“Moro não tem que me perguntar nada”, diz Bolsonaro sobre inquérito no STF

Foto: reprodução/YouTube

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), elogiou hoje a decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Marco Aurélio Mello, de suspender o inquérito em que o chefe do Executivo é acusado de interferir na Polícia Federal.

Bolsonaro afirmou, em sua live semanal nas redes sociais, que o relator do caso na Corte, o ministro Celso de Mello, queria que ele prestasse depoimento presencialmente e respondesse perguntas de Sergio Moro, ex-ministro da Justiça que o acusa de interferência no comando da PF.

O ministro Celso de Mello queria que eu depusesse de forma presencial respondendo pergunta para dois advogados do Moro e mais o próprio Sergio Moro. O Moro não tem que perguntar nada para mim

O presidente da República também disse que, 30 dias antes da demissão de Moro, o então ministro havia declarado, em entrevista, que Bolsonaro nunca havia interferido na PF.

Bolsonaro se referiu ao inquérito como “caso particular”, criticou novamente a divulgação dos vídeos da reunião ministerial de 22 de abril, citada por Moro no processo e afirmou que pretende “enterrar logo esse processo e acabar com a farsa desse ex-ministro”.

A investigação no STF foi aberta ainda em abril, após pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, e foi autorizada pelo ministro Celso de Mello. O magistrado não autorizou que o presidente da República realizasse o depoimento por escrito e demandou a oitiva presencial.

Moro também é investigado sob a possibilidade de ter mentido em acusações contra o ex-presidente, o que também configura como crime.

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observador disse:

    Bolsonaro conseguiu um feito que nem PT nem PMDB conseguiram, acabou com a lava jato.

  2. Pepe disse:

    Vai ter tempo.A máscara vai cair.A verdade tão falada irá prevalecer.Moro já enquadrou o outro,o tempo irá colocar a verdade deste no seu devido lugar.
    Moro 2022

  3. Santos disse:

    Não há perseguição alguma, isso é apenas mimimi.
    No caso do ex- presidente Temer também foi uma decisão monocrática e de outro ministro. É natural e salutar divergência de entendimentos e de decisões é assim nos países livres.
    Tem outro detalhe, ninguém está acima das leis.

  4. GCF disse:

    Boa noite.
    Me parece que o Min. Celso de Mello persegue o Presidente da República ao tratá-lo de forma desigual em caso muito semelhante. Isso acontece desde as críticas pesadas que o Bolsonaro e seus assessores fizeram ao STF.
    Aceitar que se vote no plenário o pedido de responder por escrito nesse inquérito e aprovar o pedido é dar igualdade no direito.
    Realmente Bolsonaro também tem razão quando diz que não é o caso de responder perguntas diretas e presenciais de Sérgio Moro. Quem deve fazer as perguntas é o Ministro do STF, mesmo que tenham sido sugeridas pela defesa de Moro.
    Se o STF , na figura do Min. Celso de Mello, continuar a tratar o Presidente Bolsonaro com discriminação, o julgamento de qualquer ato analisado poderá ser considerado injusto e causar agitação social com sérios danos à nossa democracia.

COMENTE AQUI