Governo quer que empresa tenha até 50% dos empregados com contrato por hora

Ilustrativa

O projeto do governo para afrouxar regras de contratação de trabalhadores prevê que até metade dos empregados de empresas privadas sejam pagos por hora trabalhada, em vez de salário mensal. Essa modalidade de contratação deve ser a base da proposta da carteira verde e amarela. O governo diz que o objetivo é incentivar a criação de empregos. O projeto que deve ser enviado ao Congresso prevê uma implantação gradual: no primeiro ano, as empresas poderiam ter 10% dos empregados contratados pelo regime de pagamento por hora trabalhada. No segundo ano, 20% e, no terceiro, 30%. Empresas de saneamento seriam exceção e já começariam com 50% no primeiro ano.

Especialistas dizem que a medida pode criar empregos, mas causar a demissão dos trabalhadores atuais, porque os outros seriam mais baratos.

A exceção para a área de saneamento ocorre após a aprovação de novas regras do setor que permitem privatização ampla. Técnicos do Executivo esperam atrair R$ 600 bilhões de investimentos para esgotamento sanitário e tratamento de água. Com isso, a equipe econômica quer flexibilizar o regime de contratação para atrair investidores. Procurado, o Ministério da Economia não comentou o assunto.

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel C. disse:

    Trabalho por hora, beleza. Obrigar empresas, pensei q era coisa de COMUNISTA ANTI-LIBERAL.

  2. Cesar Bomone disse:

    Nos Estados Unidos os salários são por hora, e TODOS querem ir para lá.
    Não sei que vantagem alguns vêem em trabalhar presos a um contrato mensal para ganhar um salário mínimo, que mal dá para o trabalhador se manter.
    Todos podem ganhar, inclusive o trabalhador que poderá utilizar de forma mais rentável suas horas laborais.
    O problema é outro, é a baixa qualificação dos trabalhadores que os impossibilita de serem procurados pela empresa. Não conheço nenhum bom profissional que não goste da idéia de prestar serviço a mais de uma empresa e ter seus rendimentos aumentados.

  3. Luiz disse:

    A gado comendo capim o resto da vida e ainda gritando MITO MITO

  4. Carlos disse:

    Eu também quero, agora quero ver "neguin" ser comido vivo para ganhar um realzinho pra comprar de bolacha na bodega. Grita MIIITTTOOO que ainda dá tempo !!!! Kkkkkk

  5. .40 disse:

    Se sobreviver com um salário mínimo já é um milagre, imagine o trabalhador ganhando por hora. As empresas vão demitir um funcionário que recebia 1 salário e contratar 3, cada um ganhando 350 reais. De volta a escravidão.

  6. Leo disse:

    O governo dos ricos, empresarios é banqueiros acha que tirando o dinheiro do pobre gera emprego.
    O que gera emprego é consumo e consumo se consegue com salário bom.
    Nao adianta gerar emprego com empregados miseráveis.
    A menor taxa de desemprego ja vista nesse país foi conseguida com as regras antigas.

  7. Tonhão disse:

    Os pobres de direita devem estar vibrando com essa notícia.

    • Aluísio Valença disse:

      Há coisas que só há no Brasil: traficante que se vicia, puta que se apaixona e pobre de direita.
      😂😂😂😂😂😂

  8. Rodrigo disse:

    Acho interessante quando falam "pau no lombo do pobre", então vamos continuar com 38 milhões de informais e 33 milhões de formais, pelo jeito a nossa legislação trabalhista funciona muito bem! Se esse número não serve de alerta, que possamos continuar essa informalidade

  9. Iza disse:

    Parabéns meu presidente ,vamos zerar o desemprego,estamos esperando o fim da Justiça do Trabalho.

  10. Manoel disse:

    Pegue chibata no lombo dos pobres trabalhadores…
    Talkei?

    • Anderson disse:

      Novos tempos nobre esquerdista. Ou é isso ou é nada. É inevitável o home office e tudo o que flexibilize o trabalho.

COMENTE AQUI