Geral

Projeto que institui o Dia de combate à maconha tramita na Assembleia

Foto: Pixabay

Está tramitando na Assembleia Legislativa do RN, um projeto de lei que visa instituir o Dia de combate à maconha no RN. A matéria foi proposta pelo deputado Coronel Azevedo, que defendeu sua aprovação durante a sessão ordinária desta quinta-feira (16), no plenário da Casa.

O deputado justificou seu projeto com base em comunicados emitidos em 2023 por conselhos e associações: “Diante da retomada do debate público sobre a descriminalização da maconha, o Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria, em nota aos brasileiros, pedem o apoio da população para combater a maconha”, disse.

Azevedo afirmou que os comunicados externam que os profissionais de saúde entendem como maléfica a liberação do uso da maconha, que pode resultar no aumento do consumo e fortalecimento do narcotráfico.

O projeto do deputado está tramitando nas comissões temáticas da ALRN. O propositor afirmou que, como policial, enxerga os vários problemas relacionados ao consumo e tráfico. “Aqui no RN temos o Proerd – Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência -, da nossa quase bicentenária Polícia Militar, combatendo e prevenindo o uso nas escolas. O Proerd tem um dos serviços mais solicitados para combater as drogas ilícitas”, encerrou.

Deputado Francisco do PT propõe mudança no projeto
O deputado estadual Francisco do PT apresentou um substitutivo ao projeto de Coronel Azevedo. No entanto, a proposta de mudança recebeu críticas do propositor do PL original, que foram rebatidas por Francisco, que defende o projeto com abrangência maior, não se limitando apenas ao combate da maconha, mas de todas as drogas ilícitas.

“O substitutivo encartado ao projeto do deputado Coronel Azevedo propõe alcançar todas as drogas ilícitas e não apenas a maconha, conforme proposto pelo projeto de lei original. Por que limitar a ação se todas as outras drogas são tão destrutivas quanto a maconha? A verdade é que a ideia é tornar o projeto ainda mais abrangente”, alegou Francisco.

Fonte: Novo Notícias

Opinião dos leitores

  1. Maconha tem a ver com a esquerda, que quer a liberação geral das drogas.
    Muito bem! Tem que resistir mesmo aos apoiadores do tráfico e da desgraça dos usuários.
    Não vejo um pai ou mãe de família dizendo que se orgulha do filho traficante ou do filho usuário de drogas ilícitas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Carlos Eduardo vai recorrer da condenação

Foto: Alex Régis

O ex-prefeito Carlos Eduardo Alves afirma em nota que recebeu com surpresa a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) e diz que vai recorrer da condenação.

Leia abaixo na íntegra:

O ex-prefeito Carlos Eduardo recebeu com surpresa a decisão do Tribunal de Contas determinando pagamento de multa em processo no qual ele não era ordenador das despesas e, portanto, não pagou valor nenhum a qualquer construtora.

No caso específico, que ocorreu há mais de 15 anos, o ex-prefeito Carlos Eduardo reteve verbas e não realizou pagamentos.

O próprio juiz Artur Cortez Bonifácio, na sua sentença, reconheceu que o ex-prefeito Carlos Eduardo não pagou nada. O Ministério Público, por sua vez, sugeriu o arquivamento do caso, que já teria prescrito.

Em respeito aos fatos, o ex-prefeito Carlos Eduardo vai recorrer da decisão e espera que a verdade seja restabelecida e Justiça seja feita.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Prefeitura repudia recomendação do MPF sobre obra de engorda em Ponta Negra; entenda

Foto: Adriano Abreu

Após a recomendação do Ministério Público Federal que recomendou ao Idema não emitir a licença ambiental autorizando o início das obras de engorda sem que antes faça uma Consulta Pública com comunidades tradicionais, a Prefeitura de Natal divulgou nota afirmando que o MPF aplicou “equivocadamente” os termos da Convenção nº 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no processo de licenciamento ambiental para a obra de engorda da praia de Ponta Negra.

O Executivo municipal argumentou que a Convenção da OIT é direcionada aos povos indígenas e tribais.

Ainda no documento, a Prefeitura ressalta que “a comunidade rendeira e pesqueira de Ponta Negra possui uma identidade cultural distinta e valiosa, que merece ser preservada e promovida, fato que acontecerá, sem nenhum prejuízo para essas comunidades com a realização dessa obra”.

Leia a íntegra da nota:

A Prefeitura de Natal, por meio desta nota, reafirma seu compromisso com a comunidade pesqueira de Ponta Negra e repudia a Recomendação do Ministério Público Federal (MPF) de aplicar equivocadamente os termos da Convenção nº 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no processo de licenciamento ambiental para a obra de engorda da praia de Ponta Negra.

A Convenção 169 da OIT é direcionada especificamente a povos indígenas e tribais, conforme definido no Artigo 1º. Essa convenção aplica-se a povos tribais que possuem condições sociais, culturais e econômicas que os distinguem de outros setores da sociedade nacional e são regidos por seus próprios costumes ou legislação especial, e a povos indígenas que descendem de populações que habitavam o país na época da colonização ou do estabelecimento das atuais fronteiras, conservando suas próprias instituições sociais, econômicas, culturais e políticas. A comunidade rendeira e pesqueira de Ponta Negra, embora rica em tradição e cultura, não se enquadra nessas definições específicas.

Queremos ressaltar que a comunidade rendeira e pesqueira de Ponta Negra possui uma identidade cultural distinta e valiosa, que merece ser preservada e promovida, fato que acontecerá, sem nenhum prejuízo para essas comunidades com a realização dessa obra.

A legislação brasileira já oferece proteção às comunidades tradicionais através da Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (Decreto nº 6.040/2007). Esta política reconhece e protege essas comunidades de maneira adequada e específica, sem a necessidade de aplicar a OIT 169.

Importante destacar que, mesmo em casos envolvendo povos indígenas e tribais, a consulta prevista na OIT 169 não implica em poder de veto ou nenhum impedimento para realização dessa obra, nem interfere de forma nenhuma na Engorda de nossa Praia, realizada de forma semelhante em vários locais, todos sem essa exigência.

A recomendação da aplicação da OIT 169 no processo de licenciamento pode apenas introduzir complicações desnecessárias e atrasar a execução do projeto, sem oferecer benefícios adicionais à comunidade pesqueira e rendeira. A convenção prevê, no Artigo 34, que as medidas adotadas devem ser determinadas com flexibilidade, levando em conta as condições próprias de cada país.

Reafirmamos nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável e a proteção ambiental, assegurando que todos os processos de licenciamento sejam conduzidos de maneira justa e eficiente, respeitando os direitos e interesses de todas as comunidades envolvidas. A identidade cultural e os costumes da comunidade pesqueira e rendeira de Ponta Negra serão preservados e promovidos através de políticas específicas que atendam suas necessidades e particularidades.

Adicionalmente, destacamos que a comunidade tradicional de Ponta Negra já foi ouvida em várias reuniões com representantes municipais, onde suas preocupações e sugestões foram levadas em consideração. A Prefeitura de Natal está comprometida em continuar esse diálogo aberto e transparente, garantindo que a comunidade seja devidamente valorizada e integrada em todas as fases do projeto de engorda da praia.

Por fim, é inaceitável e inadmissível que a licença ambiental desta obra tão importante, urgente e necessária seja impedida devido à aplicação equivocada de dispositivos legais. A engorda da praia de Ponta Negra é essencial para a preservação da geração de emprego e renda da área e para o bem-estar de toda comunidade de Ponta Negra. Estamos no nosso limite. As imagens do Morro do Careca, terminando de ser destruído pela erosão provocada pelo avanço do mar, falam por todas as comunidades ligadas ao turismo e por milhares de pessoas que dependem disso para sua sobrevivência.

Não podemos mais protelar essa Engorda. Mais atrasos deliberados ou injustificados para iniciar essa obra, podem trazer prejuízos insanáveis e irrecuperáveis para a economia de nossa cidade e para o meio ambiente, destruindo a Praia de Ponta Negra e acabando a geração de renda para milhares de pessoas que ficarão desempregadas em Natal.

Temos de fazer a Engorda Já!

Álvaro Dias
Prefeitura Municipal de Natal.

Tiago Mesquita
Semurb.

Tribuna do Norte

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Equipe econômica diz mirar corte universal em todos os ministérios

Foto: Diogo Zacarias/Ministério da Fazenda

Interlocutores da equipe econômica relataram à CNN terem saído da reunião ocorrida na tarde de quinta-feira (18) com aval do presidente Lula para cortar despesas em todos os ministérios.

Nesse sentido, não haveria restrições a pastas sociais como educação e saúde, tampouco a Defesa, cujo ministro, José Múcio Monteiro, deu declarações recentes dizendo ter garantia de que sua pasta não seria afetada.

Assim, de hoje até segunda-feira (22), o trabalho da equipe econômica será analisar o orçamento de todas as pastas para anunciar onde ocorrerão os cortes.

O pedido do presidente foi apenas de que as pastas com menor orçamento não sejam sacrificadas com grandes cortes e que políticas públicas relevantes sejam preservadas.

A estimativa é de que o relatório bimestral de receitas e despesas a ser apresentado na segunda-feira tenha uma estimativa de déficit superior a R$ 32 bilhões.

Caio Junqueira – CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Recomendação do MPF não foi feita em outras engordas, diz Prefeitura

Foto: Adriano Abreu

O processo de licenciamento da obra da praia de Ponta Negra ganhou um novo capítulo nesta quinta-feira (18). Isso porque o Ministério Público Federal (MPF) recomendou que o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) não emita a licença ambiental autorizando o início das obras sem que antes faça uma Consulta Pública com comunidades tradicionais acerca do projeto com base na Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Urbanismo (Semurb), Thiago Mesquita, a exigência do MPF não foi feita em outras cidades que fizeram obras de engorda e que o trabalho de consulta junto a comunidade pesqueira foi feito com audiência pública promovida pelo próprio Idema. A recomendação não tem caráter obrigatório e não necessariamente precisa ser seguida pelo Idema.

“A tomada de decisão em relação a alguma recomendçaão de qualquer ente de controle é do órgão licenciador, nesse caso o Idema. O órgão tem toda a autonomia de acatar ou não e é uma recomendação que fere um princípio claro no aspecto técnico de engenharia. Obviamente não há nenhum motivo para não iniciar a obra sem fazer essa consulta. A consulta pode até ser condicionada pelo Idema dando prazo ao município se ele entender que há necessidade de se fazer isso. Agora: não iniciar a obra e dizer que há um prejuízo ambiental que pode comprometer a questão de execução da obra aparentemente não existe. E esperamos que o Idema tenha a postura dos outros estados que licenciaram obras de engorda de não condicionar esse tipo de situação a emissão da licença”, disse Thiago Mesquita.

Tribuna do Norte

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Apagão cibernético atrasa voos e prejudica serviços bancários e de comunicação ao redor do mundo

Foto: REUTERS/Elena Rodriguez

Um apagão cibernético está provocando atrasos em voos, além de prejudicar serviços bancários e de comunicação ao redor do mundo, nesta sexta-feira (19). As principais companhias aéreas dos Estados Unidos paralisaram todos os voos.

Segundo a Associated Press, o apagão envolve usuários da Microsoft. O governo da Austrália disse que o incidente está aparentemente relacionado a um problema global na empresa de segurança cibernética CrowdStrike.

Em um comunicado, a CrowdStrike confirmou que está ciente de falhas no sistema operacional Windows relacionada ao sensor “Falcon”.

Até a última atualização desta reportagem nenhum problema havia sido reportado no Brasil.

Segundo a rede de TV norte-americana ABC, nenhum voo da American Airlines, United e Delta deve decolar nas próximas horas. As viagens que já estão em andamento continuarão normalmente.

Problemas técnicos foram reportados nos maiores aeroportos da Europa e na Índia, com atrasos de voos.

g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

[VÍDEO] “Hoje foi fácil”, diz Simone Tebet sobre convencer Lula a realizar corte de gastos

Ministra do Planejamento afirmou que presidente já havia sido convencido sobre a necessidade do bloqueio.

Fonte: Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

RN registra aumento de 30% em estupros; no Brasil, uma pessoa é estuprada a cada 6 minutos

O Brasil bateu recorde de casos de estupros e estupros de vulneráveis em 2023. Foram registrados quase 84 mil ocorrências, um aumento de 6,5% em relação a 2022. Os dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), divulgados nesta quinta-feira (18), mostram que uma pessoa é vítima do crime a cada seis minutos.

No Rio Grande do Norte, o aumento foi ainda maior: 30%. O número de registros de estupro saltou de 954 para 1.242. No Nordeste, o RN é o 3º pior Estado em número de estupros, proporcionalmente. A taxa no RN foi de 37,6 casos por 100 mil habitantes em 2023, à frente apenas de Sergipe (45,5) e Piauí (47,9). O melhor estado do Brasil, e consequentemente do Nordeste, é a Paraíba (14,6).

Perfil

O perfil das vítimas é composto por meninas (88,2%), negras (52,2%), de no máximo 13 anos (61,6%) e em 84,7% das vezes os agressores são familiares ou conhecidos, que cometem a violação nas próprias residências das vítimas (61,7%). As vítimas de até 17 anos compõem 77,6% de todos os registros, segundo o estudo.

Onde ocorre a violência

  • Residência – 61,7%
  • Via pública 12,9%
  • Área rural – 2,5%
  • Sítios e fazendas – 1,1%
  • Estabelecimento comercial/ financeiro – 2%
  • Hospital – 1,4%
  • Outros – 18,4%

Veja piores taxas de estupro no Brasil

A taxa média nacional de estupros e estupros de vulnerável foi de 41,4 por 100 mil habitantes. Veja os estados com as maiores taxas isoladas para cada 100 mil habitantes:

  • Roraima – 112,5
  • Rondônia – 107,8
  • Acre – 106,9
  • Mato Grosso do Sul – 94,4
  • Amapá – 91,7

 

Os municípios foram analisados pela primeira vez para esse tipo de análise do FBSP. Os com maiores taxas para cada 100 mil habitantes são:

  • Sorriso (MT) – 113,9
  • Porto Velho (RO) – 113,6
  • Boa Vista (RR) – 101,5
  • Itaituba (PA) – 100,6
  • Dourados (MS) – 98,6

Estupro de vulnerável

O relatório aponta que, de todas as ocorrências verificadas em 2023 no PAís, 76% correspondem ao crime de estupro de vulnerável, tipificado na legislação brasileira como a prática de conjunção carnal ou ato libidinoso com vítimas menores de 14 anos ou incapazes de consentir por qualquer motivo, como deficiência ou enfermidade.

O estudo registrou a taxa de 233,9 casos para cada 100 mil habitantes de estupros de crianças e adolescente na faixa de 10 a 13 anos. A taxa quase seis vezes superior à média nacional. No caso de bebês e crianças de 0 a 4 anos, a taxa de vitimização por estupro chegou a 68,7 casos por 100 mil habitantes, 1,6 vezes superior à média no país.

Desses casos, meninas são mais agredidas. O sexo feminino representa a taxa de 67,6 por 100 mil, seis vezes superior à média entre homens. Entre os meninos, a maior incidência de estupros ocorre entre os 4 e os 6 anos de idade e cai à medida que se aproxima a vida adulta.

Fonte: Portal 98Fm

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Nova lei obriga instalação de banheiros para clientes em farmácias de Natal

Foto: Reprodução

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (Republicanos), sancionou uma lei que obriga farmácias do município a terem banheiros para clientes em compras. A norma, que foi aprovada pela Câmara Municipal no mês passado, é oriunda de um projeto de lei do vereador Kleber Fernandes (Republicanos).

A lei foi publicada nesta quinta-feira (18) no Diário Oficial do Município e vale apenas para novos estabelecimentos.

Segundo a lei, a partir de agora, os novos estabelecimentos que venham a ser instalados para comercialização de produtos farmacêuticos em Natal, e que tenham área de vendas superior a 200 m², ficam obrigados a dispor de “sanitário unissex em seu interior”.

Os estabelecimentos já instalados e em funcionamento devem permitir a utilização, pelos clientes em compras, do sanitário destinado aos seus funcionários, não podendo impedir o livre acesso.

A exceção à regra é para os casos de farmácias localizadas em shoppings, centros comerciais e supermercados.

O não cumprimento da regra implicará na suspensão imediata do licenciamento para o funcionamento, diz a prefeitura. Além disso, a lei prevê multas que variam de R$ 800 a R$ 8 mil (a mais grave é para casos de reincidência).

Fonte: Portal 98Fm

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Fluxo dos memes com Haddad indica que ‘Taxadd’ é orgânico e não tem coordenação

Foto: Reprodução

Os memes sobre o ministro Fernando Haddad (Fazenda) não brotaram da noite para o dia: cresceram de modo orgânico até tomar redes sociais e aplicativos de mensagem. É o que sugerem análises feitas para a Folha por empresas de monitoramento.

Dados da plataforma Buzzmonitor indicam que há menções à expressão “Taxadd”, como o chefe da equipe econômica vem sendo chamado, durante todo este ano.

Já no primeiro dia de 2024 um usuário do X (antigo Twitter) criticava a “sanha arrecadatória do Lula e seu vassalo Taxadd”, em resposta a um post de uma conta oficial do governo sobre o reajuste do salário mínimo. Entre os dias 1º e 7 de janeiro, usuários da rede social usaram a expressão 339 vezes.

Poucos dias antes, Haddad havia divulgado um pacote com medidas para evitar perda de arrecadação e reforçar o caixa da União neste ano —entre elas, a reoneração gradual da folha de pagamentos, tema ainda sem solução, e o fim do Perse (Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos), do qual teve de recuar e negociar um meio-termo após pressões do Congresso e de empresários.

O uso do apelido do ministro se manteve em níveis baixos, com máximo de 833 menções em meados de maio, até começar a crescer na semana passada e chegar a 895. “São depoimentos de pessoas claramente alinhadas à direita, mas não de bots [robôs] ou de perfis que têm investimento de mídia”, diz Breno Soutto, head de insights do Grupo Elife, responsável pela plataforma.

O cenário era o mesmo no WhatsApp. Nos últimos meses até aparecia um “Taxadd” ou outro em 80 mil grupos públicos monitorados pela empresa Palver, mas nada muito relevante.

O cenário era esse até que veio a segunda-feira (15). Naquele dia, Haddad foi chamado de Taxadd 3.294 vezes na rede de Elon Musk (com memes como “Taxando Pobre Adoidado”, inspirado no filme clássico dos anos 80, ou “Taxamento às Cegas Brasil”, do sucesso da Netflix).

Uma das explicações para a insatisfação poderia ser, por exemplo, a aproximação da entrada em vigor da “taxa das blusinhas”, que vai recair sobre as compras de até US$ 50 em sites internacionais a partir de 1º de agosto.

Mas, para o Soutto , o gatilho para essa explosão foi a publicação, no X, de nota na coluna Painel, da Folha, em que o secretário de Comunicação do PT, Jilmar Tatto, dizia que o apelido “não vai pegar” e o ministro ficará conhecido por reduzir impostos. Um terço das publicações (1.084) era replicação dos perfis @folha ou @folhapainel.

Na terça (16), o número de menções subiu para 15.012, um salto de 355%. No WhatsApp, o rosto do ministro apareceu 58 vezes a cada 100 mil mensagens nos grupos públicos (a taxa era de 5 na véspera).

Esse aumento tão expressivo pode gerar suspeitas de ação coordenada, mas, para Soutto, os dados sugerem o contrário. “Os perfis [que publicaram os memes] abordam temas diversos e existem há bastante tempo, coisa que não costuma acontecer com bots”, diz.

Luis Fakhouri, diretor de estratégia da Palver e colunista da Folha,vai na mesma direção: “As pessoas gostaram da piada, houve a participação de alguns perfis da direita e isso deu popularidade para o tema.”

Para ele, um indício de que a ação foi orgânica é o fato de o movimento não ter se repetido no Telegram, já que “quem liga o robô liga em diversas frentes”.

Ainda na terça, o meme deixou o mundo virtual: Haddad surgiu como “Taxa Humana”, uma referência ao personagem Tocha Humana, do Quarteto Fantástico, em um outdoor no meio da Times Square (Nova York).

Obra de Hugo Montan, 19, que afirma ter pago o equivalente a R$ 255 pelo anúncio —incluindo 4,38% de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), ele ressalta. A contratação foi feita por meio de um aplicativo (o jovem enviou à reportagem emails que indicam a autoria da brincadeira).

Montan, que já foi analista de criptomoedas e hoje estuda para prestar vestibular para economia, diz que o objetivo foi demonstrar a insatisfação com a estratégia do governo de fazer o equilíbrio das contas públicas principalmente pelo lado da arrecadação.

“Minha crítica é ao governo. A gente vê o Lula mais confiante, orgulhoso, de tomar decisões no campo da economia do que nos primeiros mandatos. Haddad acaba ficando de fiador disso”, afirma ele.

Em meio à enxurrada, o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSDB) saiu em defesa do ministro. “Se pegarmos a carga tributária de 2022 para 2023, ela não aumentou, até que caiu um pouquinho”, afirmou Alckmin, que comanda o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços).

Nesta quarta, o volume de publicações já se reduziu para 4.908 (até as 17h) no X. Apesar de algumas exceções, com tom mais sério, a maioria das publicações era replicação de piadas já existentes. Do total, 74,7% dos posts que usaram o termo neste ano eram retuítes sem nenhum acréscimo de conteúdo.

“Esta característica de replicação rápida, interesse de curta duração e humor definitivamente consolidam ‘Taxadd’ no território dos memes. Ainda que o boca a boca morra, o apelido deve seguir associado ao ministro por um bom tempo”, diz Soutto.

No WhatsApp, ainda houve alta: o rosto de ministro da Fazenda aparecia em 80 de cada 100 mil mensagens em grupos nesta quarta.

Para João Victor Archegas, coordenador do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro, é difícil prever o impacto da brincadeira no futuro do ministro. Ele afirma que esses “microatos políticos” (memes, likes, posts) podem se somar de forma imprevisível.

“Quando você vê, está diante de um movimento político que tem potencial de desestabilizar o partido, desestabilizar o governo, desestabilizar a própria imagem do Haddad nesse caso”, afirma ele.

Fonte: Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

[VÍDEO] “Não passo faixa pra ladrão”; diz Bolsonaro sobre Lula, em ato no Rio de Janeiro

Em ato no Rio de Janeiro, o ex-presidente Jair Bolsonaro disse que nunca teve a intenção de passar a faixa presidencial ao atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Bolsonaro participou nesta quinta-feira (18/7) de um evento na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, ao lado do deputado federal e pré-candidato à prefeitura da cidade Alexandre Ramagem (PL-RJ).

Em cima do trio elétrico, Bolsonaro lembrou da dúvida que existia sobre se ele entregaria, ou não, a faixa presidencial para Lula na data da posse do atual presidente, em 2023.

“Alguns achavam que eu ia passar a faixa para aquele cara (Lula), mas eu não passo faixa para ladrão”, disse Bolsonaro.

Após a fala do ex-presidente, o público presente reagiu, gritando: “Lula ladrão, seu lugar é na prisão”. No evento, Bolsonaro falou também sobre as possibilidades nas eleições municipais de 2024 no Rio.

Fonte: Metrópoles

Opinião dos leitores

    1. Qual roubo ele cometeu? Esquerdiotização pura, será que tem cura? Acho que não.

    2. Pode homi, o MITO falam muito e não provam nada, no caso do NINE ele foi condenado em primeira instância, recorreu, teve confirmada a condenação em segunda instância, recorreu ao STJ, sendo mais uma vez condenado com trânsito em julgado, aí veio os supremos amigos e descobriram que o CEP não era legal, o resto todos sabem.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *