Estudo francês que listava benefícios da hidroxicloroquina contra a Covid-19 é retirado do ar pelos próprios autores


Foto: Cadu Rolim/Fotoarena/Agência O Globo

Um estudo francês que dissera ter encontrado benefícios da hidroxicloroquina combinada ao antibiótico azitromicina no tratamento da Covid-19 foi retirado por seus próprios autores.

Trata-se de uma das pesquisas de maior repercussão sobre o assunto, que ganhou popularidade ao ser difundida pela Fox News nos EUA. O médico francês Didier Raoult, o maior defensor da cloroquina e da hidroxicloroquina contra o coronavírus, havia tuitado a pesquisa, classificando-a como “muito boa”.

A pesquisa intitulada “Hidroxicloroquina mais azitromicina: potencial em reduzir a morbidade em hospital da pneumonia Covid-19” foi realizada por uma equipe do Hospital Raymond-Poincaré e liderada pelo médico Benjamin Davido.

Na verdade, o trabalho em questão jamais foi publicado em revista científica com revisão por pares – o processo normal de publicação em ciência. Ele havia sido apenas postado, em 11 de maio, no repositório de pesquisas medRxiv, de onde os próprios autores o retiraram nesta sexta-feira.

No lugar do estudo, agora há somente a mensagem: “Os autores retiraram este manuscrito e não querem que seja citado. Devido à controvérsia sobre a hidroxicloroquina e à natureza retrospectiva de seu estudo, eles pretendem revisar o manuscrito depois da revisão por pares”. Davido, o principal autor, não se pronunciou.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justus disse:

    Antes que a Ana me chame de bolsonarista, não sou fã dele. Uma coletânea para vocês pensarem por que não vêem isso aqui nos jornais.
    1) May 20, 2020 – Times of India – Hydroxychloroquine research shows some promise in interim study conducted by Telangana Govt – An interim report prepared by the Telangana Government has yielded promising results on the efficacy of prophylactic use of Hydroxychloroquineor HCQ, as it s popularly known on preventing COVID-19…

    2) Este é o melhor relatório de todos, pois estabelece protocolos caso seja ministrada, embora não recomende o uso devido aos testes não serem ainda completos.
    Last Updated: May 12, 2020 – USA/NIH COVID-19 Treatment Guidelines – Potential Antiviral Drugs Under Evaluation for the Treatment of COVID-19 – Chloroquine/Hydroxychloroquine: The Panel recommends against using high-dose chloroquine (600 mg twice daily for 10 days) for the treatment of COVID-19 (AI), because the high dose carries a higher risk of toxicities than the lower dose.

    3) Este foi noticiado aqui com alarde, porque não recomenda o uso, e como sempre, aceito como verdade por quem não lê ou acredita na imprensa. Mas é só um artigo do professor de Epidemiologia e Bioestatistica, Rosemberg. Na conclusão ele mesmo diz que o estudo teve inúmeras limitações, principalmente na coleta de dados. A Dra. Elizabeth, co-autora, é esposa de um cientista que trabalha numa pesquisa financiada sobre o Rendesivir. Dá o que pensar.
    JAMA May 11, 2020 – Association of Treatment With Hydroxychloroquine or Azithromycin With In-Hospital Mortality in Patients With COVID-19 in New York State

    4) 07ABRIL2020 PFARMA – Hidroxicloroquina apresenta bons resultados contra o coronavírus – A hidroxicloroquina (HCD), um derivado menos tóxico da cloroquina, demonstrou boa eficácia na inibição do novocoronavírus SARS-CoV-2. – Um artigo publicado na Nature revisou sete estudos de ensaios clínicos, publicados no Chinese Clinical Trial Registry, para o uso do hidroxicloroquina no tratamento do COVID-19.

    5) Thursday, April 9, 2020
    NIH clinical trial of hydroxychloroquine, a potential therapy for COVID-19, begins. Search identifier NCT04332991

    6) 18 March 2020 – Nature – Hydroxychloroquine, a less toxic derivative of chloroquine, is effective in inhibiting SARS-CoV-2 infection in vitro

    7) E olha só. O Lancet hoje faz pouco caso da hidroxicloroqiuna/cloroquina, mas recomendava a aplicação sem mencionar os efeitos colaterais.
    February, 2006 – The Lancet – New insights into the antiviral effects of chloroquine. Effects of chloroquine on viral infections: an old drug against today's diseases?.
    2005 – Chloroquine is a potent inhibitor of SARS coronavirus infection and spread.
    2004 – In vitro inhibition of severe acute respiratory syndrome coronavirus by chloroquine.

    • Ana Ojuara disse:

      Eita que ele nem dormiu pra copiar tudo isso. Quem vê assim pensa que sabe tudo.. se soubesse do que sei né tio?!

    • Clara disse:

      O cinismo bolsonarista é uma coisa única…

    • Clara disse:

      Fora que usar estudo de 2004 pra refutar estudo da semana passada chega a ser constrangedor… Mas graças a Deus o senhor n gosta de Bolsonaro não… Tem todo esse trabalhão pra passar vergonha só por esporte mesmo…

  2. Clara disse:

    Só vai sobrar o sindicato dos grafiteiros endossando a iatrogenia…

    • Raimundo disse:

      Muitos médicos e pacientes usam sem se queixar.
      A esquerda não gosta.
      Um remédio usado há 70 anos de forma continuada.
      Se não há nenhum remédio com eficácia comprovada, então ninguém deveria procurar hospital e tomar remédio algum?
      Se grande parte das pessoas com covid19 que são entubadas morrem, deveria ser proibido o uso de respiradores?
      A esquerda está preocupada com a vida das pessoas ou com fazer política?
      Os pesquisadores estão revisando o estudo.
      O pesquisador defendeu o uso junto a Macron.
      Pode ser que não funcione.
      Mas qual funciona?

    • Clara disse:

      É que tem sobrado evidência de que não ajuda e ainda pode atrapalhar ( Lancet, JAMA, etc), maaas cada um sabe quanto vale a própria reputação, né?

  3. Mané disse:

    Foi pressão de algum laboratório.
    Bolsoquina é muito barato.

COMENTE AQUI