Presidente da OAB-RN critica atuação do Ministério Público: “ela se perdeu na caminhada”

Entrevistado nesta terça-feira (11), no programa Meio Dia RN, na 96FM, o presidente da OAB no RN, Aldo Medeiros foi bastante crítico em suas respostas sobre a atuação do Ministério Público.

“A atuação do Ministério Público é essencial para que se tenha controle sobre muitos atos, mas ela se perdeu na caminhada exatamente porque não foi estabelecido um controle sobre os atos do Ministério Público”, disse Aldo.

E completou dizendo, “O MP não presta contas a ninguém, então nós temos que rezar o representante do MP a atuar em determinado caso seja uma pessoa sensata, porque se for uma pessoa insensata nós não temos como estabelecer freios”.

Aldo disse que os casos são quase que diários, como exemplo, falou que há situações de violações de privacidade, divulgação de dados, medidas exageradas e de pessoas serem expostas e depois se chegar à conclusão de que não era bem aquilo.

Também não faltaram críticas aos promotores. “A verdade é a seguinte, a cabeça do advogado é diferente da cabeça do promotor. O promotor tem uma visão de que é o representante da honradez na sociedade em que vive e que todos os demais não têm esse mesmo conceito. Ele se considera mais certo que os demais”, afirmou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alexandre disse:

    O MP era para atuar exclusivamente com "fiscal da lei" e não como "editor da lei".
    É muito poder nas mãos de pessoas, que nem sempre estão investidas da imparcialidade e querem impor ou induzir o Judiciário a "opinião dele".

  2. FISCAL DE SI disse:

    O caminho errado na caminhada foi quando enveredou para a investigação. O grande erro é o fiscal produzir a prova e oferecer a denúncia. Quem fiscaliza a prova produzida pelo fiscal ???

  3. Atento disse:

    Em Curitiba, o MPF pretendia até gerir 2 bilhões da lavajato.

COMENTE AQUI