Governo Bolsonaro fecha porta e reduz em 75% reingressos ao Bolsa Família

Foto: Olhar Digital

O governo federal fechou a porta nos últimos sete meses de 2019 para quem pediu reingresso no programa Bolsa Família. Uma planilha obtida pelo UOL no portal de respostas da Lei de Acesso à Informação revela que, de junho a dezembro do ano passado, não houve qualquer reinclusão.

A situação levou a uma queda de 74,5% no número de reingressos em comparação ao ano anterior.

Em 2018, 1,08 milhão de pessoas voltaram ao programa, seja por perda de renda na família que a faz solicitar reingresso, seja por saída causada por algum problema no cadastro. Em 2019, como só houve reinclusões até maio, esse número despencou e fechou o ano em apenas 276 mil. A reportagem procurou ontem o Ministério da Cidadania para saber o motivo da não reinclusão de beneficiários durante junho e dezembro, e para saber se houve alguma reinclusão em 2020, mas não obteve resposta até o momento.

espera —que havia sido extinta desde 2017— voltou a ocorrer.

Para se ter uma ideia da queda, em maio, o programa beneficiou 14.339.058 famílias —um recorde do
programa desde sua criação, em 2004. Em dezembro esse número caiu para 13.170.607. Pouco mais da
metade dos beneficiários do programa vive no Nordeste.

De janeiro de 2017 a maio do ano passado, cerca de 250 mil novos beneficiados conseguiram ingressar
por mês no programa em todo o país. Essa taxa caiu para 5.400 de junho a outubro.

A fila de espera do programa, segundo fontes do governo, já chega a um milhão de famílias.

No final do mês passado, o UOL revelou que a fila de espera para entrar no programa chegava a durar dez
meses.

Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nancy disse:

    Claro no governo petistas pessoas de alta renda recebia o bolsa familia! Chega de malandragem com o dinheiro do povo! Tem que fazer pente fino!

  2. Observando. disse:

    Reforma trabalhista economia vai bombar.
    Reforma previdencia economia vai bombar.
    Agora vem a reforma tributária e a economia vai bombar.

  3. Franco disse:

    Pibinho menor que o de Temer: culpa de quem?
    "No primeiro ano do governo de Bolsonaro a economia cresceu menos que no último ano de Temer", observa a jornalista Tereza Cruvinel. "Agora acabou a conversa de colocar a culpa no PT, fora do governo desde 2016. É de Guedes, mas também de Bolsonaro, a fatura do encolhimento da economia em relação ao último resultado de Temer", diz ela.

COMENTE AQUI