PESQUISA IBOPE: Bolsonaro vence Marina no segundo turno e empata com demais candidatos

Nas simulações de segundo turno, segundo o Ibope divulgado hoje, o candidato Jair Bolsonaro, que é primeiro colocado no primeiro turno, só ganha de Marina Silva. Dos demais nomes ele empata tanto numérica, quanto tecnicamente.

Contra Marina, ele atingiu 41% das intenções de voto contra 36% de Marina. Bolsonaro e Fernando Haddad empatam com 40% das intenções de voto. O candidato do PSL também empata em uma possível disputa com Geraldo Alckmin, ambos com 38%. Bolsonaro ainda chega a ser superado, numericamente, por Ciro Gomes (40% contra 39%), mas tecnicamente empatados.

Sobre a pesquisa

A pesquisa Ibop foi contratada pela TV Globo e O Estado de S. Paulo. A coleta dos dados aconteceu entre os dias 16 e 18 de setembro com 2.506 eleitores em 177 municípios. Ela foi calculada com margem de erro 2% para mais ou para menos e com nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-09678/2018.

PESQUISA IBOPE: Bolsonaro tem 42% de rejeição; Haddad, 29%; Marina, 26%; Alckmin, 20%; e Ciro, 19%

O Ibope também perguntou: “Dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o (a) sr. (a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?”. Ou seja, neste levantamento de rejeição, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Rejeição

Bolsonaro: 42%
Haddad: 29%
Marina: 26%
Alckmin: 20%
Ciro: 19%
Meirelles: 12%
Cabo Daciolo: 11%
Eymael: 11%
Boulos: 10%
Alvaro Dias: 10%
Vera: 9%
Amoêdo: 9%
João Goulart Filho: 8%
Poderia votar em todos: 2%
Não sabe/não respondeu: 9%

Sobre a pesquisa

A pesquisa Ibop foi contratada pela TV Globo e O Estado de S. Paulo. A coleta dos dados aconteceu entre os dias 16 e 18 de setembro com 2.506 eleitores em 177 municípios. Ela foi calculada com margem de erro 2% para mais ou para menos e com nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-09678/2018.

G1

PESQUISA IBOPE: Em uma semana, Bolsonaro cresce 2% e Haddad 9%; Ciro se mantém; Marina e Alckimin caem

A pesquisa Ibope também realizou a evolução das intenções de voto em comparação com a última pesquisa divulgada acerca de uma semana. Nesse quesito, os candidatos Jair Bolsonaro cresceu 2%, dentro da margem de erro, saindo de 26 para 28%. Outro que também cresceu foi Fernando Haddad que saiu de 9% para 18%, uma evolução de 9%. Ciro Gomes se manteve na casa dos 11%. Já os candidatos Marina Silva e Geraldo Alckmin caíram. Ela de 9% para 6%. Ele de 9 para 7%.

Sobre a pesquisa

A pesquisa Ibop foi contratada pela TV Globo e O Estado de S. Paulo. A coleta dos dados aconteceu entre os dias 16 e 18 de setembro com 2.506 eleitores em 177 municípios. Ela foi calculada com margem de erro 2% para mais ou para menos e com nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-09678/2018.

PESQUISA IBOPE: Bolsonaro, 28%; Haddad, 19%; Ciro, 11%; Alckmin, 7%; Marina, 6%

O Ibope divulgou nesta terça-feira (18) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre domingo (16) e terça-feira (18).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Resultados

Jair Bolsonaro (PSL): 28%
Fernando Haddad (PT): 19%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
Marina Silva (Rede): 6%
Alvaro Dias (Podemos): 2%
João Amoêdo (Novo): 2%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Cabo Daciolo (Patriota): 1%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
Guilherme Boulos (PSOL): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 14%
Não sabe/não respondeu: 7%

Sobre a pesquisa

A pesquisa Ibop foi contratada pela TV Globo e O Estado de S. Paulo. A coleta dos dados aconteceu entre os dias 16 e 18 de setembro com 2.506 eleitores em 177 municípios. Ela foi calculada com margem de erro 2% para mais ou para menos e com nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-09678/2018.

‘Marina Silva seria ótima presidente no Parlamentarismo’, diz ex-aliado da candidata

Para o ex-coordenador da campanha de Marina Silva em 2010, Alfredo Sirkis, Marina Silva seria uma “ótima presidente num regime parlamentarista”.

O ex-deputado, que também atuou na campanha da candidata em 2014, mas se afastou dela e não atua em 2018, diz que a ex-senadora (que ele já disse em 2017 não ter “aptidão ou apetência” para a função presidencial) seria a “mais talhada” para o papel de “chefe de Estado”, mas enfrentaria dificuldades no presidencialismo de coalizão.

Em entrevista feita no último dia 5, ele, que foi da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), grupo de esquerda que atuou na luta armada durante a ditadura, diz ver risco à democracia e possibilidade de “Fujimorização” do Brasil caso o deputado Jair Bolsonaro chegue à presidência. “O Fujimori [ex-ditador do Peru] foi eleito e depois falou ‘não dá para governar esta porra’ e recorreu às Forças Armadas para fechar o Congresso. Isso pode acontecer no Brasil, certamente”, afirma.

Coordenador executivo do Fórum Brasileiro de Mudança Climática desde 2016, ele defendeu que questão climática deve ser tratada sem “esquerdas e direitas”.

Folhapress

Renúncia tributária de 2019 cobriria pagamento de 10 anos de Bolsa Família

O governo do presidente Michel Temer estimou que as renúncias tributárias chegarão a 306,398 bilhões de reais no ano que vem, o equivalente a 4,12% do Produto Interno Bruto (PIB), valor de dez orçamentos anuais do Bolsa Família.

O montante também chega perto do que seria necessário para bancar todas as despesas de pessoal em 2019, estimadas pelo governo em 325,9 bilhões de reais.

Os dados constam em informações complementares enviadas pelo Executivo ao Congresso sobre o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) do próximo ano. Pelo documento, as diferentes renúncias referentes apenas ao Simples, regime tributário simplificado para microempresas e empresas de pequeno porte, somarão 87,253 bilhões de reais.

Com a Zona Franca de Manaus, serão outros 24,038 bilhões de reais. Já com renúncias ligadas à desoneração de itens da cesta básica, mais 18,027 bilhões de reais em 2019.

Para este ano, a previsão do governo é de menos renúncias tributárias, mas num peso ainda expressivo: 283,447 bilhões de reais.

Veja

Pressionado por aliados, Alckmin vai elevar tom de críticas a Bolsonaro

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, decidiu elevar o tom nos ataques a Jair Bolsonaro (PSL), que lidera as pesquisas de intenção de voto e concentra os votos da direita. A decisão foi tomada após reunião de emergência com aliados do Centrão na tarde desta terça-feira, 18, em São Paulo. Além disso, Alckmin vai reforçar o tom antipetista de sua campanha. A ideia é pregar o voto útil com o argumento de que votar em Bolsonaro significa carimbar o passaporte do PT no segundo turno.

A reunião foi convocada pelo prefeito de Salvador, ACM Neto, coordenador político da campanha de Alckmin, e reuniu dirigentes do PR, PSD, PTB, PRB, SD e PSDB no comitê do programa de governo, no Jardins, na zona sul da capital paulista. Entre os participantes estavam Valdemar Costa Neto, do PR, Roberto Freire, do PPS, Guilherme Mussi, do PP, Silvio Torres, do PSDB, e o marqueteiro Lula Guimarães.

No encontro, Alckmin e seus auxiliares apresentaram aos aliados do Centrão as mudanças que serão feitas na estratégia de campanha e tentaram tranquilizar o grupo. Segundo relatos de participantes do encontro, os dirigentes dos partidos da coligação que apoiam Alckmin temem que Bolsonaro possa vencer no primeiro turno ou ir para o segundo com Fernando Haddad (PT). Estagnado nas pesquisas, Alckmin tenta impedir uma debandada do Centrão.

“Não há hipótese dessa eleição acabar no primeiro turno. Esqueça. Essa é a eleição mais pulverizada desde 1989”, disse ACM Neto aos jornalistas, na saída do encontro. Ainda segundo o prefeito de Salvador, o ataque a Bolsonaro em Juiz de Fora (MG) deixou todos os candidatos em “compasso de análise”.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Patriota disse:

    Despeitado pq não vai sentir nem o cheirinho !!! Bolsonaro presidente!! E no primeiro turno!!

Mortalidade infantil cai, mas desigualdade entre países persiste

Uma criança ou um adolescente menor de 15 anos morreu a cada segundo em 2017 em alguma parte do mundo, “principalmente por razões evitáveis”. A estimativa é que, no total, 6,3 milhões de pessoas tenham morrido no ano passado.

Os dados são do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Organização Mundial da Saúde (OMS), Divisão da População ONU e Banco Mundial, que hoje divulgam relatório mundial sobre mortalidade infantil.

Oitenta e cinco por cento do total das mortes (5,4 milhões) ocorreram nos primeiros 5 anos de vida. Dessas mortes, aproximadamente a metade é de recém-nascidos.

Segundo a OMS, a maioria das crianças menores de 5 anos morreu de “complicações durante o parto, pneumonia, diarreia, sepse neonatal [infecção bacteriana] e malária”. No caso de crianças e adolescentes de 5 a 14 anos, as principais causas são lesões por causa de afogamento e de acidentes de trânsito.

O relatório ainda alerta que se nada for feito urgentemente para reverter essas tendências, 56 milhões de crianças de menos de 5 anos morrerão até 2030. Dessas, metade será recém-nascida.

Apesar do cenário e das projeções preocupantes, entre 1990 e 2017, houve redução da mortalidade infantil no conjunto dos dados globais. A taxa de mortalidade na faixa etária até 5 anos caiu de 93 para 39 mortes para cada mil nascidos vivos. Entre os bebês, no período neonatal (até 28 dias), a taxa caiu de 37 para 18 mortes para cada mil nascidos vivos.

A mortalidade entre as crianças de mais de 5 anos e os adolescentes com menos de 15 anos caiu de 15 para 7 entre cada mil pessoas na faixa etária.

Desigualdade

Mesmo com avanços globais, persistem desigualdades. A OMS salienta que há diferenças regionais nas principais causas de morte na infância e adolescência. “O risco de uma criança morrer na África Subsaariana é 15 vezes maior do que na Europa”. Metade das mortes nessas fases da vida ocorreu naquela região africana e 30% no sul da Ásia.

“Um bebê nascido na África Subsaariana ou no sul da Ásia tem nove vezes mais chances de morrer durante o primeiro mês que um bebê nascido em um país de alta renda”, compara a OMS.

A taxa de mortalidade de menores de 5 anos na África Subsaariana é mais de quatro vezes maior do que na América Latina e Caribe: 76 crianças mortas prematuramente em cada grupo de mil nascidos vivos e 18 crianças mortas em mil nascidos vivos, respectivamente.

Países falantes da língua portuguesa

Também hoje, o boletim ONU News informou que o Brasil foi o país de língua portuguesa onde houve maior redução da mortalidade de crianças com menos de 5 anos entre 1990 e 2017.

Nesse período, a taxa de mortalidade caiu de 63 para 15 em cada mil nascidos vivos. Uma média de redução da taxa de mortalidade de 5,4% a cada ano, queda mais acentuada do que a de Portugal (5,1% a cada ano), que em 2017 tinha uma taxa de mortalidade que equivalia quase à metade da brasileira: 8 para cada mil nascidos vivos. Os dados são do relatório Níveis e Tendências de Mortalidade Infantil, publicado pela ONU em Genebra (Suíça).

A mortalidade infantil, assim como a longevidade, é um dos indicadores de saúde utilizados para calcular o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). O Brasil (79º) está quase 40 posições atrás de Portugal (41º) no IDH.

Segundo a ONU, as condições da infância no Brasil e Portugal são melhores que nos demais falantes da língua portuguesa. Em 2017, morreram 17 crianças até 5 anos em cada mil em Cabo Verde; 32 crianças em cada mil em São Tomé e Príncipe; 42 em cada mil em Moçambique e 48 crianças em cada mil no Timor-Leste. No ano passado, Angola teve 81 mortes em cada grupo de mil e Guiné-Bissau teve 84 mortes em cada mil.

Agência Brasil

Toffoli assumirá a Presidência da República com viagem de Temer

Com a viagem do presidente Michel Temer para os Estados Unidos, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, deverá assumir a Presidência da República. Toffoli tomou posse como presidente da Corte () na semana passada, o que o coloca na linha de sucessão presidencial. Com isso, será sua primeira vez como presidente da República interino.

Toffoli assumirá o cargo em função da legislação eleitoral. Como o cargo de vice-presidente estará vago, em virtude da viagem de Temer, a primeira pessoa da linha sucessória no país é o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o segundo, o do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

No entanto, a legislação eleitoral impede a candidatura de ocupantes de cargos no Executivo nos seis meses que antecedem as eleições. Dessa forma, se Maia ou Eunício assumissem a Presidência, ficariam inelegíveis e não poderiam disputar as eleições de outubro.

O presidente Michel Temer viajará no próximo domingo (23) para Nova York, quando participará da cerimônia de abertura da 73ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). A viagem de Temer está prevista no dia do seu aniversário, quando completa 78 anos.

A assembleia está marcada para a terça-feira (25) e está previsto um discurso do presidente brasileiro. Esta será a última vez que Temer vai participar da reunião das Nações Unidas como presidente da República. O Brasil é sempre o primeiro país a discursar desde a 10ª sessão da cúpula em 1955, que ocorre todo o mês de setembro.

Depois da assembleia, está prevista uma reunião bilateral com chefes de Estado ainda a serem confirmados. Em seguida, o presidente volta para o Brasil.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Armando Cruz de madeira disse:

    Eitaaaa vai soltar Lula….

Eleições: site recebe denúncias de mensagens de ódio e discriminação

Com a aproximação do primeiro turno das eleições de 2017 e o acirramento na disputa, as mensagens com discurso de ódio na Internet também aumentam. Não apenas apoiadores, mas candidatos vêm sendo questionados por mensagens de ódio e de discriminação.

Preocupadas com isso, diversas organizações lançaram o site Tretaaqui. A página traz um canal de denúncias contra essas práticas. Eleitores podem apontar comportamentos condenáveis de candidatos e candidatos podem denunciar se forem vítimas de ataques na web por meio de conteúdos preconceituosos ou agressivos.

O site é uma iniciativa de organizações não governamentais, institutos de pesquisa e coletivos de cidadania ligados aos direitos digitais, feministas e LGBT. O objetivo dos organizadores é facilitar o recurso à Justiça de casos de violência nas redes sociais tendo como gancho o período eleitoral.

As denúncias podem ser feitas de forma anônima. A pessoa deve classificar que tipo de conduta vivenciou e anexar informações (como links de postagens). As reclamações, então, serão encaminhadas ao Ministério Público Federal e a autora ou autor recebe um protocolo para acompanhar a análise do seu caso pelo MPF.

“Existe uma liberalidade muito grande em relação a discursos machistas, racistas e LGBTfóbicos na esfera pública de modo geral, mas quando se trata de políticos proferindo esses discursos, essa prática é ainda maior. E isso se mistura com uma proteção da liberdade política. Há um mito que político tem liberalidade maior”, analisa a co-diretora da ONG MeRepresenta e uma das idealizadoras do projeto Evorah Cardoso.

“Discursos de ódio têm se proliferado nas redes, seja no contexto das eleições ou fora delas. Consideramos que as eleições podem ser um momento interessante para judicializar essas condutas com um prazo processual mais rápido, e assim, criar jurisprudência para fora das eleições também. Nesse sentido, denunciar é um ato politico também”, explica a diretora da organização Coding Rights, Joana Varon.

Debate discute prevenção do suicídio e cobra rede de proteção na Ponte Newton Navarro

Foto: Ney Douglas
O Setembro Amarelo foi tema de discussão na tarde desta terça-feira (18), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Reunindo deputados, autoridades no assunto e pessoas que tiveram familiares como vítimas do suicídio, a Audiência Pública apontou para ações emergenciais que devem ser tomadas para reduzir o número de suicídios no estado. Entre os principais pontos está a implantação de uma rede de segurança na Ponte Newton Navarro.

Atualmente, o número aproximado de mortes referentes a suicídios no Brasil supera os 11 mil por ano, sendo a terceira maior causa de mortes por fatores externos identificados, com 6,8% dos casos, atrás somente dos homicídios (36,4%) e das mortes relacionados ao trânsito (29,3%). Apesar de haver um aumento no número de casos e redução ampliação das notificações, o caso ainda é tratado como tabu. A falta de informações concretas, na opinião dos participantes do debate, dificulta a realização de açõs para prevenir novos casos de suicídio.

No entendimento da professora Anna Karina Silva, do departamento de Psicologia da UFRN, é preciso que o tema seja mais discutido e deixe de haver uma barreira ao se falar sobre suicídio. Para ela, ações imediatas devem ser tomadas tanto para dificultar a tentativa de suicídio quanto para conscientizar a população e profissionais de Saúde sobre como agir quando encontrar uma pessoas que pensem em tirar a própria vida.

“Tem que se criar espaços para tratar sobre o tema, nas escolas, no trabalho e nas famílias. É preciso que se abra a possibilidade de pedir socorro. Um atendimento a quem fala em se matar sempre é emergencial. Para cada suicídio, temos cerca de 20 tentativas. Temos que prevenir. O atendimento ao suicida é urgente”, disse a professora, que citou a Ponte Newton Navarro como um local onde é preciso atenção especial do Poder Público. “Precisamos pensar na Ponte. Percebemos o quanto é difícil se cuidar, já que desde o primeiro dia após a inauguração, os suicídios são frequentes. Tem sido um local escolhido por muitos para dar fim à própria vida. Precisamos tomar ações emergenciais que possam produzir uma intenvenção imediata”, sugeriu a professora.

Médico psiquiatra do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), Emerson Arcoverde acredita que é preciso mudanças na formação dos profissionais da área de Saúde, para que os cuidados com a saúde mental também sejam prioridade no atendimento, identificando casos de pessoas que têm ou estão com tendências suicidas.

“Não é só um problema de saúde, mas é um problema que é da sociedade e vai além de uma especialidade. Todo o profissional de saúde deve ter os cuidados, para impedir o adoecimento e em outra tentativa. Os profissionais devem ser formados de maneira mais adequada, os já formados devem formar um ambiente que se entenda o adoecimento mental e temos que tirar a melhor oportunidade de prevenção”, explicou o médico e professor.

Ainda na audiência, onde várias pessoas expuseram casos de suicídios ou tentativas envolvendo familiares, ficou definido que o Poder Legislativo vai atuar para cobrar a implantação de uma política estadual para a prevenção dos suicídios, além de requerer oficialmente ao Poder Executivo a instalação de uma rede de proteção na Ponte Newton Navarro.

Festival internacional de compositoras chega a terceira edição em Natal

O Sonora Festival Internacional de compositoras foi idealizado a partir da hashtag #mulherescriando, com a intenção de visibilizar o trabalho e legitimar a presença das compositoras no cenário musical.

Neste ano, o Festival será realizado em 74 cidades de 16 países, da América do sul, América central, América do norte, Europa e África; sendo hoje o maior festival de música feminina do mundo.

Em Natal, o Festival está na terceira edição, a programação terá 15 shows autorais e vai acontecer durante três dias (21, 22 e 23 de setembro), no espaço “Sua casa bar e petiscaria”, em Ponta Negra. Além dos shows musicais o Sonora Festival Internacional de compositoras também está realizando atividades de formação musical.

As atividades começaram com a Oficina Gravando em Casa – Introdução á produção musical independente, com a Guria Produtora, e segue essa semana com a Master Class de Gestão de Carreira, dia 19/09, 19h as 21h, no IFRN e a Oficina Ser Tierracantando: voz, corpo e expressão com Laura Gallo (ARG), dia 25/09, 09h as 12h, na Câmara Clara. As oficinas tem um custo de R$30 e R$40 reais respectivamente, e todo o valor será revertido para produção do Festival.

Antecedendo os shows, o Sonora traz um lineup de Djs. No primeiro dia de festival, Natália Noronha (plutão já foi planeta), apresenta uma discotecagem especial com vozes femininas do mundo inteiro. Ainda antes dos shows, haverá performances artísticas de dança, poesia e teatro; e uma feirinha, com produtos e materiais das artistas participantes.

Os ingressos para o Festival Sonora Natal estão disponíveis no sympla e custam R$ 10,00 (o dia) e R$ 25,00 (a temporada).

O Festival é produzido em Natal pelas artistas e produtoras culturais Renata Marques, Simona Talma, Luana Simplício, Joana Knobbe com apoio da Guria produtora, IFRN – cidade alta e alunos do curso de produção cultural, Câmara Clara, Sua Casa Bar e Petiscaria e Casa Vermelha.

Master Class de Gestão de Carreira

Ana Morena Tavares é produtora cultural e baixista. Sócia e idealizadora do Combo Cultural DoSol, que há mais de 15 anos envolve estúdio, centro cultural, produtora de vídeo e festival. Entre seus principais projetos e realizações estão o Festival DoSol, o Natal Instrumental, a Virada Cultural de Natal, a Incubadora DoSol e o Circuito Cultural Ribeira. Também é fundadora do Camarones Orquestra Guitarrística, banda com mais de 10 anos, 6 discos lançados e várias turnês pela Europa, Sulamérica e por todo o Brasil. Desde 2016 também é baixista do Talma&Gadelha, que acaba de lançar seu 4o disco “Marfim”.

Na Masterclass “Gestão de Carreira”, Ana Morena vai falar como trabalha na gestão de suas bandas, como produtora cultural e o que espera de uma banda quando a convida para um projeto ou show. A produtora cultural tem partilhado sua experiências em diversos eventos espalhados pelo país como na SIM São Paulo (SP), Maloca Dragão (CE), Formemus (ES) e COMA (DF), além de participar da curadoria do Natura Musical 2018, do Música Mundo (MG) e do Se Rasgun (PA).

Serviço

O que? Masterclass “Gestão de carreira” com Ana Morena

Quando? 19 de setembro, às 19h

Onde? IFRN Natal – Cidade Alta

Quanto? R$ 30,00

SBT anuncia transmissão da Copa Nordeste 2019

O SBT, em parceria com a CBF, anunciou nesta quarta-feira, 18 de setembro, a transmissão da Copa Nordeste 2019, que terá início no fim da primeira quinzena de janeiro e terminará em maio. Nesta edição, 20 clubes disputarão a competição, sendo que 16 passarão para a fase que os dividem em dois grupos. Os jogos acontecerão às terças, às 21h45, e aos sábados, às 16h.

A decisão de manter o Nordestão na grade das filiadas da emissora é resultado do bom desempenho de audiência deste ano. Somente nas três principais praças – Fortaleza, Bahia e Recife – o SBT ocupou o primeiro e o segundo lugar no ibope com a exibição dos jogos, e não ficou nenhuma vez com a terceira colocação.

Ao todo, foram 30 horas de transmissão que atingiram cerca de 330 milhões de espectadores na região Nordeste. A capital baiana foi a que obteve melhor média de audiência, com 10,2 pontos, seguida por Fortaleza, que teve 8.8 pontos e por Recife, que somou 7.3 pontos de audiência, em média.

Além disso, as cotas comerciais também tiveram uma boa representatividade em 2018, com anunciantes de nível nacional como Schin, Net/Claro, 51 e O Boticário. Para 2019 haverá um incremento: serão seis patrocinadores.

“A transmissão da Copa Nordeste é um fator de extrema importância que agrega à nossa programação, pois o futebol não é um produto comum em nossa grade. Com isso, conseguimos atrair anunciantes variados, além de consolidar a presença da emissora na vida das pessoas, cumprindo o papel fundamental de um veículo de comunicação”, destaca Marcelo Parada, Diretor Comercial do SBT.

Sandro Pimentel denuncia rombo milionário na previdência municipal ao TCE

Na tarde desta terça, 18, o vereador Sandro Pimentel (PSOL) protocolou no Tribunal de Contas do Estado denúncia contra o Prefeito de Natal, Álvaro Dias, e o ex-prefeito, Carlos Eduardo Alves. O que embasa o pedido de investigação é a ausência do repasse obrigatório da Prefeitura para o Natalprev, instituto que administra a previdência dos servidores municipais. Segundo análise feita pelo vereador, e por técnicos em contabilidade, a Prefeitura deixou de repassar cerca de R$ 32 milhões, entre janeiro e junho desse ano, em contribuições patronais e dos próprios trabalhadores.

Cerca de R$ 8.346.000, 00 em contribuições dos servidores para o Fundo Capitalizado de Previdência (FUNCAPRE) não foram depositados, o que o vereador indica na denúncia como crime de apropriação indébita. Ainda segundo a denúncia, o executivo municipal deveria ter repassado R$ 22.290.000,00 ao FUNCAPRE. Contudo, na planilha as áreas referentes ao repasse patronal estavam preenchidas com zero. Soma-se ao rombo cerca de R$ 1,4 milhão em contribuições patronais obrigatórias que não foram repassadas para o Fundo Financeiro de Previdência (FUNFIPRE), também gerido pela Natalprev.

Sandro pede na representação que caso comprovada a configuração de crime de responsabilidade o prefeito e ex-prefeito recebam as sanções previstas em lei. Ainda requer que o prefeito Álvaro Dias, Carlos Eduardo Alves e o presidente da Natalprev, Thiago Marreiros, sejam multados pelas irregularidades cometidas. A representação solicita ainda que o Tribunal de Contas promova as medidas necessárias para evitar que o Prefeito de Natal faça reincidência das irregularidades eventualmente apuradas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Franbo disse:

    E o estado que raspou o saldo do fundo, como fica?

Aplicativo do SUS já é utilizado por 1,2 milhão de pessoas; saiba como usar

O aplicativo disponibilizado gratuitamente pelo Ministério da Saúde para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), Meu DigiSUS, está há três anos em funcionamento e já foi baixado por 1,2 milhão de pessoas que têm smartphones com sistemas IOS e Android.

O aplicativo permite que a população acompanhe, via celular, suas consultas, visualize o histórico de solicitações e a posição na fila do Sistema Nacional de Transplantes, entre outras funcionalidades relacionadas à saúde pública. O aplicativo também permite que os pacientes do SUS atuem como fiscais dos serviços prestados por meio da avaliação do atendimento realizado, assim como denunciar fraudes de qualquer local do país.

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Pela plataforma móvel oficial do SUS, o cidadão consegue encontrar hospitais, unidades de saúde e outros estabelecimentos próximos de sua residência; identificar farmácias participantes do Aqui tem Farmácia Popular e acompanhar os medicamentos que o cidadão retirou, além de avaliar o atendimento desses serviços. Também é possível acessar uma linha do tempo de cada atendimento realizado pelo SUS, além do Cartão Nacional de Saúde e os dados pessoais, com informações sobre nutrição e alergias.

A plataforma é interligada às 19.788 Unidades Básicas em Saúde (UBS) já informatizadas em 3.780 municípios, totalizando 106.179.196 usuários. Ao todo, 11 sistemas estão integrados no aplicativo, entre eles o Cadastro Nacional de Usuário do SUS (CADSUS), Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), Farmácia Popular e os Sistemas Nacional de Transplantes (SNT), de Regulação (SISREG), de Atenção Básica (e-SUS AB) e o Hemovida.

Como baixar

Para realizar seu primeiro acesso, baixe o aplicativo Meu DigiSUS na loja compatível com o celular e insira algumas informações básicas como CPF, nome da mãe e e-mail. Após cumprir essa etapa, o sistema localizará o seu cartão e enviará ao correio eletrônico cadastrado uma mensagem para verificação de segurança. Em seguida aparece o número do seu Cartão Nacional de Saúde e que dará acesso as suas informações de saúde.

Se não conseguir entrar no aplicativo, o Ministério da Saúde recomenda que o usuário procure a unidade de saúde mais próxima da sua residência para que o seu cadastro possa ser realizado.

Para outras dúvidas, ligar na Ouvidoria do SUS, no 136.

Agência Brasil

 

ÁUDIO MEIO-DIA RN: programa desta terça entrevistou Fernando Bezerra – candidato a deputado estadual pelo Solidariedade e o professor Lailson – candidato ao Senado pelo PSOL

Confira programa desta terça-feira(18). O Meio-Dia RN, com este blogueiro, teve como entrevistados Fernando Bezerra – candidato a deputado estadual pelo Solidariedade e o professor Lailson – candidato ao Senado pelo PSOL. Clique abaixo e ouça.