turci disse:

    É fato que a maioria dos municípios do RN não se sustenta. É incômodo para muitas pessoas destas comunidades peederem o status de ser politicamente emancipado. No entanto há um problema concreto, real contábil que podemos chamar de insustentabilidade econômica. Salvo melhor juízo, o caminho é voltar ao status anterior. Deixar os orgulhos de lado e calçar as sandálias da humildade em muito ajudará na solução do problema. Não adianta querer remar contra a maré.

  5. Riva disse:

    A Firjan tem estado debaixo daquilo roxo de qual governo meliante? O Rio de Janeiro é uma desgraça em inúmeras áreas, não serve de exemplo positivo para ninguém. Entretanto, se o judiciário aqui resolvesse atuar de forma célere frente às administrações municipais, certamente teríamos já ultrapassado dezenas de trambiqueiros presos, dentre os quais àqueles que ocupam o executivo e o legislativo em vários municípios do Rn. Há um câncer que alastrou-se pelo interior denominado "licitação " salvo raríssimas exceções deixa muito à desejar sua lisura. Já falar das câmaras municipais têm delas que não se sustentam a mais simples investigação. Para o Rio Grande do Norte respirar economicamente seriam necessários apenas vinte municípios. Todavia, não esquecendo que há a necessidade de um olhar vigilante sobre seus administradores, pois há sempre em meio aos bem intencionados um larápio disputando as eleições.

  6. Andinho disse:

    Apesar de incômodo e de ter uma pitada de discriminação, os dados são consequências das políticas adotadas para a região, onde nunca se buscou ou fomentou o seu desenvolvimento econômico e sim políticas assistencialistas e eleitoreiras de esmolas e bolsas que nada contribuem para tirar nosso povo da situação de dependência econômica dos poderes públicos.
    E ainda tem gente que diz que o tal do lulla fez o bem para o Nordeste.

  7. Maldoni disse:

    Mais pressão, discriminação e ataques ao Nordeste.
    Dissimulado por cálculos aparentemente isentos e imparciais, como fica econômica, vem as consequências de relegar o Nordeste a exclusão sócio econômico.
    Tudo começa assim, com pesquisas encomendadas e notas em jornais e revistas. Depois virão as medidas restritivas e os ataques violentos contra nossa terra, nosso povo e nossa gente, que temos um enorme potencial em turismo, energia rica, camarão, sal, fruticultura entre outras riquezas inchadas pelo centro sul do Brasil.
    Bom ficar alerta pra esses falsos profetas, lembrando do ódio e pré conceito que os muitos inocentes alimentam contra nós. Não é a toa que somos tão perseguidos. Os melhores estudantes na disciplina de história, com vários prêmios em primeiro lugar, foi do Nordeste.

    • Maria suvaqueira disse:

      Ou será se somos idiotas bastante pra acreditarmos no totalmente improvável e em falsos salvadores da pátria que a cada aparições usufruem do poder e se labusam nas suas mordomias, sempre adiando os nossos direitos, e de atender as nossas nescessidades mínimas. Alguns desses falsos salvadores até diagnósticam os que tem consciência do que realmente somos e podemos "sofrem de complexo de vira-lata" e assim seguem ironicamente a guiar os tolos como guiassem uma boiada máscarada rumo ao matadouro, para degustar os seus banquetes.

    • Sergio Nogueira disse:

      Certeza. Os municípios do RN são ricos e prósperos. Todo mundo vê isso.
      Não existe miséria, tudo funciona perfeitamente, hospitais com toda estrutura, ruas asfaltadas, escolas em perfeitas condições…
      Isso deve ser fantasia.
      Parabéns pela argúcia e inteligência. Nos deu a verdadeira versão dos fatos.

    • Maria suvaqueira disse:

      Obre teus olhos para a realidade que a região Nordeste foi submetida…

      Chega de pão e circo, já é tempo da população nordestina parar de receber o peixe, tem que aprender a pescar.

      Esse é problema da maioria das cidades pequenas, sempre na espera de migalhas politicas…ôoo, vida de gado, povo marcado, povo feliz.

      Triste herança deixada pela ideologia de esquerda.

    • voz disse:

      Simples. Essa pesquisa não é de hoje, só que esse ano foi divulgado. Só ver a pesquisa durante os governos PT, e vai ver que era exatamente os mesmos dados, sem alterações. Nem mesmo antes do PT era diferente.

  8. Netto disse:

    Por mim, fechava esses municípios e tudo seria deliberado colegiadamente por um interventor nomeado pela gov federal, outro pelo estadual e pelo prefeito atual. Mas dissolvia prefeitura e câmara. Remuneraçao duns 10 mil por mês.

  9. Minion de Peixeira disse:

    São justamente os estados mais fud_%os que mais resistem à austeridade (como é bom viver de repasses, né?).

COMENTE AQUI