Juíza do Trabalho diz que vagas de trainee exclusivas para negros do Magazine Luiza é ‘discriminação inadmissível’

Foto: Felipe Raul/Estadão

A juíza do Trabalho Ana Luiza Fischer Teixeira de Souza Mendonça afirmou em seu perfil no Twitter que o programa de trainee 2021 do Magazine Luiza, que aceitará apenas candidatos negros, é inadmissível.

“Discriminação na contratação em razão da cor da pele: inadmissível”, escreveu ela na rede social.

“Na minha Constituição, isso ainda é proibido”, afirmou a juíza ao responder um comentário feito na publicação.

Publicado na manhã deste sábado (19), o tuíte acumulava cerca de 500 curtidas às 15h. Por volta das 16h, a juíza apagou o tuíte e fechou sua conta no Twitter, restringindo o acesso apenas a seguidores.

Antes, ela havia compartilhado uma postagem sobre o programa de trainee que questionava: “E esse racismo, é do bem?”. A publicação, do deputado federal Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), trazia a notícia sobre a iniciativa do Magazine Luiza.

Fischer é juíza no TRT-3 (Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais). Ela integrou a comissão de redação da reforma trabalhista do governo Michel Temer (MDB).

Atualmente, é uma das coordenadoras do Gaet (Grupo de Altos Estudos do Trabalho), do Ministério da Economia. A comissão elabora desde o ano passado uma revisão nas leis do trabalho.

Ao lado do ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, ex-presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), Fischer é coordenadora-adjunta do grupo Direito do Trabalho e Segurança Jurídica.

Procurada, a juíza não havia se pronunciado até a publicação desta reportagem.

Em seu perfil no Twitter, Ana Luiza diz que é “aquela que gosta do art. 5º”. Esse artigo da Constituição afirma que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”.

O colunista da Folha Thiago Amparo também criticou a magistrada, em seu perfil no microblog:

“Data venia, juíza não parece conhecer que 1) art. 39, do Estatuto de Igualdade Racial permite ação afirmativa em empresas; 2) o próprio MPT incentiva tais políticas; 3) os diversos casos em que o STF leu a Constituição como permitindo ação afirmativa”.

Outros perfis também criticaram a postura da magistrada.

“Puxa vida, que absurdo haver ações afirmativas num país genuinamente racista, cujos passado e presente são de genocídio do negro brasileiro, que ganha menos e morre mais. É realmente inadmissível, todos somos iguais. Tenho até amigos pretos empregados, não precisa disso”, escreveu o perfil @NatanCafe.

“Vamos voltar no tempo, escravizar sua raça sistematicamente por gerações, depois pregar sobre a inferioridade da cor da sua pele séculos, para finalmente te inserir num local subalterno de guetos e subempregos. Aí você pode comentar isso sem parecer uma patricinha alienada”, escreveu @Rvfk5

Outros, no entanto, concordaram com ela. “O problema é o precedente que se abre. Existem maneiras de combater a desigualdade racial e discriminação, sem precisar abrir um precedente de… Segregação”, afirmou @SamLimaContador.

“A senhora está certíssima. Não compro mais na @magazineluiza e na @Ambev por elas estarem executando práticas discriminatórias de seleção”, escreveu @EUGNIODANTAS3.

Na sexta-feira (18), o Magazine Luiza anunciou a abertura das inscrições para o programa que seria voltado apenas para negros.

“O objetivo do Magalu com o programa é trazer mais diversidade racial para os cargos de liderança da companhia, recrutando universitários e recém-formados de todo Brasil, no início da vida profissional”, informou a empresa, em comunicado.

Atualmente, o Magazine Luiza tem em seu quadro de funcionários 53% de pretos e pardos. Mas apenas 16% deles ocupam cargos de liderança.

Segundo a empresa, o programa de trainees lançado nesta sexta-feira é o primeiro exclusivo para negros do Brasil. Ele foi desenvolvido em parceria com as consultorias Indique Uma Preta e Goldenberg, Instituto Identidades do Brasil, Faculdade Zumbi dos Palmares e Comitê de Igualdade Racial do Mulheres do Brasil.

Conforme reportagem publicada pela Folha nesta semana, um homem branco chega a ganhar em média quase 160% a mais do que uma mulher negra, mesmo quando ambos são formados em universidades públicas ou dentro de uma mesma profissão.

Segundo pesquisadores do Insper, isso revela a discriminação contra negros e mulheres no acesso a empregos bem remunerados ou a posições de destaque dentro das empresas

A empresa disse que não comentaria o caso, mas afirmou que fez uma extensiva análise jurídica para o programa.

Um dia depois do Magazine Luiza, a Bayer anunciou, neste sábado, que também terá um programa de trainees exclusivo para negros. A partir da segunda-feira (21), o programa de trainee 2021 estará com as incrições abertas para o processo seletivo e serão elegíveis profissionais negros graduados ou pós graduados entre dezembro de 2017 e dezembro de 2020.

As vagas não exigem conhecimento de inglês e estão disponíveis para todos os cursos de graduação. O salário será de R$ 6.900 por mês.

A empresa também lançará ainda neste mês um programa de mentoria para negros, voltado para profissionais que já atuam na companhia. “Nessa primeira fase, a iniciativa vai oferecer mentoring de carreira para 16 estagiários e analistas, ao longo de três meses”, afirmou em comunicado.

FolhaPress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aof disse:

    É sempre assim com as minorias: vitimismo, igualdade, aceitação, imposição. Só não vê quem não quer.

  2. Matheus disse:

    Espero que a Magazine Luiza se sustente só com o dinheiro dos negros também. Não passo nem na frente dessa loja mais. Mesmo que seja mais caro, faço questão de comprar na concorrência

  3. Carlos disse:

    Minha dúvida é se isso abre precedente que tornaria legal as empresas por exemplo abrirem vagas somente para brancos, ou então apena para os declarados apenas heterossexuais, em outras apenas se for por exemplo católico e ai vai….

  4. Japa disse:

    Esse negócio de cota é invenção dos parasitas petistas, ta certo a magistrada.
    Quando se quer busca.
    Faz contecer como no futebol por exemplo.
    CABE TODOS SEM EXCEÇÃO, só precisa ser competente, como tudo na vida.
    Tchau corruptos ladrões.

    • Silva disse:

      Prefeito!!
      Lews Remilton é tão competente, quanto o Michael Schumacher.
      Cor tem nada a vê.

    • Marcos Benício disse:

      Com a palavra os dois competentes dos comentários aí de cima. ☝️
      Certamente ambos devem ter a pele bem clarinha!

  5. Cabeça de Prego disse:

    E essa juíza poderia estar tecendo opinião pessoal publicamente sobre questão que pode chegar ao judiciário? DEPOIS RECLAMAM QUE O PODER JUDICIÁRIO ESTÁ PERDENDO AS SUAS BASES DE SUSTENTAÇÃO, IMPUTANDO CULPA A OUTROS. CALEM-SE! FALEM NO PROCESSO.

  6. Adorador do Trump disse:

    Tem Bolsominions na área que pra variar é individualista que acha que os negros tem a mesma condição social mesmo egressos de uma situação como escravos. Todo mundo igual e de sangue vermelho só na cabeça de madeira dele, porém o sangue que é derramado por morte violenta quase todos os dias é em sua maioria dos negros. Nisso aí ele nem quer saber de igualdade. Somos todos iguais… vai morar na favela e depois diga isso!

    • Rodrigo disse:

      Idiota, não tem um brasileiro que não seja mestiço, no nordeste principalmente, aqui predominam na imensa maioria, negro com índio e raro sangue de branco. Basta vc andar de avião pelo sul e em seguida andar num para o nordeste, todos o assentos são preenchido por cabeça chata e pele morena, feiosos. Portanto, você pode diferenciar entre burros e preguiçoso, jamais por cor da pele!

    • Japa disse:

      E não tem porque babaca???
      Só quer moleza né?
      Vai trabalhar parasita.

  7. Edison Cunha disse:

    O racismo não tem com cor, sexo, raça ou ideologia.

  8. Sergio disse:

    Esse pessoal da direita vive elogiando os EUA. Quando a gente copia eles, no caso das cotas raciais por exemplo, eles chiam, dizendo ser injusto.
    No fundo, são a favor da escravidão.

  9. Merielly disse:

    Do jeito que as coisas vão futuramente será crime ser branco nesse país. Sou branca e estou desempregada.

  10. Alex disse:

    A ESQUERDA com o seu discurso maluco queimou os neurônios de muita gente. misericordia.

  11. Oswaldo disse:

    Opa! Quando Magalu abre as vagas só para brancos? Tô dentro!
    Eita mundo veio, por isso há 200 anos atrás o sábio Lavoisier já dizia: Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma!

  12. Josh disse:

    Quando vc é competente não importa a cor ! Se vc se esforça e é bom no que faz chega em qualquer lugar ! Palhaçada esse negócio de cota !

  13. João Juca Jr disse:

    É como se não existissem homens brancos e pobres neste país. Um verdadeiro absurdo.

  14. Asdis Alves disse:

    E se fosse só para brancos?
    Sou totalmente a favor da igualdade racial…!
    Porém numa comunidade são vizinhos duas familias uma branca e uma negra, os filhos estudam na mesma escola, os pais são pedreiros as mães diaristas , seria justo cotas numa situação dessas?
    Partindo deste principio é justo?
    Creio que o justo seria abrir cotas para ambos, analisando o perfil social da familia independente da cor… Poderia até dividir 250 para cada raça.

  15. Antonio Turci disse:

    Todos deveriam disputar as vagas em pé de igualdade. Também há muito branco pobre no Brasil.

  16. Dantas disse:

    A juíza Ta certa.
    Esse negócio de cota é fuleragem do psdb e PT.
    Sem essa de cor de pele.
    Quem quiser que busque, empregos, cargos seja da cor que for.
    O sangue é vermelho de todos humanos, isso e que vale.
    Sejam competentes e vai!!
    Ponto final.

COMENTE AQUI